quarta-feira, 29 de julho de 2015

Santa Cruz 3 x 1 Bahia


ANDERSON AQUINO (Fotografia de Peu Ricardo)

SANTA CRUZ 3 x 1 BAHIA

Rômulo Alcoforado

Se você olhar unicamente para a posição na tabela, a vitória do Santa Cruz sobre o Bahia, nesta terça-feira (28), no Arruda, não lhe parecerá tão importante. Antes da 15ª rodada, o Tricolor estava na 9ª posição da Série B. Depois dela, permanecia no mesmo lugar. A diferença, porém, está nos detalhes. Com o triunfo de 3 x 1 sobre o Bahia, gols marcados por Anderson Aquino e Luisinho, duas vezes, a Cobra Coral agora está a um ponto de seu adversário mais próximo, a três do próprio Bahia e a cinco do primeiro integrante do G4, o Náutico. Mais do que isso: o Tricolor ganhou confiança para o próximo jogo, contra o Oeste/SP, fora, e para o seguinte, diante do Botafogo/RJ, no Arruda, na estreia de Grafite. Valeu muito ou não?
O Santa Cruz começou o jogo com a alta intensidade dos times que atuam em casa. Logo aos três minutos, por exemplo, João Paulo recebeu na intermediária, avançou com liberdade e chutou com perigo. O goleiro Douglas Pires espalmou.
Seis minutos mais tarde, o volante Wellington Cezar subiu mais que todo mundo em escanteio e assustou de novo. O trio de meias corais, formado por João Paulo, Lelê e Luisinho, funcionou e criou as principais chances. O pior deles foi o camisa 10, que, de volta após viagem à Europa, não jogou o que a torcida esperava.
Com o passar do tempo, porém, o Bahia foi crescendo. O atacante Kieza, ex-Náutico, era o homem mais perigoso. Teve três boas chances em jogadas aéreas, mas parou na falta de pontaria ou nas mãos de Tiago Cardoso, em ótima noite e seguro como de costume. Mas, curiosamente, no momento em que o Esquadrão de Aço se encontrou, a Cobra Coral abriu o placar.
O meia Lelê recebeu na esquerda, cortou para dentro e tentou o chute da entrada da área. A bola desviou e acabou sobrando nos pés de Luisinho, que foi inteligente, viu a movimentação de Anderson Aquino e deixou o atacante na boa para fazer: 1 x 0, nono gol do artilheiro da Série A. Eram 37 minutos do primeiro tempo.
A torcida nem pôde fazer muita festa, no entanto. A resposta do Bahia foi quase imediata. E veio justamente na maior falha Tricolor no primeiro tempo: a bola por cima. O zagueiro Thales aproveitou cruzamento e empatou a partida.
Na volta para o segundo tempo, Martelotte não mexeu. Sérgio Soares também não fez nenhuma alteração além da que já tinha feito na etapa inicial: Tony no lugar de Adriano.
O time baiano começou levando mais perigo. Sobretudo pelas investidas de Tony pelo lado direito, nas costas de Lúcio. A mais perigosa delas foi aos oito minutos, mas Maxi Biancucchi mandou na trave.
A Cobra Coral, porém, era perigosa. Luisinho teve duas chances consecutivas. Na primeira, recebeu cruzamento da esquerda e, no segundo pau, cabeceou para fora. Na segunda, não perdoou. A bola passada por Aquino foi açucarada e o chute foi igualmente preciso. Forte, no alto. Sem chance para Douglas Pires: 2×1 para o Santa. O Tricolor estava na frente aos 18 do segundo tempo.
Nos cerca de 30 minutos que faltavam, o Bahia tentou ir para cima, rondou a área coral, mas o Santa se segurou. E ainda aproveitou os espaços que o desespero adversário concedeu. Lelê matou duas chances. Mas, na terceira, último lance do jogo, Luisinho definiu: 3 x 1, vitória do Tricolor. Pernambucano.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Bileu, Danny Morais, Neris e Lúcio (Marlon); Wellington Cezar, Moradei, Luisinho, João Paulo (Renatinho) e Lelê (Pedro Castro); Anderson Aquino. Técnico: Marcelo Martelotte.

BAHIA: Douglas Pires; Adriano Apodi (Tony), Thales, Jailton e Marlon; Yuri, Souza (Alexandro), Tiago Real e Eduardo (João Paulo); Maxi Biancucchi e Kieza. Técnico: Sérgio Soares.

Local: Arruda. Árbitro: Rafael Traci (PR). Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Diogo Morais (ambos do PR). Gols: Anderson Aquino (aos 36 do 1º tempo) e Luisinho (aos 19 e 48 do 2º tempo) para o Santa Cruz; Thales (aos 39 do 1º tempo) para o Bahia. Cartões amarelos: Wellington Cézar (Santa Cruz); Jaílton, Marlon, Maxi Biancucchi (Bahia). Público: 13.235. Renda: R$ 170.370,00.

Fonte: Folha de Pernambuco, Blog de Primeira, Recife, 28/7/2015

Nenhum comentário: