terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Com casca e tudo



COM CASCA E TUDO


Alberto Félix, de São Paulo



Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.

Meninas e meninos Corais.

A saideira.

Eita ano desmantelado, cheio de glórias, decepções e vacilos.

Glória para nós corais, tricampeões.

Decepção com o Galo Doido.

Vacilo da Luza, vacilaram ao escala um jogador pendurado.

A perna quebrada de Anderson Silva.

O acidente com Miguel Sapateiro Schumacher, coisa horrível.

E nós Corais?

Quero avisar a todos os bichos escrotos sobretudo roedores, felinos e que tais.

Quero dizer que em 2014 vamos comer todos com casca e tudo!

Vamos gritar É Tetra!

Saudações Corais a todos!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Feliz Ano Velho!


FELIZ ANO VELHO

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, não resta a menor dúvida de que o ano de 2013 foi altamente positivo para nós das Repúblicas Independentes do Arruda. Conquistamos o tricampeonato estadual em cima dos nossos primos ricos – Sport e Náutico -, com um orçamento infinitamente menor, provando que o futebol profissional pode ser feito com menos dinheiro e mais competência.
Do mesmo modo, depois de um princípio vacilante e quase desanimador, engrenamos sob o comando de Vica e conquistamos a Série C do Campeonato Brasileiro. Portanto, um ano para ser lembrado com carinho por todos nós tricolores do Arruda.
2014 vem aí e mais uma vez teremos responsabilidade de exercer a nossa competência. É bem verdade que teremos um orçamento um pouco mais folgado. Mas também é verdade que os problemas financeiros herdados de gestões anteriores se mantêm e precisam ser contornados.
Montar uma equipe compatível para a disputa da Série B será o grande desafio. Mas, antes disso, teremos a Copa do Nordeste, com a possibilidade de abocanharmos o prêmio pago pela CBF ao campeão, e a disputa do tetra estadual, além da Copa do Brasil.
Um calendário cheio. Um calendário necessário para a nossa reafirmação no cenário esportivo brasileiro e mundial.
Mais um ano para o Cobra Coral nos emocionar e superar-se dentro de campo.
Quem for vivo, verá!

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Renovações e aumentos salariais


RENOVAÇÕES E AUMENTOS SALARIAIS

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais:

A renovação do contrato do paredão Tiago Cardoso nos deixa mais tranquilo para o início da temporada de 2014.
Será uma longa maratona de competições (campeonato estadual, Copa do Nordeste e Copa do Brasil) até chegarmos na Série B do Campeonato Brasileiro, no segundo semestre.
Por enquanto, ainda não contratamos nenhum novo jogador. Isso tem que ser feito com critérios para não onerar excessivamente a nossa folha salarial. No entanto, precisa ser feito pois temos que melhorar o nível técnico do time pra encararmos a Série B. Essa aliás, e a grande contradição nossa no momento. Subir e ascender sem gastar mais. É uma missão quase impossível.
Por outro lado, sabemos que também vamos ter um aumento de receita por conta das participações nas cotas televisivas e nos prêmios da CBF. A própria Copa do Nordeste proporcionará um prêmio de R$ 1,5 milhão à equipe vencedora.
O mais difícil, para mim, será manter o nível salarial dos jogadores que ainda estão com contratos em manutenção. Todos vão querer, com justiça, aliás, um aumento salarial compatível.
É o caso, por exemplo de Renatinho, que mesmo tendo contrato assinado até o final de 2014, já pleiteou um aumento salarial acima do que o clube lhe ofereceu. Acho que o bom senso deva falar mais alto, nesse momento, chegando-se a um patamar que satisfação aos dois lados.
Não adianta esticar muito a corda se ela não vai aguentar o esforço.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Tricolor joga com muita raça e segura o empate diante do Sampaio Corrêa no Maranhão

A grande decisão entre Santa Cruz x Sampaio Corrêa/MA pelo título do Campeonato Brasileiro da Série C 2013 começou neste domingo. No primeiro embate entre as duas equipes, realizado no Maranhão, o placar ficou em 0x0.

Com esse resultado o Tricolor precisa de uma vitória simples na partida do próximo final de semana, no Arruda, para se sagrar campeão.

O TIME - Com muitos desfalques no seu setor ofensivo, o treinador Vica foi obrigado a modificar bastante a sua equipe. O esquema 4-5-1 foi mantido, mas dessa vez o comandante do ataque coral foi Siloé.

Assim, o Santa entrou em campo com: Tiago Cardoso, Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Panda; Sandro Manoel, Dedé, Luciano Sorriso, Raul e Renatinho; Siloé

O JOGO - Jogando fora de casa e sem seus principais atacantes, o Mais Querido entrou em campo apostando na forte marcação e na velocidade para vencer o jogo. Logo no primeiro minuto o Tricolor criou uma grande chance de marcar, quando Ozil cobrou falta da direita na cabeça de Luciano Sorriso, mas o volante mandou para fora.

O Sampaio, por sua vez, demorou para entrar no ritmo do jogo e só criou a primeira chance de gol aos 26 minutos. Tote avançou bem pela direita, recebeu bom lançamento e chutou, mas a bola foi pra fora.

Sem conseguir penetrar na defesa tricolor, o time da casa arriscava chutes de longa distância para tentar abrir o placar, mas sem sucesso.

Aos 35 minutos o Mais Querido teve grande chance de marcar em um contra-ataque em velocidade, mas Siloé segurou demais a bola e perdeu a oportunidade de tocar para Renatinho, que entrava na área livre para marcar.

Logo depois o Santa chegou novamente com perigo. Renatinho fez grande jogada, entrou na área e tocou para trás. Panda vinha em velocidade e soltou a bomba, mas a bola passou raspando na trave.
SEGUNDO TEMPO - Na volta para a segunda etapa o treinador Vica resolveu modificar sua equipe e colocou o atacante Jonathan na vaga do meia Raul. Segundo o comandante coral, sua ideia era aumentar o poder ofensivo da sua equipe.

A primeira chance de gol no segundo tempo foi do Sampaio. Júnior Chicão entrou em velocidade pela esquerda e soltou uma bomba, mas Tiago Cardoso defendeu bem e salvou o Santa.
O Mais Querido demorou para responder e só chegou com perigo aos 12 minutos, quando Panda soltou uma bomba de fora da área e por pouco não surpreendou o goleiro Rodrigo.

Para tentar chegar ao ataque com mais perigo, Vica resolveu escalar o volante Léo e o atacante Flávio Caça-Rato nas vagas de Siloé e Renatinho. As mudanças não surtiram efeito imediato e o jogo caiu de rendimento.

Só no fim da partida os dois times voltaram a atacar com perigo. Primeiro foi a vez do Sampaio Corrêa, que teve uma boa chance com Júnior Chicão de cabeça, mas Tiago Cardoso defendeu bem. Depois foi a vez do Santa chegar com Jonathan, mas antes dele concluir para o gol a arbitragem parou o lance e alegou impedimento.


 
 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Estamos na final da Série C




SAMPAIO CORRÊA X SANTA CRUZ
Domingo 24/11/2013 16 horas
Local: Estádio Castelão - São Luis/MA

Vamos lá meu querido tricolor, conquista essa taça e premia essa torcida maravilhosa que nunca te abandonou. Falta pouco para conseguirmos um título inédito de Campeão Brasileiro.

Ficaremos na torcida acompanhando o primeiro jogo em São Luis/MA e na segunda partida, faremos o que todo Brasil já sabe: "Lotaremos o Arrudão para te apoiar."

Queremos essa estrela de bronze em nosso escudo. Vai pra cima deles tricolor!

Um grande abraço à toda torcida Cobra Coral.

Gabriel Campelo

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

A Ema Gemeu!

A Ema Gemeu!

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Perdão, pela preguiça e o obvio relaxamento em escrever, mas tem porquê, menino, minha casa estava mais revirada que uma rua da sofrida Bagdá.
Camarada coral, sabe qual é a maior merda quando nos metemos em uma reforma? E um tal de “jaque” aparece, eu explico, já que vai fazer isso porque já não aproveita e, fodeu.
Perante tudo isso cheguei a uma severa conclusão.
Coisas que um homem não deve fazer nunca.
Carregar botijão de gás, melancia, bateria de carro e sobretudo nunca jamais em hipótese alguma jogar “frescobol” e não te metas em reformas domésticas é bronca!
Rapaz, Lou Reed encantou-se!
Não vou aqui dizer que conheço a obra dele no Velvet Undeground, conheço pouco ou quase nada.
Há um filme muito gostoso de assistir chamado “Sem Folego” no qual além de Lou Reed participa Madonna, Jim Jarmusch e outras figurinhas carimbadas.
E deu Cruzeiro, a raposa, parabéns!
Para mim o que embotou a vitória deles foram aquelas faixas de louvor, etc.
Futebol tem que ser laico!
Quem tem bom censo cruza os braços!
E nós?
Menino, tão longe de mim distante vi o Colosso do Arruda que mais parecia a Praça Tahrir no Cairo de Gamal Abdel Nasser e suas bandeiras encarnadas preta e branca.
A ema cuiabana gemeu na unha de Flávio Caça Rato!
Uma vitória a sangue frio.
Saudações Corais a todos.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

A primeira vez, a gente nunca esquece...


A PRIMEIRA VEZ, A GENTE NUNCA ESQUECE...

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, só hoje, dois dias depois, é que consigo escrever sobre a nossa histórica vitória por 3x1 sobre o Cuiabá. Ironicamente, quando o Santa Cruz se conserta e vence a primeira partida fora de casa na famigerada Série C do Campeonato Brasileiro, meu micro quebrou e me deixou isolado do mundo. Como se pode ver, nem tudo é sempre do jeito que a gente quer. Além do mais, nenhum homem coral é uma ilha. Recuperada a máquina, só nos resta escrever para contar a odisseia da nossa vitória em Cuiabá.
Primeiramente, que campinho triste aquele. Acho que o Cornélio de Barros, em Salgueiro, está melhor equipado e com um melhor gramado. Onde foi que a incompetência do Santinha, ao longo dos últimos anos, o levou?!
Segundamente, aquele gol logo aos dois minutos do jogo nos assustou e nos deu a impressão de que a tragédia da uma nova derrota se repetiria. Mas, domingo 1º de setembro, era o Dia do Estabelecimento da Competência Coral, e viramos o jogo ainda no primeiro tempo para garantir a rapadura na etapa final.
Terceiramente, nada como uma concorrência saudável para despertar a eficiência alheia. Hoje, podemos dizer que já não somos mais reféns de Dênis Marques, o nosso artilheiro. André Dias entrou, deu conta do recado, marcou dois tentos e se firmou como titular. AD9 é a nossa nova sensação. Acho até mesmo que uma dupla de ataque formada com ele e Dênis Marques está fadada ao sucesso. O primeiro é força e explosão. O segundo, técnica e maneirismo. Tem tudo para dar certo. E ainda teremos CR7 no banco para os momentos de caneladas e trombadas.
Finalmente, agora, amigos, parece que temos um treinador que gosta de disciplina e tem a mão forte do comandante. O que nos alegrou domingo, foi exatamente essa disposição da equipe em se superar, coisa que parecia sepultada no elenco coral. Voltamos a ser um time de guerreiros. E um time de guerreiros sempre estará fadado à conquistas e vitórias expressivas.

domingo, 4 de agosto de 2013

Crime & Castigo

CRIME & CASTIGO

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Aqui na distante pauliceia desvairada, é complicado assistir a um jogo do “Querido do Povo”.
Um amigo me avisou que o canal Brasil passaria o jogo entre nós e o time da cidade das quatro torres.
Preparei-me feito quem se prepara para encontrar a primeira namorada, banho tomado, cerveja no ponto, uma lapada de cana com limão para fechar o corpo e abrir os caminhos.
Olhe, jogo de domingo as dezenove horas é mais escroto que a final da copa de 2002 as oito da manhã.
Do jogo é melhor nem falar, eu vi um time de pé de escada com um técnico cocô de louro.
E o pior ainda estava por vir.
“Adeus, desorientado! Vai-te pro diabo, amador de uma figa! Pede para cagar e sai, murrinha!”
Disse Inácio França no blog do santinha.
Estou de pleno acordo contigo Camarada Coral.
E digo mais, o crime que a direção e comissão técnica está cometendo com “O Querido do Povo” e milhões de corações apaixonados, merecem castigo, no mínimo uma dúzia de bolos em cada mão e na sola dos pés.
Meus camaradas corais, estou a me sentir pior que aquele personagem de Crime e Castigo que tem um nome impronunciável, angustiado e triste, a vagar numa fria São Petersburgo pré-revolucionária.
Saudações Corais a todos!

segunda-feira, 29 de julho de 2013

CONTRA O VENTO


CONTRA O VENTO

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Seu moço, como está frio aqui pelas terras de Anchieta e ainda por cima vem uma garoa fina e gelada, a garoa é uma chuva peneirada numa peneira bem fininha.
Está frio pra cacete!
Encantaram-se Djalma Santos e Dominguinhos.
Deus todo poderoso deveria poupar estes iluminados do calvário das internações hospitalares.
Por mim seria assim.
Djalma, em uma tarde de domingo, numa pelada com os amigos, alguém mandaria a bola para o mato, ele iria buscá-la e simplesmente encantar-se-ia.
Dominguinhos, na boquinha da noite poria seu fole nas costas e diria: Vou ali tocar um forrozinho na casa de um compadre meu, e encantar-se-ia.
E o Galo? O “eu acredito” funcionou direitinho.
Vitor trancou sua cidadela a sete chaves.
Uma pena que Roberto Drumond tenha partido fora do combinado.
Meu camarada, tu não imaginas como fostes profético ao escrever.
“Se houver uma camisa preta e branca pendurada no varal durante uma tempestade, o atleticano torce contra o vento “
É camarada, teu querido Galo é campeão da Libertadores da América!
Libertas Qauae Sera Tamen!
Saudações Corais a todos Atleticanos.
Vem cá, me diga lá meu camarada, a Federação Pernambucana de Futebol, tem o que na cachola?
O Querido do Povo, jogar em um domingo as sete da noite?
Esse povo da federação tem água de bidê na cachola?
Pense, o irmão coral após uma peixada no Pina e umas dezenas de gengibirras, tu vai lá pra campo?!
Eu sou assim, missa logo de manhã, futebol é lá pras quatro da tarde, no estádio ou no sofá, fora disso não há salvação.
Saudações Corais a todos.


domingo, 21 de julho de 2013

Quando chegaremos lá?


QUANDO CHEGAREMOS LÁ?

Clóvis Campêlo

Acho bonita essa história do Bahia ter sido o primeiro campeão brasileiro, em 1959. Fui menino no Pina, escutando falarem no famoso Esquadrão de Aço baiano. Um título que a CBF demorou a reconhecer, mas que hoje está devidamente certificado.
Na minha condição de torcedor do Santa Cruz, abro mão apenas em três momentos para dividir uma pequena parte do meu coração (porque 90% dele é Santa Cruz) com outros três clubes do futebol brasileiro: O Bahia, o Sampaio Correia e o São Paulo.
Nos anos 70, ao lado do meu amigo e compadre Wanderby Matos, vi o Bahia jogar na velha Fonte Nove com um time fabuloso onde, entre outros, destacava-se o goleiro argentino Buttice, o zagueiro Roberto Rebouças, já falecido, e que foi um dos ídolos do futebol baiano, e o meio-campista Baiaco.
No Maranhão, terra da minha mulher, abro outra exceção para o Sampaio Correia, time de massa, com um belo colorido no seu padrão, o que o faz ser chamado de "boliviano", e com as mesmas iniciais do Santa Cruz (SCFC). Isso me basta.
Quanto ao São Paulo, apesar de fugir dessa tradição de time popular, eu o admiro pelo semelhança cromática com o tricolor do Arruda e, acima de tudo, porque era o meu time campeão de botão nos tempos do Pina. Uma seleção onde jogavam Roberto Dias, o goleiro Poy e o pona esquerda Canhoteiro.
Foi no São Paulo, também, onde despontou para o Brasil o meia Terto, jogador revelado no Santa Cruz dos anos 60, um verdadeiro craque.
Nos anos 70, o Santa Cruz formou o seu primeiro grande time de futebol dos tempos modernos, ganhando cinco campeonatos pernambucanos seguidos (1969-1973) e chegando a figurar entre os quatro maiores times do Brasil, no campeonato brasileiro de 1973, numa época em que se fazer futebol ainda não custava tão caro e onde ainda não havia essa diferença abissal de dinheiro e renda entre os times do Nordeste e do Sul/Sudeste.
Hoje, ainda lutamos bravamente para recuperar o prestígio perdido, depois de anos nas divisões inferiores do futebol brasileiro. Chegaremos lá? Como o Bahia Esquadrão de Aço conseguiremos alcançar algum título nacional de destaque?
O futebol mudou na sua concepção administrativa e financeira e eu fico com a impressão de que não conseguimos acompanhar isso.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Minha Casa, Minha Vida

Minha Casa, Minha Vida

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Sábado (13/07) é considerado como o dia do roque, por conta do Liv Aid, um show simultâneo, ocorrido na metade dos anos oitenta em Londres e na Filadélfia, ícones sagrados do roque se apresentaram neste show, esta data só é comemorada aqui na terra Brasilis.
Eu, particularmente, considero como data máxima do roque, 03/02/1959, neste dia em um desastre de avião vitimou, Buddy Holly, Ritchie Valens e J.P. Richardson, três de fevereiro é conhecido também como “o dia em que a música morreu”, no filme La Bamba, de 1987 retrata muito bem esse episódio.
Foi também num fatídico dia de fevereiro de 1958 que um desastre de avião em Munique vitimou o time do Man United, o mítico elenco conhecido como “Busby Babes”.
Há um filme (United de 2011) muito interessante que retrata o desastre em Munique.
O drama foca os acontecimentos que precederam ao desastre de Munique em 6 de Fevereiro de 1958, através dos olhos de Bobby Charlton, mítico jogador do Manchester United, que sobreviveu ao acidente.
Chega de desastre.
E o Galo Doido do horto?
Menino! Tu visse que superação do CAM pra riba NOB!
É como estão dizendo por ai, “yes we cam”.
Gostei mais ainda da vitória Tricolor de Aço Baiano pra riba do time Morumbi de Fabiano e companhia bela.
O melhor do time do Morumbi, não são jogadores, o técnico ou o cofre abarrotado de mangos.
O melhor do time do Morumbi é seu presidente, Jota Jota, (Juvenal Juvêncio) um desastre biológico, entre Vicente Mateus e Eurico Miranda.
Nasceu uma figuraça! Que só tu vendo!
E nós Corais?
Um dos gols mais bonito no Linha de Passe na ESPN foi o de Raul.
Ah! nós estamos mais faceiros que Dora rainha do frevo e do maracatu.
Viajo imaginando Dora vinda dos altos da zona norte de Recife, quiça, uma banhista do Encanto do Pina.
Vestindo nosso manto sagrado.
Olhe, de vera mesmo eu (nós) queremos é está embolado nesse G4 da perversa série C e escapar fedendo dessa bronca.
Saudações Corais a todos.

domingo, 14 de julho de 2013

Santa Cruz 2 x 1 Fortaleza


SANTA CRUZ 2 x 1 FORTALEZA

Clóvis Campêlo

Segundo Renato Boca-de-Caçapa, o filósofo coral, somos um time em ascensão. E eu, camaradas, acredito em tudo o que ele diz.
Ontem, no Arruda, vencemos o Fortaleza por 2x1. Não foi um jogo fácil, mas nos impusemos e quebramos o longo tabu de não vencer o time alencarino. Além disso, provisoriamente, a vitória nos rendeu a vice-liderança do grupo. Estamos de parabéns. Notadamente Raul, que fez os dois tentos e jogou um grande jogo.
Domingo próximo, temos o Águia, outra pedra no nosso sapato, em Marabá. Vencer mais uma é a ordem do dia. Ainda estamos bem lembrados das complicações que a derrota para o CRB nos trouxe. Somos um clube com mais tradição no futebol brasileiro e isso deve servir com alavanca para abafar o clube paraense.
Mais uma vez, a torcida coral deu um banho de competência e fidelidade. 26.116 pessoas se fizeram presente às Repúblicas Independentes do Arruda, deixando cientistas e estudiosos do futebol sem entender como uma torcida pode ser tão apaixonada e fiel.
Uma outra coisa boa que percebemos no jogo de ontem, foi a aplicação tática da equipe coral. Isso, além a vitória, demonstra uma sintonia boa entre o treinador Sandro Barbosa e o elenco. Não se faz um time vencedor sem harmonia e confiança entre o comando técnico e os jogadores. E isso parece existir hoje no Arruda.
Não há muito o que falar. Nos próximos jogos é entrar em campo com a mesma disposição para vencer e consolidar a nossa posição no G4.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Santa Cruz 1 x 0 Cuiabá


SANTA CRUZ 1 x 0 CUIABÁ

Clóvis Campêlo

Não fui ao jogo ontem. Esse horário, ingrato para um dia de domingo, não me atrai. Assisti a transmissão da EBC, no canal 11 do Recife. Boa transmissão.
Jogo duro, onde vi o Santinha pecando pela falta de um esquema tático mais bem definido, com Dênis Marques isolado no ataque, principalmente no segundo tempo, por conta da má atuação dos meias Raul e Luciano Sorriso.
Mas vencemos e isso nos valeu a quarta colocação no grupo. No próximo sábado, enfrentaremos o líder Fortaleza, que tem 10 pontos. Uma vitória será mais do que necessária, já que jogaremos em casa.
Mais uma vez a torcida coral se fez presente ao estádio. Foram 18.550 abnegados e decididos torcedores. Parabéns! Quase 9 mil torcedores a mais do que o público que foi a Arena Pernambuco assistir Botafogo e Fluminense. É essa a forçam mais uma vez comprovada da nossa torcida.
O jogo foi duro, lá e cá, e prevaleceu o senso de oportunismo de Flávio Caça-Rato, o nosso peito de aço, marcando um gol de joelho aos 28 minutos do primeiro tempo.
Valeu pela vitória e pela inclusão no G4 do Grupo A da Série C.

domingo, 7 de julho de 2013

O POVO QUER SÓ O QUE É SEU!


O POVO QUER SÓ O QUE É SEU!

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Mas que jogo hein?
Meninos e meninas, o povo na rua pedindo o que é seu, vem pra rua tu também, camarada coral!
Fraulein Dilma, está apanhando mais que nos tempos que seu codinome era Vanda e morava contra a vontade no presídio Tiradentes aqui em Sampa, (naturalmente que guardada as proporções).
Ontem fui ver o jogo lá na zona leste, no Tatuapé, na casa de amigos de meu filho Glauco, tu assistir jogo com geração saúde é de lascar!
Ninguém bebe (bebe chá) fumar nem pensar!
Mas havia uma sopa de feijão da melhor qualidade feita por uma sergipana.
Zona leste de sampa, me veio na memória quando tempos atrás um encontro, Valmir, Nego Maia e eu, na casa do saudoso Carlucio, neste encontro derrubamos duas caixas de cerveja e um litro de uísque.
O jogo, Brasil e Espanha.
O tic tic tic tac do meu coração.
A Espanha é campeã do mundo, ponto.
Agora, quer jogar?
Quer jogar?
O Brasil vai te ensinar!
Já foi dito, falado e escrito que futebol é ópio do povo, conversa fiada, o povo na rua pedindo o que é seu, e a canarinho dando um vareio de bola nos lambidos e relambidos campeões do mundo.
Fred, chegou na seleção com problema na costela que nem Adão.
Fez gol até deitado!
Ixe!
Bom, acabou a Copa das Confederações.
Agora, é o tempo comum.
Tempo, de Arruda!
Tempo Coral!
Bora, embora temos um jogo!
Saudações Corais a todos.






domingo, 16 de junho de 2013

A Policia Apresenta Suas Armas!


A Policia Apresenta Suas Armas!

Alberto Félix, de São Paulo


Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Ando meio bissexto, escrevendo de quando em vez.
Na verdade, na verdade ando numa preguiça, que só por Deus!
Como hoje (16/06) há que se respeitar como um dia santo, é um dia muito do especial, sobretudo para os que são adictos de literatura.
E eu não poderia me furtar.
Hoje é o Bloomsday.
É um feriado comemorado na Irlanda em homenagem ao livro Ulisses, de James Joyce.
É o único feriado em todo o mundo dedicado a um livro, excetuando-se a Bíblia.
Caro camarada coral, se tu nunca leu Ulisses, não te aperreia, não estas só, pouca gente leu, eu mesmo não passei da centésima página, li pelas beiras, pelas tampas e de orelha.
Bom, ontem eu estava vendo um jogo de Rugby entre França e Nova Zelândia.
Os Les Bleus e All Blacks.
Foi um amistoso.
Pense num jogo sem pé nem cabeça? Pronto o jogo é na peitada, na barruada, quem pode mais chora menos.
O que me chamou atenção é que tinha um jogador da França chamado Louis Picamoles!
Vai para o quinto dos infernos com um nome desses, não atoa o jogo foi 30X0 para os All Blacks.
Agora é Copa das Confederações.
É ouvir a pachecada da globo gritar.
É do Brasil!
E Sampa?
Dia sim e dia sim, a policia apresenta suas armas!
Enfrentamento com hora marcada, é no final da tarde que o coro come na casa do tucanato.
É pau com hora marcada.
Menino, se eu fosse mais novo estava no bolo!
Nós Corais estamos em compasso de espera.
Saudações Corais a todos.