domingo, 31 de maio de 2015

E agora, Ricardinho?


E AGORA, RICARDINHO?

Felipe Amorim

Nem o mais pessimista torcedor tricolor imaginaria um início tão desastroso na Série B do Campeonato Brasileiro depois do título pernambucano conquistado na base da superação em campo. Acumulando três derrotas e apenas uma vitória nas quatro primeiras rodadas da competição, a equipe coral terá uma semana decisiva para sair do atual momento e não deixar a crise se agravar de vez no Arruda. No ano passado, o time acumulou quatro empates no mesmo período.
Na próxima terça-feira, os tricolores vão enfrentar o Paysandu-PA, no Estádio da Curuzu, às 19h30, no Pará. Quatro dias depois e sem escala no Recife, enfrentará a Luverdense-MT, sábado, às 16h30, no Estádio Passo das Emas, no Mato Grosso do Sul.
Com a derrota para o ABC na sexta, 1x0, e sem apresentar um bom futebol pelo segundo jogo seguido, o treinador sabe da pressão que levará junto na bagagem para os dois compromissos fora de casa.
“As cobranças existem dentro do futebol e isso vai acontecer, é natural. Não estou satisfeito com nada, principalmente com a nossa postura. Não estamos sendo um time que quer buscar algo na Série B. Precisamos rever isso para voltar ao nosso caminho”, disse Ricardinho, consciente do trabalho que terá nessa semana fundamental para o Santa Cruz.
Para encarar o Paysandu, o treinador precisará fazer o que não conseguiu até agora: dar uma consistência à equipe e fazer o ataque - principal calo na temporada - finalmente funcionar.
“É notório a nossa necessidade de melhora, de trabalhar mais, concentrar mais. Lógico que há vários fatores que estão nos atrapalhando e agora é hora de analisar tudo isso para termos tranquilidade de atravessar esse momento”, completou o treinador, sem se aprofundar em quais fatores estariam prejudicando o desempenho dos atletas em campo. O que se sabe é que os atletas estão com um mês de salário atrasado e os funcionários do administrativo do clube com dois meses em aberto.
Para esses dois jogos decisivos, o técnico contará com a volta de Edson Sitta, que estava suspenso. Além dele, Alemão deverá ficar à disposição. Isso sem mencionar o zagueiro Néris e o meia Daniel Costa que faltam estrear. Esse último, por sinal, durante os treinos, apresentou um bom futebol e deixou a esperança de melhora no setor criativo da equipe. Hoje, o time conta apenas com João Paulo. Quando bem marcado, as jogadas não saem e os atacantes voltam muito para buscar a bola, o que tem dificultado a equipe coral.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 31/5/2015

Nenhum comentário: