domingo, 31 de março de 2013

SANTA CRUZ JOGA BEM, VENCE O NÁUTICO NOS AFLITOS, ACABA COM TABU E VIRA LÍDER DO PERNAMBUCANO

Festa nos Aflitos! Santa Cruz vence Náutico, quebra tabu e assume a liderança

O Santa Cruz decretou o fim do tabu no Clássico das Emoções em jogos nos Aflitos. Neste domingo, a equipe tricolor venceu o Náutico por 2x0, gols de Natan e Dênis Marques. Além de pôr fim a uma marca negativa, o resultado deu ao Mais Querido a liderança doCampeonato Pernambucano. Uma vitória maiúscula, construída pelas alterações promovidas pelo técnico Marcelo Martelotte

O TIME- Conforme anunciou durante a semana, o técnico Marcelo Martelotte promoveu mudanças no time. A equipe tricolor atuou no Clássico das Emoções escalada com: Tiago Cardoso, Éverton Sena, Cesar, William e Tiago Costa; Tozo, Luciano Sorriso, Natan, Raul e Renatinho; Dênis Marques.

O JOGO – Dentro dos Aflitos, diante do líder do Campeonato Pernambucano, a equipe tricolor utilizou um novo esquema tático, o 4-2-3-1. A mudança de postura surtiu efeito com a bola rolando. 

Durante os primeiros 45 minutos, o que se viu foi o Santa Cruz com uma defesa sólida, interceptando as investidas alvirrubras. Na principal arma do Náutico, as investidas do atacante Rogério pelo lado esquerdo, William não permitiu que o adversário criasse perigo ao goleiro Tiago Cardoso.

No ataque, a equipe tricolor explorou bem os contra-ataques, mas pecou nas finalizações. O trio de meias formado por Natan, Raul e Renatinho deu muito certo, com os jogadores confundindo bastante o setor defensivo do Náutico.
Sobretudo com Renatinho, que perdeu um gol claro nos primeiros minutos da partida e com Dênis Marques, o Santa Cruz criou boas situações de gol. O Mais Querido foi quem lamentou o término da primeira etapa com o placar marcando 0x0.

SEGUNDO TEMPO - Na segunda etapa, o Santa Cruz sentiu um pouco a questão física. No primeiro momento, o Náutico apertou bastante o tricolor, ficando muito próximo de abrir o placar. O sistema defensivo Coral fez o pôde para evitar a desvantagem no placar.

Em meio à pressão do Náutico e a queda no ritmo de jogo, a equipe tricolor seguiu imprimindo os contra-ataques. Sabiamente, o técnico Marcelo Martelotte promoveu as entradas de Nininho e Jefferson Maranhão. Os dois resgataram o fôlego do time.

Após as alterações, a equipe tricolor chegou ao primeiro gol com Natan e ao segundo com Dênis Marques. Depois de tanto desperdiçar no primeiro tempo, o Santa Cruz surpreendeu o Náutico no segundo tempo e venceu. 2x0, para pôr fim ao tabu nos Aflitos e colocar o Tricolor na liderança do Pernambucano.

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

sábado, 30 de março de 2013

Cordel do Santinha Encantado


CORDEL DO SANTINHA ENCANTADO
Campeão 2011

Ismael Gaião

Vi nesse campeonato
Uma torcida complexa,
Dizendo que era côncava
Uma figura convexa.
E elogiando o Sport
Ficou sem rumo e sem norte,
Choramingando e perplexa.

O Sport pra ser hexa
Foi até no Catimbó,
Pois quando enfrenta o Santinha
Sofre tanto que dá dó.
Mas já pode soltar fogos,
Pois em apenas três jogos
Levou seis de um time só.

A Cobrinha deu um nó
No desejo do Leão,
Que se juntou com um Boi
Pra tentar ser campeão.
Mas nem tudo foi perdido,
Pois ganhou o apelido
De Time do Boiolão.

Quando a cobra entra em ação
Na chuva a poeira voa,
O Timbu estando rouco
Até seu gemido ecoa.
E o Leão, que diz que é macho,
Se acocora, abaixa o facho
E logo vira Leoa.

O Santinha, numa boa,
Mostrou que não é pequeno.
E com garra e muita raça,
Em todos deu um empeno
E hoje o Timbu só chia,
Já o Leão chora e mia
Como um gato no sereno.

A Cobra, com seu veneno,
Comeu Tigre e Gavião,
Bode, Timbu, Patativa,
Periquito e Azulão.
E gostando do freguês,
A Coral “inda” deu três
Nesse tal de Boiolão.

Na primeira decisão
Foi um duelo truncado,
Lá na Ilha do Retiro,
Com o campo todo encharcado.
Mas com calma e com cautela,
Vou contar toda a novela
Pra chegar ao resultado.

O Santa bem arrumado
Mostrou que é um timaço.
Desarmou os rubro-negros
Sem medo e sem embaraço.
E na Ilha do Retiro
Ouviu-se o último suspiro
Do Leão, “Rei do Cansaço”.

Gilberto deu um chutaço
Que o Leão se apavorou.
Chutou de fora da área
E a defesa só olhou.
Magrão procurando a bola
Ficou ruim da cachola,
Sem ver por onde passou.

Marcelinho se irritou
E quase se descontrola,
Pois jogou o tempo todo
Quase sem pegar na bola.
Quem olhava tinha pena,
De ver o Éverton Sena
Jogando na sua cola.

Numa tomada de bola,
Têti deu pra Renatinho,
Que com a bola no pé,
Parecia estar sozinho,
Pois foi pra linha de fundo
Dando drible em todo mundo
Que ficasse em seu caminho.

Disparando, Renatinho,
Fez uma grande jogada.
Que cruzando pela esquerda
Deixou a zaga frustrada.
E num chute de primeira,
Pra sacudir a poeira,
Landu soltou a pancada.

Magrão, que não tá com nada,
Mais uma vez se ferrou,
Porque viu a bola dentro
Sem saber por onde entrou.
E olhando pro zagueiro
Falou pra seu companheiro:
Não vi, sequer, quem chutou.

O Leão desanimou
Levando surra onde mora
E a torcida constrangida
Quase toda foi embora.
Vi rubro-negros chorando
E outros se lamentando
Sem querer chorar na hora.

Porém no lado de fora
Eu vi a rua molhada
Com lágrimas de rubro-negros
Rolando pela calçada.
E a torcida tricolor
Lá dentro, tava um fervor
E muito mais empolgada.

Com a torcida animada,
E o time tão envolvente,
O Santinha começou
Só dando alegria a gente.
E até chegar à final
O Veneno da Coral
Não deixou ninguém na frente.

Se dizendo tão valente,
“Pra que isso” e “quero-quero”,
O Leão levou três surras
Pra deixar de lero-lero.
Pois enfrentando o Santinha
Foi uma leoazinha,
Três vezes, por dois a zero.

E para ser bem sincero
Vou falar do resultado
Do jogo de um campeão
Com um bicho atordoado.
Lá no Mundão do Arruda
Pedindo: Deus nos acuda!
O Leão foi derrubado.

Marcelinho já cansado
Como um jogador de asfalto
Na cobrança do escanteio,
Pipocou e deu um salto
A bola sobrou pra Bala,
Que como quem chuta a mala,
Mandou a bola pro alto.

Jogando de salto alto
Quando Renato cruzou,
Sem saber o que fazer
Bruno só se atrapalhou.
Chutou a bola pra cima
E pra não perde a rima
O Sport se lascou.

O Pai Carlo me enganou
O rubro-negro entendeu,
Porque Daniel Paulista,
Em mais um chute que deu,
Mandou a bola rasteira,
Bruno chutou de primeira,
Mas Thiago defendeu.

O Boiolão só gemeu
Em um desgosto profundo
Porque viu o Marcelinho
Sendo o pior do mundo.
Só sendo da Paraíba,
Pra jogar bola pra riba,
Ou para a linha de fundo.

Bala brigando com o mundo
Roubou a bola no meio
Chutou desequilibrado,
Igual a um carro sem freio;
Mas a bola sem ter firmeza
Escorregou na defesa
E saiu para o escanteio.

Marcelinho pelo meio
Pisando em casca de ovo
Deu um chute tão minguado,
Que levou vaia do povo.
E a zaga dos tricolores,
Que só tem bons jogadores,
Fez a defesa de novo.

Eu falo e até me comovo
Lembrando cada jogada
Que os rubro-negros fizeram
Parecendo uma pelada.
Sei que foi grande o empenho,
Mas como em jogo de engenho,
No final não dava em nada.

Fervendo na arquibancada,
A torcida tricolor,
Já gritava: é campeão!
Com todo seu esplendor.
Mostrando que é fiel
E em tempo bom ou cruel
É sempre a superior.

É torcida de valor
E fama internacional
O que faz do Santa Cruz
Um time sensacional.
E é essa a sua prenda,
Porque tem a maior renda
Do futebol nacional.

A torcida é sem igual
Você pode ter certeza.
E quem frequenta o Arruda
Sabe disso com clareza,
Pois lá dentro do Mundão
Quando chega a multidão
É um palco de beleza.

Com toda a sua firmeza
O Santa se garantiu
Formando um time de base
Como a gente nunca viu.
E com marcação cerrada
A meta tão desejada
O Santinha conseguiu.

Já o Boi, que o Pai pediu,
Pro Sport não valeu,
Pois ele foi finalista,
Mas a ninguém convenceu.
E no final do conflito
Com um pênalti esquisito
Fez um gol, mas não venceu.

Ele ganhou, mas perdeu
Porque não foi campeão
E o tal sonho de ser hexa
Já virou uma maldição.
Se a gente não fizer figa,
Pode ser que ele consiga,
Mas em outra encarnação.

O Santa foi campeão
Jogando com humildade
Tendo um time muito jovem,
Mas com criatividade,
Sem temer a experiência,
Mostrou que tem competência
E superioridade.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Semana Santa

SEMANA SANTA

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Semana Santa.
Até a eleição do Papa, deu mais padre na televisão que pastor tirando o couro e o diabo dos fieis.
Bom, o conclave elegeu o Papa Pancho.
Papa argentino? É piada pronta.
Como disse Fraulein Dilma, a comissária geral, o papa é argentino mas Deus é brasileiro.
Essa semana é de reflexão.
Saudades do almoço no domingo de páscoa no Recife.
Cioba, bredo, feijão de coco e arroz branco.
E para beber uma doce e gelada sangria.
Chega de saudades.
E nós do Querido do Povo?
Todo campeonato é assim, passamos o campeonato tomando sopa de osso até chegar ao prato principal.
Porem, até chegar o prato principal é uma lombra de lascar.
Saudações Corais a todos e boa páscoa.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Treino desta manhã confirmou o time para o clássico


Sem mistério, o técnico Marcelo Martelotte colocou em prática na manhã desta quinta-feira (28/03) o que havia confirmado em entrevista coletiva. Em um coletivo tático, ele mandou a campo a escalação do Santa Cruz para o Clássico das Emoções de domingo, nos Aflitos, contra o Náutico.

Para o
jogo que pode render ao Mais Querido a liderança do Campeonato Pernambucano, o time Tricolor treinou nesta manhã com a seguinte formação: Tiago Cardoso, Éverton Sena, Cesar, William e Tiago Costa; Tozo, Sorriso, Natan, Raul e Renatinho; Dênis Marques.

 Fonte: Agência CoralNET de Notícias
 
http://santacruzdorecife.blogspot.com

terça-feira, 26 de março de 2013

Treinador espera que DM9 acabe com jejum de gols no clássico de domingo

 Treinador espera que DM9 acabe com jejum de gols no clássico de domingo
O atacante Dênis Marques não marca um gol com a camisa do Santa Cruz há quatro rodadas. A última vez que o artilheiro coral balançou as redes foi no confronto diante Ypiranga, no dia 06 de março. De lá para cá DM9 sofreu com a falta de criação do time tricolor, mas também não se mostrou tão inspirado.
 
E se existe um jogador de quem a torcida espera sempre mais é dele. Artilheiro do time em todas as competições que disputou em 2012 e nome de maior expressão do elenco tricolor, Dênis Marques carrega grande responsabilidade nas costas, principalmente em semana de clássico.
Segundo o treinador Marcelo Martelotte, DM9 está incomodado com a situação e trabalha cada vez mais forte para voltar a balançar as redes.

"O jogador está nitidamente incomodado, pois ele está acostumado a ser decisivo e marcar muitos gols. Cada vez mais ele se dedica aos treinamentos e busca melhorar seu poder de finalização. E nada melhor que marcar em um clássico para acabar com esse jejum", arriscou.
 
 
http://santacruzdorecife.blogspot.com

segunda-feira, 25 de março de 2013

A hora da cobra se impor


Amigos corais: 1x0 foi pouco e foi muito. Demos a César o que é de César. E nem Brutus conseguiu impedir que chegássemos à vice-liderança. Ainda é pouco. Queremos mais nesse campeonato marcado por baixos índices técnicos. Nossa equipe não fica atrás e se nivela por baixo com os outros dois grandes clubes da capital. Azar o deles, pois somos de chegar, ver e vencer. O Petrolina que o diga!
A equipe sertaneja, uma das piores do Campeonato Pernambucano de 2013, abusou de não jogar e não deixar o Santinha jogar. Mas pagou caro no final. Estamos apenas a dois pontos atrás do Náutico e o enfrentaremos no próximo domingo, nos Aflitos. Será a hora da onça beber água e da cobra se impor. Vamos fazer a festa na casa da Barbie!

Clóvis Campêlo

domingo, 24 de março de 2013

HASTA SIEMPRE, COMANDANTE!

HASTA SIEMPRE, COMANDANTE!

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Fazia tempo que eu não escrevia, então, bora lá.
Espia só.
Astrólogos, economistas, cartomantes, adivinhos e profissionais da cronica esportiva, davam como liquido e certo que a final da copa do nordeste seria entre Ceara e Fortaleza.
Na boa véi, vocês quebraram a bunda!
Molhou.
Quem vai decidir é Asa e Campinense.
E tem mais um agravante, os dois não são da capital.
Um é do estado de Pontes de Miranda e Graciliano Ramos.
O outro de Campina Grande, coisa boa que eu lembro de lá foi uma carne de sol que comi em um botequim pé sujo perto da rodoviária, saí de lá em estado de graça, pense numa coisa boa.
Minha nega, meu nego, futebol é assim tudo certo e nada resolvido.
Bem, nesta final da copa do nordeste eu não tenho lado, para time burro negro eu não torço nem com reza de véia do Alto do Pascoal.
Talvez eu tenha uma modesta simpatia pelo Arapiraca pelo fato de ter sido citado em uma música de Chico Buarque (E se) e outra por ter mandado o Palmeiras para a segunda divisão em dois mil e dois.
Este mês de março está bronca, o papa pediu para sair, o Comandante Hugo Chavez foi para o andar de cima.
Menino, esse rapaz sofreu mais na unha da mídia que da doença que o levou.
A classe dominante da Venezuela referia-se a Chavez como “negrinho do canavial”
De norte a sul, de leste a oeste, toda a mídia só não o chamou de arroz-doce e venha cá meu nego.
A pisada nos jornalões e jornalecos, era uma só, de dia e de noite feito a cantiga do grilo.
Boris Casoy chegava a espumar bílis venenosa quando se referia a Chavez.
Ditador! Déspota! Golpista! Populista! E isso ainda diz pouco do que falaram e publicaram acerca do Comandante Chavez.
Um pensamento único que só vendo.
Mas, venha cá e fique lá mesmo.
O analfabetismo foi erradicado da Venezuela, a saúde e a habitação deram um salto extraordinário.
Até a chegada de Chavez ao poder o único beneficio social que o povo da Venezuela tinha era gasolina barata e só.
E pasme até o futebol deles melhorou.
E nós corais?
Bom nós, estamos assim feito ciclista no transito, volta e meia no pedal levamos uma cacetada.
Que os santos nos ajudem a chegarmos ao tri, porque olha, só com ajuda divina mesmo.
Saudações Corais a todos.

sexta-feira, 22 de março de 2013

André Dias: "Quero fazer igual ao Marcelo Ramos e ressurgir para o futebol aqui no Santa"

O atacante André Dias, anunciado na semana passada como reforço do Mais Querido para a temporada 2013, foi apresentado na tarde desta quinta, no Arruda. O jogador de 32 anos se mostrou bastante motivado para começar a trabalhar e espera que essa passagem pelo Santa seja um recomeço da sua carreira.

"Só tenho a agradecer ao Santa Cruz por ter aberto as portas para mim. Não é novidade para ninguém que passei quase um ano sem jogar e isso gera desconfiança nas pessoas, mas estou disposto a provar as minhas qualidades e recomeçar minha carreira aqui. Uso como exemplo o Marcelo Ramos, que teve história parecida com a minha e ressurgiu para o futebol aqui mesmo no Santa", disse.

O atacante, que assinou um contrato de 3 meses com o Mais Querido, explicou que chegou a tomar a decisão de parar de jogar no final do ano passado, mas que rapidamente se arrependeu da decisão e está pronto para voltar aos treinos.

"Passei por um momento difícil depois de uma lesão no joelho direito. Estava mal física e psicologicamente, mas agora estou recuperado. Nenhuma lesão me incomoda mais e vou trabalhar muito forte para voltar a jogar logo", falou.

Apesar de empolgado para iniciar os treinos, André Dias não arrisca uma data para entrar em campo e deixa essa decisão para o departamento físico do clube.

"Não dá para pensar em quanto tempo, isso quem vai avaliar é a comissão técnica. Certo mesmo é que não vou queimar nenhuma etapa da preparação, pois fiz isso no Botafogo/SP e acabei me arrependendo. Vou me preparar muito e aos poucos vou buscando meu espaço. Tenho facilidade para isso. Só não pode demorar um mês, se não fico de fora do campeonato", arriscou.

André encerrou sua entrevista coletiva falando sobre suas características em campo:

"Quando era mais jovem eu atuava mais pelas laterais de campo. Hoje sou um centro-avante, mas com muita mobilidade. Não fico apenas fixo dentro da área. Sou muito participativo e, pela experiência que adquiri nos gramados, tenho certeza que vou ajudar o Santa", encerrou. 

Fonte: Agência CoralNET de Notícias
 
http://santacruzdorecife.blogspot.com

quinta-feira, 21 de março de 2013

Diretor quer chance para revelações da base no equipe profissional: "Esse é melhor time de juniores dos últimos tempos"

O Santa Cruz passa por um momento difícil nos gramados na temporada 2013. Sem conseguir empolgar em campo e sem dinheiro em caixa para contratar, a solução para qualificar algumas posições da equipe pode estar nas divisões de base do próprio clube.
 
Assim como o zagueiro Éverton Sena e os meias Renatinho e Natan, que foram revelados no Arruda e hoje são peças chaves do elenco de Marcelo Martelotte, outros valores vão conquistando seu espaço, como o lateral Nininho e o meia Jefferson Maranhão.

Tudo isso prova que o trabalho nas divisões de base do Mais Querido, apesar de difícil, vem sendo bem feito. Um dos responsáveis por isso é o diretor Thomas Pereira, que hoje coordena o projeto. Em entrevista ao site CoralNET, o dirigente coral falou sobre as dificuldades que vive no dia-dia e a confiança que tem no futuro do clube.

INÍCIO

Thomas chegou ao Arruda em 2012, convidado pelo ex-presidente Rodolfo Aguiar, para ajudar no trabalho que já vinha sendo feito por outro grupo de torcedores. A idéia era ajudar na gestão e reformular algumas coisas. Esse grupo de tricolores acabou se afastando por motivos políticos e Thomas ficou à frente da base.

"Cheguei ao Arruda para ajudar e acabei ficando sozinho. Pela necessidade tive que montar um novo modelo de gestão e no começo fiz algumas modificações pontuais que acabei achando melhor para o clube. Acredito que estou fazendo um bom trabalho e trazendo frutos para o Santa", disse.

DIFICULDADES

Para o dirigente, a maior dificuldade de gerir a base do Santa está na falta de apoio de outros torcedores. Segundo ele, a cobrança é grande e ajuda ainda é tímida.

"Quem está de fora e vê o tamanho da torcida do Santa pensa que é fácil trabalhar aqui, que muita gente chega para ajudar, mas não é assim que acontece. A maioria dos torcedores apenas cobra os resultados e nunca está disposto a entrar em ação. Todo mundo só quer ver a coisa pronta e funcionando. E quanto eu falo ajudar não é com dinheiro, precisamos de gente aqui para trabalhar conosco. Contadores, médicos, assistentes sociais, profissionais de marketing, qualquer um pode ajudar", disse.

E continuou: "Sei que os outros clubes também tem esse mesmo problema, mas precisamos realmente de apoio. Se tivéssemos 6 ou 7 gestores dividindo as atividades ficaria tranquilo para todos. Estou cansado de convidar as pessoas para ajudar e ouvir desculpas. Todos se excluem", desabafou.

REVELAÇÕES

Ciente das carências do elenco profissional, Thomaz engrossa o coro da torcida na cobrança pela utilização de alguns dos atletas dos juniores no time principal.

"A história do Santa Cruz por si só prova que os maiores times que fizemos foi usando jogadores da base e da região. Sou a favor de mantermos essa tradição, até por que não há dinheiro para grandes contratações. Ex-jogadores como Rubens Salim, Luciano Veloso e Alfredo Santos são unânimes em dizer que nosso time de juniores atual é um dos melhores dos últimos anos e nós precisamos valorizar isso", falou.

"Temos diversos atletas com condição de atuar no profissional e fazer bonito. Só precisamos dar confiança para eles e acabar com esse pensamento que santo de casa não faz milagre. Tanto que diversos clubes já demonstraram interesse no empréstimo desses jogadores, como o Belo Jardim, que queria o atacante Wagner, mas o presidente não aceitou", disse.

MARTELOTTE

Thomaz diz que o relacionamento dele com o treinador Marcelo Martelotte, dos profissionais, é bom e sabe que a pressão tem sido grande para ele utilizar mais os atletas da base.

"No Brasil o treinador está sempre com o cargo ameaçado. Duas ou três derrotas seguidas são suficientes para derrubar um técnico. Então às vezes é complicado para eles usar os jogadores menos experientes. Martelotte, por exemplo, diz que gosta de contar com jogadores `prontos`, mas como o atleta vai ficar `pronto` sem entrar em campo?", questionou.

E continuou: "Renatinho, por exemplo, foi dos juniores direto para o profissional e ganhou maturidade e experiência jogando, assim como Éverton Sena. Por isso acredito que os meninos da base deveriam ter mais chances".

CALENDÁRIO

O diretor coral disse que um dos grandes problemas de manter um time de juniores em atividade era o calendário de competições no ano, que tinha poucos campeonatos programados, mas que agora está melhorando na gestão do presidente da FPF, Evandro Carvalho.

"O Evandro está demonstrando uma preocupação pessoal com as divisões de base e está programando torneios para o ano inteiro, o que é louvável. Agora, por exemplo, os clubes da capital vão poder disputar a Série A2 do Pernambucano com o time de juniores, sem brigar por acesso. Isso será maravilhoso para dar condição de jogo para os atletas da base, além de visibilidade", disse.

RECADO

Thomaz Pereira terminou a entrevista com um recado para os torcedores corais: "As dificuldades existem, são notórias, mas não impedem o Santa de crescer e fazer um bom trabalho na base. Precisamos apenas do apoio de outros torcedores para melhorar ainda mais o nosso trabalho."

 Fonte: Agência CoralNET de Notícias
http://santacruzdorecife.blogspot.com

quarta-feira, 20 de março de 2013

Cesar: "Vamos vencer no domingo e lutar pelo Tri do Pernambucano por Vágner"

Experiente em superar lesões graves, o zagueiro Cesar deu total apoio ao companheiro de posição Vágner, que fraturou a perna direita no empate coral de domingo passado com o Serra Talhada por 1x1. Otimista quanto à recuperação do companheiro, o Capitão Tricolor disse que o time espera vencer no domingo e dedicar a vitória ao parceiro.Além da perda de Vágner, a equipe tricolor terá mais alguns desfalques para a próxima partida no Campeonato Pernambucano. Sem poder contar com Jefferson Maranhão, Tiago Costa e Luciano Sorriso e Vagner, César avaliou a situação do time para o jogo contra o Petrolina:

“É uma situação complicada, estamos com muitos desfalques, mas o técnico Marcelo Martelotte vai saber colocar as peças certas no time. Temos que trabalhar forte para adquirir o entrosamento necessário.”

Uma das pessoas mais próximas de Vágner no grupo, o zagueiro falou da situação do amigo. Ele, que superou duas graves lesões de joelho, procurou dar total apoio ao amigo e disse que o time vai vencer no domingo e conquistar o Tri do Pernambucano para ele:

“Passei por duas lesões sérias e tenho ideia do que ele está sentindo. Peço que ele tenha calma e tenha fé em Deus. Vágner tem uma família estruturada. São vários fatores para o motivar e dar a volta por cima. No que ele precisar, ele vai poder contar comigo. Vamos vencer no domingo e lutar pelo Tri do Pernambucano por ele.”

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

http://santacruzdorecife.blogspot.com

Cesar: "Vamos vencer no domingo e lutar pelo Tri do Pernambucano por Vágner"
 

segunda-feira, 18 de março de 2013

Empate razoável


A vitória ontem, em Serra Talhada, contra o time homônimo, teria nos deixado numa condição vantajosa. Mas, diante das circunstâncias, o empate em 1x1 terminou não sendo um mau negócio para nós. Agora, estão todos embolados, como convém a um campeonato de respeito e vibração. E o Santinha, apesar de ainda não ter convencido, só depende de si próprio para alcançar o sucesso. Ontem, jogamos ainda mais desfalcados e isso influiu diretamente no nosso rendimento.

Lamentável a contusão de Vágner, no final do jogo, quebrando a perna e precisando ser removido para o Recife em uma ambulância. Segundo a imprensa esportiva, hoje mesmo ele será cirurgiado.

De bom, o gol marcado por Flávio Caça-Rato, um atacante que é econômico em gols. Agora, é seguir em frente e ganhar do Petrolina no próximo domingo, no Arruda. Precisamos engrenar de vez.

Clóvis Campêlo


sábado, 16 de março de 2013

Luciano Sorriso e Tiago Costa estão fora do jogo contra o Serra Talhada

                             Luciano Sorriso sofreu uma lesão na coxa esquerda.

Foi divulgada, no início da tarde desta sexta-feira, a relação de jogadores que podem atuar diante do Serra Talhada, no próximo domingo, às 16h, no estádio Nildo Pereira. Três atletas que estiveram no elenco principal contra o Chã Grande não estão na lista do técnico Marcelo Martelotte, são eles: o volante Luciano Sorriso, o lateral-esquerdo Tiago Costa e o meia Éverton Heleno.

Os dois primeiros realizaram exames de imagem durante a manhã desta sexta e, coincidentemente, foram diagnosticados com lesão na coxa esquerda. A ausência de Heleno, por sua vez, é "apenas" deficiência técnica. Além deles, o lateral-direito Marquinho e o atacante Paulo César também ficaram de fora pela mesma justificativa técnica.

Dessa forma, volante Sandro Manoel deve entrar na vaga de Sorriso, assim como o jovem Patrick deve ocupar o lugar de Tiago Costa na esquerda. Como Marquinho não vinha atuando há algumas partidas, não há surpresa quanto ao fato de Éverton Sena ser escalado na lateral-direita, função que ele está acostumado a exercer em campo. O meia Léo, consequentemente, pode surgir como titular uma vez que Éverton Heleno não foi relacionado. E Natan e Renatinho estão em tratamento no departamento médico.

Confira os relacionados:


1 - Tiago Cardoso
2 - Fred
3 - Nininho
4 - Éverton Sena
5 - Willian
6 - César Lucena
7 - Léo
8 - Anderson Pedra
9 - Caio
10 - Danillo Santos
11 - Flávio Caça-Rato
12 - Netto Imperador
13 - Patrick
14 - Dênis Marques
15 - Tozo
16 - Jefferson Maranhão
17 - Vágner
18 - Sandro Manoel
 


Números positivos e futebol negativo

Apesar dos índices positivos de aproveitamentos do treinador Marcelo Martelotte à frente do Santa Cruz, é notória a insatisfação da torcida coral com o nível técnico da equipe atual, sem dúvida, inferior à do ano passado. Se ao menos tivéssemos dois meias criativos e que substituíssem à altura Natan e Renatinho a coisa talvez estivesse noutro patamar. Mas não me iludo: para o campeonato pernambucano de 2013, vamos ter que nos virar com esse elenco. É verdade que ainda existem cinco ou seis jogadores contratados e que ainda não atuaram. Do mesmo modo, alguns pratas da casa que disputaram a Taça São Paulo de Juniores e que precisam ser testados com cuidado para não se queimarem. Mas a equipe é essa. E mesmo com essa equipe, acredito que temos chances de chegar ao TRI. Para a Série C, porém, temos que melhoras bastante. Quem vê o Santinha jogar percebe a incapacidade do treinador de variar o esquema tático quando necessário, seja numa mesma partida e de um jogo para o outro. Isso preocupa porque deixa claro as limitações do nosso treinador. por outro lado, com Natan e Renatinho em campo o Santa Cruz é uma equipe que se impõe. Sem eles, o nível técnico do nosso meio campo cai assustadoramente. Isso nos preocupa.
 
santacruzdorecife.blogspot.com

quinta-feira, 14 de março de 2013

19 jogadores e Anderson Salgueiro como novidade entre os relacionados

Santa Cruz do Recife - A história e a glória


  Para a partida desta quinta-feira contra o Chã-Grande, a lista de relacionados do Santa Cruz tem como novidade o atacante Anderson Salgueiro. Ao todo, 19 jogadores estão listados para a partida.

CONFIRA:

GOLEIROS: Tiago Cardoso e Fred.
ZAGUEIROS: Cesar, Vágner, Éverton Sena e William.

LATERAIS: Marquinho e Tiago Costa.

VOLANTES: Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Sandro Manoel e Léo.

MEIAS: Jefferson Maranhão e Éverton Heleno.

ATACANTES: Dênis Marques, Paulo Cesar, Caça-Rato, Danilo Santos e Anderson Salgueiro.

 Fonte: Agência CoralNET de Notícias

terça-feira, 12 de março de 2013

Santa Cruz 2x0 Central


Vencemos e continuamos ao lado do Náutico na liderança do Estadual. Martelotte continua com um bom índice de aproveitamento à frente do comando técnico do Santinha. Perante mais de 14 mil torcedores, quem fez a festa foi Jeferson Maranhão, mais um prata da casa que começa a se destacar. Isso é bom, pois abre caminho para novos valores ascenderem. Mais uma vez, a Cobrinha entrou no gramado e arrepiou!

Clóvis Campêlo


quinta-feira, 7 de março de 2013

Ypiranga 0 x 2 Santa Cruz


Diante de 4.477 pessoas, vencemos ontem à noite o Ypiranga, em Santa Cruz do Capibaribe. 2x0 foi o belo placar que nos levou de volta à liderança do Estadual, ao lado do Náutico, com 9 pontos ganhos.
Ontem, Flávio Caça-Rato teve a tranquilidade suficiente para marcar o seu, após boa jogada de Natan. Dênis Marques, o predador, consolidou o placar final.
Segunda que vem tem o Central, à noite, no Arruda. Apesar da chatice do horário, vamos encarar a Patativa e ganhar mais uma. Para sermos tricampeões, só nos resta VENCER!


Clóvis Campêlo

quarta-feira, 6 de março de 2013

Enfrentando o Ypiranga


Amigos e amigas corais,

Hoje à noite, contra o Ypiranga, entraremos em campo com duas modificações: Everton Sena no lugar de Marquinhos e Jeferson Maranhão no lugar de Everton Danilo. Ou seja, Martelotte está se virando como pode e com o que tem a mão. Nosso elenco é reduzido e pouco qualificado. O que nos salva é a pobreza do futebol pernambucano de hoje. Não estamos sós, portanto.
Vamos esperar melhor sorte contra a Máquina de Costura porque outra derrota seria preocupante.

Clóvis Campêlo