domingo, 8 de maio de 2016

Uma decisão centenária


UMA DECISÃO CENTENÁRIA

João de Andrade Neto

Não é exagero afirmar que daqui a 100 anos, o duelo deste domingo entre Sport e Santa Cruz, na Ilha do Retiro, será lembrado. Seja nos livros ou nas novas plataformas tecnológicas que ainda estão por vir e que trarão as notícias do dia a dia. E isso não apenas por decidir o título do Campeonato Pernambucano. Isso, os dois clubes já fizeram outras 23 vezes ao logo da história. A final mais repetida de todas. O outro componente que faz do 548º duelo entre rubro-negros e tricolores um jogo único e histórico antes mesmo da bola rolar é o fato dele abrir o segundo centenário de uma rivalidade eterna. E nada melhor do que abrir o próximo século do Clássico das Multidões com uma taça como maior testemunha do feito. Algo que não ocorreu no primeiro de todos os confrontos.
No dia 6 de maio de 1916, Sport e Santa Cruz davam o pontapé inicial, no duelo que viria a ser o mais popular do estado, em um amistoso realizado no antigo campo do British Club, com vitória leonina por 2 a 0. Neste domingo, será a vez de Danilo Fernandes, Tiago Cardoso, Uilliam Correia, Rithely, Grafite e Mark González escreverem seus nomes na história, assim como J. Reynolds, Briant, Mangabeira e Ilo Just fizeram há 100 anos. Outra diferença é que dessa vez, a partida não terá nada de amistosa.
Clima quente que começou com a polêmica na distribuição de ingressos para a torcida do Santa Cruz, abaixo dos 20% obrigatórios pelo regulamento da Federação Pernambucana de Futebol, e até mesmo dos 10% estipulados pela CBF. E que atingiu fervura máxima após a vitória do Santa por 1 a 0 no jogo de ida, no Arruda, com um gol ilegal marcado por Lelê, com assistência de Grafite, impedido. Com a vantagem, basta ao campeão da Copa do Nordeste não sair derrotado para faturar o bicampeonato estadual. O quinto nos últimos seis anos. O quarto sobre o Sport. O terceiro na Ilha. Algo que os rubro-negros querem a todo custo evitar.
Ferido, o Leão vem usando o sentimento de ter sido prejudicado na primeira partida como combustível principal para reverter a vantagem tricolor. Motivação em forma de adrenalina, exaltada pelos jogadores nos últimos dias e pelo próprio clube, que divulgou nas redes sociais a mensagem de "contra tudo e contra todos" para chamar a torcida e também aumentar a pressão da partida. Será suficiente para conquistar uma vitória por dois gols, necessária para conquistar de forma direta o título. O 41º da galeria rubro-negra. Um triunfo por apenas um tento leva a disputa para os pênaltis.
Por volta das 18h deste domingo o primeiro capítulo dos próximos 100 anos estará escrito. Resta saber se em duas ou três cores.

Fonte: Diario de Pernambuco, 08/5/2016

Nenhum comentário: