sábado, 30 de julho de 2016

Em busca do Galo


EM BUSCA DO GALO

Paulo Henrique Tavares

Vencer o Atlético/MG no estádio Independência. A dificuldade que o Santa Cruz enfrentará para alcançar este objetivo está implícita. Conta de forma desfavorável o histórico do confronto em Minas Gerais - onde os tricolores nunca venceram - e a posição das duas equipes na tabela de classificação da Série A. Mesmo assim, caso o inesperado aconteça, o técnico Milton Mendes afirmou que a interferência do resultado valerá muito mais que os três pontos. Uma possível vitória contará positivamente no psicológico dos atletas.
O Santa Cruz chega para o confronto na 16ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 17 pontos. Ou seja, um degrau acima da temida zona de rebaixamento. O aproveitamento da equipe na competição é de 35,4%, com cinco vitórias, dois empates e nove derrotas. Já o Atlético/MG entrará em campo para se aproximar do G4 - a diferença para o quarto colocado Santos é de três pontos. O Galo tem 26, conquistados com sete vitórias, cinco empates e quatro derrotas, na sétima colocação.
Além de revelar a condição atual das equipes, tais números demonstram quão dura será a busca tricolor. De alento serve o fato de a única vitória fora de casa da equipe na competição ter acontecido também no estádio Independência. O 3x0 diante do lanterna América/MG, inclusive, foi suficiente para mudar para melhor o ambiente no Arruda. “Uma vitória boa já foi contra o América. Nos deu alento, força, possibilidade de brigar por um lugar melhor que não chegamos por incompetência nossa mesmo. Acho que (diante do Atlético) seja um jogo de peso 3 (o mais elevado)”, disse o treinador.
Além da parte tática, trabalhada durante a semana livre que o Santa Cruz teve à disposição, o comandante fez questão de melhorar o lado psicológico dos atletas para o jogo. “A gente arriscou em alguns momentos, e a equipe não reagiu, com algumas mudanças. Trabalhamos o psicológico, porque quando tomamos o gol, visivelmente a nossa equipe se abateu e caiu. Trabalhei, sim, os dois fatores (tático e mental). E eu penso que as duas fluíram bem”, afirmou o comandante.
Milton Mendes viajou para Belo Horizonte com o time na cabeça, mas nenhuma confirmação foi dada à Imprensa. As principais dúvidas são com relação aos substitutos do zagueiro Neris, que está lesionado, e do meia João Paulo, suspenso. Wellington deve ser acionado na defesa. Já o meio de campo tem três atletas brigando pela vaga: Marcinho, Jadson e Danilo Pires. Ao todo, os tricolores irão para o jogo com cinco desfalques. Além de Neris e João Paulo, o lateral-direito Vítor, com dores na panturrilha, o atacante Marion, com um inchaço no joelho, e o volante Wellington Cézar, que sofre de tendinite no joelho direito.

Fonte: Folha de Pernambuco, Recife, 30/7/2016

Nenhum comentário: