domingo, 28 de junho de 2015

Django


DJANGO

Ed Cavalcanti

Luiz Paulo Lemes, o “Django”, nasceu em Jales-SP, no dia 12 de Agosto de 1958. Esse atacante matador chegou ao Santa Cruz em 1983 vindo do modesto Esporte Clube Primavera. Django teve uma curta passagem pelo Santa, mas deixou sua marca. Desacreditado no começo pela imprensa e pela torcida que não o conhecia, foi ovacionado depois dos inúmeros gols. O jogador marcou história no time Tri-supercampeão de 1983 tornando-se uma espécie de lenda adorado até hoje.

Fonte: Arquivo Coral

Galeria de Imagens II












GALERIA DE IMAGENS II
Santa Cruz 1 x 0 Sampaio Corrêa
Recife, 27/6/2015
Fotografias de Clóvis Campêlo

Galeria de Imagens I












GALERIA DE IMAGENS I
Santa Cruz 1 x 0 Sampaio Corrêa
Recife, 27/6/2015
Fotografias de Clóvis Campêlo

Santa Cruz 1 x 0 Sampaio Corrêa


Fotografia de Peu Ricardo/Folhape

SANTA CRUZ 1 x 0 SAMPAIO CORRÊA

Rômulo Alcoforado

O Santa Cruz contratou vários jogadores para esta temporada, reformulou o time com outros novatos na virada do Pernambuco para o Brasileiro. Mas quem resolveu a partida deste sábado, no Arruda, diante do Sampaio Corrêa, foi um velho conhecido da torcida coral. O xodó Renatinho entrou aos 13 do segundo tempo, incendiou a partida e os tricolores, e marcou – cinco minutos depois – o gol único do importante triunfo sobre a Bolívia Querida: 1 x 0. Com os três pontos somados no duelo, a Cobra Coral chega a nove e sai da zona de rebaixamento.
É exagerado dizer que foi uma ótima partida do Santa Cruz. Não foi. Mas, ao longo de todos os 90 minutos, a equipe de Marcelo Martelotte teve a superioridade. Pressionado pela necessidade e empurrado pela torcida, o time começou sufocando. Nos 10 minutos iniciais, foram duas ótimas chanches criadas. E desperdiçadas por Anderson Aquino e Danny Morais.
O ímpeto inicial, porém, não durou tanto. O Sampaio encaixou mais e limitou as oportunidades da equipe coral – que detinha maior posse de bola, mas tinha dificuldades em articular lances ofensivos. Por outro lado, também cabe ressaltar que o time de Martelotte pouco sofreu com os contra-ataques adversário. Muito por conta de uma manobra inteligente do técnico tricolor: atento à dificuldade de Lúcio em marcar o veloz Pimentinha, adiantou o jogador para o meio e deslocou Bruninho para a lateral-esquerda. A princípio estranha, a alteração surtiu efeito. O volante segurou as investidas do melhor jogador rival.
Na volta para o segundo tempo, Nathan, que estava jogando aberto pela esquerda, inverteu de lado com Lelê, que fez uma boa estreia. Bileu, volante, entrou no lugar de Nininho, lateral-direito. Aos 11 minutos, João Paulo – que oscilou bastante – achou um belo passe para Lelê, que colocou nos fundos da rede. Mas, para infelicidade da torcida, o árbitro marcou impedimento.
O Santa chegava perto. Mas faltava alguma coisa. Aos 13, Martelotte colocou Renatinho na vaga do improdutivo Lúcio. Xodó, o baixinho inflamou a torcida coral. Mais do que justo: o prata da casa entrou bem, incendiou a partida e definiu o placar. Aos 18, Bileu fez ótimo lançamento, Anderson Aquino se livrou bem da marcação, não conseguiu finalizar. Mas a bola acabou sobrando para Renatinho fuzilar: 1 x 0.
Nos minutos seguintes, o Sampaio cresceu. O Tricolor se retraiu. Mas conseguiu evitar os ataques do adversário e, embora tendo sofrido alguns riscos desnecessários, acabou garantindo a vitória. A primeira de Martelotte no retorno ao Arruda.

SAIBA MAIS

Antes do início do jogo, os clubes fizeram um minuto de silêncio, em homenagem póstuma estudante Maria Alice Seabra, torcedora do Santa Cruz, morta de forma trágica pelo padrasto nesta semana.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Fred; Nininho (Bileu), Danny Morais, Alemão e Lúcio (Renatinho); Bruninho, Wellington Cezar, João Paulo, Nathan (Luisinho) e Lelê; Anderson Aquino. Técnico: Marcelo Martelotte.

SAMPAIO CORRÊ: Rodrigo; Daniel Damião, Mímica, Edvânio e William Simões; Moisés, Dê (Vanger), Nadson (Arlindo Maracanã) e Válber; Pimentinha e Geraldo (Douglas). Técnico: Léo Conde.

Local: Arruda. Árbitro: Gleidson Santos Oliveira (BA). Assistentes: Marco Welb Rocha (BA) e Esdras Mariano de Lima (AL). Gols: Renatinho (aos 18 do 2T). Cartões amarelos: Nathan e Wellington Cezar (Santa Cruz). Cartão vermelho: Bruninho (Santa Cruz). Público: 8.227. Renda: R$ 99.075.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 27/6/2015

sábado, 27 de junho de 2015

Sócio portador de deficiência agora entra de graça


SÓCIO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA AGORA ENTRE DE GRAÇA

A partir da partida contra o CRB, no dia 7 de julho, o sócio tricolor portador de deficiência não irá mais pagar ingresso para ver o Santa Cruz jogar no Arrudão. Além de todos os benefícios e direitos da categoria de sócia escolhida originalmente, o portador de deficiência terá acesso gratuito às sociais do estádio, bastando apenas apresentar sua carteira nas catracas.
E não é só isso: além de entrar de graça, o sócio portador de deficiência não perde o direito a adquirir um ingresso por metade do preço, que será usado para garantir o acesso do seu acompanhante.
Para que esses ingressos sejam comprados em melhores condições de segurança e conforto, a diretoria do clube irá oferecer - próximo ao estacionamento do ônibus da delegação - uma bilheteria exclusiva para todos os torcedores portadores de deficiência, sócios ou não.

Pacote de Livre Acesso



ENTENDA COMO O PACOTE DE LIVRE ACESSO FUNCIONA

O sócio do Santa Cruz terá acesso a novos direitos e serviços a partir do jogo contra o CRB, no próximo dia 7 de julho. A maior novidade será o Pacote Livre Acesso, que dá direito a todos os jogos no Arruda por apenas R$ 30,00 a mais em sua mensalidade.
Com isto, o sócio-torcedor poderá pagar R$ 60,00 por mês (R$ 30,00 da mensalidade mais R$ 30,00 do pacote Livre Acesso) para assistir a todas as partidas do Santa Cruz em casa. O sócio-família, que já paga R$ 50,00, terá a opção de acrescentar o pacote de R$ 30,00 para não precisar mais comprar ingressos a cada jogo. Confirmado o pagamento, basta usar a própria carteira para entrar no estádio.
Todas as informações sobre esta novidade você confere em nosso NOVO SITE OFICIAL:http://goo.gl/qyiwtJ

Ainda sobre novos reforços


AINDA SOBRE NOVOS REFORÇOS

Yuri de Lira

Havia a expectativa de Grafite ser confirmado já nesta sexta-feira como novo reforço do Santa Cruz. Mas o presidente Alírio Moraes, tratando a transferência com complexidade, ratifica que a resposta do atacante só será dada na próxima semana. Com proposta para renovar com o Al-Sadd e com sondagens de outros times brasileiros, resta aos corais esperarem. Enquanto isso, a diretoria busca também outro jogador de renome para reforçar o grupo. E seria um estrangeiro.
"A ideia é trazer outro atleta de referência, de peso. Queremos reforçar ainda mais o nosso elenco. Pode ser, sim, alguém de fora do país", indicou Alírio Moraes, sem citar nome, posição ou a naturalidade específica do jogador.
Embora tenha conseguido verba com investidores para bancar a transferência (valores de "luvas" e premiações) dele e de Grafite, o presidente tricolor, porém, segue condicionando a vinda destas peças à ajuda da torcida para que os salários de tais atletas de renome sejam pagos sem traumas.
"Considerando que a gente consiga um contrato de um ano com estes jogadores, precisaríamos de uma média de 20 mil sócios em dia para pagarmos, sem problemas. Pedimos que os torcedores se associem e que mantenham um nível de frequência nos jogos do Santa Cruz", endossou o presidente. O Tricolor, vale lembrar, tem atualmente apenas 5 mil associados.
Especificamente sobre a vinda Grafite, Alírio continua otimista. Contudo, pondera e enxerga ainda como entrave a possível permanência dele no futebol do Catar. "Provavelmente, vamos ter uma resposta dele só entre terça e quarta-feira. É natural que um jogador estando vinculado a outro clube fora do Brasil e que tenha uma vida construída lá fora, demore para concretizar este projeto de retorno. Envolve questões familiares, patrimoniais...", declarou. "É um processo complexo. Fora a questão financeira, há uma discrepância daquilo que o seu clube lhe oferece com a nossa proposta. Agora, não há nada há fazer se não esperar", emendou.


Fonte: Diario de PE, Recife, 26/6/2015

Tiago Cardoso e Moisés


TIAGO CARDOSO E MOISÉS

William Tavares

Após voltar a treinar nesta semana com o elenco principal do Santa Cruz pela primeira vez após a lesão no joelho, foi criada uma expectativa de que o goleiro Tiago Cardoso poderia integrar a lista de relacionados para o confronto contra o Sampaio Corrêa, sábado (27), no Arruda, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta sexta (26), o técnico Marcelo Martelotte “frustrou” quem esperava ver, ao menos no banco de reservas, o ídolo coral.
“Não estava ciente da condição dele antes, mas independente disso o tempo que ele ficou parado requer uma recuperação maior. Ainda não temos previsão com relação a sua volta, mas é muito ruim o jogador ficar esse tempo todo sem participar das atividades, principalmente ele que representa muito ao Santa cruz. Fico satisfeito com essa volta dele, mas estamos com cuidado para não precipitar nada”, explicou.
Com a experiência de ter sido goleiro na sua época de jogador, Martelotte só quer contar com Tiago quando ele estiver totalmente apto para o jogo. Uma data para o retorno do camisa 1 ainda é incerta.
“Conversamos muito com o João Paulo (preparador de goleiros), já que ele trabalha diretamente com os goleiros. Vamos decidir isso com tranquilidade. Ainda não há uma data pré-agendada. A partir do momento que ele estiver totalmente pronto, vamos relacioná-lo”, finalizou.

MOISÉS

Dispensado no mês passado pelo Santa, o lateral-direito Moisés seguiu treinando no Arruda para manter a forma física. Porém, com a chegada de Marcelo Martelotte, uma nova porta pode se abrir ao atleta. O treinador apontou que está observando o jogador no dia a dia e pode integrá-lo novamente ao elenco. “Estamos avaliando. Todos os jogadores aqui são analisados. Moisés tem se saído bem nos treinamentos nessa primeira avaliação e por isso estou dando mais oportunidade para ele nos treinos”, frisou o técnico.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 26/6/2015

Benefícios para os sócios


BENEFÍCIOS PARA OS SÓCIOS

Diego Toscano

Buscando fidelizar o torcedor no momento complicado que vive na Série B, o Santa Cruz vai lançar, a partir do próximo sábado (27), novos benefícios para os tricolores. Na pauta do Tricolor do Arruda estão os ingressos gratuitos, o Sócio Setor Livre e as vantagens para os portadores de necessidades especiais. As vantagens só estarão disponíveis para o jogo contra o CRB, no dia 7 de julho.
"Estamos trabalhando em cima de várias possibilidades, porque a gente não teve a evolução esperada no quadro de sócios. No futebol, o crescimento ou a queda nos associados ainda está diretamente ligado ao resultado no campo. E o Santa Cruz está criando outros benefícios para começar a disvincular isso", afirmou Dênis Victor, sócio-diretor da BPGP, terceirizada que presta serviços de marketing ao Tricolor do Arruda.
A partir deste sábado (27), os tricolores terão três novos benefícios:

a) Pacote de livre acesso

Funciona basicamente como os planos de televisão fechada. O torcedor tricolor terá um plano básico já existente e adicionará o valor de R$ 30 na mensalidade para ter acesso a todos os jogos do Santa Cruz no Arruda. Se aderir ao Sócio Torcedor, pagará R$ 60 por mês pelo benefício. No plano Família, o valor sobe para R$ 80, com a opção de adicionar mais R$ 30 para cada dependente.

b) Sócio Setor Livre

Em jogos com menos apelo de público, o associado das categorias Sócio Torcedor e Família poderão ingressar em qualquer setor do anel inferior do estádio, portando o cartão Sócio Setor Livre. Nas partidas mais decisivas, como finais de campeonato, até por questões de segurança, essa opção não será válida.

c) Portadores de necessidades especiais

Escolhendo uma das duas categorias que dão 50% de desconto (Sócio Torcedor ou Família), o portador de necessidades especiais terá o direito de entrar de graça no Arruda. O torcedor também terá uma carteira diferenciada de associado e bilheteria exclusiva para o acompanhante, que seguirá com a vantagem do titular, de meia entrada.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 26/6/2015

sexta-feira, 26 de junho de 2015

"É preciso ter calma!"


"É PRECISO TER CALMA!"

Emanuel Leite Jr

O Santa Cruz não vence há seis jogos na Série B. Tem apenas uma vitória em oito jogos. No último sábado, 20, desperdiçou uma bela oportunidade de triunfar, fora de casa, frente ao Ceará. O experiente lateral esquerdo Lúcio entende que faltou tranquilidade ao time. O defensor alerta que é preciso ter calma para controlar mais a posse de bola. E projeta que contra o Sampaio Corrêa, no próximo sábado, 27, o time vai necessitar ter atenção a peças importantes dos maranhenses, como Pimentinha e Robert.
Para Lúcio, os tricolores foram traídos pela ansiedade. Talvez explicada pela já longa seca de vitórias. E por isso o time coral foi incapaz de vencer o Ceará, que estava com um jogador a menos desde metade do primeiro tempo. “Acho que está com muita vontade. Às vezes, tem que reter mais a bola, tocar mais. A gente confunde um pouco com pressa”, admitiu.
Segundo o defensor, o técnico Marcelo Martelotte já fez essa observação ao elenco, orientando a equipe para que este comportamento não volte a ocorrer. “E foi isso o que o Marcelo conversou com a gente. Ter mais tranquilidade com a bola nos pés, girar mais a bola”, revelou. “Aquele último gol bem no final mostrou isso, faltou segurar a bola, já que o jogo tinha praticamente terminado”, lamentou.
Reconhecendo a necessidade de “fazer um bom jogo dentro de casa”, Lúcio já projeta a partida do próximo sábado, contra o Sampaio Corrêa. E o veterano adverte para a importância de marcar com firmeza os destaques do adversário, como Pimentinha. “No futebol moderno você tem que ter atenção nos 11. Mas, sempre tem um ou outro que se destaca, então a gente vai procurar ver as peças que realmente fazem diferença. E não só ele, mas também o Robert - que já joguei com ele - e é um atacante de área muito inteligente e a gente vai precisar ter uma atenção especial também.”

Fonte: Diario de PE, Recife, 24/6/2015

A volta de Grafite


A VOLTA DE GRAFITE

Felipe Amorim

O que era rumor de fato aconteceu. Antes um sonho distante, o retorno de Grafite, de 36 anos, ao Arruda pode estar muito perto de acontecer. Pelo menos essa é a vontade da diretoria tricolor, que já conseguiu até um grupo de investidor que ajudará a bancar o salário do atacante e de outro nome de peso em negociação paralela.
As tratativas estão sendo feitas para um desfecho o quanto antes. Em relação a Grafite, a intenção é de até a próxima terça-feira o martelo ser batido, ou para o sim ou para o não. Até para em caso de negativa o clube correr atrás de outro nome.
Em contato com a reportagem do JC, os próprios dirigentes afirmaram ter tido alguns encontros com o atacante, que está de férias em Pernambuco há algumas semanas. O responsável direto pela negociação é o vice-presidente Constantino Júnior, mas que não quis adiantar muito da negociação até como forma de prejudicar o andamento.
“Estamos conversando com três nomes e vamos fechar com dois deles. E a expectativa é grande em fechar com eles”, disse Tininho.
Já o presidente Alírio Moraes não só deu mais detalhes como explicou a engenharia financeira que o clube coral está montando para poder contratar esses dois nomes de peso, prometidos desde o início de sua gestão.
Embora ainda tenha vínculo até o fim do mês de julho com o Al-Sadd, do Catar, a diretoria tricolor montou uma verdadeira operação para poder contar novamente com o futebol do atacante que jogou no Arruda em 2001.
“Conversamos com Grafite e sua receptividade no nosso projeto foi total. Não é de hoje que ele declara amor ao Santa Cruz, mas mesmo assim não fizemos nenhuma proposta oficial. A gente tem que entender que uma coisa é querer e outra é poder. A vinda dele tem que passar por um projeto dele em querer voltar. Não adianta forçar nada”, disse Alírio.
Como já garantiu diversas vezes que um dia voltaria ao Arruda e já demonstrou seu amor por Pernambuco, estado natal de sua esposa, o clube coral se agarra nessa esperança e no aporte financeiro dos patrocinadores. Em julho, por sinal, o Santa Cruz anunciará o patrocínio master e espera, assim, regularizar as contas de uma vez por todas. Hoje, os atletas estão com um mês de salários atrasados, enquanto os funcionários não recebem há três.
“Essa garantia de que o salário não será atrasado foi dada pelos investidores, mas a torcida precisa entender que ela terá papel fundamental nesse projeto. A nossa média de público na Série B tem sido pífia pela grandeza da nossa torcida. Os torcedores precisam comprar essa ideia e nos apoiar”, afirmou o mandatário.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 25/6/2015

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Mais dois reforços


MAIS DOIS REFORÇOS

Yuri de Lira

A diretoria do Santa Cruz fechou com mais dois jogadores para a sequência da Série B do Brasileiro. Oitavo e nono reforços do clube após o título do Campeonato Pernambucano, mas os primeiros da Era Marcelo Martelotte, Moradei e Bruno Moraes desembarcam nesta quarta-feira no Recife para realizarem exames médicos e assinarem até o fim do nacional com o Tricolor.
Integrante do elenco do Corinthians campeão da Primeira Divisão, em 2011, Moradei estava no modesto São Bernardo-SP, onde jogou o último Paulistão. Aos 29 anos, foi revelado no Taubaté-SP, ainda em 2005. Dois anos depois, destacou-se pelo Bragantino e acabou sendo contratado pelo Timão na mesma temporada. Chegou a voltar ao Braga, por empréstimo logo depois.
No Parque São Jorge, além da conquista nacional de 2011, ganhou também um Campeonato Paulista e uma Copa do Brasil (ambos em 2009). Mas passou também por momentos turbulentos, como o rebaixamento do time para a Série B - em 2007. Ele acumula ainda duas passagens pelo São Caetano - em 2010 e 2013. Moradei se junta a Wellington, Bruninho, Edson Sitta e Bileu para brigar por posição na cabeça de área.
Aos 26, Bruno Moraes, por sua vez, chega a fim de reforçar o ataque coral e vem também do futebol de São Paulo. Defendia a Ferroviária e se junta a Anderson Aquino, Nathan, Bruno Mineiro, Waldison, Luisinho e Lelê para disputar posição.

FICHAS

Bruno Moraes
Nome completo: Bruno Eduardo Moraes
Data de Nascimento: 12/01/1989 (26 anos)
Naturalidade: Bragança Paulista/SP
Posição: Atacante
Altura: 1,84 metro
Peso: 78 quilos
Clubes: Santo André, Porto Alegre-RS, Bragantino, Rio Claro-SP, Ferroviário-CE, Portuguesa-SP, Red Bull-SP e Ferroviária-SP.

Moradei
Nome completo: Daniel Moradei de Almeida
Naturalidade: São Luis do Paraitinga/SP
Data de nascimento: 08/02/1986 (29 anos)
Posição: Volante
Altura: 1,75 metro
Peso: 67 quilos
Clubes: Taubaté-SP, Ituano, Corinthians, Bragantino, São Caetano e São Bernardo.

Fonte: Diario de PE, Recife, 23/6/2015

Para aproveitar


PARA APROVEITAR

William Tavares

Dos próximos cinco jogos que o Santa Cruz vai fazer na Série B do Campeonato Brasileiro, quatro deles serão no Recife: Sampaio Corrêa, CRB, Náutico e Atlético-GO. Tirando a partida contra o Timbu, na Arena Pernambuco, todo os outros três jogos serão no Arruda. Oportunidade ideal para o Tricolor se recuperar na competição e deixar a zona de rebaixamento.
“A tabela nos desfavoreceu no começo porque jogamos muitas partidas fora de casa. Por isso agora temos que aproveitar ao máximo a sequência que teremos aqui. Tem o clássico na Arena, mas lá também é nossa casa porque jogamos muito ali. Tivemos três empates seguidos nos últimos jogos e agora vamos em busca da vitória”, afirmou o atacante.
Antes do treino desta terça (23), o técnico Marcelo Martelotte chamou o elenco para um papo. Aquino explica o tom da conversa com o treinador. “Ele destacou a postura que tivemos fora de casa, de procurar o jogo e não se esconder. Conversou também sobre os erros que tivemos (contra o Ceará). Recuamos muito depois que tomamos o gol e demos espaço mesmo com o time deles com um a menos. Ele vai corrigir esses detalhes para a gente não falhar nos próximos jogos”, apontou.

ARTILHARIA

Com cinco gols na competição, Aquino é o vice-artilheiro da Série B, ao lado de Rodrigo Pimpão (Botafogo) e Kayke (ABC). Roberto (Sampaio) e Jobinho (Bragantino) são os artilheiros da Segundona, com seis gols cada. ”É um objetivo pessoal meu brigar pela artilharia, mas eu também vou procurar ajudar o grupo. Se tiver algum companheiro melhor colocado, vou passar a bola”, explicou.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 23/6/2015

domingo, 21 de junho de 2015

Ceará 3 x 3 Santa Cruz


CEARÁ 3 x 3 SANTA CRUZ

Não foi um jogo de grande qualidade técnica, de muitas chances criadas, longe disso. Na reestreia do técnico Marcelo Martelotte à frente do Santa Cruz, a equipe pernambucana não aproveitou os espaços deixados pela expulsão do goleiro Tiago – ainda no primeiro tempo – e não conseguiu sair com vitória da Arena Castelão. O 3 a 3 deixa o Tricolor na 18° colocação, com seis pontos.
Agora, o Santa Cruz buscará a reabilitação diante do Sampaio Correa, no próximo sábado (27), no estádio do Arruda. Já o Ceará enfrentará o Oeste, na sexta-feira (26), em Itápolis, interior de São Paulo.

O JOGO

Com os dois times precisando desesperadamente da vitória, esperava-se um jogo aberto e com várias chances de gol. Contudo, não foi isso que se viu no gramado da Arena Castelão. Nos quinze primeiros minutos de jogo, apenas uma chance foi criada. Marinho arrancou pelo lado direito, cortou para o meio e soltou a bomba de pé esquerdo. Fred, bem colocado, espalmou e afastou o perigo. Após os vinte minutos, as duas equipes decidiram sair mais para o jogo.
Após boa troca de passes, Nathan saiu na cara do gol. O atacante driblou Tiago, mas o goleiro deixou a perna e o juiz Wasley do Couto Leão assinalou pênalti, além de expulsar o arqueiro do Vozão. Anderson Aquino cobrou bem e abriu o placar. Com o gol, o Tricolor começou a trocar passes tentando encontrar espaços para ampliar a vantagem. Entretanto, em uma jogada pelo lado direito, Marinho cruzou, Roger Gaúcho chegou de carrinho, Fred defendeu, mas a bola bateu no corpo do meia do Ceará e morreu nas redes corais.
Logo no início do segundo tempo o Santa Cruz balançou as redes adversárias. Anderson Aquino completou cruzamento da direita, mas o assistente Márcio Gleidson Correia Dias marcou impedimento do atacante. Pouco tempo depois, João Paulo cobrou falta, Anderson Aquino cabeceou forte, sem defesa para Luís Carlos. Oito minutos depois, veio o lance mais polêmico do jogo. Após cruzamento, Fabinho tentou finalizar, mas a bola bateu no braço de Nininho. Na cobrança, Marinho deslocou Fred e empatou o jogo.
A partida ficou bem animada nos últimos minutos. Aos 40, Nininho fez bela jogada, deixou para Bruninho, mas o volante bateu em cima de Luis Carlos. Cinco minutos depois, Waldison aproveitou rebote do goleiro e fez o terceiro do Santa Cruz. Contudo, Marinho, dois minutos depois, acertou um belo chute de fora da área para empatar a partida mais uma vez.

FICHA DO JOGO

CEARÁ: Tiago; Buiú, Gilvan, Charles e Fernandinho; Uillian Correia, Baraka (Siloé), Ricardinho e Roger Gaúcho (Fabinho); Marinho e Vinícius (Luís Carlos). Técnico: Silas

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Alemão, Danny Morais e Lúcio; Wellington Cézar, Bruninho, Renatinho (Luisinho) e João Paulo; Nathan (Bileu) e Anderson Aquino (Waldison). Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Castelão (Fortaleza/CE). Árbitro: Wasley do Couto Leão (PA). Assistentes: Márcio Gleidson Correia Dias e Luis Diego Nascimento Lopes (ambas do PA). Cartões amarelos: Uillian Correia, Fernandinho e Marinho (CEA); Nathan, Danny Morais, Wellington Cézar, Alemão e Nininho(SCZ).
Cartão vermelho: Tiago. Gols: Roger Gaúcho, Marinho (2) (CEA); Anderson Aquino (2) e Waldison (SCZ). Público: 6.934. Renda: R$ 67.853,00.

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 20/6/2015

sábado, 20 de junho de 2015

Raniel voltando


RANIEL VOLTANDO

Yuri de Lira

Enfim, Raniel voltou a treinar com o restante do grupo coral. Punido até setembro pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por uso de cocaína, o atleta não estava integrado ao plantel por precaução do Santa Cruz. Sem um maior detalhamento sobre as penas que teriam que ser cumpridas pelo meia, o clube preferiu deixá-lo de fora das atividades no campo. Mas só até esta sexta-feira. Mesmo sem o Pleno ter ainda esclarecido as obrigações do jogador, o prata da casa participou do recreativo com demais os companheiros durante a manhã.
"O STJD ainda não nos deu uma resposta. A previsão é que só depois da Copa América, quando os funcionários da Casa ficarão menos atribulados, é que deveremos ter algum parecer", afirmou o vice-presidente jurídico do Santa Cruz, Eduardo Lopes.
Apesar de estar à espera do detalhamento do Tribunal, o clube, no entanto, banca agora que a participação do meio-campista na atividades com os outros atletas não causará nenhuma implicação para ele, tampouco para o Santa Cruz. "Nenhuma chance disso acontecer. Chance zero", falou Eduardo Lopes, taxativo.
Raniel foi liberado há duas semanas do departamento médico, onde tratava de uma lesão no joelho direito desde o fim do hexagonal do Campeonato Pernambucano. Sem poder trabalhar com bola devido à contusão e também à punição judicial, limitou a sua rotina à academia desde a última segunda-feira, quando aproveitou para fazer um trabalho de ganho de massa muscular. Foram, ao todo, 62 dias longe dos trabalhos no campo.
Sob vigilância da Comissão Antidopagem da CBF após sentença proferida pelo STJD, em 14 de maio, Raniel só poderá retornar aos gramados na 26ª rodada da Série B do Brasileiro, contra o Boa Esporte-MG, em Varginha - em 15 de setembro.

APOIO DO NOVO COMANDANTE

O técnico recém-contratado, Marcelo Martelotte, promete apoio ao meia no período que ficará parado. "Sei do que aconteceu com o Raniel e estou acompanhando a história desde o início. Conhecemos a capacidade dele e hoje tivemos o primeiro contato no gramado. Com certeza vamos ter muito cuidado para administrar esse tempo de inatividade para motivá-lo ao máximo. O trabalho será no sentido de que Raniel compreenda que continuar treinando forte nestes meses vai ser fundamental para decidir o retorno dele na reta final do campeonato."

Fonte: Diario de PE, Recife, 19/6/2015

Na justiça


NA JUSTIÇA

William Tavares

O atacante Cassiano, que vestiu a camisa do Santa Cruz no ano passado, colocou o Tricolor na Justiça. O atleta reinvidica o pagamento de quatro meses de salários. Com a demora em receber uma resposta do clube, o jogador decidiu resolver o assunto juridicamente.
“Cassiano diz que são quatro meses de atraso, mas o Santa falou que são três. Conversei com o Tininho (Constantino Júnior, vice-presidente de futebol) e em respeito a ele, ao Ataíde (diretor técnico) e ao clube, vou esperar até terça uma resposta”, afirmou o empresário de Cassiano, Alex Pinho.
Atualmente no Fortaleza, Cassiano esteve perto de retornar ao Santa no começo do ano. O próprio Alex Pinho chegou a declarar que entre o atleta e o clube estava tudo certo, mas a negociação acabou emperrada. O atacante atuou em 19 jogos pelo Santa Cruz em 2014, marcando quatro gols.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 19/6/2015

A hora do Ceará


A HORA DO CEARÁ

Felipe Amorim

Após uma semana inteira para implementar a nova filosofia de trabalho e motivado pela estreia do técnico Marcelo Martelotte, o Santa Cruz volta a campo, hoje, às 16h30, na Arena Castelão, para colocar um ponto final no jejum de cinco partidas na Série B. O adversário será o Ceará, que, assim como os tricolores, também está na zona do rebaixamento e não vive um bom momento.
A atual situação coral não é nada boa. Já são três derrotas seguidas e dois empates. O último resultado negativo, 0x0 em casa contra o Boa Esporte-MG, fez Ricardinho ser demitido. Os sucessivos insucessos deixaram o Santa Cruz sem condição de sair da zona do rebaixamento nesta oitava rodada com suas próprias forças. Além da vitória, será preciso uma combinação de resultados para sair do Z-4.
Apesar do momento nada favorável, o técnico Martelotte tentou tranquilizar seus atletas. “Temos que trabalhar jogo a jogo, ver a reação da equipe. Agora para que a gente tenha condição de brigar por algo mais acima, precisamos de bons resultados. Mas só conseguiremos isso se voltamos a acreditar em nós. Temos bons jogadores, com características interessantes, mas precisamos voltar a sermos fortes. Aí quando a gente sair dessa situação, vamos buscar o acesso”, disse.
Como teve pouco tempo para preparar e corrigir os erros da equipe, Martelotte espera que os jogadores compensem com mais vontade e aplicação tática.
No time que mandará a campo, o treinador realizou apenas três alterações. Novamente à disposição após cumprirem suspensão automática, o zagueiro Danny Morais e o atacante Nathan voltam ao time. Eles entrarão nos lugares de Neris e Bruno Mineiro, respectivamente.
A terceira mudança foi por opção tática. Como pretende investir em jogadas pelas pontas e vê Renatinho como meia, ele acabou sacando o Daniel Costa da equipe. “Hoje, não há condição de Daniel Costa jogar ao lado de João Paulo. Nesse esquema que montei só há espaço para um homem centralizado e optei por João Paulo. Além disso, eu sempre vi Renatinho como meia e será assim que ele atuará comigo. Ele tem uma boa dinâmica, movimentação, passe, chegada na frente e finalização. É assim que pretendo aproveitá-lo”, explicou.
Em relação ao adversário, Martelotte fez questão de alertar seus comandados para não se apegarem à classificação deles. O Ceará está uma posição atrás do Santa Cruz, com um ponto a menos. “Não podemos nos iludir por conta da colocação deles na tabela. O Ceará tem um elenco muito qualificado. Até pouco tempo conquistou a Copa do Nordeste. Por isso a atenção tem que ser redobrada. Não podemos ser surpreendidos”, alertou.

FICHA DO JOGO

CEARÁ: Tiago; Biuí, Gilvan, Charles e Fernandinho; Uillian Correia, Baraka, Ricardinho e Roger Gaúcho; Marinho e Vinicius. Técnico: Silas Pereira

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Alemão, Danny Morais e Lúcio; Wellington Cézar, Bruninho, Renatinho e João Paulo; Nathan e Anderson Aquino. Técnico: Marcelo Martelotte

Local: Arena Castelão, no Ceará. Horário: 16h30. Árbitro: Wasley do Couto Leão (PA). Assistentes: Márcio Dias e Luis Lopes (ambos do PA).

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 20/6/2015

domingo, 14 de junho de 2015

As maiores invencibilidades da Série A


AS MAIORES INVENCIBILIDADES DA SÉRIE A

Cassio Zirpoli

A maior invencibilidade da história do Campeonato Brasileiro é bem difícil de ser superada. Hoje em dia, seria preciso ser campeão invicto, após 38 rodadas, e ainda se manter longe das derrotas por mais cinco jogos no ano seguinte. Entre 1977 e 1978, quando ficou em 5º e 9º, respectivamente, o Botafogo estabeleceu a maior série invicta da história da Série A, com 25 vitórias e 17 empates.
Praticamente no mesmo período, o Santa Cruz registrou a maior sequência nordestina, e a segunda no geral, com 35 partidas. Aquele timaço tricolor, com Givanildo, Betinho e Carlos Alberto Barbosa, parou apenas nas quartas de final de 1978, com duas derrotas para o Inter. Curiosamente, as cinco maiores sequências ocorreram na década de 1970, marcada por edições com até 94 participantes, com inúmeros grupos até as fases decisivas.
Com a implantação do sistema de pontos corridos, aumentando bastante o nível técnico da competição, as marcas caíram bastante. Desde 2003, a melhor estatística pertence ao Corinthians, com 19 partidas, sendo nove em 2010 e dez em 2011, quando tornou-se campeão nacional pela 5ª vez.

MAIORES INVENCIBILIDADES NA SÉRIE A - GERAL

1º) Botafogo – 42 partidas (16/10/1977 a 16/07/1978)
2º) Santa Cruz – 35 partidas (7/12/1977 a 23/07/1978)
3º) Palmeiras – 26 partidas (13/12/1972 a 18/11/1973)
4º) Internacional – 23 partidas (06/08/1978 a 23/12/1979)
5º) Atlético-MG – 22 partidas (16/10/1977 a 29/03/1978)
6º) Cruzeiro – 21 partidas (20/09/1987 a 25/09/1988)
7º) Grêmio – 19 partidas (04/06/1978 a 03/10/1979)
7º) Corinthians – 19 partidas (17/10/2010 a 20/07/2011)
9º) América-MG – 18 partidas (20/10/1973 a 20/1/1974)
9º) Bangu – 18 partidas (24/03/1985 a 31/07/1985)
9º) Atlético-PR – 18 partidas (28/07/2004 a 17/10/2004)
9º) São Paulo – 18 partidas (20/08/2008 a 07/12/2008)

MAIORES INVENCIBILIDADES NA SÉRIE A - PERNAMBUCO

Santa Cruz – 35 jogos (1977/1978)
Sport – 13 jogos (duas vezes, 1975 e 2014/2015)
Náutico – 10 jogos (1983)
Central – 5 jogos (1979)

Fonte: Diario de PE, Recife, 08/6/2015

Sai Ricardinho, volta Martelotte


SAI RICARDINHO, VOLTA MARTELOTTE

Menos de quatro horas depois de oficializar a demissão de Ricardinho na noite deste sábado (13/6), a diretoria do Santa Cruz agiu rápido e anunciou Marcelo Martelotte como novo técnico tricolor. O novo comandante, que foi campeão estadual com o tricolor em 2013, já treina o time nesta segunda-feira (15/6).
Martelotte terá a missão de tirar o Santa Cruz da zona de rebaixamento, com uma campanha abaixo da crítica, com uma vitória, dois empates e quatro derrotas. Ele já havia sido demitido recentemente nesta Série B pelo Atlético-GO, após quatro derrotas seguidas.
Para acertar com o Santa, Martelotte e a diretoria fizeram um acordo para resolver pendências de sua primeira passagem no clube, que estavam sendo resolvidas na Justiça do Trabalho. Depoius de sua saída turbulenta do clube, quando acertou com o rival Sport, Martelotte circulou por Náutico, América-RN e Atlético-GO.

Fonte: JC, Recife, 13/6/2015

sábado, 13 de junho de 2015

Santa Cruz 0 x 0 Boa Esporte


SANTA CRUZ 0 x 0 BOA ESPORTE

Rômulo Alcoforado

O Santa Cruz precisava da vitória para se recuperar e mandar a crise para longe. O adversário – Boa Esporte – não assustava. E o jogo era no Arruda. Nada disso, porém, serviu como combustível. O Tricolor jogou mal mais uma vez e só empatou o 0 x 0. O resultado nem tira a equipe da zona de rebaixamento da Série B nem alivia a delicadíssima situação de Ricardinho. Dificilmente, o técnico permanece no cargo após mais um fracasso.
Foram várias alterações no Santa em relação ao último jogo. A dupla de zaga era nova, Lúcio foi deslocado para a esquerda, Bruno Mineiro foi fazer companhia a Anderson Aquino no ataque. O que não mudou foi o futebol: pobre e improdutivo.
Mesmo assim, o Santa começou melhor que o frágil adversário. O melhor jogador do primeiro tempo foi Daniel Costa, que, no entanto, não teve em João Paulo um parceiro à altura. O craque do Pernambucano voltou a fazer uma apresentação apagada. Aos 2 e aos 17, Costa assustou o goleiro Andrey. Primeiro em chute de fora. Depois em a cobrança de falta. Aos 25, o meia deu boa assistência, mas Anderson Aquino chutou no travessão. A última boa chance da etapa inicial foi novamente do camisa 11, que perdeu mais uma, aos 46.
Na volta para a segunda etapa, Ricardinho não mexeu. Manteve o losango no meio-campo que dificulta a aproximação de João Paulo dos atacantes e não buscou opções para suprir a ineficiência de Lúcio. O time retornou pior.
Tanto que a primeira chance da etapa final foi do Boa. Chapinha deixou João Paulo (xará do meia tricolor) de cara, mas o atacante chutou mal. A melhor oportunidade do Santa foi aos 13. Anderson Aquino fez boa jogada, chutou de fora, mas, no rebote de Andrey, protagonizou momento bizarro ao tropeçar no momento do chute.
A queda do rendimento coral se justifica pela menor participação de Daniel Costa. Cansado, o jogador cedeu lugar a Renatinho. No mesmo momento, Bruno Mineiro – novamente mal – foi vaiado ao ser substituído por Waldison. As mexidas não surtiram efeito. Nem a posterior entrada de Emerson Santos na vaga de Nininho. O jogo acabou mesmo 0 x 0.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Fred; Nininho (Emerson Santos), Alemão, Neris e Lúcio; Bruninho, Wellington Cézar, Daniel Costa (Renatinho) e João Paulo; Anderson Aquino e Bruno Mineiro (Waldison). Técnico: Ricardinho

BOA ESPORTE: Andrey; Moacir, Patrick (Marcel), Raphael e Pirão; Wendel (Mardley), Alê, Radamés e Chapinha; Bruno (Erick Luís) e João Paulo. Técnico: Luciano Deitos (interino)

Local: Arruda (Recife/PE). Árbitro: Rafael Martins Diniz (DF). Assistentes: José Reinaldo Nascimento Júnior e José Araújo Sabino (ambos do DF). Cartões amarelos: Danielzinho, Patrick, Marcel, Andrey (Boa Esporte); Alemão, Neris e Lúcio (Santa Cruz). Público:3.985. Renda: R$ 36.790,00.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 12/6/2015

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Declaração


A entrevista de Ricardinho


A ENTREVISTA DE RICARDINHO

Yuri de Lira

A coletiva de Ricardinho na véspera do jogo contra o Boa Esporte-MG foi marcada pela rispidez do treinador. De cara amarrada, não se furtou em atacar os repórteres e jornalistas presentes na sala de imprensa do Arruda para se blindar das perguntas. Dois assuntos abordados na coletiva desta quinta-feira, mais precisamente sobre os treinos fechados e a saída de Sandro Barbosa da gerência de futebol, na semana passada, foram recebidos com bastante inconveniência pelo técnico coral.
Ao ser questionado sobre a grande frequência dos treinamentos de portões fechados, Ricardinho justificou-se dizendo que a imprensa de Pernambuco era que não estavam acostumada à rotina de trabalhos secretos nos clubes de futebol - segundo ele, prática comum no Sul e Sudeste do país. Ignorou completamente o fato de as coberturas de vários profissionais do Estado não serem exclusivamente localistas e disparou.
"Na verdade, eu não faço treino secreto. Vocês é que não estão acostumados. Vocês podem gravar, mas existe o nosso momento de privacidade. Eu procuro preservar isso. Lá no Sul e Sudeste, acontece isso sempre", falou, em tom duro. Quando retrucado, devolveu de maneira irônica e igualmente rude. "Vai ver eu trabalhei pouco lá e não sei."
A grosseria do treinador do Santa Cruz não parou por aí. Ricardinho ainda quis fazer as vezes de editor ou pauteiro da imprensa televisiva. "Eu também não vejo a necessidade de se filmar o treino inteiro. Quinze ou 20 minutos são suficientes para vocês fazerem uma matéria. Até porque vocês editam e só vai 30 segundos ao ar", sugeriu sem conhecimento de causa.
O tom áspero seguiu forte no entrevista. Na hora de falar sobre as divergências que Sandro Barbosa havia tido com ele antes de deixar o clube (expostas pelo próprio ex-dirigente) vieram as evasivas, ainda mais grosseiras. "Não vou responder sobre isso. Houve muitos comentários sem ninguém me perguntar nada. Então, não preciso comentar o que já aconteceu", declarou - esquecendo-se de que ele só tem coletivas marcadas com a imprensa local uma vez por semana, ou seja, a última havia sido antes da saída do coordenador.
Ricardinho ainda preferiu deixar no ar que as exigências feitas a ele para a direção - também expostas por Sandro Barbosa - nunca existiram. Tais como a vinda de novos reforços e melhores condições de treinamento. "Alguém aqui já me viu pedir contratação de jogador publicamente? Alguém me viu comentar sobre a estrutura do clube? Que falta hotel? Não, né? Colocaram que se o Santa Cruz vai treinar fora foi porque fui eu que pedi. Isso tudo é uma barbaridade, uma mentira."

Fonte: Diario de PE, Recife, 11/6/2015

Edson Sitta: "Temos que reverter a situação!"


EDSON SITTA: "TEMOS QUE REVERTER A SITUAÇÃO!"

Fernando Veloso

O Santa Cruz vai ter a chance de tentar afastar a crise e sair da zona de rebaixamento da Série B contra o Boa Esporte/MG, nesta sexta-feira(12), no Arruda, às 21h50. O tricolor abre o z4, com quatro pontos, em dezoito disputados, está na 17ª colocação. Como de costume, o treinador coral, Ricardinho, fez mistério no treino desta quinta-feira, fechando a movimentação para imprensa. O volante Edson Sitta, que foi indicado pelo técnico para ser contratado pelo clube do Arruda, defendeu a metodologia de seu comandante.
“O Ricardinho sempre teve essa característica, de fechar os treinos, desde o Paraná ele faz isso. Se, de repente, influencia, não consigo dar uma resposta exata. Quando o resultado não vem, pode falar que não está dando certo. Nós sentimos falta do nosso torcedor que nos apoia no dia a dia. A torcida que mesmo com o clube estando numa situação difícil tem tido aquele carinho com a gente. Claro que tem cobrado, estão no direito deles. Mas sentimos falta de todos”, afirmou Sitta.
O Santa Cruz tem a pior defesa da Série B, sofreu doze gols em seis jogos, tem o aproveitamento de 22.2% no campeonato. O treinador do time teve sua permanência condicionada a um resultado que não fosse uma derrota na última partida tricolor, diante o Luverdense, quando o time com um jogador a menos empatou em 2×2, fora de casa. Para Edson Sitta, a pressão pela demissão de Ricardinho faz parte de um costume do futebol brasileiro, de resultado, ele acredita que o treinador só está na corda bamba porque o time não vem bem.
“O futebol brasileiro vive essa situação. Os resultados não vêm, é mais fácil substituir Ricardinho do que o elenco todo. Cada um tem sua responsabilidade e assumimos ela nas derrotas. Quando ganha, também temos que enaltecer todos os atletas. Nos incomoda essa situação e quanto antes a gente sair dela será melhor para todo mundo”,explicou.
Sobre a partida contra o Joinville, Sitta acredita que é a hora da virada do tricolor na Série B. “Acredito que o jogo é um divisor de águas. É a hora de ganhar, se conseguirmos, minimizamos os erros que deixamos para trás e passamos a focar algo melhor na competição. Estamos tentando de todas as formas, mas não estamos executando da melhor forma possível e resultado não está vindo. Isso está nos atrapalhando bastante”, contou.
Edson Sitta espera que o Santa tenha uma postura diferente contra a equipe mineira, para ele é fundamental os jogadores se conscientizarem da importância de cada partida na competição.
"Acredito que na situação que nos encontramos, o importante é termos o discernimento de ter a força de vontade e intuito de vitória, jogar cada jogo como se fosse o último, independentemente de quem vamos enfrentar, precisamos jogar para nós. Temos que reverter essa situação.”

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 11/6/2015

Santa Cruz encara o Boa Esporte


SANTA CRUZ ENCARA O BOA ESPORTE

Felipe Amorim

Embora não vença na competição há quatro rodadas (são três derrotas e um empate), o ponto conquistado na última rodada, fora de casa, deu uma perspectiva de melhora a um Santa Cruz que ainda não se encontrou na Série B do Brasileiro. Nesta sexta-feira (12), às 21h50, o time tricolor receberá o Boa Esporte-MG, no Arruda, adversário direto para sair da zona do rebaixamento.
Apesar de ter começado a sétima rodada fora da área do descenso, a vitória do Paraná por 1x0 contra o Luverdense-MT fez os corais caírem para a 17ª colocação, a primeira do Z-4. O Boa Esporte está uma posição à frente, com os mesmos quatro pontos, mas leva vantagem no saldo de gols. Por isso que um resultado positivo logo mais virou necessidade para o Santa Cruz. Se derrotar os mineiros, além de deixar um adversário para trás, poderá abrir três pontos de distância para a área de queda.
O empate fora de casa na última rodada também devolveu, em parte, a paz ao Arruda. Se antes o grupo e principalmente o técnico Ricardinho viviam sob forte pressão, aquele ponto diante do Luverdense fez os tricolores voltarem a acreditar em si próprio.
“Esse jogo será um divisor de água para nós. Se ganharmos, conseguimos minimizar os erros e poderemos focar em algo melhor na competição. Por isso que agora é a hora de cada um fazer o seu melhor para sairmos vitoriosos de campo”, disse o volante e capitão Edson Sitta.
O meia Daniel Costa, destaque no empate na rodada passada e que chegou recentemente ao clube, acredita plenamente no grupo e numa retomada na competição. “O Santa Cruz é uma equipe grande e a pressão sempre vai existir. Mesmo com os últimos resultados, temos muito a mostrar e somente nós podemos virar esse quadro. Nesse jogo teremos que fazer valer o fator casa para voltarmos a vencer”, afirmou.
O time, como de costume, haverá modificações. Alterações entre os titulares, por sinal, têm sido uma constante no Santa Cruz de Ricardinho. Com exceção de uma única vez na fase final do Campeonato Pernambucano (o segundo jogo da semifinal e o primeiro da final), o treinador não conseguiu mais repetir uma escalação, seja por suspensão, lesão ou opção técnica. Tudo isso tem influenciado negativamente na busca dos seus 11 titulares.
Para hoje, apesar do mistério na escalação, os problemas são muitos. Com Diego Sacoman (expulso) e Danny Morais (terceiro amarelo) suspensos, a dupla de zaga será formada pelos estreantes Alemão, finalmente recuperado de uma lesão que o afastou desde o Estadual, e Neris.
Ainda no sistema defensivo, o lateral-esquerdo Marlon, machucado, ficará de fora. O quarto desfalque, por suspensão, é o atacante Nathan.
Anderson Aquino, que também corria risco de ficar de fora, se recuperou a tempo da entorse no tornozelo esquerdo e estará em campo provavelmente ao lado de Bruno Mineiro, já que o Santa Cruz precisa vencer e deve entrar em campo novamente com dois atacantes no esquema 4-4-2.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Alemão, Neris e Lúcio; Edson Sitta, Wellington Cézar, Daniel Castro e João Paulo; Anderson Aquino e Bruno Mineiro. Técnico: Ricardinho

BOA ESPORTE-MG: Andrey; Pirão, Wallace, Raphael Silva e Moacir (Sheslon); Wendel, Danielzinho, Radamés e Chapinha; Bruno Felipe e Érick Luís. Técnico: Luciano Deitos (interino)

Local: Arruda. Horário: 21h50. Árbitro: Rafael Diniz (DF). Assistentes: José Reinaldo Júnior e José Sabino (ambos do DF). Ingressos: R$ 20 (arquibancada) e R$ 10 (sócio e estudante).

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 12/6/2015

segunda-feira, 8 de junho de 2015

A hora da virada


A HORA DA VIRADA

Emanuel Leite Jr.

As seis primeiras rodadas da Série B apresentam duas realidades bem distintas para os representantes do nosso estado. Lanterna no estadual, o Náutico vai fazendo a melhor campanha de um pernambucano na história do torneio nos pontos corridos. Mais do que isso, tem rendimento digno de campeão - abaixo apenas do Corinthians 2008 - e a melhor defesa nas 10 edições no formato atual. O campeão estadual, por outro lado, tem o pior início entre os pernambucanos - ao lado do Sport de 2010. Cenário preocupante, já que nunca um time com quatro pontos subiu de divisão e mais da metade terminou sendo rebaixada.
O gol de Nathan, a 10 minutos do fim, frente ao Luverdense no sábado, não apenas livrou o Santa Cruz de sua quinta derrota em seis jogos na Série B e tirou o Tricolor da zona de rebaixamento, como também evitou que os corais amargassem um feito negativo. Não fosse o suado pontinho conquistado em Lucas do Rio Verde, o Santa Cruz teria a pior campanha dos pernambucanos nas 10 edições da segundona na era dos pontos corridos. Com quatro pontos somados, o tricolor igualou o Sport de 2010. E fica diante de uma dura missão: nunca um time com esta pontuação ao fim de seis rodadas conseguiu o almejado acesso à primeira divisão.
A tendência é exatamente ao contrário. Ou seja, a ingrata luta contra o rebaixamento. De dez campeonatos neste formato, em nove deles havia um ou mais times com apenas quatro pontos em seis rodadas. No total, foram 13 equipes. E sete - mais da metade - terminaram a competição entre os quatro que caíram para a Série C.
Dos que conseguiram se livrar da queda, nenhum alcançou o feito de buscar o acesso à Série A. Em 2007, o Marília foi o que chegou mais perto. Terminou a competição com 53 pontos, seis atrás do Vitória, quarto colocado. Já o Sport foi o time que somou mais pontos ao fim do campeonato. Saiu dos quatro na sexta rodada para 56 na 38ª da Série B de 2010. O Leão, entretanto, ficou a sete pontos do América-MG, último a assegurar vaga na primeira divisão.
Mas, nem tudo é tão sombrio para o Santa Cruz. Em 2009, o Ceará havia somado apenas três pontos em seis rodadas. Ao fim da competição, conquistou o acesso à Série A. Talvez, a exceção que confirme a regra. Feito histórico do Vozão. Algo improvável de se repetir, mas que os tricolores têm condições de provar que não é impossível.

Fonte: Diario de PE, Recife, 08/6/2015

Uma nova parceria


UMA NOVA PARCERIA

Na manhã desta segunda-feira (08), a diretoria do Santa Cruz confirmou a parceria com oSheraton Reserva do Paiva Hotel, que fica na praia do Cabo de Santo Agostinho. A partir de agora, os atletas corais ficarão concentrados no local antes das partidas no Recife. O acordo proporcionará uma economia nas finanças do clube, pois, de acordo com uma nota oficial publicada no site do clube, a Cobra Coral terá descontos nas hospedagens.
Já na próxima quinta-feira (11), os jogadores tricolores conhecerão as instalações do local, quando iniciam a concentração para o confronto diante do Boa Esporte/MG, válido pela sétima rodada da Série B. O contrato irá vigorar até o final da Série B.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 08/6/2015

Dois grandes reforços


DOIS GRANDES REFORÇOS

Felipe Amorim

Se o técnico Ricardinho poderá perder mais dois atletas para enfrentar o Boa Esporte-MG, agora por conta de lesão, a segunda-feira (8) pelo menos serviu para trazer uma boa notícia. De fora da equipe tricolor desde a final do Campeonato Pernambucano, o zagueiro Alemão voltou a trabalhar com o restante da equipe e poderá reforçar o Santa Cruz nesta sétima rodada da Série B.
Alemão sofreu uma séria lesão de grau 2 na coxa direita na final do Estadual contra o Salgueiro, no Arruda. Desde então, esteve de fora se recuperando. Há 13 dias o zagueiro havia sido liberado pelo Departamento Médico para recuperar o recondicionamento físico. Nesta segunda, depois de 36 dias de fora, ele reapareceu entre os reservas no treino físico. Os titulares fizeram apenas um regenerativo.
Com a volta de Alemão, Ricardinho poderá ter um importante reforço para recompor um setor que teve Diego Sacoman expulso e Danny Morais suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Contra o Boa, a dupla de zaga deve ser Alemão e Néris, que ainda não estreou.

TIAGO CARDOSO

Quem também está próximo de voltar é Tiago Cardoso. Em estado final de recuperação da lesão no joelho direito, o goleiro havia sofrido, no último dia 19 de maio, uma lesão na panturrilha direita por conta do esforço muscular. Nesta segunda-feira, ele foi liberado do Departamento Médico para a readaptação com bola. Essa semana será fundamental para precisar quando, de fato, ele ficará à disposição do técnico Ricardinho.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 08/6/2015

domingo, 7 de junho de 2015

Detinho


DETINHO

Detinho, excelente goleiro do Santa Cruz, morreu em Recife em 12 de setembro de 2001.
Ágil, querido, competente e vencedor, Detinho jamais será esquecido pela torcida coral.
Grande Detinho!
Ele marcou época nos anos 70 ao lado de Miruca, Luciano, Givanildo, Ramon, Gena, dentre tanta gente boa.

Fonte: Site Terceiro Tempo, Milton Neves

São Detinho


SÃO DETINHO

Deusdeth Pereira Coelho. Baixinho, mas transformava-se num gigante debaixo dos três paus.
Quando chegou a Recife, vindo de Salvador, causou surpresa pelo tamanho. Aos poucos foi inturmando-se, porém foi na hora da verdade que vimos a fera.
Um treino coletivo, um ataque com Cuíca, Santana, Ramon e Luciano Veloso chegando com força. Foi aí que vimos a muralha.
Afilhadíssimo do galego Jimmy( o presidente James Mark South Thorp ), vibrava quando ele chegava na concentração. Ia logo dizendo: chegou meu padrinho. Seu Jimmy, também com o charuto cubano à boca, já o procurava.
Titularíssimo, revesava muito com o também goleirão Gilberto.
Salvou o Santa Cruz em muitos jogos.
Morava ali pertinho da rua das Moças, e sempre levava sua filhinha Telminha aos treinos.
Infelizmente nos deixou cedo, chegou a trabalhar como treinador de goleiros no Santa Cruz.
Um ídolo que neste mês de agosto completa 8 anos de seu falecimento. E, a pedido de nosso ilustre amigo Dr. Carlos Henrique(um grande alvirrubro), mas ia a campo nos anos/70 ver o Santinha, não poderia de postar esta merecida homenagem ao GRANDE SÃO DETINHO.

Fonte: Site do Fernando Santana

Luverdense 2 x 2 Santa Cruz


LUVERDENSE 2 x 2 SANTA CRUZ

Na tarde deste sábado (06), o Santa Cruz apresentou sérias falhas defensivas e, mesmo com um a menos – Diego Sacoman foi expulso no segundo tempo – arrancou um empate por 2 a 2 com o Luverdense, em partida válida pela 6° rodada da Série B. Os gols da equipe da casa foram marcados por Diego Rosa e Osman, ambos de cabeça. Daniel Costa, de falta, e Nathan marcaram os gols da equipe pernambucana.
Na próxima sexta-feira (12), o Santa Cruz encara o Boa Esporte/MG, no estádio do Arruda. Na terça-feira (09), o Luverdense enfrenta o Paraná em Curitiba.

O JOGO

Pressionado pelos maus resultados, o Santa Cruz tinha a obrigação de procurar mais o jogo. Logo no início, o meia Daniel Costa mostrou o porquê é especialista em bolas paradas. Após falta dura cometida em Anderson Aquino, o camisa 8 bateu com perfeição, sem nenhuma chance para o goleiro Edson. Após o gol, a equipe pernambucana deixou o adversário trocar passes na intermediária, fazendo o Luverdense crescer no jogo. Aos 13, Ciro recebeu lançamento, ficou cara a cara com Fred, mas o goleiro saiu bem e impediu o empate.
Cinco minutos depois, Diogo Silva cruzou e Diego Rosa desviou de cabeça para deixar tudo igual no placar. A equipe de Lucas do Rio Verde seguia bem melhor na partida, e a Cobra Coral só causava algum perigo nas bolas paradas. Aos 25, Daniel Costa bateu falta, mas Edson se esticou todo e mandou a bola para escanteio. O castigo viria três minutos depois. Ciro fez bela jogada pela esquerda, cruzou e Osman, livre, marcou o segundo.
Na volta do intervalo, o Luverdense começou pressionando o Santa Cruz. Logo aos dois minutos, a equipe de Lucas do Rio Verde perdeu uma chance incrível de ampliar o placar. Após cruzamento de Diego Rosa, Osman desviou e a bola passou ao lado da meta defendida por Fred. Com o resultado favorável, a equipe da casa não pressionava o Santa Cruz. Por outro lado, o Tricolor não tinha forças para armar as jogadas ofensivas.
Aos 23, Diego Sacoman, que já tinha cartão amarelo, parou um contra ataque puxado por Ciro. O árbitro Rodrigo D’Alonso Ferreira puniu o defensor tricolor com o segundo amarelo, ocasionando a expulsão do atleta. Contudo, a equipe pernambucana não se abateu. Aos 34, Nathan recebeu lançamento da defesa, dividiu com Edson e empatou a partida. Já na reta final, Daniel Costa arrematou de longe, mas Edson mandou salvou o que seria o terceiro gol pernambucano.

LUVERDENSE: Edson; Paulinho, Everton, Montoya e Diego Silva; Júlio Terceiro (Michel), Ricardo, Deyvid Sacconi (Lucas Fernandes) e Osman; Diego Rosa (Da Matta) e Ciro; Técnico: Júnior Rocha.

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Danny Morais, Diego Sacoman e Marlon (Bruninho); Edson Sitta (Nathan), Wellington Cézar, Lúcio, Daniel Costa e João Paulo; Anderson Aquino (Bruno Mineiro). Técnico: Ricardinho.

Local: Passo das Emas (Lucas do Rio Verde/MT). Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC). Assistentes: Éder Alexandre e Alex dos Santos (ambos de SC). Gols: Daniel Costa e Nathan (STA); Diego Rosa e Osman (LUV). Cartões amarelos: Diego Sacoman, W.César e Nathan (STA); Diogo Silva, Everton, Deyvid Sacconi e Montoya (LUV). Cartão vermelho: Diego Sacoman (STA).
Público: 843.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 06/6/2015