sexta-feira, 26 de junho de 2015

A volta de Grafite


A VOLTA DE GRAFITE

Felipe Amorim

O que era rumor de fato aconteceu. Antes um sonho distante, o retorno de Grafite, de 36 anos, ao Arruda pode estar muito perto de acontecer. Pelo menos essa é a vontade da diretoria tricolor, que já conseguiu até um grupo de investidor que ajudará a bancar o salário do atacante e de outro nome de peso em negociação paralela.
As tratativas estão sendo feitas para um desfecho o quanto antes. Em relação a Grafite, a intenção é de até a próxima terça-feira o martelo ser batido, ou para o sim ou para o não. Até para em caso de negativa o clube correr atrás de outro nome.
Em contato com a reportagem do JC, os próprios dirigentes afirmaram ter tido alguns encontros com o atacante, que está de férias em Pernambuco há algumas semanas. O responsável direto pela negociação é o vice-presidente Constantino Júnior, mas que não quis adiantar muito da negociação até como forma de prejudicar o andamento.
“Estamos conversando com três nomes e vamos fechar com dois deles. E a expectativa é grande em fechar com eles”, disse Tininho.
Já o presidente Alírio Moraes não só deu mais detalhes como explicou a engenharia financeira que o clube coral está montando para poder contratar esses dois nomes de peso, prometidos desde o início de sua gestão.
Embora ainda tenha vínculo até o fim do mês de julho com o Al-Sadd, do Catar, a diretoria tricolor montou uma verdadeira operação para poder contar novamente com o futebol do atacante que jogou no Arruda em 2001.
“Conversamos com Grafite e sua receptividade no nosso projeto foi total. Não é de hoje que ele declara amor ao Santa Cruz, mas mesmo assim não fizemos nenhuma proposta oficial. A gente tem que entender que uma coisa é querer e outra é poder. A vinda dele tem que passar por um projeto dele em querer voltar. Não adianta forçar nada”, disse Alírio.
Como já garantiu diversas vezes que um dia voltaria ao Arruda e já demonstrou seu amor por Pernambuco, estado natal de sua esposa, o clube coral se agarra nessa esperança e no aporte financeiro dos patrocinadores. Em julho, por sinal, o Santa Cruz anunciará o patrocínio master e espera, assim, regularizar as contas de uma vez por todas. Hoje, os atletas estão com um mês de salários atrasados, enquanto os funcionários não recebem há três.
“Essa garantia de que o salário não será atrasado foi dada pelos investidores, mas a torcida precisa entender que ela terá papel fundamental nesse projeto. A nossa média de público na Série B tem sido pífia pela grandeza da nossa torcida. Os torcedores precisam comprar essa ideia e nos apoiar”, afirmou o mandatário.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 25/6/2015

Nenhum comentário: