domingo, 10 de abril de 2016

Clássico com gosto de decisão


CLÁSSICO COM GOSTO DE DECISÃO

Paulo Henrique Tavares e Fernando Barros

Na semana que precedeu o Clássico das Multidões, deste domingo (10), muito se falou em “motivação”. Não há dúvidas de que o sonho dos torcedores, tanto de Santa Cruz, quanto de Sport, era chegar nesta última rodada da primeira fase do Pernambucano com o dever de apenas cumprir tabela.
Quis o destino que o cenário das 16h, no estádio do Arruda, fosse de decisão. Pelo lado tricolor, inclusive, significa a sobrevivência da equipe na competição. Já os rubro-negros, já classificados, podem tirar do caminho um adversário histórico na busca pelo título estadual.
A matemática tricolor para o duelo é simples: um empate garante a quarta colocação da primeira fase do Pernambucano e, consequentemente, a vaga nas semifinais da competição.
Caso seja derrotada, a equipe terá de torcer para o América não vencer o Central, em Caruaru. “Queríamos estar em situação melhor no Pernambucano, mas estamos assim por resultados nossos. Ano passado eu passei por isso, com o time ficando fora de outras competições (Copa do Brasil e Nordestão) e realmente é muito ruim. É uma responsabilidade nossa. Nos colocamos nessa situação e precisamos sair dis­­­so”, pontuou o zagueiro Danny Morais, que deve formar a dupla defensiva com Alemão.
O jogador volta à titularidade após ser poupado do confronto contra o Rio Branco/ES, pela Copa do Brasil. Apesar de não ter atuado, ele está ciente das criticas ouvidas das arquibancadas, após o 0x0, de futebol pouco convincente. “Nós estamos enfrentando isso (críticas) desde o início do ano por conta das atuações em casa que não foram convincentes. Buscamos um equilíbrio nas partidas para, automaticamente, trazer o torcedor ao nosso lado. Mas dentro de campo também não podemos ser ditados por uma vaia ou aplauso. Trabalhamos to­­­do dia focados e isso não po­­­de tirar nossa concentração”, explicou Danny Morais.
Em termos de pontuação, o duelo desta tarde até que poderia ser menosprezado pelo Sport. Isso porque o Leão está na terceira posição do Hexagonal do Título, com 16 pontos, e, independentemente do resultado, vai permanecer na mesma colocação. Por outro lado, há motivos de sobra para os rubro-negros levarem o confronto a sério.
Primeiramente, trata-se de um clássico entre rivais locais. Ou seja, uma vitória em partidas do tipo enche os jogadores de confiança e ainda levanta o moral de qualquer torcida. Além disso, devido à complicada situação do Santa, uma vitória do Sport pode até decretar a eliminação precoce do Tricolor. Portanto, dificilmente os atletas rubro-negros vão jogar com o ‘freio de mão puxado’ diante da Cobra Coral.
“Clássicos são partidas diferentes, que têm história. A vitória é importante para o Sport, independente de estarmos classificados. Vamos buscar vencer, até mesmo para ganhar confiança para as semifinais”, justificou o zagueiro Oswaldo Henríquez, que assumiu a titularidade da defesa, no lugar do criticado Matheus Ferraz.
O atacante Vinícius Araújo possui opinião semelhante . “Eu, particularmente, quero jogar, até porque não jogamos no meio da semana. E o clássico, por si só, já motiva o jogador”, avaliou o atleta.

Fonte: Folha de PE, Recife, 10/4/2016

Nenhum comentário: