terça-feira, 3 de setembro de 2013

A primeira vez, a gente nunca esquece...


A PRIMEIRA VEZ, A GENTE NUNCA ESQUECE...

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, só hoje, dois dias depois, é que consigo escrever sobre a nossa histórica vitória por 3x1 sobre o Cuiabá. Ironicamente, quando o Santa Cruz se conserta e vence a primeira partida fora de casa na famigerada Série C do Campeonato Brasileiro, meu micro quebrou e me deixou isolado do mundo. Como se pode ver, nem tudo é sempre do jeito que a gente quer. Além do mais, nenhum homem coral é uma ilha. Recuperada a máquina, só nos resta escrever para contar a odisseia da nossa vitória em Cuiabá.
Primeiramente, que campinho triste aquele. Acho que o Cornélio de Barros, em Salgueiro, está melhor equipado e com um melhor gramado. Onde foi que a incompetência do Santinha, ao longo dos últimos anos, o levou?!
Segundamente, aquele gol logo aos dois minutos do jogo nos assustou e nos deu a impressão de que a tragédia da uma nova derrota se repetiria. Mas, domingo 1º de setembro, era o Dia do Estabelecimento da Competência Coral, e viramos o jogo ainda no primeiro tempo para garantir a rapadura na etapa final.
Terceiramente, nada como uma concorrência saudável para despertar a eficiência alheia. Hoje, podemos dizer que já não somos mais reféns de Dênis Marques, o nosso artilheiro. André Dias entrou, deu conta do recado, marcou dois tentos e se firmou como titular. AD9 é a nossa nova sensação. Acho até mesmo que uma dupla de ataque formada com ele e Dênis Marques está fadada ao sucesso. O primeiro é força e explosão. O segundo, técnica e maneirismo. Tem tudo para dar certo. E ainda teremos CR7 no banco para os momentos de caneladas e trombadas.
Finalmente, agora, amigos, parece que temos um treinador que gosta de disciplina e tem a mão forte do comandante. O que nos alegrou domingo, foi exatamente essa disposição da equipe em se superar, coisa que parecia sepultada no elenco coral. Voltamos a ser um time de guerreiros. E um time de guerreiros sempre estará fadado à conquistas e vitórias expressivas.