sábado, 30 de abril de 2016

A força ofensiva do Santa Cruz na temporada


A FORÇA OFENSIVA DO SANTA CRUZ NA TEMPORADA

Diego Toscano
O resgate do poderio ofensivo tricolor. Desde a chegada de Milton Mendes, o ataque do Santa Cruz fez as pazes com as redes adversárias. Em oito jogos, foram 10 gols vindos de atacantes. Em menos de um mês, os cinco jogadores da posição já marcaram pelos tricolores.
O primeiro a marcar foi Wallyson. Nas quartas de final da Copa do Nordeste, contra o Ceará, o atacante marcou o tento da vitória dos pernambucanos, em pleno Castelão, e que sacramentou a equipe nas semifinais do Nordestão.
Uma semana depois, foi a vez de Keno voltar a brilhar. Vice-artilheiro da equipe na temporada, com sete gols, o jogador marcou o tento de empate contra o Sport, na última rodada do Hexagonal do Título do Campeonato Pernambucano. A igualdade garantiu a equipe no mata-mata do Estadual.
Nas semifinais do Nordestão, contra o Bahia, a boa fase de Keno se juntou a de Grafite. Juntos, os dois marcaram os três gols contra o Tricolor de Aço. Na Fonte Nova, o experiente atacante fez o gol que colocou o time em uma inédita final de Copa do Nordeste.
Grafite, por sinal, foi do inferno ao céu em pouco menos de três meses. Após passar 11 partidas sem marcar, incluindo um gol contra ante o Sport, no Estadual, o goleador renasceu no mata-mata. Logo após o Clássico das Multidões, Grafite fez três gols em quatro jogos, e foi diretamente responsável pela classificação da equipe para as finais da Copa do Nordeste e do Pernambucano.
Na primeiro jogo da semifinal do Estadual, um elemento surpresa foi fundamental para o Santa Cruz eliminar o Náutico: Arthur. Apagado em 2016, o atacante fez dois gols contra os alvirrubros no Arruda.
Fechando a lista dos goleadores, o General da tropa coral. Após um final de ano avassalador, com seis gols em oito jogos na Série B, Bruno Moraes vinham em má fase em 2016, com apenas dois tentos em 13 duelos. No primeiro embate da decisão do Nordestão, contra o Campinense, o atacante fez um gol aos 47 minutos do segundo tempo, que coloca o Santa Cruz em vantagem para o jogo da volta.
“Esses números só provam que todo mundo tem condições de ser titular ou entrar no decorrer do jogo. Time campeão tem que ser assim: todos preparados para jogar a qualquer hora”, afirmou Bruno Moraes, que não tem vaidade para marcar novamente no domingo, no estádio Amigão.
“Todos sonham em fazer esse gol, mas o que importa é o título. Que Milton Mendes possa entrar e marcar. Estamos focados em ser campeão, e não em quem vai fazer o gol”, finalizou.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 29/4/2016

Nenhum comentário: