sexta-feira, 10 de julho de 2015

A mudança


A MUDANÇA

Felipe Amorim

Muito da evolução do Santa Cruz na Série B deve-se à chegada de Marcelo Martelotte no comando técnico. Mas o que pouca gente sabia era que antes disso os próprios jogadores haviam realizado um pacto para reverter o péssimo início da competição. A revelação foi dada pelo atacante Anderson Aquino.
A reunião ocorreu após a derrota por 1x0 para o ABC, em jogo válido pela quarta rodada da Série B. Naquela noite, além de deixarem o gramado debaixo de muita chuva, os jogadores precisaram ouvir toda a ira da torcida tricolor.
“A gente se fechou ali. Estávamos numa cobrança muito grande e os resultados não vinham. Torcida e diretoria nos cobravam muito porque estávamos vindo de um título (do Campeonato Pernambucano) e o início no Brasileiro foi muito ruim. Parecia que aquela conquista tinha sido apagada. Ninguém mais lembrava”, relembrou o atacante.
Apesar de jogar bem em algumas partidas, os resultados não saiam. A partir daquela noite, os atletas se reuniram entre eles. “Tivemos algumas reuniões entre só nós jogadores. Sabíamos que se voltássemos a ter aquela atitude do Pernambucano não estaríamos ali brigando contra o rebaixamento. Todo mundo aceitou isso e os resultados começaram a aparecer”, disse Aquino, que também falou da importância de Martelotte nessa mudança de desempenho. “Aos poucos, ele está implementando sua filosofia, dando ao time a cara dele, mostrando as opções táticas. Estamos agora com mais atitude dentro de campo. A nossa agressividade de jogar dentro e fora de casa é a mesma”, completou.
Em relação à dupla de zaga do Náutico, a qual precisará superar caso queira marcar o gol de número 700 do Santa Cruz na história dos Clássicos das Emoções, Anderson Aquino fez questão de elogiar tanto Ronaldo Alves quanto Fabiano Eller. “São dois zagueiros de muita qualidade, que marcam bem, têm força física e vêm fazendo um bom campeonato. Mas tenho certeza que posso me movimentar bem e criar espaços. Será um duelo interessante”, acredita.
Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 09/7/2015

Nenhum comentário: