sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Enfim, o acordo


ENFIM, O ACORDO

Paulo Henrique Tavares

Em menos de 48 horas, algumas reviravoltas ditaram o futuro do meia Raniel no Santa Cruz. Após ameaçar colocar o clube na Justiça, alegando supostas dívidas trabalhistas e previdenciárias – 13º salário, férias e FGTS -, e ser afastado do grupo pelo técnico Marcelo Martelotte, um acordo entre ambas as partes foi firmado, e jogador segue no clube. A informação foi dada pelo próprio atleta, através das mídias sociais. “Boa noite galera. Graças a Deus chegamos a um acordo. Estamos juntos para conseguir o acesso do Santinha”, escreveu.
Na tarde desta quinta (17), o presidente Alírio Moraes negou que existam as dívidas cobradas por Raniel, em entrevista coletiva. O dirigente já havia se mostrado tranquilos na expectativa de uma solução positiva do caso. “O Santa Cruz não reconhece como devidos os valores pedidos pelo jogador”, garantiu Moraes. Após o encontro com a imprensa, o próprio mandatário e o vice-presidente Constantino Júnior receberam à noite, na sede do Arruda, o atleta Raniel e seus representantes legais. Na oportunidade, ficou acertado que o processo seria retirado da Justiça do Trabalho contra o clube.
Apesar de toda a problemática, os dirigentes tricolores já haviam afirmado que o apoio dado a Raniel não sofreria nenhum abalo por conta da atitude do atleta. Ou seja, já existia uma esperança de as questões serem resolvidas. “A gente não vai desistir de continuar dando apoio a ele. Pois a gente sabe que ele precisa disso. E talvez essa ação na Justiça mostre isso mesmo, como ele precisa da gente”, assegurou Constantino Júnior.
“A gente ficou surpreso porque o nosso atleta vem sendo assistido permanentemente. Ele inclusive mora em um apartamento que é pago com recursos pessoais nossos (o aluguel do espaço foi feito no nome do presidente). Mas ele é uma pessoa muito querida aqui no clube. Eu vi muita hostilidade nas redes sociais e queria pedir ao torcedor para não partir para esse lado”, disse o presidente Coral.

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 17/9/2015

Nenhum comentário: