sábado, 24 de outubro de 2015

As dificuldades


AS DIFICULDADES

Yuri de Lira

Antes de ter sido contratado pelo Santa Cruz, em 13 de junho, o técnico Marcelo Martelotte comandava o Atlético-GO na Série B do Brasileiro. Depois de ter já reencontrado o ex-clube no duelo pelo primeiro turno, no Arruda, onde venceu por 3 a 0, o treinador tem um novo compromisso diante dos goianos neste sábado. Desta vez, porém, no Serra Dourada e com o Dragão acumulando uma série invicta na competição. O treinador do Santa Cruz não hesitou em pontuar as dificuldades de encarar o rubro-negro de Goiás em território inimigo.
Embora ainda distante do G4 (e do Z4 também), o Atlético-GO não perde há nove rodadas. Nesse recorte, foram seis empates - cinco deles seguidos desde a última derrota - e três vitórias. O derradeiro revés foi ainda em 1º de setembro, quando saiu derrotado por 4 a 0 do Botafogo, no Engenhão. Martelotte elogia a equipe do técnico Gilberto Pereira e crê que fatores externos como as dimenesões do estádio e o clima seco na região central do Brasil também podem complicar a vida dos corais.
"São situações um pouco diferentes do que a gente está acostumado a enfrentar. O Serra Dourada é realmente um campo muito grande, pesado para todo mundo. Não só para nós, mas também pra adversário, sendo que o adversário está mais acostumado a lidar com esse tipo de situação. O calor, que nos até enfrentamos aqui (no Recife) também, mas lá em muito seco", declarou Martelotte. "Além de um adversário que vem crescendo no campeonato, o Atlético vem tendo bons resultados e jogando de uma maneira mais consistente. Então, tudo tem que ser levado em conta para que a gente tenha os cuidados necessários", completou.

Fonte: Diario de PE, Recife, 23/10/2015

Nenhum comentário: