terça-feira, 28 de abril de 2015

Final inédita


FINAL INÉDITA

Thais Lima

A diretoria do Santa Cruz quer casa cheia no próximo domingo, na decisão do Campeonato Pernambucano, contra o Salgueiro. Os tricolores iniciam nesta segunda-feira, às 13h, a venda dos ingressos para o jogo de volta da final do Estadual, no Arruda, com bilhetes promocionais que custam R$ 25 (arquibancada superior) e R$ 50 (arquibancada inferior). A partir da terça-feira, entretanto, os ingressos passarão a custar R$ 30 e R$ 60.
A decisão inédita entre Salgueiro e Santa Cruz no Pernambucano começa nesta quarta-feira, às 22h, no Cornélio de Barros. Os tricolores, inclusive, nem voltaram para casa depois da partida contra o Central, pelas semifinais do Estadual, no último domingo. Depois da vitória por 2 a 0 sobre a Patativa, o elenco do Santa Cruz seguiu para Salgueiro.
Assim como fez o Santa Cruz, o Carcará também já definiu o preço dos ingressos da final. Em Salgueiro, de acordo com presidente Clebel Cordeiro, os bilhetes serão vendidos por R$ 50 e R$ 25 (meia-entrada). Três mil bilhetes serão comercializados pelo clube, já que os outros 8.500 serão disponibilizados pelo programa Todos com a Nota, apenas para os torcedores do Carcará.

Fonte: Diario de PE, Recife, 27/4/2015

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Estamos na final!


ESTAMOS NA FINAL!

Clóvis Campêlo

Amigos corais, estamos na final do Campeonato Pernambucano de 2015. Uma surpresa para quem, como eu, de início, não acreditava no time e achava que Ricardinho não comeria no Arruda o pirão de peixe da Semana Santa. Pois ele não só o comeu, como organizou o time, chegando ao quadrangular das semifinais e derrotando em dois jogos o Central, equipe com a segunda melhor campanha do estadual.
Assim como o Santinha, o Salgueiro também cresceu de produção na reta final e desbancou nada mais nada menos do que o poderoso Sport Clube do Recife, equipe que fase anterior sobrou na tabela de classificação, impondo uma diferença de onze pontos para o segundo colocado. No final das contas, de nada adiantou isso tudo. O Carcará se impôs e despachou o Leão, que agora terá que disputar com o Central, o direito de ir à Copa do Brasil e à Copa do Nordeste em 2016. Um dos dois, sobrará.
Se formos analisar pela retrospectiva dos últimos anos, o Salgueiro deve nos causar mais preocupação do que o rubro-negro eliminado. Nos últimos cinco anos, derrotamos o Leão em três finais, duas delas, inclusive, jogadas na Ilha do Retiro. Ou seja, já temos know-how de vitórias no campo deles. O Salgueiro, porém, já nos derrotou duas vezes este ano, e no ano passado, nos eliminou da Copa do Brasil e da Copa do Nordeste, ao conquistar a terceira posição do Estadual 2014. Ou seja, o time sertanejo, nos últimos tempos, tem nos imposto mais derrotas e decepções do que o time da Ilha.
Para nós, tricolores do Arruda, vale a constatação de que o inverno não nos foi nem tão longo e nem tão tenebroso. No mínimo, já somos vice-campeões estaduais e vamos participar desse fato histórico no futebol pernambucano que é a chegada de um time do interior às finais, coisa que nunca tinha acontecido, desbancando Sport e Náutico, esse último curtindo ainda o seu inferno astral.
Porém, apesar de tudo, do suposto favoritismo do Salgueiro, acredito que seremos vencedores e que Ricardinho vai comer a pamonha do São João com tranquilidade e com a faixa de campeão estampada no peito.
O Carcará que se cuide, pois picadura de Cobra Coral não é mole. Como diz o compositor popular, “cobra coral mordeu, é queda na hora”!

Central 0 x 2 Santa Cruz


CENTRAL 0 x 2 SANTA CRUZ

Paulo Henrique Tavares

Mesmo antes de a partida entre Central e Santa Cruz ser iniciada, ontem, no estádio Luiz Lacerda, em Caruaru, poucas dúvidas restavam quanto ao desfecho em relação a classificação para a final do Pernambucano 2015. A vantagem de 4×0 construída no Arruda, dava a tranquilidade aos tricolores. Mesmo assim, com gols de Emerson Santos e Anderson Aquino, os corais conseguiram nova vitória contra a Patativa.
A missão improvável do Central não demorou muito para ganhar ares de impossível. O jogo nem bem tinha ganhado fôlego, quando aos cinco minutos o Santa Cruz aumentou de vez a vantagem e fincou os dois pés na final do Campeonato Pernambucano. A jogada do gol começou com João Paulo, que lançou para Betinho. O atacante cabeceou para o meio da área e Emerson Santos só precisou ter calma, para tirar dois defensores, e precisão ao acertar o gol vazio do goleiro Beto.
O Central, que havia entrado em campo com o pensamento de vencer a partida, chegou a criar boas chances para pelo menos alcançar este objetivo. Aos 11 minutos, Candinho recebeu na área do Santa Cruz e acertou uma linda cabeçada. A bola passou quicando e tirou tinta da meta do goleiro Fred. Com 5×0 de vantagem – contando os dois jogos -, o Santa Cruz jogou com inteligência, sem se expor. E o placar agregado poderia ter ficado ainda mais dilatado aos 27 minutos.
O lateral Tiago Costa fez uma bela jogada pela esquerda, chegou a linha de fundo e cruzou para o meio da pequena área. Livre de marcação, a um passo das redes alvinegras, o atacante Betinho deu um leve toque. Mas a bola passou por cima do gol. Após o gol perdido, o atleta apontou para o gramado. Realmente a condição do palco em Caruaru estava deplorável. Antes do final do primeiro tempo, o Central chegou novamente com perigo. Roberto Pitío entrou na área do Santa Cruz, mas errou o chute e perdeu um gol feito.
Na volta para o segundo tempo, a partida voltou a ter as equipes criando chances de aumentar o marcador. O Central foi o primeiro a chegar com perigo assustando a defesa tricolor. Aos oito minutos, o atacante Fabiano recebeu a boa na grande área coral e mandou com perigo por cima do gol de Fred. A resposta tricolor aconteceu aos 15, com o atacante Betinho, que invadiu a área do Central, mas não conseguiu a finalização. A bola sobrou para João Paulo que isolou.
A situação piorou de vez para o Central aos 23 minutos. Em uma falta do zagueiro Everton no atacante Betinho, o jogador recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso de campo. Para fechar a classificação com chave de ouro, o Santa Cruz ainda arrumou tempo para conseguir o segundo gol na partida, com o atacante Anderson Aquino. Agora, os tricolores voltam as atenções para o Salgueiro, adversário da próxima quarta-feira, pela primeira partida da final do Campeonato Pernambucano 2015.

FICHA DE JOGO

CENTRAL: Beto; Ferreira (Fabinho), Mattia (Fabiano), Everton e Jailton; Nathan, Jucemar, Luiz Fernando e Roger; Candinho e Roberto Pittio (Fernando). Técnico: Humberto Santos

SANTA CRUZ: Fred, Nininho (Moisés), Alemão, Danny Morais, Bileu, Tiago Costa, Emerson Santos, Bruninho, João Paulo (Anderson Aquino), Guilherme Biteco (Edson Sitta) e Betinho. Técnico: Ricardinho

Local: Estádio Luiz Lacerda (em Caruaru). Horário: 16h. Árbitro: Nielson Nogueira Dias. Assistentes: Marcelino Castro e Charles Rosas Pires. Gols: Emerson Santos (aos 5 do 1ºT); Anderson Aquino (aos 41 do 2ºT). Cartões amarelos: Everton, Jaílton (Central) João Paulo (Santa Cruz). Cartão vermelho: Everton (Central).
Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 26/4/2015

domingo, 26 de abril de 2015

Retrospecto favorável


RETROSPECTO FAVORÁVEL

Yuri de Lira

Não dá para negar. O Santa Cruz está praticamente garantido na decisão do Pernambucano. Reverter a vantagem feita no Arruda, no último sábado, é uma tarefa pouco plausível para o Central. A história, aliás, dá a prova irrefutável a possibilidade beira mesmo o impossível. Os dois times se enfrentam desde 1937. Mas apenas uma única vez a equipe caruaruense conseguiu o resultado que precisaria para, ao menos, levar a semifinal deste domingo, no Lacerdão, para os pênaltis. Ainda em 1988, na abertura do segundo turno do Estadual. Os alvinegros golearam os corais por 4 a 0, em casa. Nunca mais, porém, o placar se repetiria a favor da Patativa em outros duelos com o Tricolor.
Naquele 16 de maio, um dia após o jogo, o Diario de Pernambuco estampou na manchete: “Goleada histórica”. Qualificou a atuação do até então bicampeão e favorito Santa Cruz no confronto em Caruaru como “irreconhecível”. No comando da equipe tricolor, o técnico Abel Braga taxou o episódio como um “desastre” para o Tricolor. O goleiro Birigui, apesar dos quatro gols sofridos, foi o único jogador a se salvar do Santa Cruz e evitou um vexame maior, segundo a edição.
Aquela vitória em cima do Santa no Lacerdão (ainda chamado de Pedro Victor de Albuquerque) acabaria dando aos alvinegros a liderança provisória do turno daquela edição campeonato, que viria a ser conquistado pelo Sport. À época, o resultado foi a maior goleada do Central sobre um time grande do Recife. Posteriormente, a Patativa viria aplicar outro 4 a 0 - mas sobre o Náutico, na Série B de 1996. E, dez anos depois, um 4 a 1 no Sport, no Estadual.
Alheio ao passado, o técnico Ricardinho prefere se apegar ao atual momento do Santa Cruz. Sabe que a vantagem do Santa é imensa. Acredita que o Central possa revertê-la. Mas não crê que o seus atletas permitirão que a história de 88 se repita em Caruaru. “O nosso grupo teve um amadurecimento muito interessante. Está com foco no campeonato. Aqui não tem conforto. Trabalhamos o máximo com respeito ao adversário, mas com gana de vencer.”

Fonte: Diario de PE, Recife, 25/4/2015

Concentração total


CONCENTRAÇÃO TOTAL

Felipe Amorim

Embora o Campeonato Pernambucano venha chegando ao seu fim e a Série B se avizinhe cada vez mais (a estreia será no dia 9 de maio, contra o Macaé-RJ), dentro do Arruda a competição nacional ainda não tem prioridade. Para o técnico Ricardinho, todas as atenções e esforços estão voltados para um possível título estadual neste início de temporada.
“Nosso foco é o jogo de domingo, contra o Central. Qualquer outro tipo de situação, de Série B ou jogador (para ser contratado) vamos discutir só depois (do término do Pernambucano). A partir disso, as questões serão discutidas, mas internamente”, disse o treinador coral.
Até o momento, a diretoria do Santa Cruz anunciou apenas a contratação do lateral-direito João Carlos, que disputou o Campeonato Pernambucano pelo Serra Talhada. Além dele, a diretoria tricolor afirmou ter outros dois atletas com o pré-contrato assinado, mas nem por decreto anteciparam os nomes dos futuros reforços.
Um nome que foi ventilado no Arruda nas últimas semanas foi o do meia Carlos Alberto, que já passou pelo clube e hoje está no Atlético-PR. A diretoria, como sempre, não confirmou nada.

Fonte: JC, Recife, 25/4/2015

sábado, 25 de abril de 2015

Vamos invadir Caruaru!



Hino do Santa Cruz




O troféu do Campeonato Pernambucano 2015


O TROFÉU DO CAMPEONATO PERNAMBUCANO 2015

A Federação Pernambucana de Futebol apresentou o troféu de campeão pernambucano deste ano, chamado de “Campeão do Centenário”. É uma autorreferência, com a homenagem ao centenário da FPF em 2015, agendado para 16 de junho. A explicação é necessária pois o nome oficial da taça entregue na última edição foi semelhante, também em alusão ao número “100″, por causa da centésima edição do Estadual em 2014. O novo campeão do nosso futebol será conhecido no dia 3 de maio.
Vale lembrar que a FPF criou um modelo fixo em 2013 para todos os anos, como ocorre na Taça Libertadores da América e Champions League. O modelo – com metal dourado e base azul – foi entregue ao Tricolor. Contudo, na temporada seguinte, foi confeccionada uma taça especial para o centenário do campeonato estadual e o modelo fixo acabou sendo esquecido.
Recentemente ainda houve um outro fato pitoresco. Em 2012 foram dois troféus! Na prática, apenas um podia ser chamado assim. O modelo original parecia uma placa comemorativa, produzido pela Rede Globo Nordeste (homenageada pelos seus 40 anos), mas não agradou a cúpula da entidade. No dia da final, na Ilha do Retiro, surgiu um segundo troféu, que também trazia o logotipo da emissora estilizado – o Santa Cruz ficou com as duas versões.

2009 – Troféu Governador Eduardo Campos (Sport)
2010 – Troféu Tribunal de Justiça de Pernambuco (Sport)
2011 – Troféu 185 anos da Polícia Militar de Pernambuco (Santa Cruz)
2012 – Troféu Rede Globo Nordeste (Santa Cruz)
2013 – Troféu FPF (Santa Cruz)
2014 – Troféu 100 anos do Campeonato Pernambucano (Sport)
2015 – Troféu Centenário da FPF (Central, Salgueiro, Santa Cruz ou Sport?)

Fonte: Diario de PE, Recife, 24/4/2015

Força total!


FORÇA TOTAL!

Fernando Veloso

Durante coletiva nesta sexta-feira, no Arruda, o técnico Ricardinho foi indagado diversas vezes sobre qual seria a escalação do Santa Cruz para a partida de domingo com Central, em Caruaru, mas o treinador não cedeu à pressão dos repórteres e manteve sua formação principal guardada a sete chaves. “Não tem jeito, vocês só vão saber quem joga no domingo. Vamos treinar à tarde, amanhã também pela manhã, para terminarmos a preparação. Está tudo certo, os jogadores estão preparados, tenho certeza de que não vai acontecer nada. Infelizmente no último jogo aconteceu, teve o problema no Raniel na véspera, mas dessa vez acho que não vai ocorrer”, disse.
Apesar de não adiantar nomes para o confronto de domingo, o comandante coral falou que vai para a partida com força total. “Não é momento de poupar ninguém, vamos com a força máxima possível. O jogo é importante para nós, é uma responsabilidade muito grande. A partida é decisiva, vamos enfrentar uma boa equipe, que fez um belo campeonato até agora. Se conseguimos uma boa vantagem no primeiro jogo, foi porque fizemos uma grande apresentação. Mas é domingo é decisão e vamos encarar dessa forma.”
O treinador também explicou como foi o lance que tirou Raniel do Campeonato Pernambucano. “Foi um lance normal. Nossos treinamentos são bem disputados, mas com lealdade. Não houve uma entrada mais dura, o rachão faz parte dos treinamentos e continuaremos fazendo sem problema nenhum”, contou.
Ricardinho pregou respeito ao Central e rechaçou a ideia de administrar o resultado. “Eu joguei 17 anos de futebol, nesse tempo vivi muitas situações. Quem trabalha no futebol, não lida com paixão, lida com realidade, com respeito ao adversário. O maior respeito que você pode passar pro adversário é jogar bem contra ele, buscar o gol, não tem essa de já ganhou. Então por ter essa experiência no futebol , entendo que é importante você estar preparado para tudo que pode acontecer numa partida. Estamos absolutamente focados naquilo que queremos, a classificação.”

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 24/4/2015

Torcendo pelo Salgueiro


TORCENDO PELO SALGUEIRO

Felipe Amorim

“Vou torcer para o Salgueiro”. A frase dita pelo zagueiro Alemão, já no fim da sua entrevista coletiva desta sexta-feira (24), no Arruda, poderia soar como uma provocação com o rival Sport, adversário do Carcará no domingo, mas não. Ex-atleta do clube sertanejo entre 2011 e 2012, o defensor, que hoje defende as cores do Santa Cruz, revelou sua preferência pelo carinho com o ex-clube.
“Como joguei no Salgueiro e tenho amigos lá, sempre torço pelo clube e vou torcer contra o Sport, pois ficou um carinho enorme. É um clube em crescimento e merece colher esses frutos”, disse Alemão.
Sobre a partida decisiva que terá diante do Central, apesar dos 4x0 na ida, o defensor não acredita que encontrará facilidade. “É uma vantagem muito boa, não se pode negar, mas não podemos entrar em campo achando que já ganhamos. Temos que focar como se fosse um jogo normal. Lá, em Caruaru, vai ser uma nova partida, totalmente diferente. Jogar lá é sempre muito difícil e acredito que dessa vez não será diferente”, completou o zagueiro.

Fonte: JC, Recife, 24/4/2015

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A volta de Tiago Cardoso


A VOLTA DE TIAGO CARDOSO

Yuri de Lira

Tiago Cardoso deu mais um passo importante para a sua volta aos gramados. Na tarde desta segunda-feira, o atleta subiu para campo pela primeira vez para trabalhar com bola. Após ser acometido por uma grave lesão joelho direito, ainda em 22 novembro do ano passado, o jogador segue na transição para poder retornar aos jogos oficiais.
O ídolo tricolor está há um mês na transição, onde fazia sessões de hidroterapia e atividades específicas com o preparador Bosco. Liberado pelo departamento médico em 24 de março, Tiago Cardoso deve demorar mais quatro semanas para poder começar a trabalhar com os outros goleiros do elenco. A previsão de retorno dele, portanto, é apenas na Série B do Campeonato Brasileiro - que inicia em 9 de maio.
No treinamento desta tarde, no Arruda, Tiago Cardoso ganhou dedicação exclusiva de Bosco. Ainda um pouco travado, parou várias vezes os trabalhos para conversar com o preparador. Não se furtou de usar a perna direita para chutar algumas bolas. Mas sem tanta confiança como mostrou na esquerda. Com uma hora de treino, o goleiro desceu dos vestiários antes do fim das atividades para o restante do grupo.

Fonte: Diario de PE, Recife, 20/4/2015

terça-feira, 21 de abril de 2015

domingo, 19 de abril de 2015

Santa Cruz 4 x 0 Central


SANTA CRUZ 4 x 0 CENTRAL

William Tavares

Sem dó nem piedade, o Santa Cruz massacrou o Central neste sábado (18), no Arruda, na primeira partida da semifinal do Campeonato Pernambucano 2015. Com uma noite inspirada de Alemão e Betinho, cada um balançando a rede duas vezes, o Tricolor derrotou a Patativa por 4×0. O Santa pode perder por até três gols de diferença no jogo da volta, no Lacerdão, que ainda se classificará para a final do Estadual.
O técnico Ricardinho guardou a escalação coral até os últimos minutos. Engana-se, porém, quem pensa que a demora foi apenas para não dar pistas ao adversário. Com uma lesão no ligamento colateral medial do joelho direito, o meia Raniel fez um teste de última hora para saber se teria condições de jogo. Não suportou as dores e teve que dar lugar a Emerson Santos. Outra mudança, essa por ordem técnica, foi a opção por Bileu na cabeça de área na vaga do jovem Welington Cezar, cotado anteriormente para começar no time principal.
No papel, a formação do Santa era classificada como 4-5-1, mas em campo o desenho era o de um tradicional 4-4-2, com Emerson Santos ao lado de Betinho no ataque. Buscando uma troca de passes rápida no meio-campo, o Tricolor pressionou o Central nos primeiros minutos. Os mandantes só não foram mais perigosos por conta dos sucessivos erros na hora do passe final.
Aos 38 e aos 40, o Tricolor teve por duas vezes a chance de tirar o grito de gol da garganta do torcedor. Primeiro com Bruninho, que ao receber ótimo passe de João Paulo ficou na cara do gol e isolou. Um minuto depois, o meia novamente trabalhou como garçom. Cruzamento para Betinho. O centroavante só raspou na bola e mandou para a linha de fundo. Mas um camisa 9 que se preze não desperdiça duas chances seguidas. Aos 46, Renatinho acertou cruzamento na medida para Betinho balançar as redes do Arruda.
Precisando soltar mais a equipe, o técnico Laelson Lima fez duas substituições, sacando Fabiano e Natan para as entradas de Willian e Fernando Pires. O treinador só não esperava que ainda no início do segundo tempo fosse perder um jogador. Juninho recebeu o segundo amarelo após falta em Renatinho e recebeu o vermelho. Depois, foi a vez de Sinval ir para o chuveiro mais cedo depois de derrubar Nathan.
Com dois a menos em campo, o Central guardou sua energias para evitar que o Santa ampliasse sua vantagem. E foram muitas as chances criadas pelo Tricolor. Nathan e Alemão chegaram a marcar, mas ambos estavam impedidos.
Aos 36, não teve bandeira nem goleiro que impedissem a festa coral. Nininho chuta cruzado e Mattia salvo quase em cima da linha. No rebote, Alemão solta o pé e aumenta o marcador. E a noite era mesmo do zagueiro coral. Após cobrança de escanteio, Alemão completou de cabeça para fazer seu segundo gol da partida e o terceiro do jogo. Para fechar a conta, e também fazer sua dobradinha na partida, Betinho aproveitou falha da zaga para sacramentar a vitória coral por 4×0, praticamente definindo a vaga do clube na final do Pernambucano.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Alemão, Diego Sacoman e Renatinho; Bruninho (Nathan), Bileu, João Paulo (Thiaguinho), Guilherme Biteco (Pedro Castro) e Emerson Santos; Betinho. Técnico: Ricardinho.

CENTRAL: Beto; Ferreira, Sinval, Éverton e Madona; Natan (Fernando Pires), Jucemar Gaúcho, Tiago Laranjeira e Juninho Silva; Candinho (Mattia) e Fabiano (Willian). Técnico: Laelson Lima
Local: Arruda (Recife). Árbitro: Sebastião Rufino Filho. Assistentes: Albert Júnior e Wlademir de Souza Lins. Gols: Betinho (aos 46 do 1ºT e aos 47 do 2ºT) e Alemão (aos 36 e aos 44 do 2ºT). Cartões amarelos: Candinho, Beto, Juninho , Sinval, Mattia (C); Pedro Castro (S). Cartão vermelho: Juninho, Sinval (C).

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 18/4/2015

sábado, 18 de abril de 2015

Ricardinho convoca a torcida coral


RICARDINHO CONVOCA A TORCIDA CORAL

Yuri de Lira

Nos jogos que comandou o Santa Cruz no Pernambucano, Ricardinho quase sempre viu públicos módicos no Arruda. A exceção foi na primeira rodada - no clássico com o Sport, mas quando os rubro-negros também ocuparam boa parte do estádio coral. Agora, para a primeira semifinal do Pernambucano, a expectativa é de casa cheia, praticamente, só com tricolores. Mais de vinte mil corais são aguardados no José do Rêgo Maciel. O treinador ressaltou a força da torcida e pede apoio dos torcedores no confronto com o Central, marcado para 18h30 deste sábado.
"A torcida é o grande reforço nosso. É o grande atacante nosso. Sem dúvida nenhuma, é com ele que nós contamos para mexer com a equipe, para empurrar o time. Eu conto com isso. Dentro do nosso planejamento de jogo, há uma situação que se chama torcedor. Ele tem o papel de fazer a diferença", afirmou Ricardinho.
O comandante coral reforça, no entanto, que este aliado das arquibancadas só jogará mesmo com o Santa Cruz se a equipe tricolor corresponder dentro de campo na partida deste sábado. E cobra isso dos seus jogadores. "Lógico que o apoio só vem com uma retribuição nossa."

PÚBLICOS NO ARRUDA EM 2015

31 de janeiro
Santa Cruz 0 x 3 Sport - 24.143

21 de fevereiro
Santa Cruz 0 x 1 Salgueiro - 9.992

15 de março
Santa Cruz 1 x 0 Central - 8.540

21 de março
Santa Cruz 3 x 0 Serra Talhada - 14.301

Total: 71.690

Média: 14.338

Fonte: Diario de PE, Recife, 17/4/2015

Escalação não divulgada


ESCALAÇÃO NÃO DIVULGADA

William Tavares

O técnico Ricardinho já definiu a equipe titular do Santa Cruz que entra em campo neste sábado (18), contra o Central, no Arruda, pela primeira partida da semifinal do Campeonato Pernambucano 2015. A divulgação da escalação, por outro lado, só sairá momentos antes do jogo. Mistério para dificultar a vida da Patativa e tentar surpreender o adversário.
“Não tenho dúvida. Nunca tive na verdade. Mas às vezes precisamos de privacidade para alguns treinamentos. Numa reta final de campeonato, existem questões que são importantes e dentre elas estão treinamentos para exercitar a equipe em situações diferentes. Só vou passar a escalação amanhã. Não para criar uma dúvida na cabeça de vocês (imprensa), mas sim na do adversário”, afirmou o treinador.
Apesar de uma base praticamente definida, no esquema 4-5-1, o técnico explicou que utilizou os treinamentos desta semana para testar variações que possam ser usadas em campo.
“Futebol exige variações e treinamos algumas. Mas também respeitamos as características dos jogadores. Não vamos colocar um jogador que não tenha característica para exercer outra função. Temos uma forma de jogar e vamos manter, mas lógico que teremos variações. É difícil uma equipe jogar da mesma forma do inicio ao fim do campeonato”, citou.

Torcida

Independente da formação tática ou de quem comece jogando, o Santa já tem sua principal arma preparada para ajudar a equipe no Arruda. “A torcida é o nosso grande reforço, nosso atacante. É com eles que contamos para empurrar o time. Ela tem esse histórico. Dentro do nosso planejamento tem uma parte chamada ‘torcedor’. Ele pode fazer a diferença. A tendência é ter o estádio cheio nesse jogo e contamos com o apoio dele”.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 17/4/2015

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Somos favoritos?


SOMOS FAVORITOS?

Yuri de Lira

Renatinho endossa a corrente que aponta o Santa Cruz como favorito nas semifinais com o Central. Apega-se ao histórico recente entre os clubes e ao passado mais vitorioso dos corais no Pernambucano em relação à Patativa. Indica, aliás, que o suposto favoritismo do Tricolor pode ser prejudicial ao adversário nos dois duelos que valem vaga na decisão. Segundo o lateral esquerdo, que irá substituir o suspenso Tiago Costa no primeiro duelo com os alvinegros, o time caruaruense pode sentir a pressão.
"O favoritismo ajuda. Coloca mais pressão sobre o adversário", falou. Mas pondera. "Nos saímos bem nos dois jogos que tivemos com eles (foram duas vitórias), mas não podemos relaxar. Agora, vai ser outro campeonato, é mata-mata", declarou o atleta tricolor.
O lateral não crê, por outro lado, que o favoritismo acabe atrapalhando a sua equipe. "Vejo como motivação. Vejo pelo lado bom, de a torcida vir nos apoiar, de querer vencer. Isso me motiva. Espero que motive também os outros jogadroes para conseguirmos um resultado bom."
O jogador se diz ainda ciente da importância desses confrontos. Não só pela vaga na final, mas para o futuro do clube na próxima temporada, já que a classificação garantirá também a presença do Tricolor nas no Nordestão e na Copa do Brasil de 2015. "Todos aqui têm ciência que o Santa Cruz com o calendário cheio é melhor para todos. Não podemos deixar escapar essa chance."

Fonte: DP, Recife, 15/4/2015

Central divulga preços dos ingressos em Caruaru


Estádio Lacerdão

CENTRAL DIVULGA PREÇOS DOS INGRESSOS EM CARUARU

William Tavares

Já pensando no jogo de volta das semifinais do Campeonato Pernambucano 2015, contra o Santa Cruz, no Lacerdão, o Central divulgou o valor dos ingressos para o confronto que pode levar a Patativa para a decisão do Estadual. Os preços serão de R$ 40 para arquibancada, R$ 20 para estudante e R$ 80 para cadeira cativa. As vendas para os centralinos serão realizadas na bilheteria da Rua Campos Sales. Já a torcida coral poderá adquirir os ingressos na Rua Professor José Leão. Os tickets só poderão ser adquiridos na véspera do jogo.
Antes, o Central encara o Santa Cruz neste sábado (18), às 18h30, no Arruda, pela primeira partida da semifinal. Os valores promocionais colocados pela diretoria coral para esse confronto encerram-se nesta quarta (15). Das 8h às 18h, na sede da Cobra Coral, os torcedores poderão adquirir os bilhetes aos preços de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada). Depois disso, o reajuste será para R$ 40 e R$ 20. Não há previsão de prorrogação da promoção.

Fonte: Blog de Primeira, Folhape, Recife, 15/4/2015

Rumo ao mata-mata


RUMO AO MATA-MATA

Felipe Amorim

Além do fator financeiro, o Santa Cruz teve outro grande prejuízo ao ficar de fora das copas do Brasil e Nordeste. Sem disputar as duas competições no primeiro semestre de 2015, o time coral chega à semifinal sem a experiência de ter participado de um mata-mata na atual temporada. Será o primeiro teste para um grupo montado neste ano.
Para o atacante Betinho, a dificuldade existe, de fato, mas não pode se tornar um obstáculo a mais para uma equipe que precisa chegar à final para o filme não se repetir em 2016. “É bastante complicado não ter jogado um mata-mata nesse ano. Mas estamos bem atentos a esse jogo. Se passarmos para a final, já vamos estar classificados para as competições no próximo ano”, frisou o camisa 9 do Santa Cruz.
Sobre como se portará o Central, Betinho acredita que, após dois revezes na fase do Hexagonal do Título, o time caruaruense não ficará muito exposto. Ele acha que a Patativa tentará levar a decisão para o jogo da volta, em Caruaru. “Serão duas partidas muito difíceis. Acho que eles virão bem retrancados aqui no Arruda, mas estamos trabalhando forte para conseguirmos furar a retranca e sair com a vitória”, disse o artilheiro do time na temporada, com três gols.

Fonte: JC, Recife, 15/4/2015

terça-feira, 14 de abril de 2015

O futuro de Caça-Rato


O FUTURO DE CAÇA-RATO

Thaís Lima

Um dos personagens mais carismáticos na história recente do Santa Cruz, o atacante Flávio Caça-Rato está sem time. O jogador chegou ao Remo com status de grande estrela para a temporada. Até a torcida foi até convocada para fazer festa para ele no aeroporto. Mas, em campo, produziu pouco e ainda teve que conviver com salários atrasados. O atacante ainda alega que teve problemas até no hotel que ficou hospedado, com pagamento sob responsabilidade do antigo clube.
Depois da decisão de deixar o time de Belém do Pará, Flávio Caça-Rato retornou ao Recife. Por pouco tempo. Pelo menos é o que ele espera. O jogador quer "rodar" para, quem sabe, voltar ao Santa Cruz no futuro.
“Cheguei de Belém agora há pouco e vou conversar com o meu empresário para ver o que ele tem para mim. Não tem nada definido ainda, mas acho que não está na hora de voltar (para o Santa Cruz). Tenho que ir para outro canto, rodar um pouco por outros clubes”, afirma Caça-Rato.
Decepcionado com a passagem pelo Remo, onde não conseguiu render o que esperava no clube, o atleta revela que passou restrições financeiras. “Quando cheguei lá (em Belém), a realidade era diferente do que haviam me prometido. Salários atrasados, teve aquela história de não pagarem o hotel. Essas coisas que aconteceram foram o motivo de eu ter deixado o clube", declarou.
Flávio Caça-Rato chegou ao Remo em 8 de janeiro deste ano. A sua estreia parecia mostrar um futuro promissor no clube. Ele converteu a última cobrança da série de pênalti que deu o título da Copa da Amazônia em cima do Paysandu. Depois, contudo, ele caiu de desempenho e perdeu espaço na equipe ainda sob o comando de Zé Teodoro, que também deixou o Remo.
No fim da curta trajetória, o atleta se queixou de salários atrasados e pediu para sair após ter marcado apenas três gols. Ele ainda se envolveu em uma polêmica após demorar para se reapresentar. Um desempenho, portanto, diferente que teve no Santa Cruz. No Tricolor do Arruda, ele conseguiu dois acessos (Séries D e C) e dois títulos estaduais (2012 e 2013).

Santa também nega interesse
A diretoria do Santa Cruz não cogita, pelo menos por enquanto, uma volta do atacante ao Arruda. Perguntado sobre a possibilidade, o vice Constantino Júnior foi enfático. "Não", respondeu. "Sabemos que Flávio está sem clube, mas não há chance nenhuma", completou. Em seguida, porém, quando questionado se as portas estavam definitivamente fechadas para o atleta, deu um fio de esperança para os torcedores que ainda querem o seu retorno. "No futebol não se pode desmerecer ninguém. Principalmente um jogador como Caça-Rato, que passou por aqui, fez sucesso e tem o carinho da torcida."

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 14/4/2015

Treinos secretos


TREINOS SECRETOS

Felipe Amorim

Desde que desembarcou no Arruda, a realização de treinos fechados no Arruda não são mais uma novidade. Sempre que precisa, o técnico Ricardinho opta por realizar um trabalho mais reservado com seus comandantes. Nesta semana de decisão, que antecede ao primeiro jogo da semifinal contra o Central, sábado (18), às 18h30, no Arruda, ele utilizará do artifício em dois dias.
Na próxima quarta (15) e quinta-feira (16), os tricolores treinarão com os portões fechados. Trabalhar sem imprensa, contudo, não quer dizer mistério na escalação. Pelo contrário. Quando não há uma pendência por ordem médica, o treinador sempre antecipa os titulares.
Para enfrentar a Patativa, Ricardinho não poderá contar com pelo menos quatro atletas. Danny Morais, expulso, e Tiago Costa, terceiro amarelo, já estavam de fora desde o término do clássico contra o Sport. Já Edson Sitta, com um afundamento na face, teve o veto confirmado na semana passada. O mais recente foi Anderson Aquino, ainda com dores na coxa direita.
Sem essas peças, é provável que o treinador arme o Santa Cruz no esquema 4-5-1, com Betinho como único homem de referência. Na segunda-feira (13), o time treinou com Fred; Nininho, Wellington Cézar, Diego Sacoman e Renatinho; Bileu, Bruninho, Guilherme Biteco, João Paulo e Raniel; Betinho.

Fonte: JC, Recife, 14/4/2015

domingo, 12 de abril de 2015

Santa Cruz 1 x 0 Porto


SANTA CRUZ 1 x 0 PORTO

Thaís Lima

Com o primeiro jogo das semifinais do Pernambucano marcado para o sábado, dia 18, o Santa Cruz realizou na tarde deste sábado, dia 11, um jogo-treino contra o Porto. A equipe do técnico Ricardinho venceu o time caruaruense por 1 a 0, com gol de Thiaguinho, no Arruda, diante da torcida tricolor, que marcou presença nas arquibancadas.
Na atividade desta tarde, o treinador tricolor testou todos os jogadores disponíveis no elenco coral. No primeiro tempo, os escolhidos do técnico foram os mesmos atletas que treinaram no time titular no treino da última sexta-feira: Fred; Nininho, Alemão, Diego Sacoman e Renatinho; Wellington Cézar, Emerson Santos, João Paulo e Betinho. Com esta formação, o Santa Cruz ficou no empate por 0 a 0 com o Porto.
Já no segundo tempo, com todo o time mudado, aos 12 minutos de jogo os tricolores abriram o placar. O elenco escolhido por Ricardinho foi composto por Bruno; Moisés, Danny Morais, Walter Guimarães (Otávio) e Tiago Costa; Bileu, Guilherme Biteco, Pedro Castro e Williams Luz; Thiaguinho e Nathan. Por causa de um corte no supercílio, Walter deixou o campo e deu lugar a Otávio.

Fonte: DP, Recife, 11/4/2015

sábado, 11 de abril de 2015

Paradas complicadoras


PARADAS COMPLICADORAS

Yuri de Lira

Além dos prejuízos financeiros, o Santa Cruz também paga um outro alto preço por ter ficado de fora das edições deste ano do Nordestão e da Copa do Brasil. O Tricolor vai completar mais um hiato de 15 dias (o segundo na temporada) sem entrar em campo até a confronto contra o Central, em 18 de abril, no Arruda. Embora os jogadores tenham mais tempo para treinar e sofram menos com o desgaste, a falta de partidas oficiais traz danos físicos. Os jogadores perdem ritmo de jogo.
O próprio preparador físico do Santa Cruz, George Castilhos, lamenta mais uma pausa na competição. Apesar até de o Tricolor ter um jogo-treino no próximo sábado, frente ao Porto. "Você pode treinar muito, fazer tudo que o atleta necessita. Mas o que traz a condição física ideal é o próprio jogo. Quanto mais um jogador atuar, mais condicionado ele vai estar. Posso treiná-lo muitas vezes, mas não vou nunca conseguir que ele chegue ao seu objetivo ideal", disse.
Apesar do hiato, Castilhos garante que o time caminha para o ápice físico já antes do início da Série B. Porém, não esconde que o tempo que os tricolores ficaram parados pode pesar nesta reta final do Estadual. Não diante do Central, que também está parado. Mas numa possível decisão contra Sport ou Salgueiro, equipes que vêm atuando com mais frequência que o Tricolor. "A gente sofre um pouquinho. Jogando menos, sentiremos mais dificuldades perante a esses adversários."

Fonte: DP, Recife, 10/4/2015

De última opção a titular


DE ÚLTIMA OPÇÃO A TITULAR

Fernando Veloso

O lateral-direito Nininho, do Santa Cruz , parece ter conquistado a confiança do treinador Ricardinho. O atleta que chegou a ser preterido por outros jogadores da posição e até mesmo por Bileu – que é voltante e jogou improvisado -, na lateral do tricolor, tem figurado entre os titulares nas últimas partidas da equipe coral e deve enfrentar o Porto neste sábado (11), em amistoso no Arruda. Apesar da situação desconfortável, o lateral garante que se manteve tranquilo e esperou a oportunidade aparecer.
“A gente tem que respeitar a opinião do treinador, mesmo quando ele escala alguém que não é da posição para jogar improvisado. Fiquei tranquilo, me esforçando nos treinos para que na hora do jogo, quando o professor optasse por mim, eu pudesse me destacar”, disse.
Para Nininho, um recado dado pelo treinador Ricardinho no começo do ano foi fundamental para que os treinos se tornassem mais intensos e consequentemente a titularidade surgisse.
“O professor disse no começo do ano que quem não estivesse jogando, treinasse forte, porque todos iam ter chance de jogar. Isso serviu de incentivo para mim, mesmo sem jogar eu continuei treinando forte, para quando aparecesse uma oportunidade, eu segurasse essa chance”, contou.
Apesar de ter pouco tempo como profissional, Nininho já viveu situação semelhante a da atual temporada, quando o Santa foi tricampeão estadual em 2013, tendo um início turbulento e terminando o campeonato com a taça.
“Assim como aconteceu em 2013, esse ano a equipe também vinha sendo cobrada pela torcida e deu a resposta em campo. Jogando com garra, dando o melhor em campo. Esse é o caminho certo para conquistarmos o título”, finalizou.

Fonte: Folha de PE, Recife, 10/4/2015

Jogo-treino


JOGO-TREINO

Felipe Amorim

Diego Sacoman, Renatinho e Wellington. Estes provavelmente serão os substitutos de Danny Morais, Tiago Costa e Edson Sitta, nessa ordem, que não poderão enfrentar o Central, dia 18, pela primeira partida da semifinal do Campeonato Pernambucano. Mesmo ainda faltando oito dias para voltar a campo no Estadual, os três atletas serão testados no jogo-treino deste sábado (11), contra o Porto, às 15h30, no Arruda.
No treino tático nesta sexta-feira (10), que encerrou os trabalhos da semana, eles foram utilizados durante o tempo todo entre os titulares.
Hoje, com a volta de Raniel, que estava no Rio de Janeiro para ser julgado pelo uso de cocaína no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o técnico Ricardinho finalmente conseguiu treinar com todo o time.
Em relação ao último jogo da fase do Hexagonal do Título, a equipe que entrará em campo amanhã terá quatro alterações. Além dos três desfalques já citados acima, o atacante Anderson Aquino, ainda em fase de transição por conta de uma lesão na coxa esquerda, ficará de fora. Após três dias treinando na academia, Aquino reapareceu hoje no gramado para um trabalho em separado, mas não deverá ser relacionado.
O substituto de Anderson Aquino para o jogo-treino será Emerson Santos, que nas duas últimas partidas no Pernambucano vinha entrando em seu lugar no decorrer dos jogos. Ele fará dupla no ataque com Betinho.
A equipe tricolor, que enfrentará o Porto, será formada por Fred; Nininho, Alemão, Diego Sacoman e Renatinho; Wellington, Bruninho, João Paulo e Raniel; Emerson Santos e Betinho.

Fonte: JC, Recife, 10/4/2015

terça-feira, 7 de abril de 2015

A decisão foi dos jogadores


A DECISÃO FOI DOS JOGADORES

Por cima do padrão oficial, os jogadores do Santa Cruz entraram em campo, no clássico do último domingo, trajados com uma regata da Inferno Coral - usada também pelos membros da facção. Devido à determinação da Justiça, a camiseta apenas estampava a palavra “paz” - totalmente contraditória aos atos da uniformizada, que voltou a se protagonista de cenas de violência no Recife. A conivência da diretoria, a ponto de levar para o gramado da Ilha do Retiro a imagem camuflada da organizada, foi explicada pelo vice-presidente tricolor, Constantino Júnior.
A política do Santa Cruz em relação às organizadas segue a mesma cartilha da gestão anterior, presidida por Antônio Luiz Neto. Uma postura velada de “neutralidade” foi mantida. No Arruda, não são raras as presenças de torcedores da Inferno. Faz-se vista grossa. Depois de os atletas levarem a campo o camiseta da facção, Constantino garantiu que a ideia de vestir a peça surgiu nos vestiários da Ilha, entre os próprios atletas. Garante não passou pelo crivo do cúpula coral. “A direção não soube de nada. Algum jogador deve ter recebido as camisas e todos os outros vestiram depois”, disse.
Apesar de entender o equívoco, o vice tricolor contemporizou o caso e blindou o grupo. “Os jogadores foram na clara intenção de promover a paz. Não houve dolo, má fé, nem mesmo menção à torcida organizada.” O dirigente, porém, promete ser mais firme para evitar que a situação se repita. Espera evitar outras polêmicas. “Vamos conversar com o grupo, só para saber de onde partiu a ideia. Para que, numa outra vez, decisões como estas, pelo menos, passem pela direção.”

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 06/4/2015

Contra a violência policial




CONTRA A VIOLÊNCIA POLICIAL

William Tavares

Em nota oficial divulgada nesta segunda (6), o Santa Cruz se posicionou sobre os casos de violência que aconteceram no pré e pós-jogo entre o Tricolor e o Sport, no Clássico das Multidões, do último domingo (5). No texto, o clube critica a polícia militar – citando que os profissionais fizeram “agressões gratuitas” e o descasso do Leão quanto ao acesso ao estádio. Confira abaixo.

"O Santa Cruz Futebol Clube vem tornar público seu repúdio veemente à violência sofrida pela sua torcida no acesso ao Estádio da Ilha do Retiro, no clássico de domingo, 5 de abril de 2015. A violência que atingiu os torcedores do Santa Cruz não foi casual. É consequência da recorrente falta de estrutura oferecida pelo clube mandante para receber a torcida visitante.
Na ocasião, foi disponibilizado apenas um portão com poucas catracas para o acesso de quase 6 mil torcedores, causando tumulto e retardando a entrada ao estádio, como vem se tornando praxe nos clássicos realizados entre os dois clubes na Ilha do Retiro. Esse descaso gerou uma aglomeração desnecessária diante do portão mencionado, onde homens, mulheres, jovens e crianças ficaram expostos a riscos como empurra-empurra e confrontos com grupos de torcedores rivais, conforme pode ser comprovado por uma série de fotos que circulam desde ontem nas redes sociais.
A garantia do acesso tranquilo, ordeiro e seguro para a torcida visitante é um dever do clube mandante. A negligência – deliberada ou não – não pode ficar impune. O Santa Cruz Futebol Clube cobra da Federação Pernambucana de Futebol que os fatos sejam devidamente apurados e, confirmada a responsabilidade, que o clube mandante seja punido nos termos do Estatuto do Torcedor e do Regulamento do Campeonato Pernambucano.
Também causaram perplexidade as imagens veiculadas pelas emissoras de TV e redes sociais da truculência de alguns policiais militares que deveriam garantir a segurança de homens, mulheres, jovens e crianças, mas, ao contrário, agrediram de forma covarde aqueles que eram as vítimas da incompetência e negligência alheias. Não foi a primeira vez que torcedores e imprensa relataram agressões gratuitas praticadas por alguns policiais militares completamente despreparados para lidar com os torcedores que frequentam os estádios pernambucanos.
Não queremos acreditar que a violência praticada por alguns agentes do Estado esteja relacionada ao preconceito de setores da sociedade contra as camadas de mais baixa renda da população, exatamente o estrato social que caracteriza a torcida coral. Por isso, o Santa Cruz Futebol Clube espera que o Governo do Estado de Pernambuco identifique e puna exemplarmente os responsáveis. E que, de uma vez por todas, a postura da Polícia Militar passe a ser de respeito aos torcedores e suas famílias, independentemente das cores do seu time de coração".

Fonte: Folha de PE, Blog de Primeira, Recife, 06/4/2015

Desfalques


Tiago Costa, um dos desfalques

DESFALQUES

Felipe Amorim

Se o empate contra o Sport, domingo (6), no apagar das luzes, foi para se comemorar, o técnico Ricardinho também deixou o campo preocupado com as perdas que terá para enfrentar o Central, no primeiro jogo das semifinais do Campeonato Pernambucano, no dia 19 de abril. A lista já conta com o zagueiro Danny Morais, expulso, e o lateral-esquerdo Tiago Costa, que tomou o terceiro amarelo. Já o atacante Anderson Aquino, substituído após sentir mais uma vez dores na coxa, será reavaliado pelo Departamento Médico tricolor.
Sem poder contar com Danny Morais, a tendência é que o treinador escale Diego Sacoman, que entrou em campo na oitava rodada, justamente contra o mesmo Central, após Alemão ter ficado de fora para cumprir suspensão. Para a vaga de Tiago Costa, que tomou o terceiro amarelo em três jogos, quem deverá ser o escolhido é Renatinho, de fora do time desde o dia 1º de março, quando sofreu uma lesão na coxa esquerda. Recuperado, ele brigará pela titularidade com Leo Veloso, atual terceira opção para a lateral esquerda.
A terceira baixa, caso venha a se confirmar, será de Anderson Aquino. Depois de colocar a mão na coxa, quando o relógio ainda marcava 40 minutos do primeiro tempo, ele sequer voltou para a etapa complementar. O atacante foi substituído no intervalo por Emerson Santos. Se confirmar a lesão, será a terceira desde que chegou ao Arruda.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 06/4/2015

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Sport 1 x 1 Santa Cruz



SPORT 1 x 1 SANTA CRUZ

Em um clássico fraco tecnicamente, Sport e Santa Cruz empataram por 1x1, neste domingo (5/4), na Ilha do Retiro, na última rodada do Hexagonal do Título do Pernambucano. Os dois já estavam classificados para as semifinais. Líder, o rubro-negro (25 pontos) vai enfrentar o Salgueiro (4º, com 11), enquanto o tricolor (3º, com 14) pega o Central (2º, com 14) – o segundo jogo será em Caruaru, já que a Patativa acabou na frente do Santa pelo saldo de gols.
O Sport, que terá o Bahia, quarta-feira na primeira partida da semifinal da Copa do Nordeste, na Ilha, poupou os titulares Renê, Rithely e Wendel. Ewerton Páscoa, lesionado, e o suspenso Joelinton também não jogaram. Do outro lado, o Santa Cruz entrou com o time completo. O técnico Ricardinho ainda premiou o garoto Raniel, 18 anos, como titular. Ao mesmo tempo, escalou Bruninho para aumentar a velocidade do time ao lado de João Paulo. Na frente, Anderson Aquino e Betinho.
O JOGO
O primeiro tempo foi de muita marcação. As chances de gols foram raras. O Sport teve uma oportunidade aos 19 minutos. O zagueiro Durval fez um lançamento longo e Mike entrou entre os zagueiros, mas finalizou por cima do travessão de Fred. Em outra jogada, Régis encobriu o goleiro tricolor, mas Tiago Costa salvou quase na linha de gol.
A equipe tricolor também chegou a criar duas chances já nos minutos finais do primeiro tempo, ambas com Raniel. Na primeira, 40, ele driblou Durval e bateu em cima de Magrão. Em seguida aos 43, o meia finalizou cruzado e a bola passou rente a trave direita.
No segundo-tempo, o Santa Cruz voltou com duas mudanças, ambas por lesão. O volante Édson Sitta saiu para a entrada de Wellington César, enquanto Emerson Santos ocupou a vaga de Anderson Aquino.
O jogo ganhou em emoção. A um minuto, Samuel escapou em velocidade entrou na área e no momento de finalizar foi derrubado pelo zagueiro Danny Morais. O árbitro Luiz Cláudio Sobral marcou pênalti e expulsou o jogador tricolor. O próprio Samuel cobrou e fez Sport 1x0.
Um minuto depois, o Sport poderia ter aumentado o placar. Régis aproveitou a falha de Bruninho, penetrou na área e mandou para fora. Em seguida, aos oito, Fred errou na saída de bola e Mike arrematou, mas o goleiro coral se recuperou e defendeu para escanteio.
Com um homem a menos, restou ao Santa Cruz a força de vontade. O Sport, no entanto, desperdiçou vários contra-ataques e poderia ter até definido o clássico não fosse o preciosismo de alguns jogadores como Régis, Elber e Felipe Azevedo.
O Santa Cruz, mesmo não fazendo um bom jogo, não desistiu. Nos acréscimos, aos 48, após uma cobrança de lateral, a bola sobrou para João Paulo, de peixinho, cabecear e Magrão falhou. A bola entrou mansamente no canto esquerdo: 1x1.

FICHA DO JOGO
SPORT: Magrão; Oswaldo, Henrique Mattos (Adrielson), Durval e Danilo; Ronaldo, Rodrigo Mancha, Neto e Régis; Mike (Elber) e Samuel (Felipe Azevedo). Técnico: Eduardo Baptista.

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Alemão, Danny Morais e Tiago Costa; Édson Sitta (Wellington César), Bruninho (Diego Sacoman), João Paulo e Raniel; Anderson Aquino (Emerson Santos) e Betinho. Técnico: Ricardinho.

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Luiz Cláudio Sobral. Assistentes: Fernanda Colombo e Karla Renata. Gols: Samuel aos 3 e João Paulo aos 48 do 2º tempo.Amarelos: Danilo, Neto, Samuel, Ronaldo, Régis, Oswaldo e Felipe Azevedo (Spo); Alemão e Tiago Costa. (Sta). Expulsão: Danny Morais (Sta). Renda e Público: não divulgados.

Fonte: JC Online

domingo, 5 de abril de 2015

Luís Fumanchu


LUÍS FUMANCHU

Jorge Luís da Silva, o ex-ponta Luís Fumanchu, fez sucesso vestindo camisas pesadas do futebol carioca nas décadas de 1970 e 1980 como Fluminense,Flamengo e Vasco. O apelido surgiu quando ainda defendia as categorias de base do Vasco logo após acompanhar um filme de caratê. Por ter ficado bravo com os companheiros que passaram a chamá-lo assim, nunca mais conseguiu se livrar dessa designação. Atualmente, reside em Castelo, no Espírito Santo, cidade onde nasceu. Casado, é pai de dois filhos.
Fumanchu ainda tem sua vida ligada ao futebol. Trabalha na programação esportiva da Rádio Cultura de Castelo. E sempre reclama por não mais poder acompanharpontas natos como ele em campo. A função, costuma dizer ao microfone, é realizada hoje pelos alas.
Legenda da foto do Santa Cruz em 1975: em pé vemos Lula Pereira, Pedrinho, Levir Culpi, Givanildo, Carlos Alberto Barbosa e Jair. Agachados: Luís Fumanchu, Alfredo, Ramon, Carlos Alberto Rodrigues e Pio.

Fonte: Blog Terceiro Tempo

sábado, 4 de abril de 2015

Um certo equilíbrio


UM CERTO EQUILÍBRIO

João de Andrade Neto

O clássico entre Sport e Santa Cruz, pela última rodada do hexagonal, vale pouco para a definição do Campeonato Pernambucano. Isso porque as duas equipes já estão classificadas para as semifinais, com o Leão já garantido na primeira coloçação e os corais já cientes de que enfrentarão o Central no mata-mata, restando saber apenas a ordem dos mandos de campo. Porém, um encontro entre rubro-negros e tricolores nunca será um "amistoso de luxo". Números, marcas e tabus ao longo da história provam isso. Sendo assim, o Superesportes fez um levantamento dos 20 últimos duelos entre os rivais e comprovou que, nos últimos anos, há um equilibrio maior quando o encontro acontece na Ilha do Retiro, palco do Clássico das Multidões deste domingo.
Nos últimos 10 confrontos disputados no reduto leonino, o Sport venceu seis, contra quatro do Santa. E aí, cada lado tem um fator a se agarrar. Pelo front rubro-negro, o fato de ter vencido os últimos três duelos como mandantes, sem ter levado um gol sequer. Nesses jogos, conseguiu eliminar duas vezes o rival no ano passado, nas semifinais da Copa do Nordeste e do Estadual. Porém, os argumentos dos corais também são fortes. Afinal, dos quatro triunfos na casa do arquirrival, três aconteceram em finais, no já histórico tricampeonato pernambucano (2011/2012/2013).
Por sinal, o Santa Cruz vem tendo mais vitórias contra o Sport na Ilha do Retiro do que no próprio Arruda. Jogando em casa, foram apenas três triunfos tricolores sobre o rival, nos últimos dez encontros. Nesse período, foram registrados ainda três empates. Já os rubro-negros levaram a melhor em quatro oportunidades. A última, na primeira rodada do Estadual deste ano, com um incontestável 3 a 0. Vitória que, por sinal, deu ao Leão a supremacia nos jogos disputados no Arruda em toda a história, com 50 vitórias, contra 49 do Santa.

Fonte: Diario de PE, Recife, 03/4/2015

Mesmo classificados, seremos ofensivos


MESMO CLASSIFICADOS, SEREMOS OFENSIVOS

Haim Ferreira

Já classificado para as semifinais do Hexagonal do Título, o Santa Cruz promete não se intimidar diante do líder Sport, próximo domingo (5), no Clássico das Multidões. De acordo com o técnico Ricardinho, a equipe tricolor adotará uma postura ofensiva para sair da Ilha do Retiro com a vitória e ter a possibilidade de definir o segundo jogo da semifinal diante da sua torcida. Vale lembrar que, para tal, o Central não pode vencer o Serra Talhada, também amanhã, no Sertão.
Para se lançar ao ataque, o comandante coral confirmou que vai promover apenas uma alteração em relação a equipe que venceu o Serra Talhada por 3x0, na última rodada do Campeonato Pernambucano. A modificação será justamente a entrada de um dos destaques do time naquela partida, o meia Raniel, que entrou no segundo tempo e balançou as redes na sua primeira participação no jogo.
Segundo o jogador de apenas 18 anos, ter marcado o seu primeiro gol como profissional o ajudou a ter mais motivação para o Clássico das Multidões. “Peguei um pouco mais de confiança. Eu precisava marcar este gol pra dar uma aliviada na pressão e me soltar mais. Não que eu não estivesse me sentindo à vontade, mas ajudou pra dar uma tranquilidade maior para continuar nessa sequência de jogos”, afirmou Raniel.
De acordo com o técnico Ricardinho, as características técnicas do armador o credenciaram a ser titular diante do Sport ao lado de João Paulo. “Você só consegue as vitórias se tiver um poder ofensivo bom. Nas equipes que comandei, nunca abri mão de atacar e de buscar o gol. Então, demos uma ênfase neste setor e queremos que nossos meias cheguem na frente e tenham uma boa movimentação. Eu primo muito por meias que saibam finalizar e é isso que vamos buscar nesta partida”, disse o técnico Ricardinho.
Das nove partidas do Estadual, o meia Raniel atuou em sete oportunidades, sendo três delas na equipe principal. Segundo o jogador, a nova chance no time titular é apenas uma das várias felicidades que o atleta vem tendo na temporada. “Está sendo um ano muito bom pra mim. Estou tendo muitas oportunidades, coisa que eu não tinha no ano passado. Agora é aproveitar essas chances que o professor Ricardinho está me dando para poder ajudar a equipe. Espero continuar bem e, de preferência, marcando gols”, finalizou.

Fonte: JC, Recife, 03/4/2015

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Entrevista com Cuíca


CUÍCA, EX-JOGADOR DO SANTA CRUZ
Recife, 2013
Fonte: Jornal do Commercio

Sem broncas?


SEM BRONCAS?

Haim Ferreira

Após a decisão do juiz Hugo Cavalcanti Melo Filho, da 12ª Vara do Trabalho, em bloquear as receitas do Santa Cruz provenientes dos direitos de transmissão de TV, devido ao não pagamento de dívidas trabalhistas, conforme antecipou oJornal do Commércio, a diretoria coral disse estar tranquila quanto à situação e espera resolver o impasse o quanto antes.
De acordo com o vice-presidente do clube, Constantino Júnior, problemas como estes são comuns em grandes equipes de futebol. “É uma questão do jurídico para resolver. Mas a gente está acostumado com isso. Sempre tem uma dificuldade aqui e ali para trabalhar. Porém, estamos otimistas. Se não for assim, não tem como seguir”, comentou o cartola, em entrevista ao Blog do Torcedor.
Já o vice-presidente jurídico da equipe tricolor, Eduardo Lopes, foi mais cauteloso. Segundo ele, é preciso saber até onde há envolvimento do Santa Cruz no assunto. “Ainda não sabemos o que houve. Se houve ou não o bloqueio, porque ainda não fomos notificados. Estamos esperando um posicionamento da TV Globo, afinal, é ela quem vai receber a ordem (na verdade, já recebeu desde o início da semana). Precisamos saber até onde vai a responsabilidade do Santa Cruz quanto a isto para, a partir de então, pensarmos em alguma coisa”, afirmou.

O CASO

Na última terça-feira, a 12ª Vara do Trabalho do Recife bloqueou as receitas do Santa Cruz oriundas dos direitos de transmissão de TV. O mandado foi expedido pelo juiz Hugo Cavalcanti Melo Filho. O motivo teria sido o atraso no pagamento de três parcelas (cada uma no valor aproximado de R$ 250 mil) referentes à dívidas trabalhistas do clube tricolor.
A partir de agora, a TV Globo, responsável pelas transmissões do Santa Cruz, terá depositar os valores do contrato diretamente em uma conta da Justiça do Trabalho na Caixa Econômica Federal. Vale lembrar que, no ano passado, o clube já havia tido outros bloqueios de receita devido aos mesmos atrasos. Na ocasião, os bloqueios foram provenientes do programa Todos Com a Nota.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 02/4/2015

Cotas bloqueadas


COTAS BLOQUEADAS

Alexandre Arditti

A 12ª Vara do Trabalho do Recife bloqueou toda a receita do Santa Cruz oriunda dos direitos de transmissão de TV de suas partidas. O mandado foi expedido, nesta terça-feira (31), pelo juiz Hugo Cavalcanti Melo Filho. A decisão é motivada pelo atraso no pagamento de três parcelas (cada uma no valor aproximado de R$ 250 mil) do acordo que o clube tem com a Justiça para o pagamento de dívidas trabalhistas.
Em 2012, o Santa assinou um acordo com a 12ª Vara do Trabalho para pagar sua dívida em 100 parcelas mensais. No ano passado, por conta de atrasos nos pagamentos, a Justiça determinou o bloqueio de parte da receita proveniente do Todos Com a Nota. O problema é que o governo do Estado, detentor do programa, está em atraso com o repasse das verbas aos clubes.
O mandado expedido anteontem foi entregue à emissora de TV responsável pela transmissão das partidas corais. A partir de agora, a empresa terá que depositar os valores do contrato em uma conta disponibilizada pela Justiça do Trabalho na Caixa Econômica Federal. Esse dinheiro será rateado entre processos definidos por uma comissão da 12ª Vara.
Procurado pela reportagem do JC, o vice-presidente jurídico coral, Eduardo Lopes, disse que não se posicionaria sobre o assunto até o clube ser comunicado oficialmente do bloqueio das cotas de TV. “Não dá para dizer nada porque a TV Globo não nos comunicou formalmente sobre isso. Precisamos tomar ciência do teor do mandado para ver o que faremos”, disse.

RIVAIS

A decisão da 12ª Vara de bloquear as cotas de televisão do Santa não deve se estender aos rivais Sport e Náutico. Pelo menos foi o que disse o diretor da Justiça do Trabalho, o juiz André Pessoa Carvalho. Segundo ele, rubro-negros e alvirrubros vêm cumprindo o acordo.
O Sport, por sinal, está bem próximo de quitar sua dívida com a Justiça do Trabalho. Os rubro-negros dividiram o seu passivo em 36 parcelas, que chegam ao fim em dezembro. O Náutico, por sua vez, teve a receita da Arena Pernambuco bloqueada no ano passado por decisão da 12ª Vara para o pagamento do débito trabalhista.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 02/4/2015