quinta-feira, 4 de junho de 2015

Em rota de colisão


EM ROTA DE COLISÃO

Felipe Amorim

Mesmo o presidente Alírio Moraes “segurando” o técnico Ricardinho no Santa Cruz pelo menos até a próxima rodada, as divergências de opiniões e métodos de trabalho do treinador com a diretoria de futebol têm atrapalhado - e muito - no rendimento da equipe neste início da Série B. Sandro Barbosa, coordenador técnico coral, e Jomar Rocha, diretor de futebol, externaram suas insatisfações nesta terça-feira (3).
“Ele (Ricardinho) exige do clube um profissionalismo que a gente não tem condição de dar. O tempo todo é Centro de Treinamento, concentração fora do clube, salário em dia e isso cansa. Não temos condições de oferecer isso tudo. Ricardinho tem que entender que entender que o Santa Cruz saiu da Quarta Divisão e conseguiu os títulos se arrastando, sempre na dificuldade”, disse Sandro Barbosa, que negou interferências nas escalações do time por parte da direção.
O clima entre as partes está tão ruim que boa parte da diretoria de futebol sequer viajou com a delegação tricolor para os dois jogos fora de casa. “A nossa situação é muito difícil e ele precisa nos entender. Claro que eu acabei me chateando com tanta cobrança. Cobrar é normal e não tiro a razão dele, mas há momentos que é preciso relevar algumas coisas. Queremos saber se ele vai abraçar a nossa causa. Agora espero que Ricardinho consiga um bom resultado contra o Luverdense e a situação do time volte ao normal”, completou Sandro Barbosa.
O diretor Jomar Rocha, outro em rota de colisão com o treinador, reiterou as palavras ditas por Barbosa. “Realmente, Ricardinho tem um jeito de enxergar o futebol diferente da gente. Sabemos das nossas dificuldades, mas não há como resolver tudo de uma vez. O treinador precisa nos entender”, disse.
Na próxima sexta-feira, véspera da partida contra o Luverdense-MT, haverá uma reunião entre a diretoria de futebol com o presidente Alírio Moraes. O futuro do treinador estará em pauta.

Fonte: JC, Recife, 03/6/2015

Nenhum comentário: