sábado, 22 de agosto de 2015

Santa Cruz 1 x 0 Macaé


Fotografia de Flávio Japa Folha PE

SANTA CRUZ 1 x 0 MACAÉ

Foi desnecessariamente sofrido. Diante de uma adversário modesto, o Macaé/RJ, que não vencia na Série B havia sete jogos, a torcida do Santa Cruz esperava mais facilidade. Nao foi isso que aconteceu, contudo. Em um jogo tecnicamente fraco e mais equilibrado do que o previsto, disputado nesta sexta-feira, no Arruda, a Cobra Coral teve de “suar sangue” para conseguir a vitória. O ídolo Grafite, com gol de bico, resolveu: 1 x 0 para o Tricolor.
Com o resultado, o Santa Cruz sobe uma posição na tabela (sétimo) e fica a dois pontos do G4, o grupo dos quatro que sobem à primeira divisão. Mas essa condição pode ser enganosa: todos os rivais do Tricolor pela promoção à elite jogam no sábado.

O JOGO

Talvez desmotivado pela fraca presença de público, o Santa Cruz não começou o jogo com a intensidade típica dos mandantes. Pelo contrário. Ao longo de todo o primeiro tempo, a falha do Tricolor foi a lentidão.
A equipe de Marcelo Martelotte até teve posse de bola, mas, na maior parte do tempo, não soube o que fazer com ela. Trocou passes estéreis e teve dificuldades para penetrar na zaga adversária. Só teve dois lances de perigo: um com Bileu, aos cinco minutos, e outro com Anderson Aquino, que acertou o travessão, aos 46.
Ainda foi incomodado pelo Macaé em algumas ocasiões, como no giro de Jones, aos 40, que acertou o poste esquerdo do goleiro Tiago Cardoso.
Na volta para o segundo tempo, Martelotte fez uma alteração que mudou o panorama do jogo. Tirou o volante Wellington Cezar e colocou o ponta Luisinho. A ousadia deu certo, o Santa passou a controlar o jogo e criar situações de gol.
Aos oito, Anderson Aquino marcou gol em rebote do goleiro, mas estava em posição de impedimento. Aos nove, o atacante acertou a trave do goleiro Rafael.
Na marca dos 14 minutos, porém, não teve jeito. Luisinho lançou para Grafite, que dominou e, de bico, tirou do goleiro. Gol do Santa. Gol do artilheiro.
Os cerca de 30 minutos que faltavam ainda tiveram uma dose extra de emoção. O lateral-esquerdo Marlon sentiu câimbras e teve de ser substituído por Lúcio. Pouco depois, o zagueiro Alemão passou pelo mesmo problema, mas não pôde sair. A Cobra Coral já havia feito três substituições (além das duas mencionadas, Bileu saiu, machucado, para a entrada de Bruninho). Mesmo com essas dificuldades, o Tricolor se segurou, correu alguns riscos, é verdade, mas ficou com a vitória.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Vitor, Alemão, Neris e Marlon (Lúcio); Wellington Cezar (Luisinho), Bileu (Bruninho), João Paulo, Anderson Aquino e Lelê; Grafite. Técnico: Marcelo Martelotte.

MACAÉ/RJ: Rafael; Henrique, Brinner, Renato Santos (Anselmo) e Diego; Alisson, Thiago Cardoso, Wagner Carioca (Juninho) e Fernando Neto (Aloísio); Pipico e Jones. Técnico: Josué Teixeira.

Local: Estádio do Arruda (Recife/PE). Árbitro: Marcelo Aparecido R. de Souza (SP). Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Jean Márcio dos Santos (RN). Gols: Grafite (aos 14 do 1T) para o Santa. Cartões amarelos: Wellington Cezar, Alemão, Bruninho (Santa Cruz); Renato Santos, Alisson, Pipico e Juninho (Macaé). Público: 10.270. Renda: R$ 124.945,00.

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 21/8/2015

Nenhum comentário: