sábado, 28 de fevereiro de 2015

Mais um Clássico das Emoções




Ricardinho faz mistério


Fotografia de Diego Nigro / JC Imagem

RICARDINHO FAZ MISTÉRIO

Felipe Amorim

Mistério. Essa será uma das táticas do técnico do Santa Cruz, Ricardinho, para tentar surpreender o Náutico, domingo, no segundo Clássico das Emoções do Campeonato Pernambucano. Além de realizar um treinamento fechado neste sábado (28), no Arruda, o comandante tricolor optou em não revelar seus jogadores titulares.
Com a volta de João Paulo, que cumpriu suspensão pela expulsão, fica a dúvida para saber se ele retorna à equipe ou se o jovem Raniel será mantido entre os 11. Além desse ponto de interrogação, há ainda a possibilidade de, caso João Paulo seja o escolhido, o volante Bileu ser mais uma vez deslocado para a lateral direita. Assim, o titular Moisés seria preterido mais uma vez e o time teria a composição de quando enfrentou o Salgueiro.
Só que o comandante optou pelo suspense. “Na minha cabeça já está resolvido, mas vou treinar um pouco amanhã (sábado) para observar mais e poder ter uma definição”, despistou Ricardinho.
Além dessas dúvidas, o técnico terá boas opções para o decorrer da partida, principalmente no ataque, onde já tem Anderson Aquino. Último jogador regularizado dos 16 contratados na temporada 2015, o atacante Nathan, enfim, teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF nesta sexta-feira e deve figurar no banco de reservas.

Veja as três prováveis formações do Santa Cruz para enfrentar o Náutico:

Opção 1 - Fred; Bileu, Alemão, Danny Morais e Renatinho; Edson Sitta, João Paulo, Raniel e Guilherme Biteco; Waldison e Betinho

Opção 2 - Fred; Moisés, Alemão, Danny Morais e Renatinho; Edson Sitta, Bileu, João Paulo e Guilherme Biteco; Waldison e Betinho

Opção 3 - Fred; Moisés, Alemão, Danny Morais e Renatinho; Edson Sitta, Bileu, Raniel e Guilherme Biteco; Waldison e Betinho

Fonte:Jornal do Commercio, Recife, 27/02/2015

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Raniel


RANIEL

Thaís Lima

Elemento surpresa no time titular do técnico Ricardinho, no clássico da última quarta-feira, o meia Raniel, de 18 anos, ainda precisa evoluir para demonstrar todo o seu potencial dento de campo. Mas, o que já demonstrou sob o comando de Ricardinho, é o suficiente para o atleta agradar ao técnico coral.
“Ele (Raniel) é um jovem. Teve bons momentos e momentos não tão bons. Essa oscilação dele no jogo é extremamente compreensível. Ele é muito novo e jogou um clássico. Tem personalidade, mas vai ter esse desequilíbrio. O importante é ter o entendimento. Nós temos que dar essa oportunidade”, disse Ricardinho.
O treinador tricolor ainda destacou que não é porque se tratava de um clássico que o jogador não seria escalado. O fato é que a entrada de Raniel no time titular foi uma surpresa para a torcida. E o meia quase marcou o dele na partida contra o rival alvirrubro. Quando o jogo ainda estava empatado em 1 a 1, Raniel, aos quatro minutos do segundo tempo, conseguiu passar por três adversário, mas chutou para fora. Perguntado sobre a possível titularidade do jovem atleta, Ricardinho afirmou que vai optar por quem estiver melhor no elenco.
“Quem estiver melhor vai atuar, independentemente da idade. Não era porque era um clássico, que não iria colocá-lo. Se jogador tem qualidade, pode jogar. Acho que ele tem um potencial enorme. É ir adequando ele ao clube para que ele cresça”, disse o técnico do Santa Cruz.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 26/02/2015

Bilhetes começam a ser vendidos hoje


BILHETES COEÇAM A SER VENDIDOS HOJE

A partir das 8h desta sexta-feira (27) começarão a venda dos ingressos para o segundo Clássico das Emoções do Campeonato Pernambucano. Os bilhetes custarão entre R$ 20 e R$ 120 e podem ser adquiridos nas sedes do Santa Cruz e Náutico.
O jogo entre tricolores e alvirrubros, neste domingo (1/3), às 16h, na Arena PE, é válido pela sexta rodada do Campeonato Pernambucano. Lembrando que o mando da partida é do Santa Cruz.

Preços
Sócio do Santa Cruz: R$ 20,00
Meia entrada/cadeira proprietário: R$ 25,00
Inteira: R$ 50,00
Setor Vip: R$ 120,00

Pontos de venda
Estádio do Arruda - das 8h às 18h (sexta e sábado); das 8h às 12h (domingo)
Estádio dos Aflitos - das 8h às 18h (sexta e sábado); das 8h às 12h (domingo)
* 15 mil ingressos estão reservados para o programa Todos Com a Nota


Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 26/02/2015

Ramon


RAMON

O grande artilheiro coral posa no Arruda e nós não conseguimos identificar o ano da fotografia. Como o anel superior do Estádio do Arruda foi inaugurado em 1982, achamos que a fotografia deve ser dessa época, embora tenhamos dúvidas se Ramon ainda estaria no Santa Cruz nesse ano. Fica a dúvida. Se alguém puder ajudar...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

TV Coral - Náutico 1x2 Santa Cruz - Pernambucano 2015


TV CORAL - NÁUTICO 1 x 2 SANTA CRUZ - PERNAMBUCANO 2015

Náutico 1 x 2 Santa Cruz


NÁUTICO 1 x 2 SANTA CRUZ

JC Online

Com apenas 4.626 espectadores, na noite desta quarta-feira (25/2), na quase “vazia” Arena Pernambuco, o Santa Cruz levou a melhor sobre o Náutico, 2x1, pela 5ª rodada do Hexagonal do Título do Pernambucano. O gol foi de Betinho aos 42 do segundo tempo. A vitória levou o tricolor da última colocação para a quarta, com seis pontos. O alvirrubro caiu da terceira para quinta, com cinco pontos. O resultado reabilita os corais e deixa o técnico Ricardinho assegurado no cargo. A pressão passou para o Timbu e o técnico Moacir Júnior.
Várias razões explicam o público decepcionante: o horário do clássico, marcado para começar às 22h, ausência do metrô para o retorno do torcedor às suas residências e a transmissão ao vivo pela televisão. Como comparativo, o jogo entre Serra Talhada e Salgueiro, também ontem, no Sertão, teve público maior: 4.859. No próximo domingo, tricolores e alvirrubros voltam a se enfrentar, mais uma vez na Arena, que por sinal está sendo alvo de uma análise de um grupo de trabalho do Governo do Estado, que está querendo se aprofundar sobre a viabilidade econômica do estádio.
O JOGO
O Santa Cruz começou assustando o Náutico. Com um minuto, o atacante Waldison finalizou de fora da área e a bola foi na trave direita de Júlio César. A partir daí, as duas equipes erraram muitos passes.
A emoção só veio a partir dos 27 minutos. Bruno Alves cobrou escanteio e o zagueiro Diego cabeceou. O volante Édson Sitta salvou. No contra-ataque, Raniel cruzou e Biteco finalizou, mas o lateral David evitou o gol tricolor. O jogo ficou mais aberto e aos 34 finalmente Patrick Vieira apareceu. Ele tocou para o volante Fillipe Soutto, que da esquerda, serviu a Renato. O atacante bateu colocado no canto esquerdo de Fred para fazer 1x0. O Santa Cruz foi atrás do empate. Em rebatida de bola de Júlio César, Biteco aproveitou o rebote e lançou para o zagueiro Alemão, que acertou uma bela virada no alto esquerdo para fazer 1x1, aos 42.
No segundo tempo, as duas equipes partiram para decidir. O Santa Cruz perdeu uma chance com Raniel, logo aos três. O Náutico respondeu. Aos oito, Renato, sozinho, mandou a bola no travessão. Depois as equipes voltaram a concentrar o jogo no meio de campo e as chances foram raras. Tudo indicava que o clássico ficaria no empate. Mas, aos 42, em um lance polêmico (o Náutico reclamou de falta), Emerson Santos tocou para Renatinho, que cruzou e Betinho sacramentou a virada: 2x1.

FICHA DO JOGO
NÁUTICO: Júlio César; David, Diego, Elivélton e Gastón Filgueira; João Ananias, Fillipe Soutto, Patrick Vieira (Helder Ribeiro) e Bruno Alves (Jefferson Nem); Renato (João Paulo) e Josimar. Técnico: Moacir Júnior.

SANTA CRUZ: Fred; Moisés (Nininho), Alemão, Danny Morais e Renatinho; Édson Sitta, Bileu, Raniel e Guilherme Biteco (Emerson Santos); Betinho e Waldison (Anderson Aquino). Técnico: Ricardinho.

Local: Arena Pernambuco. Árbitro: Gilberto Castro Júnior. Assistentes: Albert Júnior e Marcelino Castro. Gols: Renato aos 34, Alemão aos 42 minutos do 1º tempo, Betino aos 42 do 2º. Renda: R$ 110.605. Público: 4.626. Cartões amarelos: Júlio César, João Ananias (N), Danny Morais, Bileu, Alemão, Édson Sitta (S).

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O culpado



O CULPADO
 
Clóvis Campêlo

Sinceramente amigos corais, não acho que o goleiro Bruno tenha tido culpa direta na derrota do Santa Cruz para o Salgueiro, sábado passo, no Estádio do Arruda. Aliás, pelo que tenho escutado nas rádios do Recife, a crônica especializada tem emitido opiniões que batem com a minha. Mas, convenhamos, um goleiro que toma oito gols em quatro jogos - uma média altíssima de dois gols por partida para um clube da dimensão do Santa Cruz – precisa ser repensado. Até mesmo para ser preservado diante de uma torcida que começa a dividir com ele a culpa pelo início desastroso do time no Campeonato Pernambucano de 2015.
Mas, o grande acusado pelo desastre, na opinião do torcedor coral, é o treinador Ricardinho. Até agora, a nossa equipe não definiu um padrão de jogo convincente, marcando apenas duas vezes nesses quatro jogos, numa média baixíssima de 0,5 gol por partida. Ou seja, um time que leva muitos gols e não faz nenhum (ou faz poucos), só merece perder.
Para quem gosta de números e for observar o desempenho de Ricardinho à frente do Paraná Clube, sua equipe anterior como treinador, vai verificar que, em dezessete jogos, ganhou seis, empatou 7 e perdeu quatro, numa média de 35,29% de aproveitamento. No Santa Cruz, ele conseguiu se superar.
Uma outra coisa que nos intriga, é que montamos uma equipe com uma folha salarial superior à do ano passado e com um nível técnico bem menor. Como se explica isso?
Queira Deus que o Santinha não esteja aqui a repetir a derrocada de 2005, quando, de queda em queda, fomos parar na Série D do Campeonato Brasileiro de Futebol.
Observamos que no Campeonato Pernambucano atual não existe nenhuma equipe disparadamente superior. O time da Ilha assim se mostra por conta da estrutura mantida desde o ano anterior e por conta de uma melhor disponibilidade financeira para contratar. O restante - Náutico, Central, Salgueiro e Serra Talhada – são equipes medianas. Não tem cabimento que numa competição desse porte, o Santa Cruz seja o lanterna, ostentando o pior ataque e uma das defesas mais vazadas. Onde foi que falhamos?
Ao assumir o comando coral, aclamado sem opositor, Alírio Moraes prometeu mundos e fundos em termos de realização e projetos, chegando mesmo a ser chamado de Delírio Moraes por conta das suas propostas mirabolantes e nefelibatas. Confiante, a torcida acreditou, achando que a derrocada do ano passado talvez se devesse a uma questão momentânea e passageira.
Agora, todos nós achamos que o momento é de apreensão e mudanças violentas, antes que a vaca vá definitivamente para o brejo e a Cobra Coral se veja, mais um ano, submetida a situações de vexames e humilhações.
Já foi grande o nosso prejuízo no ano decepcionante do centenário coral. Perdemos o Estadual e o direito de disputar competições importantes como a Copa do Nordeste e a Copa do Brasil. Não podemos permitir que, este ano, a situação se repita.
Ninguém merece.
 

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Teresa, a poetisa coral



TERESA, A POETISA CORAL

Teresa é poetisa e artesã, além de ser torcedora doente do Santa Cruz. Para nós, na hora declamou diversos poemas dedicados ao clube do seu coração. Encontrei-a na Cia do Chope, em Boa Viagem, durante o carnaval, vendendo suas produções. Figura simples e dócil, mas bastante interessante. Anda com um recorte plastificado de jornal, onde consta uma matéria publicada no Diario de Pernambuco sobre ela. Deixo aqui a minha homenagem para essa mulher do povo, torcedora exemplar da Cobra Coral (Clóvis Campêlo).

Recife, fevereiro 2015

Fotografias de Cida Machado

Bruno se diz tranquilo


BRUNO SE DIZ TRANQUILO

Pedro Galindo

Foi extremamente decepcionante a derrota do Santa Cruz para o Salgueiro, pelo Campeonato Pernambucano, neste sábado. O time coral dominou o adversário durante o primeiro tempo, colocou três bolas na trave, mas não conseguiu transformar a superioridade em gols. E foi punido num lance em que Jefferson Berger foi às redes, depois do goleiro Bruno ter evitado que a primeira tentativa do Carcará abrisse o placar.
O goleiro tem sido bastante questionado desde que chegou ao clube, pela insegurança que vem transmitindo ao resto do sistema defensivo. Mas na saída do gramado, não fugiu das críticas e chamou a responsabilidade pelo resultado negativo, ainda que sua participação não tenha sido decisiva para a derrota. "Se tiver que jogar na minha conta essa derrota, pode jogar, porque tenho a cabeça boa para lidar com isso. Nenhum desses meninos merece essas vaias. Eu assumo a responsbilidade para esse trabalho continuar sendo bem feito", declarou.
Bruno lamentou o fraco aproveitamento dos atacantes tricolores na hora da finalização, mas continuou defendendo os garotos do elenco e o trabalho que vem sendo realizado pelo técnico Ricardinho. "O futebol é muito dinâmico. A gente acabou tomando um gol besta, fora isso foram só bolas alçadas. A gente acabou tendo azar na finalização. Mas o trabalho está muito bem feito e os meninos não merecem nenhuma dessas vaias", pontuou.
Cabeça erguida
Apesar das críticas e do mau momento individual e coletivo, o goleiro se mostrou tranquilo com a situação, e afirmou que não vai se deixar abalar. "Eu fui cobrado injustamente com os seis gols que acabei tomando, e hoje a gente perdeu em casa. Irritado, dando respostas mal educadas, você nunca vai me ver. vou continuar atendendo a todos sempre, independente de fazer uma boa atuação ou de tomar um gol embaixo das pernas", completou o camisa 1 tricolor.

Fonte: Diario de Pernambuo, Recife, 21/02/2015

Ricardinho pressionado


Fotografia de Peu Ricardo / Folhape

RICARDINHO PRESSIONADO

Gustavo Lucchesi

Quatro jogos e três derrotas. Apesar da evolução no futebol da equipe, o técnico Ricardinho já sofre com a forte pressão pelos resultados. A torcida continua desconfiada e o clássico de quarta-feira, contra o Náutico, pode ser decisivo para a permanência do treinador no Arruda. Depois da derrota para o Salgueiro, Ricardinho deu entrevista coletiva e falou sobre vários assuntos.

DERROTA PARA O SALGUERO

“Sem dúvida que nós tivemos um primeiro tempo com muitas oportunidades. Infelizmente não conseguimos concretizar em gol. Foi um pouco de ansiedade mesmo dos jogadores, falta de sorte também, mas faz parte do futebol. Levamos um gol num lance isolado e tudo virou. Conseguimos reagir, mas novamente pecamos nas finalizações”.

ABALO PSICOLÓGICO E RESPONSABILIDADE

Não podemos achar que perdemos o jogo só porque saímos atrás no marcador. Isso aconteceu contra o Sport e agora contra o Salgueiro. Isso não pode tirar nossa confiança. Precisamos acreditar um pouco mais e reagir. Mas a responsabilidade é minha e assumi o insucesso desses jogos.

VAIAS PARA BRUNO

Primeiro que a responsabilidade é minha. Eu que escalo os jogadores. Segundo é normal que quando você não consiga o resultado, você sair procurando culpados. Entendo o torcedor. Eu também sou um péssimo perdedor. O Bruno começou jogando a temporada, eu converso com o Bosco (preparador de goleiros) quase que diariamente e se tiver que tirar o Bruno ou não, isso é uma decisão minha.

CARGO À DISPOSIÇÃO

Isso é mentira. Não houve essa conversa e essa informação está furada.

AUSÊNCIA DE BRUNO MINEIRO E ANDERSON AQUINO

Eu sempre enalteço a presença. Eles fazem falta, mas dou prioridade para quem está jogando.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de Pernambuco, Recife, 21/02/2015

Santa Cruz 0 x 1 Salgueiro




Fotografias de Alexandre Gondim / JC Imagem

SANTA CRUZ 0 x 1 SALGUEIRO

Não foi desta vez que o Santa Cruz exorcizou o fantasma do Salgueiro. Neste sábado, o tricolor foi derrotado por 1x0 pelo Carcará, no Arruda, em partida válida pela 4ª rodada do Hexagonal do Título do Campeonato Pernambucano. Com o resultado, a equipe coral volta a amargar a lanterna desta fase, somando apenas três pontos. O Salgueiro, que ganhou o terceiro lugar do Santa ano passado, conseguiu a reabilitação e ganhou duas posições, subindo para o quarto lugar – os sertanejos podem cair para o 5º lugar caso o Serra Talhada supere o Sport neste domingo.
Já o Santa Cruz se complica ainda mais no Estadual. Isso porque das quatro rodadas disputadas no certame, o tricolor reúne três derrotas e apenas um triunfo. Para piorar a situação, o time coral terá uma semana decisiva com dois clássicos seguidos contra o Náutico, ambas as partidas marcadas na Arena Pernambuco - a primeira na quarta-feira e a segunda no próximo domingo.

O JOGO
Sem contar com Bruno Mineiro e Anderson Aquino, lesionados, Ricardinho formou o ataque com Betinho e Waldison. A grande surpresa foi a escalação do volante Bileu, improvisado na lateral direita. Moisés foi sacado da equipe. Em campo, o Santa começou o jogo mais ofensivo, comandando a posse de bola na área do rival.
Resultado disso foi o predomínio da equipe coral, que logo no primeiro minuto encontrou espaço na área do Salgueiro com Guilherme Biteco, que lançou Betinho. O atacante chutou para fora. Inclusive, o meia tricolor foi o destaque da primeira etapa. Com a bola no pé, ele protagonizou os principais lances do Santa. Aos 16, cobrou falta e assustou o goleiro Luciano. Enquanto o Santa Cruz atacava, o Salgueiro se defendeu como pôde. Emerson Santos, Renatinho, Biteco e Betinho tentaram, sem sucesso.
O Salgueiro voltou com postura completamente diferente depois do intervalo. Tanto que, depois de acertar uma bola no travessão, Berger abriu o placar, aos nove minutos. O Carcará continuou pressionando o Santa Cruz ao longo da partida, ao mesmo tempo que o tricolor tentou reverter o resultado. Betinho ainda colocou três bolas na trave, mas não conseguiu evitar a derrota por 1x0.

Fonte: JC Online

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Cuidados com o Salgueiro



CUIDADOS COM O SALGUEIRO

Carolina Fonsêca

A temporada de 2014 não teve saldo positivo para o Santa Cruz. Entre as memórias que os tricolores gostariam de apagar, estão as eliminações da Copa do Nordeste e da Copa do Brasil pelo Salgueiro. Mas é inevitável não lembrar disto quando o próximo adversário no Campeonato Pernambucano é justamente o Carcará.
O lateral Renatinho reforça que a equipe do Sertão é um time carimbado e que todo cuidado é pouco. “O Salgueiro foi nosso jogo mais difícil. Nos eliminou da Copa do Brasil e da Copa do Nordeste. Agora precisamos dar a volta por cima, chegar e conquistar as vagas que perdemos”, disse.
No ano passado, o Tricolor vinha de um tricampeonato pernambucano além da conquista do Campeonato Brasileiro da Série C, o que gerou muita expectativa para o ano de 2014 do Santa. E muitas frustrações também. Renatinho citou que foi o “pior ano”, mas que agora é a vez da equipe coral se impor. “O Santa é uma equipe grande. Tem que se impor, mas tem que ter cuidado. O Salgueiro é uma equipe carimbada, está jogando a Copa do Nordeste. Precisamos entrar focados para sairmos com os três pontos”, concluiu.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 20/02/2015

Indefinições


INDEFINIÇÕES

Felipe Amorim

Por conta de alguns jogadores em observação no Departamento Médico, o técnico Ricardinho vai esperar até momentos antes da partida para saber com qual time o Santa Cruz enfrentará o Salgueiro, neste sábado (21), no Arruda, pela quarta rodada do Campeonato Pernambucano.
Depois do jogo contra o Central, na quarta-feira, os meias João Paulo e Renatinho, o zagueiro Alemão e o atacante Waldison deixaram o campo com um desgaste físico acima do normal. No treino desta sexta, por sinal, Renatinho e Alemão não treinaram com o restante do elenco. Por isso a cautela do comandante tricolor.
“Devido a algumas avaliações, tivemos que tirar alguns jogadores do treinamento de hoje e por isso vou esperar ate amanhã para definir o time. Isso mexe um pouco com a nossa escalação, mas espero mexer o mínimo possível em relação ao jogo do Central”, disse Ricardinho.
Com Anderson Aquino novamente vetado pelo DM por conta de uma entorse no tornozelo esquerdo, cogitou-se a possibilidade de Waldison iniciar a partida ao lado de Betinho. Assim, Emerson Santos poderia deixar o time titular, que passaria a atuar novamente no 4-4-2.
O provável time para enfrentar o Salgueiro deve ser montado com Bruno; Moisés, Alemão, Danny Morais e Renatinho (Leo Veloso); Edson Sitta, Bileu, João Paulo e Guilherme Biteco; Waldison (Emerson Santos) e Betinho.
Agora independente da escalação, uma coisa não mudará no Santa Cruz: a forma de atuar. “A nossa postura vai ser a mesma, de um time que busca o resultado. Essa vitória será importante para nós darmos um passo maior no campeonato. Por isso vamos tomar a iniciativa desde o início do jogo, procurar ter mais posse de bola e envolver o adversário numa forte marcação”, completou o treinador tricolor.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 20/02/2015

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Renovado


RENOVADO

Thaís Lima

O Santa Cruz terá pela frente uma maratona de quatro jogos em 12 dias, no Estadual. A vitória sob o Central, na última quarta-feira, o primeiro êxito dos corais no Campeonato Pernambucano deste ano, foi a primeira partida das quatro que os tricolores disputarão até o dia 1º de fevereiro. Neste período, o Santa Cruz ainda jogará dois clássicos contra o Náutico e uma partida contra o Salgueiro.
Fora da disputa da Copa do Nordeste e da Copa do Brasil, o Santa Cruz disputará apenas o Campeonato Pernambucano antes do começo da Série B 2015. A sequência, portanto, é fundamental para o time ampliar o número de partidas nos primeiros meses do ano, avançando para as semifinais e, assim, garantindo uma renda maior. Além disso, a equipe precisa se colocar entre os três primeiros colocados da competição para garantir vaga no Nordestão de 2016.
Para o técnico do Santa Cruz, Ricardinho, o elenco coral ainda está em evolução e precisará de mais algum tempo para conseguir o entrosamento ideal. O treinador acredita que os erros cometidos pela equipe tricolor no Pernambucano são dignos de um time que foi recém-montado.
No Estadual, a equipe de Ricardinho, com a vitória por 2 a 1 sob o Central, está de volta à briga pelo G4. Na quinta colocação na tabela do hexagonal do título, os tricolores somam três pontos. O líder, Sport, tem nove. Já o adversário do Santa Cruz no próximo sábado, o Salgueiro, é o lanterna da competição, com apenas um ponto.

Confira os próximos jogos do Santa Cruz no Pernambucano

Santa Cruz x Salgueiro - 21/02/2015 (Arruda)
Náutico x Santa Cruz - 25/02/2015 (Arena Pernambuco)
Santa Cruz x Náutico - 01/03/2015 (Arruda)


Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 19/02/2015

Com moral


COM MORAL

Fernando Barros

Dentre os atuais atacantes do elenco do Santa Cruz, há um que já ganhava destaque antes mesmo da temporada começar. Sempre que entrava em campo, Betinho arrancava exageradas reações das arquibancadas. Entretanto, a catarse coletiva era despertada muito mais pelos gols perdidos do que pelo que o centroavante apresentava
Por isso era o homem de frente mais criticado do grupo coral. Na vitória sobre o Central – a primeira do Tricolor no ano – Betinho voltou a passar em branco. Mas escapou das críticas. Tudo porque foi responsável direto pelos dois gols, dando os passes para Guilherme Biteco e João Paulo marcarem. Agora, com mais confiança, o contestado jogador ganhou sobrevida no clube.
“Início de temporada é difícil, principalmente para mim, que acabei o ano passado jogando pouco, porque tive duas lesões musculares”, justificou, ao comentar sobre o seu desempenho na equipe. “Mas sei que posso crescer, melhorar e ajudar o Santa Cruz. Em começo de temporada, você pensa e as pernas não obedecem. Voltei agora e fizemos uma boa partida e fiz o que o professor pediu. O mais importante é que o Santa saiu com a vitória”, reforçou, sem se sentir incomodado com a falta de gols marcados. “Não estou muito preocupado com isso, não. Foram apenas dois jogos e tenho muito a melhorar ainda.”
E nada como ter sido fundamental na vitória para o centroavante ganhar moral. Agora, Betinho garante que nem se preocupa com a forte briga pela posição no elenco. “Confiança é tudo. Perdi confiança no início da temporada, mas estou focado. Aqui, todos os atacantes vão jogar”, assegurou. “Independente de nome, quem estiver melhor vai jogar e estou trabalhando forte para isso. Sei que tenho condições de ser titular. Ninguém tem cadeira cativa aqui”, sentenciou o jogador.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, Recife, 19/02/2015

Mais confiante


MAIS CONFIANTE

Felipe Amorim

Nada como uma vitória para a tranquilidade reinar novamente no Santa Cruz. Depois de um início ruim no Campeonato Pernambucano, a equipe tricolor conseguiu vencer o Central e deixou os ânimos dos críticos mais calmos. Para o zagueiro Danny Morais, o resultado dará mais segurança nos próximos três desafios dos corais na competição.
“O trabalho estava sendo bem feito e no caminho certo, mas acontece é que no futebol precisamos do resultado, mas não podíamos colocar o nosso trabalho à prova. Agora não há como negar que essa reação nos deixa mais tranquilos para encarar os próximos desafios”, assegurou o zagueiro.
A partida contra o Central, fora de casa, abriu uma sequência de quatro jogos em 12 dias. É a primeira “maratona” da equipe na temporada. No sábado (21), o confronto será diante do Salgueiro, no Arruda. Depois, na quarta-feira (25), terá o clássico contra o Náutico, na Arena Pernambuco. Por fim, no dia 1º de março, o confronto se repetirá no mesmo local, mas agora com o mando a favor dos tricolores. Ou seja, se conseguir sair com um saldo positivo nos próximos três jogos deixará encaminhada a classificação às semifinais do Pernambucano.
Agora apesar do “caráter decisivo”, Danny Morais tratou de não colocar mais pressão num elenco que está se acertando dentro da competição. “Não vejo como sequência mais difícil que vamos encarar. Se você analisar direito, começamos o campeonato contra o Sport e depois tivemos dois jogos fora de casa”, rebateu o zagueiro, que completou em seguida: “Acho que o nosso time vem numa crescente e, independente do adversário, temos condições de brigar pela vitória com qualquer um”.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 19/02/2015

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Uma vitória só não basta!


UMA VITÓRIA SÓ NÃO BASTA!

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, a imagem acima mostra bem o que foi o nosso desempenho no jogo de ontem, em Caruaru: raça! E não poderia ser diferente. Quem joga num clube como o Santa Cruz deve sempre repetir a palavra superação. Colocar o coração na ponta de chuteira e remover com convicção as possíveis pedras do caminho.
Na verdade, começamos mal o campeonato e precisávamos de uma vitória reabilitadora. A de ontem, nos serve. Depois das duas derrotas iniciais, vencer o Central em Caruaru tornar-se o símbolo de uma virada definitiva no Estadual 2015.
Na verdade, perdemos para o time da Ilha, no primeiro jogo, depois de um primeiro tempo equilibrado e de uma desatenção generalizada na segunda etapa. Apesar do placar elástico, uma derrota até certo ponto esperada, haja vista o nosso desentrosamento e falta de um melhor preparo físico, diante de uma equipe bem armada e com um esquema tático já bem definido.
A segunda derrota pelo mesmo placar, porém, diante de uma equipe tecnicamente inferior, deixou-nos com a pulga atrás da orelha e com a impressão de que as mudanças foram insuficientes ou equivocadas. Jogamos em Serra Talhada de forma infantil e improdutiva. Um ataque inexistente, um meio de campo inoperante e uma defesa claudicante, além, é claro, da mais completa indefinição tática.
Ontem, em Caruaru, diante de uma equipe que tem a segunda melhor campanha do torneio até o momento, conseguimos nos impor e sair de campo vencedores. Pode até parecer pouco, mas não é. Precisamos ainda mudar e melhorar, porém.
Por exemplo, um goleiro – Bruno - que toma sete gols em três jogos, precisa ser reavaliado. A defesa precisa ter mais agilidade. Temos um zagueiro pesadão – Danny Morais - que não pode nunca sair para dar o primeiro combate. E dois cabeças de área – Bileu e Edson Sitta – que precisam guarnecer mais a defesa, priorizando mais a marcação para aliviar a zaga.
Ou seja, a vitória, embora tenha sido importante, ainda não serve para nos dar a tranquilidade e a confiança necessária. No próximo sábado, no Arruda, contra o Salgueiro, teremos a oportunidade ideal para estabelecer esse nível de competência e confiabilidade.
Não é muito o que nós, torcedores, queremos: apenas outra vitória e um pouco mais de futebol convincente. Que a equipe evolua tática e tecnicamente para a alegria da imensa massa coral, que, certamente, vai invadir as Repúblicas Independentes do Arruda em busca da vitória e da devida afirmação.
Pra frente, Santinha! Sempre!

Alívio


ALÍVIO

Yuri de Lira

A pressão começava a pairar no Arruda. Eram duas derrotas por 3 a 0 nas primeiras rodadas do estadual e o trabalho do técnico Ricardinho e do novo grupo coral já era contestado. Depois de ganhar do Central por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, em Caruaru, os jogadores tricolores não esconderam o alívio pela primeira vitória no Campeonato Pernambucano.
"Precisávamos vencer para ganhar essa confiança. Nos faltava mais tranquilidade. Tem hora que ter tempo para trabalhar", disse o volante e capitão Edson Sitta, que já planeja o duelo do próximo sábado, quando o Santa enfrenta o Salgueiro, no Arruda. "Agora é poder descansar que sábado tem mais. É dar sequência, corrigir os erros, minimizar as falhas e aperfeiçoar os acertos. Esperamos dar uma alavancada na competição."
Autor do segundo gol coral, o meia João Paulo também comemorou o resultado no Lacerdão para o seguimento do campeonato. "A vitória foi merecida. Tirando os nossos primeiros 20 minutos, quando a gente não se encontrou em campo e demorou para se arrumar na marcação, fizemos um grande jogo. Temos só que sair feliz pela atuação e pela dedicação", contou.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 18/02/2015

Ricardinho comemora


RICARDINHO COMEMORA

Fernando Barros

O começo de temporada para o Santa Cruz não foi fácil. Depois de perder a Taça Chico Science, em casa, e ser atropelado por Sport e Serra Talhada, o pior parecia se desenhar no horizonte coral. Mas nada como uma vitória para apagar as últimas más impressões. Em Caruaru, o Tricolor bateu o Central e o treinador dos visitantes ressaltou a importância do triunfo.
“Nós precisávamos desse resultado. Nós estamos ainda em formação. E isso requer tempo para entrosar, adaptar e ter todas as peças bem colocadas, mas a vitória é importante para resgatar a confiança dos jogadores novamente e futebol não se arruma de um dia para o outro”, teorizou. “A vitória nos traz satisfação, a confiança é retomada e isso faz muito bem para o nosso trabalho, mas a nossa equipe ainda deve, e vai, evoluir muito”, garantiu o comandante coral.
Mesmo tendo saído de campo vitorioso, Ricardinho voltou a bater na tecla de que a torcida precisa ter paciência com o time. “O torcedor tem que entender que estamos no começo, e está entendendo, mas é mais fácil entender isso com vitórias”, explicou. “Foi um jogo difícil, na casa do adversário, mas fomos competitivos. Poderíamos até ter feito o terceiro ou quarto gols no segundo tempo”, relembrou, destacando a superioridade do Tricolor ao longo da partida.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de Pernambuco, Recife, em 18/02/2015

Central 1 x 2 Santa Cruz


CENTRAL 1 x 2 SANTA CRUZ

Felipe Amorim

O futebol apresentado estava em segundo plano. Na partida contra o Central, na noite desta quarta-feira (18), em Caruaru, o mais importante eram os três pontos. E depois de duas derrotas, o Santa Cruz finalmente venceu no Campeonato Pernambucano. O placar de 2x1, com passes de Betinho para gols de Biteco e João Paulo, foi construído na base da disposição, é verdade, mas agora o time terá mais tranquilidade para se recuperar na competição.
Com três pontos em três partidas, o Tricolor deixou a lanterna e agora é o quinto colocado. No sábado, volta a campo para enfrentar o Salgueiro, às 18h30, no Arruda.

O JOGO

Logo no minuto inicial, o goleiro centralino se atrapalhou na saída da jogada e a bola acabou nos pés de Emerson Santos. O meia, que não esperava o erro, acabou não aproveitando a chance e perdeu a primeira boa oportunidade da partida, quando Beto se recuperou a tempo e evitou o pior.
Apesar da vontade, o Santa Cruz continuava pecando no último passe na hora de concluir as jogadas, algo recorrente nas duas partidas anteriores. Só quando caprichou foi que saiu o primeiro gol. Aos 16, depois do lateral cobrado por Renatinho, a bola parou na pequena área com Betinho. o atacante segurou a marcação de dois defensores, fez o pivô e deu voltando para Guilherme Biteco bater de primeira e abrir o placar no Lacerdão: 1x0.
Mesmo atrás no placar, o Central não se abateu e foi para cima. Três minutos depois achou o empate. Apesar de ter explorado bastante o lado direito tricolor, onde Moisés não conseguia levar vantagem frente ao lateral-esquerdo Éverton, o gol da Patativa nasceu no lado oposto. Após um cruzamento na direita de Fabinho, a zaga coral falhou com Alemão e Moisés, e Candinho igualou tudo de cabeça.
Para os 45 minutos finais, o Santa Cruz voltou com uma alteração. O atacante Waldison foi acionado no lugar de Moisés. Assim, o time passou a ter o volante Bileu improvisado na direita.
O Santinha, porém, continuava devendo um melhor futebol e atacava mais na base da transpiração. Mas à essa altura, o que valia eram os três pontos e a primeira vitória.
Aos 15, Waldison avançou pela esquerda e mandou na área. Betinho, que havia errado em duas jogadas anteriores, agora acertou no pivô para João Paulo. O meia, com categoria, acertou o ângulo num belo chute para dar a primeira vitória ao Santa Cruz na competição.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 18/02/2015

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Um novo time


UM NOVO TIME

Yuri de Lira

O Santa Cruz volta a campo e enfrenta o Central nesta quarta-feira, no Lacerdão. Ricardinho irá mudar peças para vencer a Patativa soerguer o time no estadual. Mesmo após uma semana de excessivos testes, confirmou a escalação com quatro alterações na equipe. Uma já esperada: Alemão volta após suspensão. Na lateral esquerda, por sua vez, Renatinho ganha o posto de Léo Veloso. Já no ataque, Betinho foi o escolhido para substituir Bruno Mineiro. Na criação, João Paulo irá, enfim, estrear pelo clube. O técnico, porém, tem ainda uma dúvida. Isso porque Anderson Aquino pode não atuar.
Aquino viajou com a deleção para Caruaru nesta terça, mas segue como dúvida - já que saiu do treino da última segunda com uma torção no tornozelo. Caso não jogue, o meia Emerson Santos ocupa a sua vaga. Assim, o Santa Cruz deixaria o 4-4-2 e passaria ao 4-5-1. "Não deve ser grave, mas a gente tem que aguardar a situação do Aquino um pouquinho", indicou Ricardinho. A outra posição do ataque, por sua vez, está confirmada com o contestado Betinho. Foi o escolhido para substituir Bruno Mineiro - machucado na coxa por, no mínimo, 15 dias.
O técnico tricolor ainda explicou o motivo de não acionar Waldison. "É um jogador que vem de contusão (muscular) e a condição dele ainda não é a ideal para se iniciar um jogo. De repente, a gente queima uma substituição. Vamos utilizá-lo, mas com critério."
Na meia, ao lado de Guilherme Biteco, João Paulo irá, finalmente, estrear pelo Tricolor. Em 27 de janeiro, o atleta havia sofrido uma entorse no joelho esquerdo. Só foi treinar com o restante do grupo do Santa Cruz na terça-feira da semana passada e acabou figurando entre os titulares em todas as atividades.
Dessa maneira, o Santa Cruz vai atuar com a seguinte formatação: Bruno; Moisés, Alemão, Danny Morais e Renatinho; Edson Sitta, Bileu, Guilherme Biteco e João Paulo; Anderson Aquino (Emerson Santos) e Betinho.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 17/02/2015