quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Os escanteados


Pedro Castro

OS ESCANTEADOS

William Tavares


Muito provavelmente o torcedor do Santa Cruz decorou do começo ao fim o nome dos titulares, e de alguns reservas importantes, que formaram o elenco do time na temporada 2015. Mas será que ele se lembra de todos os atletas que estavam na campanha do acesso à Série A? Alguém tinha recordação da presença, por exemplo, do lateral-direito João Carlos? Ou de que o técnico Marcelo Martelotte tinha à disposição no elenco os meias Emerson Santos e Pedro Castro? E Diogo Campos? O atacante chegou em agosto desse ano e…pouco apareceu. Assim como todo clube, o Tricolor também teve sua lista de “escanteados”. Confira seis jogadores que pouco atuaram na fase decisiva da Série B, mas que, ainda assim, vão ostentar no currículo a promoção à Primeira Divisão.

João Carlos
Contratado junto ao Serra Talhada, o lateral-direito João Carlos atuou apenas em duas partidas pelo Santa Cruz. Ambas contra o ABC. No primeiro turno, ainda sob o comando do técnico Ricardinho, o atleta começou entre os titulares na partida que o Tricolor saiu derrotado por 1×0, no Arruda. No duelo da volta, no Frasqueirão, João entrou no decorrer do segundo tempo. O jogo terminou empatado em 3×3. Tirando essas aparições, ele foi mero figurante. O titular Vítor não deu brecha e, quando ficou lesionado, foi substituído por Bileu, improvisado no setor.

Lúcio
Após um bom Pernambucano pelo Salgueiro, Lúcio chegou ao Santa Cruz para assumir a posição de lateral-esquerdo. A estreia do jogador foi contra o América/MG, na goleada por 4×1 sofrida pelos pernambucanos. O atleta foi titular ainda contra o ABC, Paysandu, Luverdense, Boa Esporte, Ceará, Sampaio Corrêa, Bahia e Mogi Mirim, todos no primeiro turno. No segundo turno, entrou como titular apenas contra o Paysandu. Nas demais partidas, assistiu a Marlon e depois Allan Vieira assumirem a posição.

Emerson Santos
Além de ter atuado pouco na Série B (foram apenas quatro jogos, sendo todos entrando no segundo tempo), Emerson Santos não foi pé quente para o Tricolor. Nas partidas que esteve em campo, o Santa só saiu vitorioso em uma – no 4×1 para o Paraná. Nas demais, empate em 0×0 com o Boa Esporte e derrotas por 4×1 para o América/MG e 1×0 para o ABC. Detalhe: o meia não disputou um jogo sequer com Marcelo Martelotte.

Pedro Castro
Desde o dia 29 de agosto, na derrota coral por 3×2 para o Paraná, no início do segundo turno, o meia Pedro Castro não sabe o que é disputar um jogo. Ele foi titular apenas contra Macaé, Paraná (1º turno) e América/MG. Depois, ficou como opção no meio-campo e, em seguida, virou nome fora de cogitação para o setor. Até mesmo Vinícius Reche, que passou um longo tempo lesionado, teve chance na reta final da Série B.

Nathan
Nathan teve até um número razóavel de jogos com a camisa coral na Série B – 12, sendo titular em seis. Marcou gols contra Paraná e Luverdense. Peça constantemente utilizada por Martelotte no início de sua trajetória no clube, o “Cachorrão” perdeu espaço com o crescimento de Luisinho e Bruno Moraes. Passou a ter seu nome pouco lembrado até ser deixado de lado pelo treinador. Sua última partida foi em setembro, na vitória coral por 2×1 contra o Ceará, no Arruda.

Diogo Campos
Um dos últimos contratados para a Série B, o atacante Diogo Campos encarou uma forte concorrência no setor. Teve duas partidas como titular para agradar Martelotte, contra Paysandu e Luverdense. Não deu certo. Chegou a entrar no decorrer de mais três jogos, mas sem destaque. Sua participação no Santa durou do início de setembro até a primeira semana de outubro. Após isso, acompanhou de longe a arrancada coral na competição.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 03/12/2015

Nenhum comentário: