quarta-feira, 8 de junho de 2016

Um novo Santa vem aí?


UM NOVO SANTA VEM AÍ?

Yuri de Lira

Quando chegou no Santa Cruz, no fim de março, Milton Mendes não trouxe reforços ao clube. Muito também porque a janela de transferências para a Copa do Nordeste já estava trancada. Mas agora o técnico vem dando a sua cara para o time pernambucano. Já trouxe seis jogadores para o Arruda. Além disso, o zagueiro Leonardo já acertou as contas com a diretoria e deixou o Tricolor. O atleta, que teve o seu desligamento confirmado oficialmente ontem, não deve ser o único a sair. Mais saídas e chegadas vão acontecer e o antes intacto elenco passará por reformas.
Até então, o lateral esquerdo Roberto, o volante Alex Bolaño, o meia Fernando Gabriel, o atacante Everaldo e o lateral direito Mário Sérgio foram trazidos por Mendes. Esse último apresentado oficialmente ontem, diga-se. O experiente meia Marcinho segue treinando no Arruda para também assinar contrato (mas só caso alcance uma condição física suficiente para jogar). As prioridades do treinador e da direção agora são defensores. Wanderson, do Atlético-PR, é um zagueiro cotado. Negócios com bom custo-benefício e que possam render atletas para outros setores também deverão ser estudados. A exemplo do atacante Marion, que pertence ao Atlético-MG, e está em negociação com os corais.
Milton Mendes já havia sinalizado a possibilidade de um “rodízio” entre os titulares para evitar desgaste e contusões nos jogadores. Então, a fim de aumentar o seu leque de opções quando o elenco precisará de fato rodar, não se furta em destacar a necessidade de contratações. “Nós precisamos reforçar. Você acha que com o plantel que nós temos hoje conseguiremos ir ao fim do campeonato bem? Nós precisamos de peças. Todos sabem disso e os jogadores estão cientes disso. O mercado está aí”, falou o técnico.
Por outro lado, treinador e diretoria não falam abertamente em saídas de peças. Não condicionam a vinda de reforços a estes desligamentos. Contudo, a cúpula coral vem estudando as dispensas de peças inutilizadas ou com mau rendimento. O comandante avisa, porém, que não quer ter um elenco muito cheio.
“Às vezes, é normal que entrem alguns jogadores. Quando existe um inchaço de plantel isso é normal. Isso é em todos os lugares.” Essas saídas não podem ser unicamente demissões. Emprestar os preteridos ou liberar para times que tenham interesses neles é também uma maneira de diminuir encargos trabalhistas. “O América-MG veio atrás de jogadores do clube. Outras equipes estão atrás”, revelou Mendes.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 08/6/2016

Nenhum comentário: