segunda-feira, 31 de março de 2014

Central 1 x 1 Santa Cruz


CENTRAL 1 x 1 SANTA CRUZ

Clóvis Campêlo

Amigos corais, a hora da verdade chegou.
No próximo domingo, mais uma vez, estaremos enfrentando a Coisa, agora na disputa das semifinais do Campeonato Pernambucano de 2014. Se não ganhamos nenhum jogo até agora, chegou a hora de ganhar. É tudo ou nada e temos de entrar em campo com esse espírito de decisão.
Mas, é justamente isso o que me assusta. Ontem, em Caruaru, mais uma vez deixamos a desejar diante de uma equipe que, embora na luta pela classificação, perdeu os seus jogos em casa tanto contra o Náutico quanto contra o Sport. Fomos o único time grande, entre o chamado Trio de Ferro, que não dobramos a Patativa em seus domínios. Sinceramente, espero que a hora da superação tenha chegado e que possamos chegar à final e ganharmos o tetra sonhado. Afinal, esse é o ano do nosso centenário e nós merecemos o título.
Ontem em Caruaru, porém, não tivemos força para ganhar do Central e garantir a segunda colocação no grupo. Na verdade, o resultado nos colocaria da mesma maneira diante do Sport, mas com a vantagem de decidir no Arruda. As ausência de alguns titulares foram sentidas, mas, o mais preocupante, será a ausência de Natan, um jogador que eleva a qualidade do passe no meio de campo coral e que sempre surpreende com suas boas jogadas. Sua fragilidade física, porém, sempre o atrapalhou.

sábado, 29 de março de 2014

Uma equipe campeã!


Uma equipe campeã nos anos 60/70!

EM PÉ: PEDRINHO, NORBERTO, ZÉ JÚLIO, ZITO, BIRUNGA E ARY. AGACHADOS: FERNANDO SANTANA, FACÓ, MIROBALDO, LUCIANO VELOSO E NIVALDO.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Santa Cruz 1 x 1 Sport


SANTA CRUZ 1 x 1 SPORT

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, confesso que não entendi aquela segunda substituição no jogo de ontem.
Jeferson Maranhão no lugar de Natan, que pediu para sair por cansaço, tudo bem. O time recuou a marcação, já que ganhávamos por 1x0 e passou a jogar nos contra-ataques, explorando a velocidade do segundo. Não funcionou, mas estava dentro da lógica.
Agora, Nininho no lugar de Flávio Caça-Rato, foi cruel. Se a equipe já estava desarticulada taticamente, desconjuntou-se de vez. E o pior é que tínhamos no banco bons jogadores como Betinho, Adílson e Renatinho que poderiam ter entrando e dado conta do recado. Nininho embolou com Oziel pela direita e deixou o time ainda mais capenga.
Na verdade, foram dois tempos distintos. Dominamos o primeiro, fizemos um um gol com Leo Gamalho e poderíamos ter feito mais. O Sport jogava recuado e nos dava espaço para evoluções.
No segundo tempo, a coisa se inverteu. Recuamos, fizemos substituições e alterações táticas equivocadas e deixamos a Coisa empatar.
Portanto, ainda não foi dessa vez que soltamos o grito da garganta. De certo modo, o empate final teve um gosto de derrota. caímos na tabela para a terceira colocação e corremos o risco de enfrentar o Náutico nas semifinais.
Domingo, em Caruaru, teremos outro jogo duro contra o Central, que ontem venceu o Porto e está na luta pela classificação. Vamos ver se o treinador Vica erra menos nas substituições e na escolha dos esquemas táticos.

terça-feira, 25 de março de 2014

Náutico 3 x 5 Santa Cruz


NÁUTICO 3 x 5 SANTA CRUZ

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, poderia ter sido uma goleada histórica, mas não foi. No final do jogo, diante da vitória eminente, relaxamos e permitimos a reação timbu. Isso não deveria ter acontecido, mas deve nos servir de alerta. Jogo ganho é jogo terminado. Enquanto a bola estiver rolando, não se pode permitir a reação adversária.
Mas, vencemos bem o nosso primeiro clássico. Depois de amanhã, em casa, no Arruda, voltamos a enfrentar o Sport. Quem sabe dessa vez não acertamos na mosca (ou no leão)? A vitória nos devolveu a auto estima que andava meio por baixo.
Se não jogamos bem, com alguns insistem em dizer, vencemos bem e estamos quase garantidos nas finais do estadual.
Como diz Renato Boca-de-Caçapa, o filósofo coral, não adianta gastarmos nosso estoque de gols com times pequenos e capitularmos diante do time da Ilha. Esse é que é o nosso adversário principal e que precisa ser batido amanhã.

sábado, 22 de março de 2014

quinta-feira, 20 de março de 2014

Santa Cruz 1 x 2 Sport



SANTA CRUZ 1 x 2 SPORT

Clóvis Campêlo

Amigos corais, perder três vezes seguidas para um adversário tão ferrenho quanto o Sport, serve ao menos para nos provocar algumas reflexões:
Primeira - Estamos fora da Copa do Nordeste e do seu prêmio de R$ 1.500.000,00. Uma pena para um clube endividado e que precisa de dinheiro para seguir em frente. Consequentemente, jogamos fora também a possibilidade de disputarmos uma Copa Sul-americana pela primeira vez.
Segunda - No campeonato estadual estamos por um fim, no G4 apenas pela fraquíssima condição técnica de times como o Central e o Porto. Não fosse isso talvez nem estivéssemos entre os quadro melhores que disputarão o quadrangular final. O tetra parece nos escapar, infelizmente.
Terceira - Será que temos time para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro? Se chegamos até aí, num trabalho longo e penoso de recuperação, não podemos jogar fora mais essa possibilidade. Reforçar a equipe, é preciso!
Quarta - Penso que ao anunciar a possibilidade da volta de Dênis Marques, jogador que eu admiro, a direção do santinha está começando a queimar o técnico Vica. Foi em respeito ao treinador que Dênis Marques foi dispensado no começo do ano. Trazê-lo de volta sem ao menos conversar com o técnico sobre isso, é jogá-lo aos leões (sem nenhum trocadilho!).

terça-feira, 18 de março de 2014

Gilberto, ontem e hoje


GILBERTO, ONTEM E HOJE

Gilberto, o Gilberto Geraldo de Moraes, goleiro que defendeu o Santa Cruz, o São Paulo, o América Mineiro e o Sport nos anos 50, 60 e 70, hoje mora com a família na capital paulista e trabalha como administratador do CCT do São Paulo Futebol Clube, no bairro da Barra Funda, zona oeste.

domingo, 16 de março de 2014

Santa Cruz 4 x 0 Porto


SANTA CRUZ 4 x 0 PORTO

Com a presença de mais de 14 mil torcedores na Arena Pernambuco, o Santa Cruz afastou a zica e goleou o Porto por 4x0, este sábado, em partida válida pela sétima rodada do Hexagonal do Título do Campeonato Pernambuco. A vitória serviu para melhorar os ânimos dos tricolores, que reúnem duas derrotas diante do Sport e já sentiam a pressão da torcida pedindo por reabilitação.
Com o resultado, o time subiu para 11 pontos e agora está na vice-liderança da competição, à frente do Náutico nos critérios de desempate. O Timbu joga neste domingo contra o Central, também na Arena.
Antes de voltar a jogar pelo Estadual, o Tricolor enfrenta o Sport na próxima quarta-feira, no Arruda, no jogo de volta da semifinal da Copa do Nordeste. Para os comandados do técnico Vica, resta vencer por mais de dois gols de diferença.
O Santa Cruz construiu o placar logo no primeiro tempo. Aos 32 minutos, o atacante Leo Gamalho sofreu pênalti, que ele mesmo converteu. Pouco antes do apito do intervalo, Luciano Sorriso recebeu dentro da área e ampliou.
No segundo tempo, com um bom placar, os corais tiveram tranquilidade para matar o cofronto. Jefferson Maranhão fez os outros dois gols corais.

Fonte: JC On Line

Altos e baixos


terça-feira, 11 de março de 2014

Surpreso!


SURPRESO!

Clóvis Campêlo

Amigos corais, confesso que estou surpreso. O que parecia difícil, tornou-se fácil. Enfiamos 7x0 no Salgueiro de forma fantástica. O santinha nem parecia aquele time amorfo que levou de 3 da Coisa.
Mas, confesso também, que é essa irregularidade que me assusta. Como diz Renato Boca-de-Caçapa, o filósofo coral, basta ganharmos todos os jogos por 1x0 que seremos campeões (aliás, tetra).
Isso não vinha acontecendo, porém. Ganham,os apenas do Central, na estreia, e penávamos em uma competição que de início nos parecia fácil.
A goleada (a maior já sofrida pelo time sertanejo em toda a sua história de equipe profissional) nos alegrou e recompôs a auto-estima arranhada, mas também deve servir de reflexão para entendermos o que se passa hoje no Arruda.
O time varia muito de um jogo para outro e mesmo dentro de cada jogo. Para mim, regularidade deve ser a palavra chave.
Como até agora tudo isso não vale quase nada, o importante é ficarmos no G4 até o final da fase para garantir a nossa vaga no quadrangular final.
Aí é que o pau vai comer!
Amanhã, tem mais Leão pela frente. Vamos encará-lo com respeito e destemor.

sábado, 8 de março de 2014

Decepcionado!


DECEPCIONADO

Clóvis Campêlo

Amigos corais, confesso que estou decepcionado. Não pela derrota em si, mas pelas circunstancias em que ela aconteceu. O Santa Cruz não entrou em campo, ontem. Foi um time apático e indefinido taticamente. Onde estão aqueles guerreiros que nos deram tantas alegrias?
Se o quadrangular final fosse hoje, estaríamos fora dele. Somos o quinto colocado na tabela, a frente apenas do porto, o que, convenhamos, não é grande coisa. Aliás, não é nada!
Fico me preguntando onde possa estar o problema, já que o elenco é praticamente o mesmo do ano passado, o treinador é o mesmo, a torcida é a mesma.
Será que vamos decepcionar no ano do nosso centenário?

quinta-feira, 6 de março de 2014

Um torcedor fiel


UM TORCEDOR FIEL

BAJADO, um artista de Olinda, era torcedor do Santa Cruz e sempre retratou nos seus quadros essa paixão.