terça-feira, 24 de novembro de 2015

Mogi Mirim 0 x 3 Santa Cruz


MOGI MIRIM 0 x 3 SANTA CRUZ

William Tavares

Antes, choro de tristeza. Agora, lágrimas de felicidade. Os semblantes de angústia e desespero foram trocados por sorrisos e gritos de liberdade após a “prisão” que segurou o Santa Cruz no calabouço do futebol brasileiro. Depois de retroceder, avançar. Da D para C, da C para B e da B para A. A dor de um passado fustigado por quedas se transformou em um presente marcado pela ressurreição de um dos maiores clubes do Nordeste. Antes mesmo do apito final na vitória por 3×0 diante do Mogi, no Novelli Júnior, já era possível ouvir fogos e comemorações por todo o estado. Agora, não há mais o que esperar. Após nove anos, o Santa Cruz está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro.
Um pedaço do Recife estava em Itu. Com um bom número de tricolores no estádio, o Santa Cruz estava em casa apesar dos 2.683 quilômetros que separam a capital pernambucana da cidade paulista. Em campo, o Mogi Mirim corria como se ainda estivesse com alguma pretensão no campeonato – o Sapão já está matematicamente rebaixado à Série C. Era o Alvirrubro quem ditava o ritmo da partida nos primeiros minutos.
A ansiedade, novamente, foi um dos problemas do Santa Cruz. Embora com um elenco mais experiente que o do Mogi, o Santa sentiu o peso da partida. E sobravam gritos do técnico Marcelo Martelotte na beira do gramado. Mal sabiam os jogadores que os outros resultados também não ajudavam. Na Arena Pernambuco, o Náutico vencia o Bahia por 1×0, mesma vantagem que o Bragantino tinha no duelo contra o Paraná, no Durival Britto. Aos 44, os tricolores ainda reclamaram de uma bola na mão na área paulista, mas o árbitro nada marcou. O primeiro tempo terminou no 0×0.
Saiu um Santa apático, voltou um Santa enérgico. Empolgados pelos tricolores do Novelli Júnior, o time cresceu. E aos oito minutos, veio o resultado. Alemão é segurado na área e o árbitro marca a penalidade. Com tranquilidade, Daniel bateu com precisão e fez explodir a torcida coral em Itu.
Não demorou muito para o Santa ampliar. Renatinho arriscou de longe. O goleiro Daniel deu rebote e Bruno Moraes fuzilou as redes. Dali por diante, os tricolores passaram a fazer uma contagem regressiva. Para o fim do jogo. Para o início da festa. Aos 32 minutos, o gol para matar o confronto: novamente o goleiro do Mogi não conseguiu encaixar um chute, desta vez de Raniel, e Bileu aproveitou para fazer o terceiro tento da partida e cravar de vez o nome do Santa na elite do futebol nacional do ano que vem.
Com o resultado, o Tricolor pulou para a terceira posição, com 64 pontos. Na próxima rodada a equipe encara o Vitória, sábado, no Arruda, podendo terminar a competição até na vice-liderança.

FICHA DO JOGO

MOGI MIRIM: Daniel; Michel Tiago, Pablo, Renato Camilo e Dieguinho; Franco, Anderson, Jonathan e Dunguinha (Gustavo); Jô (Daniel) e Keké. Técnico: Toninho Cecílio.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vítor, Danny Morais, Alemão e Allan Vieira; Wellington Cézar, Daniel Costa (Vinicius Reche), João Paulo, Renatinho (Bileu) e Luisinho; Bruno Moraes (Raniel). Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Novelli Júnior (Itu/SP). Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO). Assistentes: Jesmar Benedito Miranda de Paula (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO). Gols: Daniel Costa (aos 10 do 2ºT), Bruno Moraes (aos 13 do 2ºT) e Bileu (aos 32 do 2ºT). Cartões amarelos: Alemão (S); Anderson, Renato (M). Renda: R$ 81.080,00. Público: 1.400 torcedores.

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 21/11/2015

Nenhum comentário: