sábado, 27 de fevereiro de 2016

Nunes, o cabelo de fogo






Fotografia de Clóvis Campêlo /2016

NUNES, O CABELO DE FOGO

Nas fotografias acima, ao lado de Grafite, Nunes dá o pontapé inicial do jogo Santa Cruz 3 x 1 Flamengo-RJ, realizado no Estádio do Arruda, em 24 de janeiro próximo passado.
Antes do jogo, Nunes também foi homenageado pela direção coral, inclusive com o lançamento da camisa "Cabelo de Fogo", apelido pelo qual era conhecido na época em que defendeu o Santa Cruz.
Nunes veio para o Santa Cruz em 1975 e logo se transformou em mais um ídolo coral, integrando uma equipe de altíssimo nível e repleta de craques.
A estréia aconteceu num clássico das multidões, no finalzinho do Pernambucano-75, em jogo válido pelo 3° Turno. No memorável Brasileiro-75, no qual o Santa foi semifinalista, a melhor campanha de um time pernambucano na competição e a primeira vez que um nordestino chegava a tal fase, Nunes, ainda um jovem de 21 anos, teve participação discreta na campanha, marcando dois gols. A concorrência com Ramon, artilheiro do Brasileiro-73, era desleal. Ao lado de Fumanchu, Ramon foi o goleador do Santa com oito gols. O primeiro e único título do Cabelo de Fogo pelo Santa seria o bissuper, em 76. O suficiente para colocá-lo na galeria dos grandes ídolos corais.

Nenhum comentário: