quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

A recuperação de Tiago Cardoso


Fotografia de Rafael Brasileiro/Diário de Pernambuco

A RECUPERAÇÃO DE TIAGO CARDOSO

O Santa Cruz não terá dor de cabeça para começar o ano sem o goleiro Tiago Cardoso. Fred renovou o contrato e não deve ter concorrentes pela vaga de titular no Campeonato Pernambucano. Porém, mesmo longe do Recife, Tiago Cardoso vem trabalhando forte para retornar 100%.
Aproveitando as férias com a família em Curitiba, o Paredão do Arruda evita as entrevistas, mas como está a recuperação do ídolo coral não é mistério algum no Arruda. Segundo o fisioterapeuta Bartolomeu Carlos, o goleiro ainda está com o joelho imobilizado com uma tala que só é retirada para fazer os exercícios de recuperação. “Ele só tira a tala para fazer os exercícios e fica imobilizado durante o resto do dia. Essa lesão dele pede mais repouso do que movimentação e os exercícios são mais para reforçar a musculatura”, explicou.
Apesar da distância do clube e da equipe de fisioterapeutas, Bartolomeu explicou que conversa com Tiago Cardoso diariamente para saber como anda a recuperação do goleiro. “Passamos um protocolo de exercícios para ele fazer e estamos em contato direto com ele para supervisionarmos. Ele já está lá (em Curitiba) há cerca de 30 dias, mas nesse tipo de lesão não atrapalha a distância. Além disso ele é bastante dedicado e segue a cartilha de tratamento à risca”, contou o fisioterapeuta.
Os exercícios de cerca de 1h40 por dia e a dedidação de Tiago Cardoso poderiam significar um retorno mais rápido do que o esperado, mas não é isso que se espera no Arruda. “Eu acho difícil acelerar algo. Lógico ele terá avaliações constantes e que pode ocorrer, mas nesse tipo de lesão não é tão simples”, esclareceu Bartolomeu.

Fonte: Diário de Pernambuco, Recife, 30/12/2014

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O futuro de Caça-Rato


O FUTURO DE CAÇA-RATO

João de Andrade Neto

Ídolo e folclórico, o atacante Flávio Caça-Rato terá seu futuro definido no Santa Cruz nos próximos dias. Com o seu contrato com o tricolor encerrando na próxima terça-feira, a diretoria coral espera um posicionamento do técnico Ricardinho sobre o jogador. Se ele está ou não nos seus planos para 2015. O jogador tem propostas do Remo, do técnico Zé Teodoro, que trabalhou com Caça Rato no Santa Cruz.
"Tudo vai depender do treinador. Ele disse que até o término do contrato teria uma definição e vamos aguardar. Por enquanto, ele não nos passou nada", afirmou o vice-presidente tricolor, Constantino Júnior.
"Caça-Rato é um jogador com serviços prestados ao Santa Cruz. Mas isso não garante a sua permanência. Assim como o fato dele ter tido uma temporada apagada não significa automaticamente que ele irá sair. O futuro dele passa pelo treinador", pontuou Tininho. "Só temos que agradecer tudo o que ele fez", completou o dirigente, em um tom quase de despedida.
No Arruda desde segundo semestre de 2011, Flávio Caça Rato nunca se consolidou titular absoluto do Santa Cruz. O que não o impediu de virar ídolo no clube, onde conseguiu dois acessos (Séries D e C) e dois títulos estaduais (2012 e 2013). No ano passado, brilhou com gols na final do Pernambucano contra o Sport, no jogo do acesso diante do Betim e do título da Série C frente o Sampaio Corrêa.

Fonte: Diário de Pernambuco, 29/12/2014

Esbarrando nos detalhes


ESBARRANDO NOS DETALHES

O dia a dia do Santa Cruz tem sido de muita cautela nos bastidores. A palavra “detalhes” é a preferida dos dirigentes tricolores, que até agora não conseguiram oficializar muita coisa em termos de renovação e contratações. Com o revéillon batendo às portas do clube, é possível – e bem provável – que as novidades tão esperadas pela torcida fiquem mesmo apenas para os primeiros dias de 2015. As expectativas maiores, no momento, recaem sobre o zagueiro Alemão.
O defensor quer ficar no time coral e o Santa já chegou a um acerto com o Salgueiro. No entanto, resta combinar qual será o salário com o jogador, já que no ano passado o valor era dividido entre o Mais Querido e o Vitória. Desta vez, o tricolor pernambucano tem que arcar com todo o montante, o que está atrasando a batida do martelo.
“A prioridade, por conhecer Recife e gostar do clube é (ficar) aqui. A torcida é apaixonada e vai ao estádio. Quando você entra em campo e vê isso, é muito importante. Espero que em 2015 seja um ano renovado para o clube. Quero fazer parte disso”, disse Alemão, que afirmou ter recebido propostas de outros clubes.
Outra renovação em andamento no Arruda é a do lateral-direito Tony. Segundo o Santa Cruz, está tudo certo com o Grêmio, time que detém os seus direitos econômicos. No entanto, falta a esperada assinatura de contrato. Um pequeno detalhe que faz toda a diferença entre o que é ou não oficial. Neste quesito, até agora só se encaixam as renovações do volante Bileu e do goleiro Fred, além da contratação do atacante Waldison, 30 anos, ex-Fortaleza.

Fonte: JC Online, 29/12/2014

sábado, 27 de dezembro de 2014

O tamanho do buraco


O TAMANHO DO BURACO

Emanuel Leite Jr

Fruto de más gestões e políticas de contratações perdulárias, as dívidas trabalhistas dos clubes são uma consequência nefasta para a saúde financeira dos clubes. Os três grandes do Recife sofreram e ainda sofrem com ações na Justiça do Trabalho que comprometem parte significativa de seus orçamentos. O Sport, entretanto, caminha para ser exceção. O rubro-negro tem uma dívida de R$ 5,8 milhões, que deve ser sanada em breve. Ao passo que Náutico e Santa Cruz têm que gerir um pesado passivo: R$ 23,4 milhões dos alvirrubros, R$ 46,5 milhões dos tricolores. Essas são as dívidas junto à 12ª Vara da Justiça do Trabalho.
Desde julho de 2003, a 12ª Vara do Trabalho do Recife se tornou o responsável pela concentração das execuções dos processos contra os três clubes da capital. Ou seja: as ações correm normalmente em todas as varas trabalhistas e quando não há mais o que ser discutido, vão para a 12ª, a fim de se fazer o acordo para o pagamento. Para isso, 20% das rendas de cada clube são depositadas em uma conta, administrada pela vara, que tem o juiz Hugo Melo como responsável.
Desde então, dentre conciliações, quitações e acordos pagos, quase 800 ações foram solucionadas por Náutico, Santa Cruz e Sport. “Dr. Hugo Melo é uma pessoa que contribui muito com o futebol de Pernambuco, pois permite, através da concentração na 12ª vara, o pagamento de receitas mensais que são depositadas em conta específica. Assim, protege-se o patrimônio dos clubes, principalmente de Náutico e Santa Cruz”, faz questão de enaltecer Gustavo Ventura, jurista e vice-presidente de futebol alvirrubro.
Não é por acaso que Ventura elogia a atitude do magistrado. Mesmo tendo solucionado mais de 300 processos, o Náutico ainda tem outros 118 na 12ª Vara, que somam um débito de R$ 23.470.086,84. “Esse quadro do nosso passivo trabalhista é antigo, vem de décadas. Todos os gestores, ao longo de suas administrações, vêm pagando. E não é diferente conosco. Só neste ano pagamos em torno de R$ 3 milhões”, esclarece Ventura.

SANTA CRUZ

Com uma dívida que corresponde a praticamente o dobro da alvirrubra (R$ 46.547.786,03), o Santa tem cumprido com os acordos firmados. Além disso, de acordo com Eduardo Lopes, advogado do tricolor, desde o primeiro dia da gestão de Antônio Luiz Neto o clube tem procurado estancar as dívidas. “Antes dele, quando alguém era desligado do clube se mandava procurar o direitos na Justiça. Nós tentamos fazer acordos, evitando novas ações”, explicou.
Prudente, Eduardo Lopes evita falar em período para que a dívida coral seja sanada. “O pagamento é de 20% sobre a receita do clube. Quanto mais o clube arrecadar, mais esse montante aumenta, ou seja, mais dinheiro vai para a 12ª vara. Hoje, em média, recolhemos R$ 250 mil por mês”, informa. “Por isso, não posso dar um prazo para extinguirmos esse passivo trabalhista. Vai depender da nossa arrecadação”, conclui.

Fonte: Diário de Pernambuco, 20/12/2014

O sonho da Arena Coral


O SONHO DA ARENA CORAL

Haim Ferreira

Apesar de ter deixado o cargo mais importante do Santa Cruz, o ex-presidente do executivo, Antônio Luiz Neto continua ativo dentro do Arruda. Agora, à frente da Comissão Patrimonial, o cartola terá como principal objetivo tirar do papel um antigo sonho da torcida tricolor – a Arena Coral.
Segundo o dirigente, embora o assunto não tenha sido comentado com frequência nos últimos meses, a transformação do estádio em uma arena multiuso com capacidade para 65 mil torcedores nunca saiu das pautas tricolores. “Sei que o patrimônio do Santa Cruz é grande e está precisando ser observado. Vamos fazer um diagnóstico do nosso estádio em conjunto com a torcida para que possamos encontrar um caminho de restauração. Esse será um importante passo para que possamos continuar crescendo”, argumentou.
De acordo com Antônio Luiz Neto, as conversas com empresas interessadas na reforma do estádio seguem avançando. “Nos últimos quatro anos nós alavancamos as negociações com alguns grupos empresariais nacionais. As conversas estão bastante adiantadas e pretendemos dar continuidade nessa nova gestão. Preferimos guardar aquilo que eles nos solicitaram, mas posso adiantar que diz respeito à modernização das estruturas físicas do Arruda e a criação de um centro de compras”, complementou o ex-presidente.
Conforme o último projeto desenhado pelo arquiteto Silvio Andrade Lima e que foi entregue pelo próprio Antônio Luiz Neto, em 2012, à Prefeitura do Recife, a reforma visa a modernização e ampliação da capacidade do Arruda para 65 mil torcedores, o que Caso a tornaria o estádio tricolor o quinto maior do país.
Além disso, a modernização também prevê a construção de 160 camarotes, novas rampas, instalação de uma nova cobertura metálica e estacionamento para dois mil carros. Ao todo, a Arena Coral está orçada em R$ 200 milhões.

Fonte: JC Online 26/12/2014

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Profissionalizar a gestão


PROFISSIONALIZAR A GESTÃO

Haim Ferreira

Profissionalizar a gestão será uma das principais metas do Santa Cruz em 2015. Pelo menos é o que garante o vice-presidente do clube coral, Constantino Júnior. De acordo com o cartola, o planejamento para a próxima temporada vai passar diretamente pela contratação de uma empresa especializada em consultoria administrativa, que será responsável por traçar um planejamento estratégico para o Tricolor do Arruda.
O objetivo é engajar profissionais especializados e remunerados para assumir cargos que, antes, eram ocupados por torcedores colaboradores. Com isso, a expectativa da nova diretoria é repensar a forma como o Santa Cruz é coordenado, seja na suas áreas financeiras e de marketing, assim como em seus departamentos e diretorias.
"Essa reformulação já começou. Já tivemos a primeira reunião com a empresa e definimos que o projeto será dividido em quatro fases ao longo de um ano. Eles vão analisar como o clube está sendo gerido atualmente e quais objetivos pretendemos alcançar", argumentou Constantino.
Entre as ações programadas entre a diretoria Santa Cruz e a empresa responsável pela consultoria estão a integração entre os setores do clube e a transparência nas prestações de contas. "Queremos fazer uma autocrítica. Quando você vislumbra uma estrutura maior e ainda esbarra em questões financeiras, é preciso se organizar. O objetivo é trazer uma visão mais empresarial e corporativa ao clube, além de melhorar os nossos rendimentos internos", finalizou.

Fonte: JC Online, 25/12/2014

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Pés no chão


PÉS NO CHÃO

Haim Ferreira

Pés no chão. Durante os dois últimos anos, essa foi a filosofia de trabalho do ex-presidente Antônio Luiz Neto à frente do Santa Cruz e principal compromisso do seu suplente, Alírio Moraes. Quitação de dívidas, controle financeiro e, principalmente, os títulos, foram apenas alguns dos legados que a nova diretoria executiva tricolor se propôs dar continuidade.
Apesar da ideologia de prosseguimento, pelo menos no discurso, Alírio pretende alçar voos mais altos. Desde que tomou posse do cargo mais importante do Santa Cruz, o gestor já prometeu tirar do papel a construção de um centro de treinamentos, ampliar a capacidade do Arruda, lançar um programa que triplique o quadro de sócios, além de contratar jogadores midiáticos para a próxima temporada.
Com tantos projetos em mente, a direção coral garante que a saúde financeira do clube não será afetada. “Na última gestão, o Santa Cruz conseguiu sanear as suas dívidas e está prestes a obter a certidão de débitos negativos. Isso já é um divisor de águas para nós, porque o clube estava tendo muitos prejuízos financeiros. Hoje, temos uma verba garantida para o próximo ano, que antes iam para os seus credores por conta da justiça. Esse dinheiro, agora, fará parte do nosso fluxo de caixa. Ou seja, já temos um ativo em mãos que não tinhamos antes”, afirmou o presidente do conselho deliberativo do Santa Cruz, Sylvio Ferreira.
Para se ter ideia, neste ano, o Santa Cruz teve 60% da sua renda bloqueada por parte da justiça comum, além da retenção de R$ 300 mil provenientes do Programa Todos com a Nota.
Com a quitação das dívidas, o Tricolor do Arruda, a partir de 2015, poderá lucrar, sem interferências externas, com cotas de transmissão, patrocínio masters e investidores, além de programas do governo, como o Todos com a Nota e o Timemania.

Fonte: JCOnline, 24/12/2014

Suzany Maia











SUZANY MAIA

Atendendo a inúmeros pedidos da imensa torcida coral, trazemos de volta Suzany Maia, a Garota Coralnet em julho 2008. Apreciem, por favor!

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Santa Cruz promete tratamento melhor ao sócio


SANTA CRUZ PROMETE TRATAMENTO MELHOR AO SÓCIO

Com a expectativa de lançamento de um novo departamento de marketing para o clube visando à próxima temporada, o Santa Cruz tem como uma de suas prioridades melhorar o tratamento dado aos sócios. Essa é uma das promessas do novo presidente, Alírio Moraes, e do vice-presidente Constantino Júnior. Em termos de números, a alta cúpula tricolor espera atingir, a princípio, 15 mil sócios no primeiro triênio de 2015.
No entanto, de uma forma geral, o objetivo coral não para por aí. “Não é apenas para chegar num número, mas para manter esse número. Acredito muito nessa campanha e vamos deixar tudo bem arrumado para que seja sentida uma diferença quando ela for lançada”, afirmou Constantino.
O dirigente ressaltou a importância da fidelização dos associados. “Na semana (passada) tivemos três reuniões que diziam respeito ao tipo de tratamento ao sócio, para fidelizar. Sabemos da periodicidade, que é um fenômeno brasileiro, ainda mais nos (clubes) nordestinos que têm muito sócios de resultado. Se o time está bem, consegue manter um número alto de sócios. Com essa parada de competição o número vai lá pra baixo”, disse Constantino.
Segundo o vice-presidente tricolor, o clube terá um cuidado maior com seus torcedores. Isso será demonstrado nas ações, que visam dar acesso a conteúdos exclusivos para os sócios. “São ações ligadas ao futebol, de o torcedor poder levar seu filho no campo, poder viajar com o time... São pequenas ações de marketing, mas que mostram o respeito ao torcedor, como atendimento legal, banheiros limpos e entrada sem fila, para que os tratemos com excelência.”

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 21/12/2014

Feliz Natal!


FELIZ NATAL!

Para toda a imensa família coral, Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
Que 2015 seja um ano de grandes realizações para nós!

Clóvis Campêlo

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Um triste centenário


UM TRISTE CENTENÁRIO

A temporada de 2014 foi muito aguardada pelo Santa Cruz. Afinal, marcava os 100 anos de fundação do clube. A motivação e o otimismo tomou conta de todos, da torcida, dirigentes e funcionários. Não poderia ser de outra forma. o time vinha do acesso para a Série B do Brasileiro (foi campeão da Série C) e com o tricampeonato pernambucano na bagagem. Os objetivos foram traçados. Transformar o centenário em um ano de novas conquistas, começando pela Copa do Nordeste, levantar o tetra, ir o mais lone possível na Copa do Brasil e brigar forte pela volta à Série A, competição que disputou pela última vez em 2006.
O centenário, no entanto, foi amargo em termos de futebol. Nada deu certo, mesmo com a manutenção do técnico Vica e da base de 2013, e a chegada de alguns jogadores para qualificação do grupo, como os atacantes Leo Gamalho e Cassiano. O tricolor colecionou derrotas. Foi eliminado do Nordestão e do Pernambucano pelo maior rival Sport. Depois perdeu a terceira colocação do Estadual em dois jogos diante do Salgueiro e está fora da competição em 2015. Ao mesmo tempo, saiu da Copa do Brasil, eliminado pelo modesto Santa Rita-AL.
Na Série B, o início foi irregular. Logo após o primeiro jogo diante do ABC - empate por 1x1, no Arruda -, Vica entregou o cargo. Não havia mais clima para ele no clube. Para a vaga veio Sérgio Guedes, ex-Sport. Foram mais seis empates seguidos. A primeira vitória só veio no dia 27/5, 2x0 sobre o Boa Esporte. Mais dois triunfos vieram no embalo, diante do Joinville (2x0) e Ponta Preta (2x1). Por sinal, ambos conseguiram o acesso para a Série A em 2015.
Durante o intervalo para a Copa do Mundo, a diretoria decidiu enxugar o elenco. Foram liberados o meia Raul, o volante Luciano Sorriso, o zagueiro Vágner e o lateral Oziel. Depois deixaram o clube, o lateral Zeca e um dos principais jogadores, o meia Carlos Alberto, que teve de retornar para o Atlético-PR. A diretoria ainda reforçou o grupo com o meia Danilo Pires, o volante Bileu (emprestado pelo Sport), os laterais Julinho e Tony, o meia Wescley, o atacante Keno e zagueiro Marllon. Ainda chegaram o meia Aílton, ex-Sport, o zagueiro Alemão, o volante Alberto e o zagueiro Renato Silva, que nem estreou devido a uma lesão muscular. O grupo ainda contou com as voltas de Cassiano e Tiago Costa, recuperados de cirurgias.
Na retomada da competição, porém, a equipe não rendeu e sofreu três derrotas seguidas - Vasco por 4x1, Vila Nova-GO e Ceará (ambas por 3x2). A irregularidade persistiu. Assim, depois da derrota por 2x1 diante do Luverdense, 16/9, Sérgio Guedes foi demitido.
A diretoria decidiu contratar Oliveira Canindé. Com novo ânimo, o time teve uma reação meteórica e ficou sete jogos invicto, com cinco vitórias e dois empates e entrou na briga pelo G-4. Justamente nesse momento decisivo, o tricolor decepcionou e não aproveitou as três oportunidades claras de entrar no G-4, após tropeços dos principais concorrentes. A derrota por 2x0 para o Sampaio Corrêa, no Arruda, na última terça, praticamente já tinha encerrado a possibilidade de acesso, fato consumado sábado passado.
"Infelizmente, às vezes, os bons resultados não ocorrem. O acesso seria muito importante, pois estamos nos estruturando. Nos últimos quatro anos, com o presidente Antônio Luiz Neto, o Santa Cruz deu um salto. Vamos continuar o trabalho e aprimorar para termos uma temporada melhor no próximo ano e apagar o que ocorreu de ruim esse ano. Não podemos colocar todo o nosso projeto por água abaixo", disse o diretor de futebol Constantino Júnior.
Vale a pena ressaltar que 2014 ainda não acabou para o Santa, uma vez que no dia 15 de dezembro haverá eleição presidencial no clube.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 24/11/2014