sexta-feira, 31 de julho de 2015

Onze mil ingressos já vendidos para a estreia de Grafite


ONZE MIL INGRESSOS JÁ VENDIDOS PARA A ESTREIA DE GRAFITE

Yuri de Lira

Faltando mais de uma semana para a reestreia de Grafite no Santa Cruz, o Tricolor já conseguiu vender 11.200 ingressos para a partida - agendada para 8 de agosto, contra o Botafogo. Um total de 50 mil bilhetes foram colocados à disposição do torcedor no Arruda e pontos descentralizados desde a última sexta-feira. Caso as entradas não se esgotem, as vendas seguem até o dia da partida.
Segundo o clube, porém, os preços vão aumentar a partir da próxima segunda-feira. O Tricolor vem promovendo ações para o jogo, que deve contar com o maior público do José do Rêgo Maciel na temporada.
Trinta outdoors estão espalhados no Recife para chamar a torcida para o reencontro com o ídolo.

PREÇOS:

R$40 - Arquibancada inferior
R$20 - Sócios, estudantes e arquibancada superior

Locais de venda:
Arruda, Ingresso Prime (Shopping Rio Mar) e Ticket Folia (Shopping Recife)


Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 30/7/2015

Raniel pode estar deixando o santa Cruz


RANIEL PODE ESTAR DEIXANDO O SANTA CRUZ

A jóia da base do Santa Cruz, Raniel, 19 anos, está sendo negociado com um grupo de investidores e se o negócio for fechado ele provavelmente não vai voltar a vestir a camisa do tricolor pernambucano. O valor da multa para tirar o jogador do Arruda é: 5 milhões de reais. Segundo fontes do blog, o meia está sendo negociando com um grupo que trabalha para o pai de Neymar.
O empresário Eduardo Maluf, sócio de Neymar, está negociando com o representante de Raniel. Na transação, o grupo do pai de Neymar ficaria com 50% do direitos da promessa do Santa, o grupo de investidores que trouxe Grafite ficaria com 25% e o representante do jogador manteria 25%. No fim de semana Raniel e seu representante vão à Florianópolis se encontrar com o pai de Neymar.
O meia foi suspenso por quatro meses, depois de ter sido flagrado no exame antidoping por uso de cocaína. Ele só poderá voltar aos gramados no dia 15 de setembro. Raniel esteve em campo por 543 minutos nesta temporada pelo time coral, fez nove jogos no Campeonato Pernambucano e marcou um gol. Se o negócio for concretizado o camisa 11 do Santa deve ir defender o Corinthians.

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 30/7/2015

Edson Sitta e Valdison dispensados


EDSON SITTA E VALDISON DISPENSADOS

Felipe Amorim 

Sem ser aproveitado desde a chegada do técnico Marcelo Martelotte, o volante e ex-capitão do Santa Cruz Edson Sitta está de saída do clube coral. O destino será o Bragantino, onde disputará o restante da Série B do Campeonato Brasileiro. A rescisão contratual com o tricolor aconteceu nesta quinta-feira (30). Quem também deu adeus foi o atacante Waldison, que está de malas prontas para a Turquia.
Sob o comando de Ricardinho, Edson Sitta atuou em 16 partidas ao longo da temporada. Seu último jogo foi no dia 6/6, quando o Santa Cruz empatou por 2x2 contra o Luverdense-MT, pela sexta rodada da Segundona.
“Apareceu uma oportunidade, o clube nos procurou para conversar e entramos num acordo para o jogador seguir com sua vida”, disse o vice-presidente coral, Constantino Júnior. O dirigente afirmou que os atrasados estavam sendo “acertados” no ato da rescisão. Sitta tinha contrato com o Santa Cruz até o fim da Série B.


VALDISON FORA

O segundo jogador liberado pelo Santa Cruz nesta quinta-feira (30) foi o atacante Valdison, que só jogou uma partida com Martelotte. No empate por 3x3 contra o Ceará, na Arena Castelão, o atacante marcou aquele que seria seu primeiro e único gol com a camisa tricolor. Ele vai jogar no futebol da Turquia. O clube não foi revelado.


Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 30/7/2015

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Acertando a forma de jogar


ACERTANDO A FORMA DE JOGAR

Yuri de Lira

O técnico Marcelo Martelotte ainda não repetiu sequer uma escalação nas oito rodadas que comandou o Santa Cruz na Série B do Brasileiro. Mas o técnico não se importa nem um pouco com isso. Prefere destacar que todos os seus jogadores, titulares ou não, já entenderam a forma de atuação que ele deseja. Depois de ter feito três mudanças na equipe para enfrentar o Bahia e ter conseguido vencer o adversário por 3 a 1, no Arruda, deixa claro que novas podem ser feitas daqui para frente na competição.
"Eu não me incomodo em não repetir a equipe. Quando um atleta está pronto pra ajudar, ele joga a qualquer momento. Contra o Bahia, não tínhamos jogadores suspensos, mas resolvi mexer", disse. Para encarar o Bahia, Martelotte colocou Lúcio no lugar de Marlon na lateral esquerda, visto que o titular estava mal fisicamente. Luisinho jogou no posto de Renatinho para dar mais eficiências às jogadas pelas pontas.
Por fim, João Paulo voltou à titularidade na vaga ocupada por Daniel Costa na rodada passada. Esta última alteração, aliás, o treinador preferiu não se estender muito. Como Daniel estava melhor fisicamente que João (que passou dez dias sem treinar em viagem a Europa), o treinador deixou entender que a subsituição foi meramente técnica. "Foi opção minha. Não interessa se foi física, tática, técnica. Foi uma opção. Se tiver que explicar toda subistituição...", limitou-se
Para Martelotte, de fato, mais importante que tudo isso é o entendimento dos atletas sobre o seu padrão tático. "Hoje, já temos uma maneira de jogar. O jogador já sabe o que tem que ser feito. A gente tem crescido por causa disso. Todos tem participados quando chamados e de uma maneira bem efetiva."

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 29/7/2015

Sem vaidades


LELÊ (fotografia de Bruno Campos / Folha PE)

SEM VAIDADES

No jogo contra o Criciúma, fora de casa, Lelê teve a companhia de Daniel Costa na armação. Depois, contra o Bahia, foi a vez de João Paulo dividir a responsabilidade de municiar o ataque. O meio-campo do Santa mudou. O que não se alterou foi a presença do meia entre os titulares. Mas essa vaidade de jogar sempre passa longe do Arruda.
“Todos respeitam a opção do Martelotte. Quando você tem um grupo forte, você entende que o professor vai colocar sempre quem estiver rendendo nos jogos. O segredo é esse: ele passa tranquilidade para todo o grupo e diz que não tem titular. Essa é a maneira que ele agrada e passa confiança a todos os jogadores”, afirmou Lelê.
Entre João Paulo e Daniel Costa, Lelê opta por ficar em cima de muro quando questionado sobre quem seria seu parceiro ideal. “Não vejo muita diferença nos dois. Já joguei com o Daniel e tive bom entrosamento. Com o João Paulo também. O Santa está bem servido no setor”, explicou.
Com passagem pelo Oeste, adversário da próxima rodada na Série B do Campeonato Brasileiro, o meia acredita que o Santa tem condições de sair com os três pontos de São Paulo.
“Tive uma passagem de dois anos e meio no Oeste. Tenho amigos lá e sei que a equipe deles é forte jogando em casa. Mas também estamos fortes para chegar no sábado e conseguir um resultado positivo”, concluiu.

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 29/7/2015

Primeiro treino com bola


GRAFITE (Fotografia de Fernando da Hora / JC Imagem)

PRIMEIRO TREINO COM BOLA

Felipe Amorim

A quarta-feira (29) foi marcada pela reapresentação no Arruda dos atletas que atuaram na partida contra o Bahia, mas também pelo treino coletivo, no Ademir Cunha, em Paulista, para quem não vem atuando com frequência. Nessa atividade, a grande novidade foi a presença de Grafite no primeiro treino com bola com os demais atletas.
O atacante de 36 anos, que fará sua estreia no dia 8/8, contra o Botafogo, no Arruda, participou da movimentação que teve como adversário o time sub-20 tricolor. A equipe profissional foi escalada no 4-5-1 com Bruno; Vitor, Alemão, Diego Sacomam e Marlon; Bruninho, Renatinho, Nathan, Raniel e Daniel Costa; Grafite.
No segundo tempo, o técnico Marcelo Martelotte trocou praticamente todos os titulares. Os únicos que permaneceram em campo foram Grafite e Bruninho, que saíram somente no fim da movimentação. Todos os gols do 4x0 saíram nos últimos 45 minutos do trabalho. Balançaram as redes Pedro Castro, Waldison, Emerson Santos e Bruno Moraes.
A baixa ficou por conta de Sacoman, que deixou a movimentação após sofrer uma entorse no joelho direito. Com isso, ele não viajará com o elenco para São Paulo, onde enfrentará o Oeste-SP. No seu lugar quem vai é Alemão. Outra novidade na delegação será a presença de Vitor, que poderá fazer sua estreia pelo Santa Cruz.
Já o goleiro Fred, que continua no Departamento Médico, e o volante Bruninho, apesar de ter treinado normalmente, ficarão no Recife aprimorando a parte física.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 29/7/2015

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Força, Raça e Paixão


Galeria de Imagens


O RETRATO DO TORCEDOR
Vendedor de Alho no Mercado de São José
Recife, 1995
Fotografias de Clóvis Campêlo

Santa Cruz 3 x 1 Bahia


ANDERSON AQUINO (Fotografia de Peu Ricardo)

SANTA CRUZ 3 x 1 BAHIA

Rômulo Alcoforado

Se você olhar unicamente para a posição na tabela, a vitória do Santa Cruz sobre o Bahia, nesta terça-feira (28), no Arruda, não lhe parecerá tão importante. Antes da 15ª rodada, o Tricolor estava na 9ª posição da Série B. Depois dela, permanecia no mesmo lugar. A diferença, porém, está nos detalhes. Com o triunfo de 3 x 1 sobre o Bahia, gols marcados por Anderson Aquino e Luisinho, duas vezes, a Cobra Coral agora está a um ponto de seu adversário mais próximo, a três do próprio Bahia e a cinco do primeiro integrante do G4, o Náutico. Mais do que isso: o Tricolor ganhou confiança para o próximo jogo, contra o Oeste/SP, fora, e para o seguinte, diante do Botafogo/RJ, no Arruda, na estreia de Grafite. Valeu muito ou não?
O Santa Cruz começou o jogo com a alta intensidade dos times que atuam em casa. Logo aos três minutos, por exemplo, João Paulo recebeu na intermediária, avançou com liberdade e chutou com perigo. O goleiro Douglas Pires espalmou.
Seis minutos mais tarde, o volante Wellington Cezar subiu mais que todo mundo em escanteio e assustou de novo. O trio de meias corais, formado por João Paulo, Lelê e Luisinho, funcionou e criou as principais chances. O pior deles foi o camisa 10, que, de volta após viagem à Europa, não jogou o que a torcida esperava.
Com o passar do tempo, porém, o Bahia foi crescendo. O atacante Kieza, ex-Náutico, era o homem mais perigoso. Teve três boas chances em jogadas aéreas, mas parou na falta de pontaria ou nas mãos de Tiago Cardoso, em ótima noite e seguro como de costume. Mas, curiosamente, no momento em que o Esquadrão de Aço se encontrou, a Cobra Coral abriu o placar.
O meia Lelê recebeu na esquerda, cortou para dentro e tentou o chute da entrada da área. A bola desviou e acabou sobrando nos pés de Luisinho, que foi inteligente, viu a movimentação de Anderson Aquino e deixou o atacante na boa para fazer: 1 x 0, nono gol do artilheiro da Série A. Eram 37 minutos do primeiro tempo.
A torcida nem pôde fazer muita festa, no entanto. A resposta do Bahia foi quase imediata. E veio justamente na maior falha Tricolor no primeiro tempo: a bola por cima. O zagueiro Thales aproveitou cruzamento e empatou a partida.
Na volta para o segundo tempo, Martelotte não mexeu. Sérgio Soares também não fez nenhuma alteração além da que já tinha feito na etapa inicial: Tony no lugar de Adriano.
O time baiano começou levando mais perigo. Sobretudo pelas investidas de Tony pelo lado direito, nas costas de Lúcio. A mais perigosa delas foi aos oito minutos, mas Maxi Biancucchi mandou na trave.
A Cobra Coral, porém, era perigosa. Luisinho teve duas chances consecutivas. Na primeira, recebeu cruzamento da esquerda e, no segundo pau, cabeceou para fora. Na segunda, não perdoou. A bola passada por Aquino foi açucarada e o chute foi igualmente preciso. Forte, no alto. Sem chance para Douglas Pires: 2×1 para o Santa. O Tricolor estava na frente aos 18 do segundo tempo.
Nos cerca de 30 minutos que faltavam, o Bahia tentou ir para cima, rondou a área coral, mas o Santa se segurou. E ainda aproveitou os espaços que o desespero adversário concedeu. Lelê matou duas chances. Mas, na terceira, último lance do jogo, Luisinho definiu: 3 x 1, vitória do Tricolor. Pernambucano.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Bileu, Danny Morais, Neris e Lúcio (Marlon); Wellington Cezar, Moradei, Luisinho, João Paulo (Renatinho) e Lelê (Pedro Castro); Anderson Aquino. Técnico: Marcelo Martelotte.

BAHIA: Douglas Pires; Adriano Apodi (Tony), Thales, Jailton e Marlon; Yuri, Souza (Alexandro), Tiago Real e Eduardo (João Paulo); Maxi Biancucchi e Kieza. Técnico: Sérgio Soares.

Local: Arruda. Árbitro: Rafael Traci (PR). Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Diogo Morais (ambos do PR). Gols: Anderson Aquino (aos 36 do 1º tempo) e Luisinho (aos 19 e 48 do 2º tempo) para o Santa Cruz; Thales (aos 39 do 1º tempo) para o Bahia. Cartões amarelos: Wellington Cézar (Santa Cruz); Jaílton, Marlon, Maxi Biancucchi (Bahia). Público: 13.235. Renda: R$ 170.370,00.

Fonte: Folha de Pernambuco, Blog de Primeira, Recife, 28/7/2015

terça-feira, 28 de julho de 2015

Pra vencer e embalar


BILEU (Fotografia de Peu Ricardo)

PRA VENCER E EMBALAR

Rômulo Alcoforado

O jogo de hoje, contra o Bahia, às 19h30, no Arruda, pela 15ª rodada da Série B, é difícil por natureza para o Santa Cruz. O adversário é um rival regional, faz boa campanha na Segundona (sexta posição) e tem jogadores de muito talento. Mas a Cobra Coral, além das qualidades do oponente, terá de superar outro empecilho: o desgaste físico que seus atletas sofreram no duelo diante do Criciúma/SC. Três dias, com uma viagem longa no meio, são muito pouco para “recarregar as baterias” após uma batalha em campo pesado no Sul do País.
É por conta da condição física incerta da maioria dos titulares que o técnico Marcelo Martelotte ainda não definiu o time que enfrenta o Bahia. “O ideal seria mexer o mínimo possível na equipe, mas não posso adiantar a escalação nem a relação de jogadores. Estamos avaliando todas as situações. Toda e qualquer mudança vai depender da condição dos jogadores, já que o desgaste foi grande e o tempo de recuperação muito curto”, explicou.
O certo é que Vitor não vai estrear. Bileu deve permanecer na lateral – visto que foi bem contra o Tigre e que seu novo concorrente na função ainda carece de um melhor condicionamento físico. O zagueiro Alemão e o volante Bruninho, recuperando-se de lesão, não retornam ao time. A única dúvida, portanto, apesar do mistério do treinador, é no meio-campo: João paulo volta ou não?
Depois de dez dias na Europa, o atleta foi barrado do último jogo, cumpriu o castigo em silêncio, ficou trabalhando no Arruda enquanto a equipe viajou, e pode receber nova chance. Martelotte, no entanto, não confirma. “A gente precisa ver também o aproveitamento dele. Vamos analisar com mais calma”, limitou-se a responder. Caso opte pelo retorno do Craque do Pernambucano, o técnico sacará Daniel Costa do time.
Quem “se escalou” foi o zagueiro Danny Morais. “Alguns jogadores estão sentindo o desgaste, então essa decisão de quem vai jogar deve ser tomada mais perto do jogo. Mas eu estou bem e pronto para jogar”, garantiu. Atento ao adversário, o defensor recomendou sinal de alerta ligado com o poderio ofensivo do adversário. “É um time que tem muita qualidade do meio para frente, não podemos cochilar”, advertiu.

SAIBA MAIS

Para o Santa, o jogo pode ser considerado “de seis pontos”. Depois de um péssimo início de Série B, o time de Martelotte vem em franca recuperação e está se aproximando continuamente do G4. Está a sete pontos do grupo de elite. Uma das equipes que está entre o Tricolor e o objetivo é justamente o Bahia, na sexta posição. Seis pontos os separam. Caso vença hoje, além de somar três pontos, a Cobra Coral impede que o adversário faça mesmo. Vale muito.


Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 28/7/2015

domingo, 26 de julho de 2015

Essa praia é nossa!


ESSA PRAIA É NOSSA!
Praia da Boa Viagem
Recife, julho 2015
Fotografia de Clóvis Campêlo

Criciúma 0 x 0 Santa Cruz


CRICIÚMA 0 x 0 SANTA CRUZ

Criciúma e Santa Cruz vinha ambos em boa fase na Série B. O jogo deste sábado, portanto, poderia decidir quem continuava em momento positivo e, ainda, daria ao vencedor uma vantagem sobre o rival – já que Tigre e Cobra Coral estavam empatados na tabela. Poderia. Porque a igualdade de fora de campo se manteve dentro dele. Resultado? O 0 x 0 limitou o crescimento das duas equipes e não fez ninguém sair sorrindo do estádio Heriberto Hülse. Menos mal para o Tricolor, que atuou fora de casa e se manteve na frente dos catarinenses por ter melhor saldo de gols. Continua em nono, enquanto o time de Dejan Petkovic é o 10º da Série B.
No primeiro tempo, mesmo atuando fora de seus domínios, a equipe de Marcelo Martelotte foi melhor. Montado em duas linhas de quatro na defesa, conseguiu neutralizar o adversário e praticamente não sofreu riscos. E ainda assustou em contra-ataques, puxados principalmente por Lelê, pelo lado direito.
A Cobra Coral chegou a marcar um gol, aos 24, em cruzamento de Lelê que Anderson Aquino completou para as redes. O atacante tricolor, entretanto, estava um pouco adiantado. O bandeira viu e assinalou impedimento. Nove minutos mais tarde, o artilheiro do Santa teve outra chance, desta vez em posição, legal, mas cabeceou fraco.
Na volta para o segundo tempo, o Santa Cruz parecia que manteria o embalo. Criou a primeira chance, por exemplo, aos três minutos, em tiro de fora da área de Daniel Costa. A empolgação, porém, não durou muito. O Tigre se equilibrou em campo e começou a chegar com perigo.
O meia Natan ameaçou o ex-clube em duas situações. Na primeira, aos seis minutos, o jogador ficou de frente para Tiago Cardoso, mas demorou a chutar e permitiu que o zagueiro Danny Morais desse um carrinho e salvasse o Santa. Um minuto mais tarde, o mesmo jogador ficou novamente em condições de marcar, mas tentou driblar o goleiro tricolor, adiantou demais e se jogou. Não apenas perdeu o gol, como foi advertido com o amarelo.
Percebendo a fragilidade da equipe, o técnico Marcelo Martelotte fez mudanças. Sacou Daniel Costa e colocou Luisinho. Tirou Anderson Aquino e pôs Waldison. Substitiu Lúcio por Marlon. Não deu certo. O Criciúma continuou assustando. A melhor chance dos donos da casa foi aos 28. Maurinho tinha tudo para marcar, mas Wellington Cezar salvou quase em cima da linha.

FICHA DO JOGO

CRICIÚMA: Luiz; Jonas (Maicon Silva), Wanderson, Adalberto e Cristiano; Wellington, Paulinho e Natan (Roger Guedes); Lucca (Maurinho), Juba e Neto Baiano. Técnico:Dejan Petkovic.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Bileu, Danny Morais, Neris e Marlon (Lúcio); Bileu, Moradei, Renatinho, Lelê e Daniel Costa (Luisinho); Anderson Aquino (WaldisoN). Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Estádio Heriberto Hülse (Criciúma/ SC). Horário: 16h30. Árbitro: Alinor Silva da Paixão (MT). Assistentes: Paulo César Silva Faria e Marcelo Grando (ambos do MT). Cartões amarelos: Danny Morais, Tiago Cardoso e Renatinho (Santa Cruz); Natan, Cristiano (Criciúma).


Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 25/7/2015

sábado, 25 de julho de 2015

Dez mil sócios até a estreia de Grafite


DEZ MIL SÓCIOS ATÉ A ESTREIA DE GRAFITE

Felipe Amorim

Até o momento em que esta matéria estava sendo escrita, o Santa Cruz contabilizava exatos 7.161 sócios em dia. No início do ano, antes do lançamento da campanha “Sou Santa Cruz de Corpo e Alma” eram 3 mil adimplentes. Depois da chegada de Grafite esse número cresceu significadamente e a pretensão da diretoria tricolor é de chegar a marca de 10 mil sócios no dia da estreia do atacante. O camisa 23 voltará a vestir as cores corais no dia 8 de agosto, contra o Botafogo, no Arruda.
“A nossa intenção é ter 10 mil sócios até a estreia de Grafite com a camisa do Santa Cruz. No momento estamos fazendo várias ações, mas iremos trazer novidades para atrair os torcedores”, disse o sócio-diretor da empresa BPGP Marketing Esportivo, Dênis Victor, que presta serviço ao Santa Cruz.
O clube tem promovido sua marca atrelada a Grafite da forma como pode. Na noite da última quinta-feira, por exemplo, foi realizado um jantar de adesão ao custo de R$ 250, quando foi lançada a terceira camisa do clube para a temporada 2015 na presença do atleta. O torcedor adquiria comprava para participar do evento, ganhava a camisa e ainda podia tietar Grafite.

ANISTIA

Outra forma que o Santa Cruz encontrou para aumentar o número de sócios é a anistia. Independente do número de meses em atraso, o torcedor paga junho e julho e fica automaticamente em dia com o clube.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 24/7/2015

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Campanha de sócios


CAMPANHA DE SÓCIOS

João de Andrade Neto

A regularização do atacante Grafite animou de vez a diretoria do Santa Cruz, que já iniciou uma série de ações para promover a partida de estreia do jogador, no dia 8 de agosto, contra o Botafogo, no Arruda. Ao todo, 30 outdoors serão espalhados por bairros do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes, sendo que 15 já foram colocados nesta quarta-feira. Além disso, serão vinculados vídeos promocionais na televisão e em redes sociais. A perspectiva de público para a estreia de Grafite, de acordo com o departamento de marketing do clube, é de 50 mil pessoas.
Os valores dos ingressos para a partida ainda não foram definidos. Caso alcance a meta, a estreia de Grafie dará uma turbinada na média de público do Santa Cruz nesta Série B. Até agora, decepcionante. Atualmente, nos seis jogos que realizou no Arruda, a média coral é de apenas 6.814 torcedores por jogo, a 8ª maior da competição, atrás de Paysandu, Bahia, Ceará, Sampaio Correa, Vitória-BA, Botafogo e Náutico.
Para efeito de comparação, na Série B do ano passado, os tricolores tiveram média de público de 12.739, a terceira maior do campeonato. Além de Grafite, outro jogador do Santa Cruz que ficou regularizado nesta quarta-feira foi o lateral-direito Vítor, ex-Sport.

Fonte: Diario de PE, Recife, 22/7/2015

Ainda pensando em reforços


AINDA PENSANDO EM REFORÇOS

Rômulo Alcoforado

Quando não há abundância de dinheiro, a criatividade se torna necessária. O Santa Cruz ainda deseja se reforçar – mas, com o orçamento curto, não pode se dar ao luxo de gastar muito para trazer jogadores. A solução é ficar atento ao que acontece na Série A para tentar “pescar” algum atleta de qualidade a um baixo custo.
Não entendeu? É que há um limite imposto pela CBF. Quando um jogador completa sete jogos na competição, ele fica automaticamente impossibilitado de atuar por outra equipe da Primeira Divisão. Como a janela europeia fecha em agosto, os clubes da elite têm dificuldade de reformular os elencos e negociar jogadores para aliviar as folhas salariais. “Neste período do ano, a partir da 12ª, 13ª rodadas, normalmente aparecem boas oportunidades”, explica o vice-presidente tricolor, Constantino Júnior, principal responsável pela contratação de jogadores no Santa.
Tininho tem visitado clubes da Série A para estabelecer parcerias e tentar negócios. Neste mês, por exemplo, o dirigente aproveitou um encontro nacional de executivos de futebol (o ABEX) em Belo Horizonte, para visitar a Cidade do Galo (CT do Atlético/MG), onde conversou com a diretoria do clube mineiro a respeito de possíveis empréstimos. Não foi a única agremiação procurada pelo Tricolor. “Estamos buscando. A gente tem conversado, tem plantado algumas situações e, dentro de pouco tempo, deve aparecer alguma oportunidade de contratação”, disse.
Por conta da própria natureza do negócio, o mais importante não é a posição do atleta. “A gente não tem pensado tanto na função, até porque esse atleta viria como um ‘plus’ para o elenco. O País está vivendo um momento complicado, que acaba passando para o futebol. Os clubes não estão com muito dinheiro. Então, antes de tudo, tem de ser algo vantajoso financeiramente para que a gente concretize”, explicou Constantino.
Até pela fragilidade econômica do clube, é natural que haja, também, o fluxo contrário. Podem chegar atletas, mas também devem sair alguns. Um dos “ameaçados” é o lateral-direito João Carlos, preterido pelo técnico Marcelo Martelotte e perdendo espaço até para atletas de outra posição. O Santa deseja tenta encontrar algum clube para viabilizar uma transferência.


Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 24/7/2015

Melhorar o rendimento fora de casa


MELHORAR O RENDIMENTO FORA DE CASA

Felipe Amorim

Se o Santa Cruz quer mesmo entrar na briga pelo acesso, a máxima de roubar pontos fora de casa dos adversários tem que começar a valer a todo custo. Até o momento, nos sete jogos já disputados, o Tricolor só conseguiu uma única vitória e dois empates, dando um irrisório aproveitamento de 23,8%.
Diante do Criciúma, que está invicto há seis rodadas na Série B, o desafio será voltar a vencer fora de casa. A primeira e última vez que isso aconteceu foi na 11ª rodada, quando bateu o Bragantino por 2x1. Antes, os melhores resultados do Santa Cruz havia sido dois empates: 2x2 contra Luverdense-MT e um 3x3 diante do Ceará, quando deixou escapar a vitória aos 48 minutos do segundo tempo.
Diante de todo esse panorama, é evidente que o desafio em Santa Catarina será muito difícil, mas não impossível. O latera-esquerdo Marlon pensa dessa forma. “O Criciúma é um time muito qualificado e vamos encontrar bastante dificuldade, mas estamos tranquilos. A nossa equipe está vindo de uma boa sequência de jogos, com apresentações convincentes e temos tudo para irmos lá e voltar com os três pontos”, disse.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 24/7/2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Como será o Santa Cruz com Grafite


COMO SERÁ O SANTA CRUZ COM GRAFITE

Yuri de Lira

Passados exatos 20 dias da contratação de Grafite, o atacante começa, enfim, a treinar com os demais jogadores do Santa Cruz nesta segunda-feira, no Arruda. Para reestrear pelo time, no entanto, o atleta precisará ainda de cerca de uma semana para recondicionar. A última vez que ele jogou foi ainda em 23 de maio - quando o seu ex-clube no, o Al Sadd, venceu o El Jaish por 2 a 1 se sagrou campeão da Copa do Emir. São, portanto, quase dois meses sem atuar numa partida oficial. Com documentação em trâmite na CBF para ser regularizado, o ex-seleção brasileira tem a expectativa de vestir a camisa 23 do Tricolor em 8 de agosto, quando os corais recebem o Botafogo, daqui a quatro rodadas na Série B do Campeonato Brasileiro.
Embora Marcelo Martelotte prefira ainda não falar abertamente na estreia do experiente centroavante e queira elevar o moral de quem estar atuando, é certo que o reforço tem um lugar cativo entre os titulares. Mas quem sairia do time para dar lugar a Grafite? Que tipo de mexidas o técnico pode promover a fim de arrumar um espaço para o atacante? Como o Tricolor passaria a jogar? O Superesportes destrincha quais são alternativas do treinador.

O time com dois centroavantes

Em todos os seis jogos com Martelotte, Anderson Aquino atuou como centroavante - seja no 4-4-2 ou 4-5-1. Tornou-se assim co-artilheiro da Série B e só não fez balançou as redes em uma destas partidas. A posição, porém, é justamente a que Grafite ocupa. O técnico, por sua vez, pode não mexer em Aquino e colocar Grafite também como um segundo homem de referência. Os meias ganhariam mais liberdade para encostar no ataque.

Um ataque tradicional


A idade - 36 anos - não permitiria que Grafite atuasse pelos lados. Fugiria também da característica em que ele sempre obteve sucesso na carreira. Mas Martelotte poderia, sim, deixar Anderson Aquino nas beiradas (algo que o atacante já fez, inclusive no Santa Cruz), ao passo que o Grafite permanece encravado na área. O problema é que Aquino não tem velocidade suficiente para tal função.

Aquino é recuado e time segue no 4-5-1

Conforme testa por vezes em alguns treinos, Martelotte pode deixar Aquino atuando como um terceiro homem da armação. Para tanto, um meia perderia a posição. João Paulo (ou Daniel Costa - que entrou na disputa por vaga), Renatinho ou Lelê teriam suas posições ameaçadas. Seguiria-se no esquema com cinco meias. O agravante é que Aquino pouco rende assim. Em contrapartida, a equipe ganha na marcação no meio-campo.

O básico

Se quiser fazer o básico, não deslocar peças, tampouco mexer na formação do Tricolor, o treinador coral, simplesmente, sacaria Anderson Aquino e colocaria Grafite em seu lugar. Teria ainda mais liberdade para montar o seu meio-campo. Ignoraria completamente, no entanto, todo o retrospecto recente de Aquino, goleador do Santa Cruz na temporada com 11 gols.

Fonte: Diario de PE, Recife, 20/7/2015

Forte dentro de casa


FORTE DENTRO DE CASA

Fernando Veloso

O Santa Cruz voltou a vencer na Série B, bateu o Atlético/GO jogando no Arruda por 3×0. O Tricolor subiu para a nona colocação na Série B. O artilheiro da noite foi Lelê, que marcou dois gols na partida. O jogador, contratado ao Oeste/SP por indicação do ex-técnico Ricardinho, não marcava há dez jogos, a última vez tinha sido no triunfo de sua ex-equipe sobre o América/MG, em outubro do ano passado. O meia vem ganhando espaço no time titular com Martelotte e teve ontem sua melhor atuação com a camisa tricolor.
“Nada melhor do que conseguir uma vitória em casa, a equipe vinha de uma derrota no clássico. Mas dentro de casa voltamos a jogar um bom futebol e conseguimos o resultado positivo”, afirmou Lelê.
O atleta chegou ao Arruda afirmando ser um jogador velocista, um meia-atacante que gosta de jogar pelos lados e já avisou que não era um goleador, mas na noite de ontem ele teve seu momento de centroavante e fez piada sobre o assunto. “Logo que eu cheguei aqui falei que não fazia muitos gols, já deixei claro. Mas se me deixarem livre de marcação, eu vou fazer mais gols. Há muito tempo eu não balançava as redes, brinquei com o Aquino que hoje as bolas que caíam nos pés dele, sobraram para mim”, contou.
Para Lelê, os corais fizeram por onde sair com a vitória diante dos goianos. O Santa Cruz viaja na próxima rodada à Santa Catarina para enfrentar o Criciúma no sábado(25), às 16h30. “A gente marcou eles em cima no começo do jogo, no finalzinho do primeiro tempo eles pressionaram a gente, mas é normal, a gente estava com o resultado ao nosso lado. Merecemos os três pontos. O Santa Cruz dentro de casa é muito forte, a gente espera dar continuidade a esse trabalho trabalhando pesado durante a semana para sairmos com a vitória no próximo jogo.”

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 19/7/2015

Otimismo


OTIMISMO

O Santa Cruz começa a semana de preparação para o confronto contra o Criciúma, sábado, no estádio Heriberto Hülse, em Santa Catarina, pela 14ª rodada da Série B, com boas razões para se motivar. O primeiro diz respeito à força do grupo. Depois de conseguir superar no último sábado o Atlético-GO por 3x0, mesmo desfalcados de quatro titulares, os corais demonstraram que quem sai do banco de reservas também está pronto para dar conta do recado. Outro ponto é que, se o time continuar com a vontade demonstrada no último confronto, tem condições de avançar algumas posições na tabela, antes de começar a sonhar com o G-4. O tricolor está em nono, com 18 pontos.
“A gente tinha vindo daquela derrota no clássico contra o Náutico e nada melhor que vencer o Atlético-GO dentro de casa. O 3x0 foi muito importante, mas se tivesse sido 1x0 também teria sido bom. A gente entra para fazer o resultado independente de placar. Agora mais do que nunca, o nosso pensamento é subir na tabela”, comentou Lelê, autor de dois gols contra os goianos.
O meia atacante também fez questão de destacar a qualidade dos que entraram para assumir as vagas deixadas por Dany Morais, Wellington, João Paulo e Bruninho - os três primeiros cumpriram suspensão automática por terem recebido o terceiro cartão amarelo, enquanto o último está lesionado, com uma luxação no ombro. “Na semana que antecedeu o jogo contra o Atlético-GO, ficou aquela dúvida, todo mundo querendo saber quem ia entrar no lugar dos titulares. E quem entrou, entrou bem, deu conta do recado. Isso só confirma o quanto o nosso grupo é forte”, afirmou.
O meia Daniel Costa, substituto de João Paulo, inclusive, marcou o segundo gol do Santa Cruz na vitória por 3x0 sobre o time de Goiás, além de ter dado passes importante que poderiam ter sido convertidos. O tento assinalado pelo jogador evidenciou também toda a sua experiência. Na cobrança de falta, ele esperou a barreira adversária subir para chutar rasteiro, sem chances de defesa para o goleiro Márcio.
Além de reconhecer o empenho dos que substituíram os titulares, o técnico Marcelo Martelotte também fez questão de destacar a atuação dos que saíram do banco de reservas e entraram no decorrer da partida. “Todas as substituições feitas ao longo do confronto foram por motivos físicos”, avaliou.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 20/7/2015

domingo, 19 de julho de 2015

Santa Cruz 3 x 0 Atlético-GO

 


SANTA CRUZ 3 x 0 ATLÉTICO-GO

Fernando Veloso

Um Santa Cruz remendado não teve problemas para superar o Atlético/GO por 3×0 no Arruda, neste sábado. Com dois gols de Lelê e outro de Daniel Costa, o Tricolor chegou à quinta vitória no campeonato, em 13 rodadas, está na nona colocação com 18 pontos. Mesmo Jogando desfalcado de seis titulares, o time de Marcelo Martelotte foi superior durante toda a partida. O jogo foi marcado pela volta do Paredão, Tiago Cardoso, que estava fora de combate há quase oito meses, por conta de uma lesão no joelho.
O time coral começou o jogo investindo ofensivamente pelo lado esquerdo, com Marlon e Renatinho. Jogando no 4-5-1, com apenas Anderson Aquino no ataque, o Tricolor ocupou o meio de campo e tomou a iniciativa na partida. O primeiro lance de perigo veio com uma bola parada, aos 7, Daniel Costa cobrou falta na área e Bileu cabeceou firme, mas a bola passou perto da trave do goleiro Márcio. Aos 14, Renatinho recebeu a bola na lateral esquerda e fez um ótimo lançamento para Lelê na entrada da área, o meia dominou a bola, protegeu bem do zagueiro adversário e bateu colocado: 1×0 para os donos da casa.
O Atlético/GO só conseguiu chegar ao gol tricolor aos 16, Arthur cabeceou para Tiago Cardoso fazer a defesa com segurança. O Dragão depois de sofrer o gol saiu mais para o jogo e quase empatou a partida aos 21, depois de uma pane na defesa coral que bateu cabeça, a bola sobrou para Geraldo que chutou cruzado, Tiago Cardoso desviou a bola que saiu pela linha de fundo.
Aos 28, os visitantes tiveram sua melhor chance de empate na etapa inicial, Geraldo livre de marcação na área bateu para fora. Os tricolores responderam com Daniel Costa, que arriscou de longe, a bola tirou tinta da meta do time goiano. Aos 40, Sacoman deu um bote errado e Geraldo fez o giro em cima de Néris, mas o zagueiro se recuperou e travou na hora do chute. No último minuto do primeiro tempo, Marlon cabeceou a bola na trave, após cobrança de escanteio de Daniel Costa, a bola sobrou para Bileu que bateu fraco para defesa de Márcio.
O Santa voltou para o segundo tempo disposto a liquidar o jogo, já no primeiro minuto da etapa complementar Anderson Aquino fez fila na defesa do Atlético e bateu de fora da área, o goleiro fez a defesa. Aos 8, Danilo Tarracha cruzou de três dedos para Wiilie, o atacante deu um peixinho buscando o contrapé de Tiago Cardoso, mas errou o alvo.
Anderson Aquino sofreu falta na entrada da área e Daniel Costa foi para a cobrança, aos 18. O meia provou é mesmo especialista em bola parada, cobrou a falta com perfeição, por baixo da barreira, sem chances para Márcio: 2×0. Apesar de terem construído o placar, os donos da casa não tiraram o pé do acelerador, num contra-ataque Daniel Costa fez boa enfiada de bola para Lelê, que encobriu o goleiro marcando um golaço, mas o juiz anulou o gol, marcando falta do atacante no zagueiro do time goiano.
Os goianos tentavam ir ao ataque pelo meio, mas não conseguiam infiltrar, o Santa bem postado na defesa se armou para contra-atacar. Aos 37, Arthur recebeu dentro da área e encheu o pé, a bola passou por cima da meta defendida por Tiago Cardoso. Nos acréscimos veio o golpe de misericórdia, aos 47, num contra-ataque Luisinho subiu pela ala direita e soltou a bomba, a bola foi na trave e caiu no pé de Lelê, que encheu o pé, estufando a rede: 3×0.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Nininho(Luisinho), Neris, Diego Sacomam, Marlon (Lúcio); Bileu, Moradei, Renatinho, Daniel Costa, Lelê; Anderson Aquino. Técnico: Marcelo Martelotte.

ATLÉTICO-GO: Márcio; Pedro, Marllon, Samuel e Danilo Tarracha; Anderson Pedra, Feijão, Thiago Primão (Juninho) e Aílton (Willie); Arthur(Weverton) e Geraldo. Técnico: Jorginho.

Gols: Lelê aos 14’1T e 47’2T, Daniel Costa aos 18’2T, Cartões amarelos: Arthur (A), Thiago Primão (A), Néris (S), Lelê (S). Local: Arruda. Árbitro: Igor Benevuto (MG). Assistentes: Marcos Vinícius (MG) , Marconi Helbert (MG). Público: 10.220. Renda: R$ 120.325.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 18/7/2015

sábado, 18 de julho de 2015

Hoje é dia de Santa Cruz!


Contra o Atlético-GO


CONTRA O ATLÉTICO-GO

Yuri de Lira

Quando esboçava uma reação para sair da zona morta da tabela da Série B, o Santa Cruz perdeu o Clássico das Emoções. Uma cortante ducha de água fria. Às 16h30 deste sábado, a missão da equipe de Marcelo Martelotte é começar a engatar uma nova sequência de vitórias. O Tricolor recebe o Atlético-GO, no Arruda. Embora bem mais perto do Z4 que do G4, persiste no acesso. No momento de freio do time na competição, porém, uma injeção de ânimo. Tiago Cardoso volta a vestir a camisa 1 coral. Líder e com estreita identificação com a torcida, pode dar o ânimo necessário para a equipe não perder as primeiras posições de vista.
Recuperado de duas lesões que o deixaram inativo por quase oito meses - uma mais séria no joelho direito e outra na panturrilha da mesma perna - Tiago Cardoso foi confirmado, ontem, entre os titulares. Devolverá Fred à reserva. É inegável que vai dar mais segurança ao time. E à torcida. “Recebi a notícia com muita satisfação e agradecimento. Martelotte me deu uma confiança muito grande. O que eu puder fazer para ajudar, vou fazer. Sem medir esforços", prometeu o ídolo.
Na contramão do retorno de Cardoso, o treinador está cheio de desfalques na linha. Só de titulares, são quatro baixas. Bruninho, machucado no ombro, além Danny Morais, Wellington e João Paulo, suspensos, ficam fora. Nininho, Sacomam, Bileu e Daniel Costa são os respectivos substitutos. “Lógico que perder tantos jogadores é preocupante. Mas não existe desespero”, minimizou o técnico.
Martelotte espera mostrar que a derrota contra o Náutico foi apenas um jogo de exceção. Que aquela partida apenas adiou o ingresso no G4. Tendo amargado o primeiro revés após uma sequência de quatro partidas invicto, esquece, por enquanto, a posição do Santa. Concentra-se no jogo e no reanimo que três pontos podem dar ao grupo. “Entendemos que a vitória é necessária em qualquer circunstância. Lá na frente, você só vai ter condições de brigar por objetivos maiores se for conquistando esses pontos. Há a necessidade de ganhar para retomar o nosso caminho e buscarmos uma classificação melhor pouco a pouco.”

ADVERSÁRIO

Sob o risco de assumir a lanterna da Série B caso não vença o Santa Cruz, o Dragão não vence há cinco rodadas. A última vez que saboreou a vitória foi contra o Náutico, no Serra Dourada, onde venceu por 2 a 0 - ainda em 13 de junho. Jorginho, balançando no cargo, deve ter duas novidades na equipe. Tende a promover a estreia do lateral esquerdo Eron e do meio-campista Thiago Primão. A esperança está depositada no atacante Arthur, autor de cinco dos sete gols do Atlético-GO no campeonato.

Fonte: Diario de PE, Recife, 18/7/2015

A volta de Daniel Costa


A VOLTA DE DANIEL COSTA

William Tavares

Preterido pelo técnico Marcelo Martelotte nas últimas rodadas, o meia Daniel Costa volta a receber uma chance na equipe titular do Santa Cruz. É bem verdade que a utilização dele acontecerá por conta da suspensão de João Paulo, só que o meia sabe que uma boa atuação pode colocar uma ponta de dúvida na cabeça do treinador para o restante do campeonato.
Ao lado de Bileu, Renatinho e Lelê, Daniel Costa formará o meio-campo coral. Um quarteto um pouco diferente do que vinha atuando, já que além de João o time também não terá Wellington Cezar. “Sabia que a oportunidade poderia aparecer novamente. Mesmo eu tendo saído da equipe titular eu continuei trabalhando. Respeito sempre a opção do treinador, mesmo ficando fora por cinco partidas. Espero encarar essa chance para mostrar meu potencial e dar uma dor de cabeça boa para ele”, contou o meia. “Imagino que, com esse esquema, teremos um time mais compacto, com mais posse de bola também”, completou.
Uma das armas de Daniel Costa para agradar Martelotte é a bola parada. “O futebol está muito dinâmico e tem jogos que são decididos na bola parada. Como tenho essa característica de um chute bom de fora da área, vou caprichar nesse quesito”, contou.
O atleta ainda colocou um ponto final nos rumores de que ele tinha entrado em atrito com o treinador coral. “Não teve briga. Tanto que lá no América/RN eu joguei com ele. Entrava no decorrer dos jogos. Respeito as opções dele e vou seguir trabalhando. Claro que jogador que fica contente por ficar no banco está na profissão errada, mas no meu contrato não tem nada dizendo que vou ser titular. Num clube com 30,33 jogadores sei que nem todos vão jogar. Mas o mínimo que posso fazer é treinar para estar pronto quando a oportunidade aparecer”, finalizou.

TIAGO CARDOSO

Foi inevitável o meia não comentar sobre o retorno do goleiro Tiago Cardoso. Recuperado de uma lesão que o tirou dos gramados há oito meses, o camisa 1 será titular contra o Atlético/GO, sábado (18), no Arruda. “São poucos os jogadores que ficam tantos anos no mesmo clube. Por isso ele tem esse carinho do torcedor, dos diretores. Fred e Bruno também são excelentes goleiros, mas a volta do Tiago é muito importante”, pontuou.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 17/7/2015

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Salários atrasados


SALÁRIOS ATRASADOS

Yuri de Lira

É um círculo vicioso. O Santa Cruz não consegue ficar totalmente em dia com os jogadores. Mantém-se em atraso dois salários, chega a pagar um deles, mas sempre a folha seguinte acumula e volta-se ao estágio de dois meses de débitos. Foi o que aconteceu, novamente, desta vez. Ainda devendo maio ao plantel, a diretoria agora tem já que correr atrás para quitar junho - que, a rigor, era para ter sido pago na última quarta-feira.
Segundo o vice-presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior, pelo menos o mês de junho será depositado na conta dos atletas nos próximos dias. "Maio está bem adiantado. Alírio (Moraes, presidente) conseguiu alguns recursos e devemos estar pagando tudo em breve", garantiu o dirigente coral. A expectativa, porém, não se aplica a junho.
O que serve de álibi para os tricolores é que o clube não deve mais nada de "bicho" ao elenco, desde valores relativos à conquista do Campeonato Pernambucano até por vitórias na Série B do Brasileiro. "Tudo está em dia. E foram premiações boas", avisou Constantino Júnior. Os funcionários do administrativo estão numa situação mais delicada. Além da diferença de patamar salarial para os jogadores, ainda têm a receber três meses de folha.

Fonte: Diario de PE, Recife, 16/7/2015

Santa Cruz contrata Vítor


SANTA CRUZ CONTRATA VÍTOR

A posição mais carente do Santa Cruz ganhou um reforço: o lateral-direito Vitor, ex-Sport, foi anunciado nesta quinta-feira pela diretoria tricolor. O contrato do experiente jogador, 32 anos, vai até o final da Série B. Sua chegada está prevista para sexta-feira.
O alagoano Vitor tem uma longa história no futebol. O clube em que obteve mais destaque foi o Goiás, por onde passou três vezes. Também tem Cruzeiro e Palmeiras no currículo. O último clube foi o Sport – pelo qual não conseguiu muito destaque. Pelo contrário: era frequentemente criticado pela torcida rubro-negra. Terá, no Arruda, a chance de dar a volta por cima.

FICHA DO ATLETA

Nome completo: Cícero Vítor dos Santos Júnior
Data de nascimento: 29/07/1982 (32 anos)
Naturalidade: Delmiro Gouveia (AL)
Posição: Lateral direito
Pé preferencial: Destro
Altura: 1.72m
Peso: 65kg
Histórico do atleta:
2015 – Santa Cruz, Sport
2014 – Sport, Goiás
2012/2014 – Goiás
2011 – Palmeiras, Sport, Cruzeiro
2010 – Palmeiras
2005/2010 – Goiás
2002/2004 – Crac/GO

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 16/7/2015

Grafite chega de vez


GRAFITE CHEGA DE VEZ

Felipe Amorim

A espera foi abreviada. Maior contratação do Santa Cruz nos últimos anos, o atacante Grafite conseguiu a rescisão contratual junto ao Al-Sadd, do Catar, que duraria até 31 de julho, e chegará ao Recife no próximo domingo (19). Na segunda-feira (20) ele já estará presente no Arruda, onde começará a trabalhar com os novos companheiros pela primeira vez.
Apresentado como novo reforço coral no dia 1º de julho para cerca de 7 mil tricolores no Arruda, depois disso Grafite viajou para o Oriente Médio na tentativa de rescindir o contrato com o clube do Catar. A intenção era voltar em definitivo ao Recife o quanto antes.
“Sim, Grafite rescindiu seu contrato lá com o Al-Sadd. Agora vamos dar entrada na documentação dele na CBF e esperar sua regularização”, afirmou o vice-presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior.
Inicialmente, a previsão para a reestreia do jogador era diante do Botafogo, na 17ª rodada da Série B, no Arruda. Mas como o atleta conseguiu o destrato de forma antecipada, tudo dependerá agora de sua regularização, que, por ser internacional, pode antecipar ou prorrogar esse prazo para sua primeira partida no Santa Cruz. “A gente nunca sabe o prazo por ser uma transferência internacional. Pode ser um jogo antes ou um depois”, completou o dirigente tricolor.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 16/7/2015

A volta de Tiago Cardoso


A VOLTA DE TIAGO COSTA

Felipe Amorim

O paredão está voltando. Quase oito meses depois de uma séria lesão no ligamento cruzado posterior do joelho direito, o goleiro e ídolo da torcida tricolor, Tiago Cardoso, tem grandes chances de ser o titular na partida contra o Atlético-GO, sábado (18), no Arruda. Quem deu a boa notícia foi o técnico Marcelo Martelotte, após o treino desta quinta-feira (16).
Para o treinador, se Tiago for relacionado é para ser novamente o dono da camisa 1. “Há uma grande possibilidade de ele ser utilizado no sábado, até porque não vejo necessidade alguma em levar Tiago (Cardoso) para o banco de reserva. Pelo tempo que ele ficou parado, cada dia de treino é importante. Por isso se não for para ser titular, prefiro que ele continue treinando. Assim, se for convocado, ele vai jogar”, afirmou Martelotte.
Tudo dependerá do último treino, marcado para esta sexta-feira (17), às 8h30, no Arruda. Quando acabar a movimentação, se o nome de Tiago constar na lista dos relacionados pregada na parede do vestiário, ele estará automaticamente escalado como titular.

HISTÓRICO

Tiago Cardoso sofreu uma séria lesão parcial no ligamento cruzado posterior do joelho direito no dia 22 de novembro de 2014, quando se machucou aos três minutos da partida contra o Avaí, na Ressacada, pela penúltima rodada da Série B. O Departamento Médico coral optou pelo tratamento convencional, aquele sem a necessidade de cirurgia.
O goleiro recebeu alta do DM somente no dia 24 de março. A partir daí deu início ao trabalho de transição física. Quase um mês depois, no dia 20 de abril, ele realizou o primeiro trabalho com bola junto com os outros goleiros da equipe. Em meados de maio, uma lesão muscular na coxa (era esperada pelo tempo de inatividade) o afastou dos gramados por alguns dias.
Agora, recuperado totalmente de qualquer tipo de lesão e treinando com bola há pelo menos três semanas consecutivas, Tiago Cardoso pode finalmente matar a saudade de jogar e logo num momento importante da equipe na Série B.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 16/7/2015

Seja sócio!


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Que venha o Atlético-GO!


QUE VENHA O ATLÉTICO-GO!

Yuri de Lira


Passada a derrota no Clássico das Emoções, o Tricolor foca na próxima rodada da Série B do Brasileiro. Os ingressos para Santa Cruz x Atlético-GO, às 16h30 do próximo sábado, no Arruda, já estão sendo vendidos.
Os bilhetes continuam com os mesmos preços de antes. Arquibancada inferior custa R$ 30. Sociais e estudantes, R$ 15. Por um valor mais em conta, o torcedor pode assisir à partida atrás das barras por R$ 10. O anel superior do estádio, vale lembrar, segue em desuso na competição.
As entradas também podem ser adquiiradas pela internet, pelo site: www.santacruzdecorpoealma.com.br, mas apenas para os sócios em dia com o clube. As lojas PE Retrô (Shoppings Rio Mar e Tacaruna) e Pequeno Torcedor (Shoppings Tacaruna, Plaza Casa Forte, RioMar e Guararapes) também comercializam as entradas para o confronto com os goianos.

Confira abaixo os preços destrinchados:

R$ 30 e R$ 15 (meia e sócios) - Arquibancada inferior
R$ 10 - Área atrás dos gols
R$ 60 - Cadeira de aluguel
R$ 15 - Cadeira para sócio-proprietário
R$ 30 - Cadeira para proprietário

Horários das vendas nas bilheterias do Arruda:
9h às 18h - Quarta, quinta e sexta
8h até o início do jogo - sábado

Fonte: Diario de PE, Recife, 15/7/2015

Os problemas e as soluções


OS PROBLEMAS E AS SOLUÇÕES

William Tavares

O Santa Cruz começou a semana sabendo que não teria quatro jogadores para o duelo contra o Atlético/GO, sábado (18), na Arena Pernambuco, pela Série B do Campeonato Brasileiro: o zagueiro Danny Morais, o volante Welligton Cezar, o meia João Paulo e o atacante Nathan. Depois, perdeu mais um marcador, Bruninho, por conta de lesão. E nesta quarta (15), foi a vez de Anderson Aquino não treinar e virar dúvida para o jogo.
Com tantos problemas para resolver, o técnico Marcelo Martelotte tem procurado encontrar soluções para montar o melhor esquema no fim de semana. Na cabeça de área, mais especificamente, o treinador testou dois jogadores ao lado do volante Moradei. Primeiro trabalhou com Bileu e depois acionou Renatinho na posição.
“São dois jogadores de muita qualidade. Dificilmente esperamos ter tantas baixas assim de uma vez, mas sei que, quem entrar, vai dar conta do recado”, afirmou Moradei.
O adversário do Tricolor é o penúltimo colocado da Segundona. Venceu apenas dois de 12 jogos feitos. Para os goianos, o duelo vale como o início de uma reação para deixar a zona do rebaixamento. Para o Santa, 13º colocado com 15 pontos, a meta é voltar ao caminho das vitórias para não se distanciar ainda mais do G4.
“Essa é uma decisão e vamos buscar os três pontos. Por mais que eles estejam lá embaixo, será um duelo difícil. O professor pediu paciência para o time, tocar mais a bola e chegar forte na finalização”, explicou.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 15/7/2015

Daniel Costa reaparece


DANIEL COSTA REAPARECE

Felipe Amorim

Após não treinar nesta quarta-feira (15) e levantar inúmeras possibilidades pela ausência, o meia Daniel Costa, que briga para ser titular diante do Atlético-GO, explicou o motivo de tudo e negou qualquer tipo de problema com o técnico Marcelo Martelotte.
Em entrevista ao repórter João Victor Amorim, daRádio Jornal, o atleta disse que estava resolvendo questões judiciais em São Paulo. “Não tem nada de confusão ou briga. Na verdade, eu não pude ir ao treino hoje porque tive uma audiência no interior de São Paulo. Inclusive, pedi a liberação ao próprio treinador”, disse.
Questionado se há uma insatisfação por estar sendo preterido por Martelotte, o meia negou de imediato. “De maneira alguma. A chateação é apenas por ficar no banco, natural de qualquer atleta, mas nunca briguei com o treinador ou quis sair do time. Eu entendo completamente a opção do treinador e respeito. Jamais vou questioná-lo. Afinal, o grupo é feito de 30 jogadores e sempre haverá aquele que ficará de fora”, completou.
Na terça-feira (14), Daniel Costa apareceu entre os titulares apenas na segunda parte do treino. Ele concorre com Renatinho e Lelê para substituir o meia João Paulo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. “Se ele achar que a primeira formação é a que pode render melhor, só cabe a mim respeitar. Mas não tenho problema algum com ele e nem sei de onde saiu esse boato”, encerrou.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 15/7/2015

Sacoman de volta


SACOMAN DE VOLTA

Felipe Amorim

Prestes a voltar ao time titular do Santa Cruz, o zagueiro Diego Sacoman espera aproveitar a oportunidade para, quem sabe, emendar outra sequência de partidas como fez no início da Série B. Nas seis primeiras rodadas, ele atuo ao lado de Danny Morais e depois acabou perdendo espaço.
Com os desfalques de Alemão e do capitão Danny Morais, o técnico Marcelo Martelotte conta apenas para montar a zaga com o remanescente Neris e Diego Sacoman, além do jovem da base Walter Guimarães.
A confirmação por parte do treinador ainda não veio, mas ele está confiante em voltar ao time titular. “Venho trabalhando como sempre, para quando surgir a oportunidade eu poder jogar bem e colocar uma dúvida na cabeça do treinador. Mas até agora ele não me disse nada. Vamos ver quem será o escolhido”, disse Sacoman.
Ao todo, o zagueiro já atuou em 12 (sendo nove como titular) das 26 partidas do Santa Cruz na temporada 2015. Contratado como reforço de “nome”, a verdade é que até agora Diego Sacoman não conseguiu se firmar na equipe.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 16/7/2015

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Náutico 2 x 1 Santa Cruz


Fotografia de Paullo Almeida

NÁUTICO 2 x 1 SANTA CRUZ

Rômulo Alcoforado

Pode parecer contraditório, mas nem todo Clássicos das Emoções é, realmente, emocionante. Embora haja rivalidade histórica entre as equipes e o clima seja diferente de um jogo comum, há ocasiões em que o que acontece dentro de campo não justifica o rótulo. Neste sábado, na Arena Pernambuco, o apelido fez jus ao empenho dos dois times. Em um duelo cheio de alternativas e pontuado por algumas reviravoltas, o Náutico foi superior ao Santa Cruz, mereceu a vitória por 2 x 1, mesmo com um jogador a menos, e voltou ao G4 da Série B. O Tricolor, por outro lado, viu sua reação ser interrompida e foi empurrado pelo rival para a 12ª posição.
O primeiro tempo, é necessário afirmar, foi mais alvirrubro do que tricolor – embora tenha acabado em igualdade no placar. O Náutico quis mais o jogo, buscou mais o gol e teve mais oportunidades. Não foi recompensado, é verdade, mas foi superior.
A primeira chegada do Náutico aconteceu aos seis minutos. Em jogada ensaiada, a bola sobrou para Fabiano Eller. O zagueiro, no entanto, bateu fraquinho. Fred ficou com ela. Aos 15, o goleiro do Santa teve de ser ainda mais salvador. Danny Morais rebateu mal, Douglas se aproveitou e ficou de cara para o gol. Atento, o camisa um fechou bem o espaço e praticou grande defesa.
A Cobra Coral tinha dificuldades para marcar e para criar. Bem postada, a defesa alvirrubra dificultava muito a saída de bola. E, ofensivamente, o Timbu explorava melhor as falhas de recomposição do ofensivo time tricolor. O problema do Náutico era a improdutividade do atacante Stefano Yuri. Fez muito pouco até deixar o campo no segundo tempo.
O domínio continuou, mas foi diminuindo com o passar do tempo. Virou mais territorial e de posse de bola do que propriamente de chances criadas. Mesmo melhor, o Náutico só voltou a incomodar, por exemplo , lá pelos 40 minutos. Douglas, de novo, teve boa chance, mas desta vez o zagueiro Néris salvou.
O segundo tempo foi bem mais movimentado do que o primeiro. Logo aos sete, o árbitro Sebastião Rufino Filho marcou falta perigosa para o Náutico. Os tricolores não contestaram tanto a decisão. O lateral-direito Guilherme bateu a falta com precisão e abriu o placar. Um a zero.
Não deu muito tempo para os alvirrubros celebrarem. Seis minutos mais tarde, aos 13, o árbitro da partida deu um pênalti bem duvidoso de Douglas em cima de João Paulo. Anderson Aquino na cobrança, gol tricolor. Empate no placar.
Aos 17, parecia que o Clássico das Emoções iria pender para o lado Tricolor. Em um lance de pura sorte, Anderson Aquino foi mais veloz do que Ronaldo Alves numa bola rebatida do ataque alvirrubro. Como o atacante coral ficaria de frente para Júlio César, o zagueiro foi obrigado a derrubá-lo. Era o último homem e, portanto, foi expulso.
Tudo certo para o Santa? Estaria – não fosse a coragem dos jogadores do Náutico. Cada um se multiplicou para suprir a ausência do companheiro excluído. Desfalcado, o Timbu cresceu e voltou a mandar no jogo. Aos 22, Rogerinho desperdiçou chance cristalina de cabeça. Pouco depois, Gil Mineiro, que acabara de entrar no lugar de Stefano Yuri, deixou escapar uma bola que tinha enormes chances de virar gol. Verdade que a Cobra Coral criou uma oportunidade aos 24, com Luisinho, mas o volume alvirrubro era maior.
Tanto que, aos 28, o Náutico desempatou. Gil Mineiro se redimiu da chance perdida e completou para o gol um belo cruzamento de Fillipe Soutto. Dois a um, explosão alvirrubra na Arena Pernambuco.
Nos minutos que faltavam, o Santa Cruz buscou o gol. Martelotte colocou Nathan e Nininho no time para dar mais velocidade. Mas o Náutico foi mais corajoso, todo mundo marcou, se entregou.

FICHA DO JOGO



NÁUTICO: J. César; Guilherme, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; João Ananias, William Magrão, Marino e Rogerinho (Josimar); Stefano Yuri (Gil Mineiro) e Douglas (Renato). Técnico: Lisca.

SANTA CRUZ: Fred; Bruninho (Nininho), Neris, Danny Morais (Moradei) e Marlon; Wellington Cezar, Renatinho, João Paulo, Lelê; Luisinho (Nathan) e Anderson Aquino. Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Arena Pernambuco. Árbitro: Sebastião Rufino Filho (PE). Assistentes: Clóvis Amaral e Francisco Chaves (ambos de PE). Cartões amarelos: Danny Morais, Nathan, Wellington Cezar e Renatinho (Santa Cruz). Cartão vermelho: Ronaldo Alves (Náutico). Gols: Guilherme (aos 7 do 2T) e Gil Mineiro (aos 28 do 2T) para o Náutico; Anderson Aquino (aos 13 do 2T) para o Santa Cruz. Público: 12.085. Renda: 286.105,00.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 12/7/2015

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Santa Cruz 5 x 1 Honduras

Mancuso com a camisa coral

SANTA CRUZ 5 x 1 HONDURAS

Clóvis Campêlo

Com a contratação de Grafite, alguém falou que o Santa Cruz repetira o feito de 1999, quando contratou o argentino Mancuso e promoveu uma ebulição semelhante na torcida coral.
Pois bem, Mancuso estreou no Santinha no dia 11 de fevereiro, em jogo contra a Seleção Sub-20 de Honduras, reforçada com cinco jogadores da seleção principal. Algumas peculiaridades: o nosso treinador era Givanildo Oliveira; o goleiro, Marcelo Martellote, na sua segunda passagem pelo Arruda. Esse jogo também marcou a estreia do zagueiro argentino Héctor Almadoz, contratado ao lado de Mancuso. No Santa, outro jogador internacional participou dessa partida: o hondurenho Mario Reyes, que inclusive foi expulso no transcorrer do jogo contra os seus compatriotas.
Outras participações importantes nesse jogo foram a do meia Luiz Carlos, artilheiro com 27 gols do Campeonato Pernambucano de 1995, quando o Santinha foi campeão, também em sua segunda passagem pelo clube coral, e a estreia do atacante Paulinho McLaren. Uma outra curiosidade: bandeirinhas do sexo feminino, auxiliando o juiz Carlos Costa.
Segundo a imprensa local, a seleção hondurenha sub-20 sentiu o efeito da desgastante viagem de mais de 15 horas e não teve um rendimento físico adequado durante a partida, o que nos teria facilitado a vitória. Mas, o importante é que vencemos bem o amistoso internacional, promovendo a estreia de vários jogadores importantes.
O Santa Cruz havia iniciado o mês, perdendo inesperadamente por 1 x 0 para o Porto, no Arruda, pelo Estadual de 1999. Antes de enfrentar Honduras, ainda venceria a equipe do Surubim, por 2x1, e o Flamengo, de Arcoverde, por 3x0. O treinador Givanildo Oliveira reclamava de reforços e o presidente Jonas Alvarenga agora o atendia, trazendo jogadores de alto nível. Parecia que um novo tempo se abria para as Repúblicas Independentes do Arruda.
Honduras que o diga!

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Marcelo Martellote; Wellington, Eleomar (César), Almandoz e Marcos Adriano; Mancuso, Reyes, Toninho (Biliu) e Luiz Carlos (Joca); Célio e Paulinho McLaren. Treinador: Givanildo Oliveira.

HONDURAS: Caballero (Luís Henrique); Gutiérrez e Velásquez (Tilgurth); Clavasquin, Marin e Samuel Caballero (Fortin); David Suazo, Pineda (Júnior) Erich, Minon Suazo e Bengóche. Treinador: Edwin Banegas.

Local: Estádio do Arruda. Juiz: Carlos Costa. Auxiliares: Elisabeth Borges e Simone Nunes. Cartão amarelo: Almadoz e Reyes, ambos do Santa Cruz. Cartão vermelho: Reyes, do Santa Cruz. Gols: Toninho (2), Célio, Luiz Carlos e Marcos Adriano, para o Santa Cruz; e Clavasquin, para Honduras. Renda: R$ 70.194,00. Público: 23.398.

O substituto de Alemão


Fotografia de Clemílson Campos

O SUBSTITUTO DE ALEMÃO

William Tavares

Já não bastasse a ausência do zagueiro Alemão, que sofreu um pequeno afundamento do osso zigomático da face, o Santa Cruz terá outro desfalque no sistema defensivo para a partida contra o Náutico, no Clássico das Emoções, sábado (11), na Arena Pernambuco. Diego Sacoman foi expulso na última rodada, contra o CRB, e com isso o técnico Marcelo Martelotte deve dar uma nova oportunidade ao zagueiro Neris.
Néris foi o escolhido para entrar diante dos alagoanos quando o Tricolor estava com menos um campo. Substituindo Marlon, o jogador conseguiu recompor bem o setor de marcação do time e recebeu elogios do treinador. Sem mais opções na defesa, tudo indica que ele será o escolhido para formar a dupla de zaga com Danny Morais diante do Timbu. Será o segundo jogo que Néris ganha oportunidade de começar jogando. O outro foi contra o Boa Esporte, no Arruda, no empate em 0×0.
Em compensação, Martelotte poderá contar com o retorno do volante Bileu, que cumpriu suspensão automática na partida contra o CRB. Sem ele, o treinador escalou Bruninho como titular, outro atleta que também agradou o comandante.
O Santa Cruz é o 10º colocado da Série B, com 15 pontos, seis atrás do Náutico, quinto colocado. O confronto será válido pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 09/7/2015

A mudança


A MUDANÇA

Felipe Amorim

Muito da evolução do Santa Cruz na Série B deve-se à chegada de Marcelo Martelotte no comando técnico. Mas o que pouca gente sabia era que antes disso os próprios jogadores haviam realizado um pacto para reverter o péssimo início da competição. A revelação foi dada pelo atacante Anderson Aquino.
A reunião ocorreu após a derrota por 1x0 para o ABC, em jogo válido pela quarta rodada da Série B. Naquela noite, além de deixarem o gramado debaixo de muita chuva, os jogadores precisaram ouvir toda a ira da torcida tricolor.
“A gente se fechou ali. Estávamos numa cobrança muito grande e os resultados não vinham. Torcida e diretoria nos cobravam muito porque estávamos vindo de um título (do Campeonato Pernambucano) e o início no Brasileiro foi muito ruim. Parecia que aquela conquista tinha sido apagada. Ninguém mais lembrava”, relembrou o atacante.
Apesar de jogar bem em algumas partidas, os resultados não saiam. A partir daquela noite, os atletas se reuniram entre eles. “Tivemos algumas reuniões entre só nós jogadores. Sabíamos que se voltássemos a ter aquela atitude do Pernambucano não estaríamos ali brigando contra o rebaixamento. Todo mundo aceitou isso e os resultados começaram a aparecer”, disse Aquino, que também falou da importância de Martelotte nessa mudança de desempenho. “Aos poucos, ele está implementando sua filosofia, dando ao time a cara dele, mostrando as opções táticas. Estamos agora com mais atitude dentro de campo. A nossa agressividade de jogar dentro e fora de casa é a mesma”, completou.
Em relação à dupla de zaga do Náutico, a qual precisará superar caso queira marcar o gol de número 700 do Santa Cruz na história dos Clássicos das Emoções, Anderson Aquino fez questão de elogiar tanto Ronaldo Alves quanto Fabiano Eller. “São dois zagueiros de muita qualidade, que marcam bem, têm força física e vêm fazendo um bom campeonato. Mas tenho certeza que posso me movimentar bem e criar espaços. Será um duelo interessante”, acredita.
Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 09/7/2015