quinta-feira, 2 de junho de 2016

Santa Cruz 0 x 1 Sport


Fotografia de Diego Nigro / JC Imagem

SANTA CRUZ 0 x 1 SPORT

Thiago Wagner
Talvez nem o rubro-negro mais otimista esperava que o anúncio do atacante Edmilson seria o responsável pelo fim do jejum de oito jogos sem vencer do Sport na temporada. Criticado com direito a campanha da torcida para que não fosse contratado, o jogador foi o herói da vitória rubro-negra no Clássico das Multidões desta quarta-feira, no Arruda, pelo Brasileirão. Dos pés dele, saiu o único gol do duelo contra o Santa Cruz, que perdeu não só o jogo como a sequência invicta na temporada – eram 18 jogos sem perder. Um enredo que só um clássico com mais de cem anos pode render.
Com o primeiro êxito na competição, o Sport vai para quatro pontos. O Leão, contudo, não saiu da zona de rebaixamento – é o 18º. O Santa, por outro lado, sai do G4 – é o quinto com sete. Na rodada seguinte, os pernambucanos duelam com os atléticos. Os rubro-negros recebem o mineiro, enquanto que os corais visitam o paranaense.

Situações trocadas
Se alguém chegasse nesta quarta-feira sem saber as situações das duas equipes juraria que o Sport era o time que estava no G4 e o Santa Cruz brigando contra o rebaixamento. Isso porque o jogo foi todo do Leão, que só não venceu por uma placar maior devido às falhas dos seus jogadores – Serginho, Éverton Felipe e Diego Souza perderam oportunidades claras de matar o jogo. Ainda teve bola na trave de Gabriel Xavier, no segundo tempo. O favoritismo coral nem chegou perto de se desenhar após o apito inicial.
Além do maior ímpeto ofensivo, os leoninos também demonstram maior atenção defensiva. Tanto que Magrão mal tocou na bola, a não ser para repor a bola. Mérito para o meio de campo da equipe do Sport, que marcou muito forte, ocupando bem os espaços. Nem parecia o time que dava seguidos espaços para os adversários nos jogos anteriores. Claro que o gol no começo do confronto ajudou e muito para o Leão fazer o seu jogo com maior tranquilidade.
Por outro lado, o Santa Cruz foi apático em campo. Aquela pegada que levou o Tricolor ao G4 da Série A foi inexistente. Os corais deram muitos espaços para os rubro-negros, principalmente para Diego Souza, que reinou no gramado. Na metade final do segundo tempo, o time de Milton Mendes se desorganizou ainda mais por conta das mexidas do treinador, que sacou vários defensores para colocar atacantes. A ousadia de Mendes, contudo, não surtiu efeito prático já que não houve nem pressão na reta final. A expulsão de Roberto também dificultou a vida dos donos da casa.

FICHA TÉCNICA

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Léo Moura (Bruno Moraes), Alemão (Fernando Gabriel), Danny Morais, Roberto; Uillian Correia, João Paulo, Wallyson (Lelê); Arthur, Keno e Grafite. Técnico: Milton Mendes.

SPORT: Magrão; Samuel Xavier (Ronaldo), Matheus Ferraz, Durval e Renê; Serginho, Rithely e Diego Souza; Éverton Felipe, Gabriel Xavier (Rodrigo Mancha) e Edmilson (Lenis). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Local: Estádio do Arruda, Recife (PE). Árbitro: Raphael Claus (SP).Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite (Ambos de PE). Gol:Edmilson (S) aos 8 minutos do primeiro tempo. Amarelos: Uillian Correia (SC), Alemão (SC), Diego Souza (S), Léo Moura (SC), Serginho (S), João Paulo (SC) e Arthur (SC). Vermelho:Roberto (dois amarelos). Público – 16.951. Renda – R$ 290.070.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 01/6/2016

Nenhum comentário: