sábado, 1 de agosto de 2015

O estilo Martelotte


Fotografia de Guga Matos / JC Imagem

O ESTILO MARTELOTTE

Felipe Amorim

É fato que a chegada do técnico Marcelo Martelotte foi fundamental para a melhora do Santa Cruz na Série B do Campeonato Brasileiro. De 18º colocado com seu antecessor, Ricardinho, o time tricolor pulou para nono no seu comando e não para de subir na tabela. Desde a sua apresentação, o treinador afirmou que procuraria devolver a confiança àquele elenco desacreditado. Não só cumpriu a promessa como foi além. Um dos seus trunfos é fazer bom uso do elenco em mãos e isso tem sido fundamental para a melhora da equipe.
Em apenas oito jogos realizados até o momento, Martelotte utilizou um total de 22 atletas (ver infográfico). A equipe nunca foi repetida, é verdade, mas isso não tem sido um problema para o treinador. “Não me incomodo em não repetir a equipe”, afirmou, após a vitória contra o Bahia, na última terça-feira.
O aproveitamento prova que Martelotte vem agindo certo. Em oito partidas, ele venceu cinco, empatou duas e perdeu apenas uma - no clássico contra o Náutico, numa tarde que nada deu certo. Em casa está 100%, com quatro vitórias. No geral, o aproveitamento é de 70,8%, muito superior ao do líder Botafogo - hoje em 64,4%.
Para os atletas, o segredo do sucesso passa muito pela forma com que o treinador vem conseguindo trabalhar com o elenco. Além de conseguir utilizar quase que todo o grupo, o treinador conseguiu resgatar atletas que antes não vinham tendo seu potencial explorado. Hoje, se Martelotte tem um atleta de fora pelo motivo que for, a peça de reposição entra e tem correspondido à altura.
“Marcelo tem conseguido explorar bem o elenco. Nesse jogo contra o Bahia mesmo ele fez duas mudanças na escalação, colocando atletas mais descansados para manter a força física e conseguimos a vitória. Ele está de parabéns por saber tirar o máximo do nosso elenco. Só assim vamos conseguir chegar ao acesso”, afirmou Anderson Aquino, peça fundamental no esquema montado por Martelotte.
Com Ricardinho, o atacante atuava com um companheiro na frente e era municiado por dois meias. Depois, passou a atuar mais centralizado com a ajuda de dois pontas abertos pelos lados e um meia armando as jogadas no meio. Coincidentemente, seu aproveitamento melhorou. No esquema anterior, em sete jogos, Aquino havia feito apenas dois gols. Agora, em oito partidas, já balançou as redes sete vezes. “Ele vem repetindo muito bem esse esquema com dois jogadores abertos. Marcelo tem o grupo nas mãos e por isso está conseguindo fazer essas mudanças sem deixar o nível da equipe cair”, completou o artilheiro da Série B com nove tentos.
Outro atleta que melhorou de rendimento foi Renatinho, agora atuando na meia, como gosta. Fazendo a função de meia, ele, assim como Aquino, esteve presente nos oito jogos com Martelotte e vem se destacando sempre que entra, seja como titular ou no decorrer das partidas.
“Martelotte tem passado muita tranquilidade ao nosso grupo. Ele sempre fala que não existe titular e por isso todo mundo tem entrado bem. A maneira que ele tem usado os jogadores está sendo boa para nós. Isso tem agradado a todos”, afirmou o meia Lelê.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 31/7/2015

Nenhum comentário: