sábado, 30 de abril de 2016

Balanço financeiro em 2015



BALANÇO FINANCEIRO EM 2015

Cassio Zirpoli

Fazendo uma relação entre dinheiro e futebol, o Santa Cruz conseguiu um resultado excepcional em 2015. Basta observar a enxuta receita do clube, que disputou apenas duas competições, o Estadual e a Série B, obtendo êxito nas duas, com o título local e o acesso à elite nacional. A ausência das cotas do Nordestão e da Copa do Brasil foi sentida no balanço oficial, cuja receita operacional foi de R$ 15,1 milhões. Foi a segunda menor em cinco anos, o período contabilizado pelo blog. À frente apenas de 2012, quando o time ganhou o título pernambucano, mas não passou da primeira fase da terceirona. Agora, com uma média mensal de R$ 1,2 milhão, o Tricolor precisou ser socorrido até por empréstimos de pessoas física (R$ 2,1 mi) e jurídica (R$ 5,2 mi).
Pesou a bilheteria menor em relação aos dois anos anteriores – R$ 7 milhões em 26 partidas. Já a cota da televisão para o Brasileiro, após o desconto da FPF, foi de apenas R$ 2,7 milhões. Outro ponto importante no balanço publicado no Diário Oficial do Estado e no Diario de Pernambuco (abaixo) é o parcelamento da dívida junto ao Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro). Inicialmente, R$ 15,3 milhões. Um movimento necessário, até porque o clube registrou pela segunda vez seguida um déficit milionário, aumentando o passivo.
Esse cenário minguado nas finanças – resultados no campo à parte – será completamente transformado no próximo balanço, a ser divulgado em abril do próximo ano. Isso porque a cota da Rede Globo, agora pelo Brasileirão, será dez vezes maior, assim como a presença de patrocínios mais volumosos (Dry World e MRV). Fora a arrecadação no Arruda. Assim, a receita bruta, que certamente será a maior da história coral, poderá ser até triplicada.

Receita operacional
2011 – R$ 17.185.073
2012 – R$ 13.133.535
2013 – R$ 16.955.711
2014 – R$ 16.504.362
2015 – R$ 15.110.061

Passivo
2011 – R$ 69.775.333
2012 – R$ 71.536.863
2013 – R$ 71.377.478
2014 – R$ 72.727.047
2015 – R$ 77.728.805

Superávit/déficit
2011 (+1.443.869)
2012 (-692.408)
2013 (+453.996)
2014 (-1.766.461)
2015 (-3.388.522)

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 29/4/2016

Nenhum comentário: