domingo, 5 de junho de 2016

Atlético Paranaense 1 x 0 Santa Cruz


ATLÉTICO PARANAENSE 1 x 0 SANTA CRUZ

Wladmir Paulino

O Santa Cruz foi fiel ao seu estilo em deixar a bola com o adversário e buscar a eficácia nos contra-ataques. Mas a segunda parte do plano não funcionou e o time do Arruda sofreu sua segunda derrota no Brasileirão ao cair por 1×0 diante do Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela sexta rodada. Os corais voltam a jogar em casa no próximo domingo (12). O adversário será o Santos.
As saídas de Arthur e, principalmente, Keno, provocaram efeitos diferentes no nos setores defensivo e ofensivo do Santa Cruz. Sem a bola, para se defender, os corais não apresentaram queda. Tanto Everaldo quanto Wallyson recuavam para fechar a linha de meio com Uillian, João Paulo e Lelê. O problema aparecia quando o Tricolor retomava a bola. Cadê a velocidade para chegar lá na frente em condições para Grafite finalizar?
Uillian Correia e João Paulo tomavam a bola, Lelê partia para o ataque mas seus companheiros das pontas não acompanhavam. O Atlético usava muito a bola longa e facilitava a vida do Santa. Esboçava algum perigo nas tabelas rápidas pelo meio. Mas só levou perigo mesmo num rebote que Vinícius aproveitou e chutou raspando a trave direita aos 31 minutos. O Santa começou a mostrar mais serviço ofensivo nos dez minutos finais quando Léo Moura saiu da toca e deu mais amplitude à organização ofensiva coral. Everaldo e Tiago Costa pararam em Weverton. Já Vinícius assustou Tiago Cardoso novamente, e do mesmo jeito, aproveitando rebote.
O segundo tempo começou como terminara o primeiro: os dois times mais dispostos a atacar e dando espaço para os contra-ataques. Depois de cinco minutos com mais erros do que acertos, Uillian Correia encontrou Everaldo lá no lado esquerdo. Ele entrou na árae mas perdeu a passada da bola e na hora de chutar mandou por cima. O Furacão deu o troco com gol. Aos 13, o time da casa tentou por todos os lados até Deivid pegar o rebote da entrada da área e acertar o ângulo direito de Tiago Cardoso. Não dava mais tempo para esperar e Milton Mendes teve que acionar seus ponteiros titulares. Keno e Arthur entraram nos lugares de Everaldo e Wallyson.
Coincidência ou não, Grafite nunca ficou tão perto do gol na partida quanto aconteceu aos 20 minutos. Keno cruzou rasteiro e o artilheiro coral emendou rasteiro, para fora. Mas o preço de ser afoito era deixar o adversário contra-atacar. Aliás, como aconteceu no clássico com o Sport. O Atlético-PR teve espaço entre as linhas de defesa e mio do Santa e numa delas André Lima deixou Nikão cara a cara com Tiago Cardoso. O paredão coral foi preciso na hora de esticar o braço direito e evitar o gol aos 29 minutos.
Aos 38, o técnico tricolor foi para o tudo ou nada, adotando o sistema retrô (4-2-4) com a entrada de Bruno Moraes no lugar de João Paulo. Mas o Atlético encolheu-se e limitou-se a espanar bolas e garantir o resultado.

FICHA DO JOGO

ATLÉTICO-PR: Weverton; Léo, Thiago Heleno, Wanderson e Sidcley; Otávio, Deivid e Vinícius; Ewandro (Giovany), Nikão (Marcos Guilherme) e Walter (Anderé Lima). Técnico: Paulo Autuori.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Léo Moura, Néris, Danny Moraes e Tiago Costa; Uillian Correia, João Paulo (Bruno Moraes) e Wallyson (Arthur); Lelê, Everaldo (Keno) e Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR). Árbitro: Wagner Reway (MT). Auxiliares: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT). Gol: Deivid, aos seis do segundo tempo. Cartão amarelo: Danny Moraes.

Fonte: Blog do Torcedor, Jornal do Commercio, Recife, 04/6/2016
  

Nenhum comentário: