quinta-feira, 28 de abril de 2016

Santa Cruz 2 x 1 Campinense


Fotografia de Diego Nigro / JC Imagem

SANTA CRUZ 2 x 1 CAMPINENSE

Davi Saboya

Empurrado pela torcida coral que lotou o Arruda, o Santa Cruz venceu por 2×1 o Campinense, nesta quarta-feira (27), no estádio do Arruda, em partida válida pelo jogo de ida da final da Copa do Nordeste. A trilha sonora da vitória foi: “Acabou o caô, o general chegou”. O atacante Bruno Moraes entrou durante o segundo tempo e decidiu a partida para o Tricolor. Os outros gols foram marcados por Grafite e Tiago Sala.
Os dois times realizaram um confronto muito aberto, igual e com chances para os dois lados. A partida de volta acontece, domingo (1), no estádio Amigão, em Campina Grande-PB.

O JOGO

Quem deu o pontapé inicial da partida foi o ex-atacante do Santa Cruz, Ramon. Só que, logo aos 3, quem teve a primeira chance de perigo foi o Campinense. Pelo lado direito, Roger levantou a bola na grande e quase Rodrigão completa o lance. A bola sobro para o lateral-esquerdo Danilo que arriscou de fora da área e também não teve sucesso. Mas o tricolor não demorou para responder. Grafite arrancou pelo lado esquerdo e mandou uma bomba para por cima do gol.
Quando o cronômetro passava dois dez minutos e as duas equipes iniciavam a partida bastante disputado, o árbitro Arilson Bispo da Anunciação sentiu fortes dores na panturrilha esquerda. Ele foi substituído pelo quarto árbitro pernambucano, Nielson Nogueira Dias.
Após os dez minutos, o confronto esfriou e o Campinense começou a controlar a bola. Além de ter uma maior posse de bola. Com isso, o Santa Cruz encontrou grande dificuldade para furar a defesa paraibana. Somente aos 29, o Tricolor conseguiu ameaçar o adversário, mas foi crucial. Leandrinho cobrou o escanteio e o atacante Grafite subiu mais alto que a defesa adversário para abrir o placar. Mesmo tendo sofrido o gol, o rubro-negro paraibano foi para cima. Aos 34, Felipe Ramon, cara a cara com Tiago Cardoso isolou a bola.
O gol do Santa Cruz em um lance de bola foi um verdadeiro “banho de água fria” no Campinense que com a bola no pé foi melhor que os donos da casa na primeira parte da partida. Mesmo com a vantagem no marcador, o Tricolor não conseguiu encaixar boa investidas. Apenas um chute de fora da área com Keno.
O segundo tempo também começou com o Campinense tendo uma maior posse de bola. Mas, aos 6, Leandrinho cobrou o escanteio na cabeça de Gledson, que fez uma grande defesa. E o forte do Tricolor na decisão era a bola parada. Leandrinho, novamente, só que desta vez em uma cobrança de falta, levantou a bola na área e o goleiro Gledson afaston, no rebote, Leandro Sobral cabeceou contra o próprio gol. A bola bateu na trave e por pouco a bola não entra.
Não demorou muito e o Santa Cruz teve outra oportunidade. Aos 13, a defesa do Campinense errou na saída de bola, Grafite roubou a bola, passou pelo zagueiro, e Lelê entrou na jogada e bateu colocado para boa defesa de Gledson. Não demorou muito para o Santa Cruz tomar conta da etapa final. Todos as jogadas de ataque passavam pelo pé do atacante Grafite que estava em uma noite iluminada.
Só que por coincidência do destino quando Santa Cruz estava melhor na partida o Campinense também conseguiu o empate após uma cobrança de escanteio. Aos 26, Filipe Ramom cruzou e Tiago Sala subiu para empatar o confronto. Depois do empate enquanto o Tricolor foi para cima com a entrada de Bruno Moraes na vaga de Leandrinho, o técnico do Campinense, Francisco Diá colocou o volante Fernando Pires para segurar o resultado. E a alteração que deu certo foi a coral. Aos 46, pelo lado direito, Raniel cruzou e Bruno Moraes pegou de primeira para decretar a vitória do Santa Cruz no último minuto.

FICHA TÉCNICA

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor (Léo Moura), Neris, Danny Morais, Tiago Costa; Uillian Correia, Leandrinho (Bruno Moraes), Lelê (Raniel); Arthur, Keno e Grafite. Técnico: Adriano Teixeira (interino).

CAMPINENSE: Gledson, Negreti, Joécio, Tiago Sala, Danilo; Magno, Leandro Sobral (Chapainha), Filipe Ramon, Roger Gaúcho (Fernando Pires); Raul (Jussimar) e Rodrigão. Técnico: Francisco Diá.

Local: Arruda. Horário: 21h45. Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA). Assistentes: Elicarlos Franco de Oliveira e Adailton Jose de Jesus Silva (Ambos da BA). Gols: Grafite aos 29′ do 1ºT, Tiago Sala aos 26′ do 2ºT e Bruno Moraes aos 46′ do 2ºT. Cartões Amarelos: Uillian Correia (Santa Cruz). Negreti e Tiago Sala (Campinense). Público: 36.106 torcedores. Renda: R$607.450.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 28/4/2016

Nenhum comentário: