quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Errei sim. E acertei, diz Dênis Marques


ERREI SIM. E ACERTEI, DIZ DÊNIS MARQUES

A eliminação do Santa Cruz para a segunda fase da Série C do Brasileiro, que define o acesso à Série B de 2013, caiu sobre as costas do atacante Dênis Marques, embora o técnico Zé Teodoro também seja alvo de duras críticas. Mas o artilheiro, devido à sua importância para o time, chegou a ser hostilizado, foi taxado até de “chinelinho” – jogador que vive no Departamento Médico. Mas os números mostram ao contrário. O melhor exemplo é o fato de o Predador Coral ter sido o único atleta a ter participado dos 18 jogos da equipe na fase classificatória da Série C.
Outras estatísticas são favoráveis ao atleta. Das 46 partidas do time na temporada, Dênis Marques esteve presente em 37 (incluindo os 18 jogos da Série C). O atacante marcou 27 gols, uma média de 0,73% por jogo. No Campeonato Pernambucano foram 15 partidas e 15 gols, artilheiro isolado da competição. Na Série C, marcou mais 11 e continua como principal goleador, enquanto nos dois confrontos da Copa do Brasil marcou mais um.
A estreia no Santa Cruz foi apenas na 8ª rodada do Pernambucano, dia 8 de fevereiro, quando marcou os três gols da vitória por 3x1 sobre o Porto. Assim, Dênis Marques foi fundamental na conquista do bicampeonato.
O atacante, porém, não corre da responsabilidade pela eliminação do time, quando perdeu para o Águia por 1x0, domingo passado, em Marabá. “Acho que dei o meu máximo. Erramos, pois ninguém é perfeito. Houve falhas que cometi que prejudicaram a equipe, assim como outros jogadores erraram. Mas também acertei. Infelizmente, não foi o suficiente para sairmos com a classificação”, reconheceu o artilheiro.
A diretoria, por sua vez, só terá trabalho pela frente. Do elenco de 29 atletas, só oito têm contrato para a próxima temporada. São eles: o goleiro Cley, o lateral Renatinho, os zagueiros Leandro Souza e Everton Sena, o volante Memo e os meias Weslley, Natan e Jefferson Maranhão.
Além dessas questões, o presidente tem de resolver se permanece ou não com o técnico Zé Teodoro. Outra prioridade é definir a renovação do contrato de Dênis Marques.
O problema mais grave é a questão financeira. Durante a temporada, a diretoria chegou até a colocar alguns jogadores como garantia para conseguir um empréstimo de R$ 500 mil junto à Traffic. O lateral Renatinho, o volante Memo, o zagueiro Everton Sena e o meia Natan. “Não há nada demais nisso. Demos apenas um pequeno percentual como garantia. Estamos pagando em dia esse empréstimo. A Traffic é uma parceira nossa”, explicou o presidente.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, 31/10/2012

Futuro de Tiago Cardoso no Santa Cruz é incerto

 
Um dos jogadores que mais salvaram o Santa Cruz nos momentos difíceis, o goleiro Tiago Cardoso se mostrou muito descontente com a prematura eliminação da equipe tricolor da Série C. Na derrota do último domingo (28), por 1x0 para o Águia, Tiago deve o desprazer de sofrer o tento que decretou o fim da linha coral nessa temporada. Tendo de pensar somente no futuro, o “paredão” afirmou que não sabe se fica no clube em 2013.

Lamentando a eliminação na Série C, o goleiro descreveu o doloroso lance que resultou na desclassificação Coral. Segundo ele, o empate seria mais justo, pelo que os times fizeram na partida:

“Uma bola ia matar o jogo e foi o que aconteceu. Eles foram
felizes na jogada, infelizmente não deu para defender. Foi um jogo truncado, brigado, muito lutado. O resultado mais justo era o empate. Agora, é esperar para ver o Deus tem para nós no futuro.”

Falando no futuro, o goleiro afirmou que o seu contrato com o Santa Cruz se encerra em dezembro e que ainda não sabe se vai renovar. Ele destacou os bons momentos que viveu no clube até aqui, mas deixo o futuro incerto:

“Vamos ver como é que vai ficar, tenho contrato com o clube até dezembro. Creio que Deus já tem uma porta aberta para cada um aqui. Se for parar sair, saio de cabeça erguida, pois fiz o meu melhor e fui muito recompensado nesses dois anos.” 

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Recepção fria marca a chegada


RECEPÇÃO FRIA MARCA A CHEGADA

Uma recepção fria, sem os protestos da massa tricolor. Apenas com a presença de alguns adolescentes e garotas fãs do lateral Renatinho, os jogadores do Santa desembarcaram, no início da tarde de ontem, no Aeroporto Internacional do Recife. Na bagagem, a eliminação da Série C do Brasileiro, após a derrota para o Águia, por 1x0, no domingo passado, em Marabá, pela última rodada da primeira fase. O time deu adeus ao sonho de voltar à Série B.
Os seguranças do clube nem tiveram muito trabalho. Ao contrário, quando os atletas entraram no saguão chegaram até a ser aplaudidos, mas de forma tímida. O atacante Dênis Marques foi o único que passou por um vexame, quando um torcedor atirou algumas moedas em sua direção, acusando-o de mercenário. O autor do protesto não chegou a ser detido e deixou o local rapidamente. O ato foi até estranho, pois o jogador é o artilheiro do time na temporada, com 27 gols – 15 marcados no Campeonato Pernambucano, 11 na Série C, da qual é o artilheiro isolado da competição. Ele ainda marcou um na Copa do Brasil.
Dênis Marques não deu entrevistas. Ao contrário, saiu rapidamente, mas deu a entender que até poderia permanecer no Santa Cruz para 2013. O contrato termina no fim de dezembro. “Não sei de nada. Não conversei com ninguém”, disse o atacante.
Em meio aos garotos e garotas, o goleiro Tiago Cardoso, que teve de parar para tirar algumas fotos e dar autógrafos, não escondia o seu desalento com a eliminação do time. “A viagem foi ruim. A maioria dos jogadores nem conseguiu dormir depois da partida com o Águia. A gente só tem mesmo de pedir desculpas à nossa torcida”, disse o ídolo tricolor, que também tem contrato encerrando no fim do ano.


ZÉ TEODORO

Na chegada pacífica da delegação, o técnico Zé Teodoro atendeu aos repórteres. Ele repetiu a maioria das declarações dadas logo depois do jogo no domingo. Mas adiantou que ainda não teve uma conversa com o presidente Antônio Luiz Neto sobre a sua permanência ou não para a temporada de 2013.
“Não conversei com o presidente. Mas temos um projeto. Infelizmente, o segundo semestre não foi bom para a gente. Tivemos que enfrentar algumas dificuldades, como as muitas contusões no elenco. Mas acho que nesses dois anos fizemos um grande trabalho, como a conquista do bicampeonato pernambucano e o acesso da Série D para C”, comentou o técnico, que não disfarça a sua vontade de permanecer no Arruda. “O presidente tem uma eleição no clube e tenho de esperar. Mas acredito muito no nosso trabalho.”
Na quinta-feira, o elenco se reapresenta, no Arruda, quando deve entrar de férias oficialmente. O retorno será no início de dezembro.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, 30/10/2012

Os muitos erros do Santa


OS MUITOS ERROS DO SANTA

Elias Roma NetoHenrique Queiroz

O Santa Cruz tinha tudo para subir para a Série B do Campeonato Brasileiro. Vindo de um ano marcado pela eficiência em 2011 (com título e acesso) e do bi estadual em 2012, os tricolores contaram com o maior investimento salarial da Série C. Mas, aos poucos, falhas foram se revelando dentro e fora de campo. As medidas tomadas para resolver os problemas não fizeram efeito e o time viveu a eliminação na primeira fase da Terceirona – ao ser derrotado pelo Águia de Marabá, por 1x0, no Pará, domingo passado – pondo um ponto final no plano de festejar o seu centenário, em 2014, na Série A nacional.
As causas do fracasso foram várias. A reportagem do JC lista aqui algumas, como as muitas “desculpas”, que tinham como objetivo “blindar” o grupo, mas que na verdade geravam uma acomodação nos jogadores criando uma espécie de salvo-conduto para derrotas. Elas começaram com o atraso no início da competição (a briga jurídica do Treze), que teria “tirado o embalo” da equipe. Depois, passou pelo “clima quente”, “gramados ruins” e as “cansativas viagens”. Como se os rivais não passassem pelos mesmos problemas. Tudo isso acompanhado da promessa que o time iria “crescer no momento certo”, o que não aconteceu.
No campo, o Santa teve campanha mediana em casa e sofrível fora. No Arruda, venceu cinco partidas, mas empatou três e ainda foi derrotado em um momento importante: 2x1 para o Fortaleza, na antepenúltima rodada. Como visitante, o desastre – nenhum triunfo, quatro empates e cinco derrotas (14,8% de rendimento). Com apenas uma vitória o time passaria à segunda fase.
A dependência de Dênis Marques também prejudicou a Cobra Coral. O Predador poderia ter se apresentado melhor em algumas ocasiões, mas ele praticamente carregou o setor de ataque sozinho com 11 dos 26 gols na Série C, ou 42% do total do time. Os outros dois atacantes que marcaram tentos foram Fabrício Ceará, com quatro, e Flávio Caça-Rato, com um. Quando Dênis estava mal – vide os pênaltis desperdiçados contra Icasa e Fortaleza, fora –, os torcedores não tinham em quem confiar. O jogador ainda contou com regalias de falta aos treinos, o que o deixava em um patamar diferenciado no elenco.
Na hora de contratar, muita desorganização. O que falar do zagueiro César, que só estreou na penúltima rodada? E também o volante Ramalho, que veio para o Arruda no final de julho e não atuou uma vez sequer? Diego Bispo e Victor Hugo, dispensados no começo do mês, atuaram apenas em uma e três partidas, respectivamente. Com um grupo que chegou a ter 33 jogadores, a folha ficou alta demais (especula-se algo em torno de R$ 700 mil) e gerou – aliado ao mês de junho parado – desconfortáveis atrasos salariais.
Quanto a Zé Teodoro, o antes idolatrado treinador teve seu encanto quebrado com parte da torcida. Substituições erradas ou escalações defensivas demais geraram atritos. Lesões contribuíram para isso, mas não explicam a falta de identidade do meio de campo, por exemplo. A demissão do técnico chegou, inclusive, a ser engatilhada durante a competição, mas o presidente bancou Zé.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, 30/10/2012

Elenco tem reapresentação marcada para esta quinta-feira

 
A assessoria de imprensa do Santa Cruz confirmou nesta manhã que a reapresentação do elenco coral está marcada para próxima quinta-feira (1).

Após a eliminação precoce da Série C, a temporada Coral está encerrada e a expetativa é para saber quem segue no clube para 2013.

Segundo levantamento do site Super
Esportes, do atual elenco, composto por 29 jogadores, apenas oito jogadores têm contrato para a próxima temporada. São eles: O goleiro Cley, o lateral esquerdo Renatinho, os zagueiros Leandro Souza, Everton Sena; o volante Memo e os meias Weslley, Natan e Jefferson Maranhão. 

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Um sonho que desmorona


UM SONHO QUE DESMORONA

Marcelo Cavalcante

MARABÁ (PA) – O Santa Cruz não foi a equipe aguerrida que os tricolores esperavam na última rodada da primeira fase da Série C. Bastava acabar o jejum de vitórias fora de casa para seguir na competição e manter vivo o sonho de subir para a B. Mas o time esteve nervoso em campo e viu o Águia jogar um futebol mais aplicado e organizado, no estádio Zinho de Oliveira, em Marabá, no Pará, ontem. Ao final dos 90 minutos, o Águia venceu por 1x0, com gol de Wando, aos 29 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o time paraense escapou do rebaixamento, já que o Salgueiro empatou com o Cuiabá (2x2) e caiu para a Série D.
O Santa Cruz não foi um time decisivo. Sem inspiração no meio de campo, não ofereceu perigo à defesa adversária. Chutou pouco em gol num campo que lhe permitia isso. Agora, resta pensar na próxima temporada. Para a torcida, infelizmente, é encarar a Série C de novo.
A escalação do time coral não surpreendeu a quem acompanhou os treinos da semana. Renatinho atuou ao lado de Luciano Henrique, no meio de campo. E foi dos seus pés que surgiu o passe para a primeira grande chance da partida. Antes mesmo de o cronômetro cravar o 1º minuto, Dênis Marques avançou, entrou na área e chutou errado. O goleiro defendeu sem dificuldades.
Dava para imaginar que o Santa sufocaria o Águia. Mas, depois do lance, o time coral parou. O Águia passou a tocar a bola e avançava ao ataque, explorando os laterais Leo Rosa e Mocajuba. Foi melhor em todo o primeiro tempo. A equipe do técnico Zé Teodoro não conseguia segurar a bola no setor ofensivo. O contra-ataque era desordenado. Para complicar, o meio apresentava erros na marcação, expondo a zaga.
No segundo tempo, Zé Teodoro optou por reforçar a marcação. Sacou Luciano Henrique e escalou Weslley. Mas o primeiro lance de perigo foi do Águia. Após cobrança de escanteio da direita, Danilo cabeceou firme, e o goleiro Tiago Cardoso segurou. O Santa Cruz deu o troco logo em seguida. E, enfim numa jogada bem trabalhada, Renatinho recebeu na intermediária e tocou, cobrindo a zaga, para Flávio Caça-Rato, que errou chute.
O técnico Zé Teodoro tomou conhecimento do gol do Icasa sobre o Paysandu. Resultado ruim para as pretensões do tricolor, que estava sendo eliminado. Então, o treinador mandou a campo Fabrício Ceará no lugar de Tiago Costa. De nada adiantou. O Águia continuou insistindo e, após jogada pela esquerda, a bola foi cruzada na área. Wando tocou para o gol de Tiago Cardoso: 1x0. O que era ruim ficou pior. Agora, só a virada interessava. O Santa partiu para o tudo ou nada. Em vão. O sonho de voltar à Série B ficou para 2013.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, 29/10/2012

O real e afantasia


O REAL E A FANTASIA

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
E então?
Fodeu!
Fazer o que?
O campeonato brasileiro aqui em casa está assim, o Palmeiras de Maria Eunice está comendo sem sal, meu Santinha é bom nem falar, só os corintianos aqui de casa estão mais felizes que mosca em pereba.
Os autores de livros de autoajuda, dizem que quando tu estás na merda é hora de crescer.
Conversa fiada.
Merda é merda e pronto.
Eu, coral até medula, assisto missa com canto gregoriano no mosteiro de São Bento aqui em sampa e o escambau.
Olhe, tem tanto santo no céu e não há um fela desses que olhe por nós!
Eu penso o seguinte, não tem santo, não tem reza e vela, que ajude esse nosso time.
Time cocô de louro!
Justo numa semana em que estávamos faceiros com nossa colocação em um ranque que nos coloca em trigésimo nono no mundo em media de publico!
E dai?
A culpa é de quem? De todos e de ninguém.
Nosso time é ruim mesmo.
Nossa diretoria, e babões em geral, tem que serem condenados às galés, onde só há choro e ranger! de dentes e o chicote estrala!
E digo mais, parodiando o grande gremista Lupicínio Rodrigues, nossa diretoria há de rolar como as pedras que rolam na estrada, sem ter nunca um cantinho de seu pra poder descansar.
Estamos na estrada de novo.
Saudações Corais a todos.

Decepção em três cores: Santa perde para o Águia e se despede precocemente da Série C


O Santa Cruz enfrentou o Águia de Marabá/PA na tarde deste domingo e foi derrotado pelo placar de 1 x 0, sendo desclassificado do Brasileiro da Série C.Com esse resultado o Mais Querido chegou parou nos 22 pontos em dezoito jogos e acabou ficando na sexta colocação, se despedindo melancolicamente da temporada 2012.
O TIME - Para a partida decisiva diante Azulão, o treinador Zé Teodoro resolveu repetir a formação que teve uma boa atuação contra o Luverdense/MT, mas, sem poder contar com o meia Leozinho, escalou Flávio Caça-Rato no time titular e promoveu o retorno de Chicão ao meio de campo.
Assim, o Santa entrou em campo com: Tiago Cardoso, Marcos Pimentel, Vágner, Edson Borges e Tiago Costa; Memo, Chicão, Luciano Henrique e Renatinho; Flávio Caça-Rato e Dênis Marques.
O JOGO - A partida começou a toda velocidade em Marabá. Logo aos 25 segundos de jogo Renatinho fez grande jogada e lançou para Dênis Marques. O artilheiro coral entrou na área e bateu cruzado, mas o goleiro Marcelo Cruz fez grande defesa.
Logo depois foi a vez do Águia chegar com perigo, através de Daniel, que aproveitou uma falha da defesa tricolor e bateu com força de fora da área, mas errou o alvo.
Enquanto o Santa ainda procurava entrar no ritmo do jogo, o Azulão se aproveitou e criou boas chances de gol, principalmente em falhas defensivas dos tricolores. Em uma delas, aos 30 minutos, Flamel fez grande jogada e obrigou Tiago Cardoso a fazer um milagre.
Na sequência o Mais Querido respondeu com Renatinho, que fez uma jogada em velocidade pela esquerda e cruzou para Dênis Marques, mas antes dele mandar para as redes o goleiro Marcelo Cruz conseguiu se antecipar e defender.
Aos 35 minutos foi a vez de Flávio Caça-Rato ter a chance de marcar. Marcos Pimentel cobrou lateral para a área e Caça-Rato arriscou de bicicleta, mas errou a direção do chute.
SEGUNDO TEMPO - Na volta para a segunda etapa o treinador Zé Teodoro resolveu colocar o meia Weslley na vaga de Luciano Henrique, para tentar dar mais ofensividade ao seu time.
Logo no início o Águia teve grande chance de marcar. Flamel fez boa jogada, cruzou para área e Danilo mandou para o gol de cabeça, mas Tiago Cardoso fez um milagre.
O Santa respondeu aos 6 minutos. Flavio Caça-Rato avançou em velocidade e bateu com força para o gol, mas Marcelo Cruz conseguiu defender e mandou para escanteio.
Precisando da vitória, aos 13 minutos o treinador Zé Teodoro escalou o atacante Fabrício Ceará no lugar do lateral Tiago Costa, posicionando Renatinho na ala esquerda. A mudança demorou para surtir efeito e Zé resolveu colocar Branquinho no lugar de Caça-Rato.
As duas equipes se mandaram para o ataque em busca da vitória a todo custo e criaram grandes chances de gol. Depois de muito insistir, o Águia abriu o placar aos 30 minutos do segundo tempo, com Wando. 1x0
Depois do gol do Azulão o Santa se desencontrou em campo e não conseguiu criar grandes chances. 

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

domingo, 28 de outubro de 2012

O possível time do Santa Cruz diante do Águia




  Apesar do técnico Zé Teodoro ainda não ter confirmado o time titular, o Santa Cruz deve entrar com a escalação da imagem acima diante do Águia Marabá, neste domingo (28), às 17h, no Zinho de Oliveira, em Marabá (PA). O comandante apostará em laterais que marcam melhor, mas que também buscam o apoio ao ataque. Chicão fará novamente a dupla de volantes com Memo após cumprir suspensão, enquanto Renatinho e Luciano Henrique terão a missão de criar. Renatinho deverá cair mais pela esquerda para auxiliar Tiago Costa nos cruzamentos, que serão muito importantes no Zinho de Oliveira, que possui dimensões reduzidas.

  Na frente, Dênis Marques tem a tarefa de por a bola nas redes adversárias ao lado de Flávio Recife, que se não chega a ser surpresa entre os titulares, deixa uma dúvida no ar, já que Fabrício Ceará, teoricamente seria uma melhor opção pela capacidade de jogo aéreo.

  O torcedor coral gostou da escalação? Tem outros nomes para o time? Os comentários, e as especulações, estão abertos, enquanto Zé não divulga os onze titulares.

Em jogo, a 1ª vitória fora


EM JOGO, A 1ª VITÓRIA FORA

Nos treinamentos nos campos do Olindão e no Ademir Cunha, em Paulista, o técnico Zé Teodoro teve a preocupação de adaptar os jogadores às condições do irregular gramado do Estádio Zinho de Oliveira, em Marabá, local da partida decisiva das 17h (horário do Recife), contra o Águia. O comandante quer o Santa Cruz não apenas sabendo equilibrar a sua melhor condição técnica a um piso ruim e complicado para tocar a bola, mas também forte na marcação, explorando bem as bolas aéreas, as cobranças de escanteios e de faltas e finalizações de média distância.
A preocupação do treinador tem uma razão. Na atual Série C, o time enfrentou gramados ruins e não se deu bem. Foi assim na derrota por 3x1 para o Icasa, em Iguatu, interior do Ceará, como diante do Cuiabá, quando o time só empatou por 0x0, e com o Guarany de Sobral no 1x1. Todos com gramados semelhantes ao de Marabá.
O zagueiro Vágner, que conhece bem o Zinho de Oliveira, já que na temporada passada jogou em Marabá em duas oportunidades pelo Paysandu, conhece bem o campo. Por isso, aprovou os treinos no Olindão e no Ademir Cunha. Mesmo assim, para ele não se pode usar o campo como desculpa. O objetivo é se impor e conseguir a vitória, que seria a primeira fora de casa, para garantir a classificação à próxima fase da competição.
“Joguei duas vezes no Zinho de Oliveira, e as condições são muito parecidas com a que tivemos no Olindão e no Ademir Cunha. O espaço é curto, a tela (alambrado) fica colada no campo e a irregularidade do terreno atrapalha, mas estamos preparados”, comentou o zagueiro, que pelo Paysandu obteve um empate e uma vitória.
“Não devemos mudar nosso estilo de jogo devido ao campo. No Paysandu, só vencemos quando também tocamos a bola, apesar da dificuldade. Temos de saber equilibrar o nosso jogo ao gramado. Sabemos que o Águia é mais acostumado, mas nosso time está preparado e consciente para buscar a classificação”, acrescentou Vágner.
Outro jogador que conhece bastante o campo e as dificuldades é o meia Luciano Henrique. Afinal, jogou em Marabá contra o Águia em 2010 pelo Fortaleza e em 2011 no Paysandu. Por isso, tem a mesma opinião de Vágner. “Como o campo tem irregularidades e dimensões menores em relação ao Arruda, o Águia não costuma usar muito a linha de fundo. Quando eles passam um pouco da intermediária já tentam os cruzamentos. Temos que ficar atentos. O nosso grupo está bem preparado para essa situação. Mas vamos procurar jogar, nos impor e conseguir o resultado que nos dará a passagem para a fase decisiva para brigarmos pela Série B.”


Publicado no Jornal do Commercio, Recife, em 28/10/2012

Santa faz partida do ano


SANTA FAZ PARTIDA DO ANO

Um jogo cercado por polêmicas, troca de farpas e até acusações de um suposto suborno. Sem contar que pode valer vaga no mata-mata e um rebaixamento à Série D. Esse é o clima da decisão Águia x Santa Cruz, hoje às 17h (horário do Recife), no Estádio Zinho de Oliveira, em Marabá (PA), pela 18ª rodada e última da primeira fase da Série C do Brasileiro. O confronto vale para o tricolor pernambucano a classificação às quartas de final, que definirá os quatro novos integrantes da Série B em 2013, enquanto o time paraense luta contra a queda.
Na quarta colocação do Grupo A, com 22 pontos, o Santa tem como objetivo afastar qualquer ameaça à sua classificação. A missão é conquistar a primeira vitória fora de casa. Até o momento, foram quatro derrotas e quatro empates. Um resultado positivo diante dos paraenses garante o time na próxima fase independentemente de outros resultados. Se empatar, torce para o Icasa não vencer o Paysandu, no Ceará.
O Águia, com 19 pontos, tem a seu favor a invencibilidade atuando em casa. O time paraense venceu quatro jogos e empatou os outros quatro.
Sobre toda a polêmica criada com um suposto suborno, que envolveu um empresário, que teria assediado o volante Analdo e o zagueiro Roberto, o técnico Zé Teodoro garantiu que o seu grupo foi totalmente “blindado” a respeito do assunto. “Não tem nada com o Santa Cruz. Sou contra esse tipo de coisa. Para mim, futebol se decide dentro de campo. Vamos jogar futebol. O nosso grupo está coeso, vai dar tudo pela vitória”, disse o treinador, que em 2010, no comando do Fortaleza, foi eliminado da Série C pelo próprio Águia.
Todos os cuidados foram tomados. O time chegou a treinar no Olindão e do Ademir Cunha, com gramados ruins, semelhantes ao do Zinho de Oliveira. Para esta partida, Zé Teodoro não vai contar com o meia Leozinho, suspenso. Na sua vaga entra Flávio Caça-Rato. O volante Chicão, que cumpriu suspensão, volta no lugar de Sandro Manoel. O restante do time é o mesmo da vitória por 2x1 sobre o Luverdense, no último sábado.


ÁGUIA

Com a pressão de se livrar do rebaixamento, o técnico João Galvão não divulgou a escalação do Águia. Mesmo assim, deve armar o time com três volantes. São eles: Diogo, Daniel e Analdo.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, em 28/10/2012

sábado, 27 de outubro de 2012

Prontos para a decisão


Chicão é natural de Marabá

PRONTOS PARA A DECISÃO

A longa viagem até Marabá não impediu o técnico Zé Teodoro de realizar um treinamento, ontem à tarde, no campo do Cruzeiro, time da cidade paraense. A movimentação começou por volta das 17h, mas de forma leve, sem exigir demais do grupo. O comandante tricolor, mais uma vez, evitou confirmar a escalação para o jogo decisivo de amanhã, contra o Águia, no Estádio Zinho de Oliveira, que vale a classificação às quartas de final da Série C do Brasileiro.
O tricolor enfrentou uma pequena maratona. A delegação embarcou no Recife às 7h15 e fez uma escala em Belém. Só depois do almoço o time seguiu para Marabá e chegou por volta das 15h. No total foram 8h de viagem até o interior do Pará.
Um jogador estava muito à vontade. Afinal, o volante Chicão é paraense de Marabá e espera reencontrar os familiares, principalmente com a classificação assegurada. “Estou em casa. Mas o momento é de total concentração para o jogo. Para a gente é uma final. É como fosse a última partida da competição valendo o título”, comentou volante, sem esquecer a recepção da torcida no embarque da delegação no Aeroporto Internacional do Recife.
“O torcedor compareceu e nos surpreendeu, especialmente porque a viagem estava marcada para muito cedo. Tenho certeza de que no nosso retorno terá muito mais gente nos esperando, pois vamos trazer a classificação”, acrescentou confiante Chicão, que cumpriu suspensão e retorna ao time na vaga de Sandro Manoel.
Com 22 pontos e na quarta colocação do Grupo A, o Santa Cruz só precisa de uma vitória simples para se garantir na próxima fase. Uma vitória descarta qualquer dependência dos resultados dos outros jogos. O Icasa, quinto com 21 pontos, luta por uma vaga, e recebe o Paysandu, terceiro com 24. Mas os tricolores não falam em combinação e nem pensam em empate. Além disso, o time vai em busca da primeira vitória fora de casa. Foram quatro derrotas e quatro empates, enquanto o Águia está invicto em casa, mas ocupa a 9ª posição com 19 pontos e luta contra o rebaixamento à Série D.
Toda esta situação, no entanto, só deixa o time mais motivado. No embarque da delegação, a exemplo de Chicão, o volante Memo também só mostrou mais motivação. “O calor da torcida ajuda e nos motiva ainda mais. Vamos enfrentar dificuldades, o campo de Marabá não é bom. Mas treinamos no Olindão e no Ademir Cunha, que possuem gramados semelhantes. O momento, agora, é de superação e para colocar a alma no jogo.”
Hoje, o time ainda realiza mais um treino. Além do retorno de Chicão, o atacante Flávio Caça-Rato volta no lugar do meia Leozinho, suspenso, e fará a dupla de ataque com Dênis Marques.
A escalação: Tiago Cardoso, Marcos Pimentel, Vágner, Édson Borges e Tiago Costa, Memo, Chicão, Luciano Henrique e Renatinho, Dênis Marques e Flávio Caça-Rato.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, em 27/10/2012

Voar mais alto


VOAR MAIS ALTO

Clóvis Campêlo

Cinco horas da manhã, o telefone toca. Atendo. Do outro lado da linha, Renato Boca-de-Caçapa, o filósofo coral bradou: "Amanhã, não precisa cortar as asas do Águia de Marabá. Basta voar mais alto".
Fiquei um tanto quanto preocupado, pois voar mais alto tem sido a dificuldade do Santinha nessa Série C. Não temos conseguido nem evitar o voo das bolas sobre a nossa área. Temos tomado gols fáceis de cabeça, na nossa defesa, como o de Valdir Papel, no último jogo contra o Luverdense.
Talvez, no sentido figurado, ele quisesse falar do nosso passado e tradição futebolístico. Mas isso também não tem sido muito respeitado nessa competição. O próprio Águia de Marabá, em 2010, eliminou dentro de casa o Fortaleza, passando por cima das suas tradição e passado de glórias.
Marabá é uma cidade situada no sul do Pará, a 485 quilômetros de Belém, com pouco mais de 230.000 habitantes.
O estádio do Águia, o Zinho de Oliveira, é pequeno, com capacidade para apenas 4.500 torcedores. O campo tem dimensões diminutas. Fundado em 1982, o Azulão, como também é conhecido o time paraense, tem 30 anos de existência e alguns poucos títulos conquistados: campeão da Copa Pará/Maranhão/Tocantis, em 2002, campeão da Taça Cidade de Belém, em 2008, e campeão da Taça Estado do Pará, em 2010.
Portanto, somos mais antigos, temos mais títulos, temos uma torcida bem maior e uma estrutura física mais arrojada. No entanto, dentro de campo, isso pouco valerá, devendo prevalecer a garra e a gana dos nosso jogadores para sairmos de campo com um placar que nos favoreça.
Voar mais alto e domar a Águia, é a solução.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Gonzagão era tricolor!

Titulares vencem coletivo com gol de Dênis Marques



O treino coletivo, último trabalho do elenco tricolor antes do confronto de domingo com o Águia, terminou com vitória dos titulares por 1x0. O tento foi marcado de pênalti por Dênis Marques.
 
Na atividade, Zé Teodoro parou bastante para orientar os jogadores, mas não alterou o time.
 
A equipe titular passou todo o treino escalada com: Tiago Cardoso, Marcos Pimentel, Vágner, Édson Borges e Tiago Costa; Chicão, Memo, Luciano Henrique e Renatinho; Flávio Caça-Rato e Dênis Marques.

 Fonte: Agência CoralNET de Notícias

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

DM9 é o sétimo maior artilheiro do Brasil na temporada 2012

DM9 é o sétimo maior artilheiro do Brasil na temporada 2012
Denis Marques - O artilheiro coral
O atacante Dênis Marques, artilheiro do Santa Cruz na temporada 2012, passou por uma situação estranha na partida do dia 13/10, quando o Mais Querido acabou derrotado pelo Fortaleza, em pleno Arruda, pelo placar de 2x1. Ao contrário dos aplausos que está acostumado a escutar, DM9 foi vaiado pela torcida, como forma de protesto pela atuação da equipe contra os cearenses.

As vaias deixaram o jogador irritado, que preferiu se afastar dos microfones nos dias seguintes. Exatamente uma semana depois, na rodada do dia 20/10, Dênis entrou em campo novamente no Arruda, dessa vez contra o Luverdense, e voltou a ser protagonista com a camisa coral, marcando os dois gols da importante
vitória. Na ocasião, ainda magoado, o jogador preferiu comemorar discretamente os seus gols.

Apesar do incidente recente e de não concordar com as vaias, Dênis Marques já deixou claro os seus sentimentos pelo Santa Cruz e segue mostrando em campo do que é capaz. Com 27 gols marcados na temporada, DM9 é o sétimo maior artilheiro do país no ano e merece todo o carinho e respeito dos tricolores. Além disso, o atacante foi o maior
goleador do Campeonato Pernambucano e é o atual artilheiro da Série C.

Veja a lista dos artilheiros de 2012:

1º Lúcio Maranhão - Asa/AL (39 gols)
2º Neto Baiano - Vitória/BA (38 gols)
3º Neymar - Santos/SP (38 gols)
4º Zé Carlos - Criciúma/SC (38 gols)
5º Bruno Mineiro - Portuguesa/SP (29 gols)
6º Luís Fabiano - São Paulo/SP (28 gols)
7º Dênis Marques - Santa Cruz/PE (27 gols)

Fonte: Coralnet

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Recuperado de susto, Vágner afirma: "Vale tudo em prol da classificação"

Recuperado de susto, Vágner afirma:
 
Se a vitória de sábado do Santa Cruz, por 2x1, sobre o Luverdense, teve muita emoção, para o zagueiro Vágner o confronto foi ainda mais tenso. Ele, que chegou a desmaiar durante a partida ao sofrer uma pancada na cabeça, teve de ir para o hospital e acabou acompanhando o término do jogo através das ondas do rádio. Depois de tanta emoção, o zagueiro se diz pronto para a outra e falou o qual será o papel da equipe tricolor no domingo.

Com o bom humor que lhe é característico, Vágner descreveu os momentos que vivenciou na tarde do último sábado:

“Bati de cabeça com um jogador do Luverdense e desmaiei no lance. Acordei na maca, com o medico por perto e meu lado esquerdo do corpo paralisado. Estava consciente e fui conduzido ao
hospital. Lá, fiquei acompanhando aos lances da partida com um funcionário pelo rádio. Foi uma tarde inusitada. Ainda bem que foi só um susto e o Santa venceu.”

Conhecedor das condições as quais o Santa Cruz será submetido pelo Águia, o zagueiro falou qual deve ser a postura do time:

“O
estádio é acanhado e o campo reduzido. É preciso ter tranquilidade, colocar a bola no chão e ter personalidade. É Jogo decisivo e eu confio no time. O Águia não perde em casa, E o Santa não venceu fora. Apesar disso, o grupo está preparado para tudo, focado na vitória. Para esse jogo, temos alguns aspectos favoráveis e vamos nos fazer valer deles.”

Para este jogo decisivo, segundo Vágner, vale tudo, até desmaiar novamente. Sendo assim, ele aproveitou para pedir o apoio do torcedor e que vá recepcionar o time na volta ao Recife, pois só terão motivos para comemorar:

“Se tiver de desmaiar, desmaio de novo. Estou pronto para outra. Vale tudo em prol da classificação. Espero que o torcedor nos apoie, ainda que à distancia, e que recepcione o time com festa, pois faremos o possível para voltar com a classificação para o Recife.”
 
Fonte: Coralnet

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Tricolor pode garantir classificação até com derrota no Pará

Quatro jogos finalizaram neste domingo a décima sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série C. Com os resultados de hoje, o Mais Querido terminou o fim de semana na quarta colocação e tem tudo para garantir uma vaga na fase decisiva do torneio.

No Ceará o Fortaleza venceu o Icasa por 1x0, já no Pará o Paysandú
goleou o Salgueiro por 4x0. No Mato Grosso o Cuiabá venceu o Guarany por 2x1 e na Paraíba o Treze fez 4x0 no Águia.

CONTAS - Se quiser passar de fase sem fazer contas, o Santa precisa apenas vencer o Águia/PA no próximo domingo que já estará garantido.

Um empate também poderá garantir a
classificação do Mais Querido, porém, neste caso os tricolores precisam torcer para o Paysandu/PA não perder para o Icasa/CE.

Até mesmo uma derrota pode dar a classificação ao Santa, só que para isso o Mais Querido tem que torcer para o Paysandu/PA, para o Treze/PB não vencer o Luverdense/MT e para um empate no confronto entre Salgueiro/PE e Cuiabá/MT.

REBAIXAMENTO - Os resultados deste domingo também concretizaram o rebaixamento do Guarany/CE para a Série D.

sábado, 20 de outubro de 2012

Santa Cruz busca nas conquistas passadas a confiança para vencer o Luverdense



Fabrício Ceará deve retornar ao ataque coral no jogo contra a Luverdense. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Na tarde deste sábado o Santa Cruz tem uma segunda chance para convercer a torcida de que o retorno à Série B não é um sonho perdido. Em confronto com vice-líder Luverdense, os tricolores, que estão na quinta colocação com 19 pontos, buscam inspiração em outros momentos difíceis para acreditar no acesso, mas lembram que o planejamento é feito passo a passo.

"Nós já tivemos momentos mais difíceis do que esse. Mais difícil do que agora foi o favoritismo do Sport na final do Pernambucano e a nossa saída da Copa do Brasil. Então nós estamos conversando com os jogadores para a gente superar mais um momento difícil", declarou o técnico Zé Teodoro. Ele lembrou também que o Santa Cruz não depende dos resultados dos adversários para se classificar, já que Icasa e Paysandu - terceiro e quarto colocados - se enfrentam na última rodada.

Como de praxe, o treinador fechou os treinos da quinta e da sexta-feira e preferiu fazer mistério quanto à escalação. "Os onze que vão entrar vão ser definidos apenas momentos antes da partida. É uma partida decisiva, mas temos uma base e essa base vai permanecer", adiantou o comandante.

Apesar do mistério, o técnico Zé Teodore vai ter que mexer na equipe devido aos desfalques. Expulsos no jogo contra o Fortaleza, Everton Sena e Chicão não poderão entrar em campo. O atacante Flávio Recife Recife levou o terceiro amarelo e também ficará de fora. Edson Borges, Sandro Manoel e Fabrício Ceará devem ser as opções para a reposição das peças. Por oção tática, Marcos Pimentel foi testado no lugar de Diogo durante a semana e também deve entrar como titular.

Apesar de o Luverdense não vencer há duas rodadas e de Zé Teodoro já conhecer o estilo de Dado Cavalcanti, o comandante coral não espera jogo fácil. "Conheço o Dado, ele é profissionaol e sei que os jogadores vão buscar a liderança. Estão colocando que o adversário vem com o time misto, mas eu não acredito. Todo mundo está com o mesmo pensamento que o Santa Cruz está: conseguir o resultado, somar três pontos", revelou.

Dado Cavalcante, que também faz mistério sobre a escalação, deverá contar com o meia Rubinho, o zagueiro Dão e o atacante Mateus. Por outro lado, estão fora do jogo Tatu, lesionado, e Carlos Alberto, suspenso.

Ficha técnica

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Marcos Pimentel, Vágner, Édson Borges e Renatinho; Memo, Sandro Manoel, Leozinho e Luciano Henrique; Dênis Marques e Fabrício Ceará. Técnico: Zé Teodoro.

Luverdense: William Alves; Régis, Zé Roberto, Dão e Raul Prata; Gílson, Júlio Terceiro, Dê e Rubinho; Mateus e Valdir Papel. Técnico: Dado Cavalcanti.

Local: Arruda. Horário: 16h. Árbitro: Wagner do Nascimento (RJ). Assistentes: Lilian Fernandes (RJ) e Pedro Santos (AL). Ingressos: arquibancada inferior R$ 20, arquibancada superior, sócio e estudante R$ 15.
 

Zé Teodoro preparado para a decisão contra o Luverdense

Zé Teodoro preparado para a decisão contra o Luverdense


Nesta sexta-feira, véspera da partida decisiva entre Santa Cruz e Luverdense/MT, os jogadores do Mais Querido evitaram falar com a imprensa, para manter foco total no jogo.

Já o treinador Zé Teodoro, que amanhã não poderá estar na área técnica, pois está suspenso, não fugiu da responsabilidade e conversou com a imprensa sobre a decisão.

O comandante coral se mostrou confiante na vitória Tricolor, e, posteriormente, na classificação. Em sua entrevista coletiva ele comentou qual é a postura que espera do seu time neste sábado.

POSTURA

Precisando vencer para continuar em busca da classificação, o treinador foi enfático: "Mais ação, menos conversa. É hora de colocar em
prática tudo que o time pode produzir. Temos de lembrar o que foi feito de bom nessas duas temporadas. É preciso ter confiança, e a torcida é quem vai fazer a diferença."

TORCIDA

Buscando trazer o torcedor para o lado dos jogadores, Zé Teodoro ressaltou a necessidade do apoio vindo das arquibancadas:

"O Time sempre respondeu quando foi exigido, não vai ser diferente agora. Basta lembrar da conquista do bicampeonato pernambucano, quando era dado como certo o título do Sport Recife. Tenho certeza que a torcida não vai abandonar a equipe”, disse.

FORMAÇÃO

Apegado ao mistério nessa véspera de um jogo tão decisivo, o Comandante Tricolor não deu grandes detalhes da escalação, apenas que a base da equipe será mantida:

"A Escalação só será revelada 45 minutos antes do jogo, pois é uma partida decisiva. A base será mantida. O que posso dizer é que o resultado tem que ser
conquistado de forma equilibrada e os jogadores estão preparados para buscar o triunfo. Conheço o técnico do Luverdense, Dado Cavalcanti, e vou montar uma estratégia para superá-lo."

MOMENTO

Atravessando uma fase conturbada, o técnico, ao ser questionado se este é o momento mais difícil no comando do Santa Cruz, procurou minimizar os efeitos da campanha na Série C:

"Posso dizer que essa temporada é a mais difícil, mas não classifico o momento atual como o mais complicado. Para mim, a desclassificação da Copa do Brasil, para o Penarol/AM, e a final do Pernambucano contra o Sport Recife foram mais difíceis. Esses dois momentos nos servem de inspiração para agora", encerrou.



Fonte: Agência CoralNET de Notícias

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Vão me levando!


VÃO ME LEVANDO!

Clóvis Campêlo

Se não vamos sós, vão nos levando!
A cada resultado ruim que o Santinha pratica, seguem outros resultados ruins dos nosso concorrentes.
Parece até que o tamanho da nossa história e tradição tem nos ajudado, por si só, a seguirmos em frente.
E assim, temos nos mantido no páreo.
Porém, não devemos abusar que paciência tem limite!
Amanhá, é o dia da Luverdense e não tem nada melhor para uma reabilitação em grande estilo do que se derrotar o grande favorito.
E como aonde o time vai a torcida vai atrás, amanhã o arruda deverá encher mais uma vez.
Masoquismos a parte, só queremos exercitar o nosso amor tricolor e mostrar ao mundo que por trás de uma grande equipe sempre existe uma grande torcida.
Alguém duvida da grandeza coral?
Só nos restam duas chances e não podemos mais desperdiçá-las.

Vinte jogadores relacionados para o jogo de sábado

O treinador Zé Teodoro ainda não divulgou qual a formação que irá mandar a campo no próximo sábado, contra o Luverdense/MT, mas já relacionou vinte atletas para o regime de concentração.

Entre os nomes a novidade fica por conta da presença do zagueiro César Lucena e do meia Weslley.

Confira a lista completa:

Goleiros: Tiago Cardoso e Fred
Laterais: Diogo, Marcos Pimentel e Tiago Costa
Zagueiros: Édson Borges, Vágner, César e William
Volantes: Memo, Sandro Manoel e Ramalho
Meias: Leozinho, Luciano Henrique, Renatinho, Jefferson Maranhão e Weslley
Atacantes: Branquinho, Dênis Marques e Fabrício Ceará 



Fonte: Agência CoralNET de Notícias

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Santa Cruz precisa vencer dois jogos


SANTA CRUZ PRECISA VENCER DOIS JOGOS

Do JC Online

O Santa Cruz ainda não conseguiu duas vitórias seguidas na Série C do Brasileiro. Agora, terá a missão de quebrar essa irregularidade na competição para ir à próxima fase da competição e ficar mais próximo do acesso à Série B. Mas não basta apenas vencer o vice-líder o Luverdense, sábado (20), no Arruda, mas também conquistar a primeira vitória fora de casa diante do Águia, em Marabá, dia 28.
No momento, o time ocupa a quinta colocação com 19 pontos, dois atrás do Paysandu, quarto colocado, e Icasa, terceiro. Por isso, em todas as entrevistas os jogadores só falam em decisão. Caso do meia Luciano Henrique. Segundo ele, o time não pode mais errar.
“Vamos nos preparar bem durante a semana para o jogo com o Luverdense. Só depois é que vamos pensar no Águia. Tudo na sequência. Mas reconheço que ficamos abatidos logo depois da derrota para o Fortaleza (2x1, sábado (13), no Arruda). Mas o nosso técnico (Zé Teodoro) chamou todo mundo e deu aquele apoio. Já passou este abatimento e estamos de esperanças renovadas. Vamos esquecer o que ficou para trás e pensar apenas no jogo de sábado”, comentou o meia.
Zé Teodoro, por sinal, iniciou, na tarde desta ter;a-feira (16), no Arruda, a montagem do time para o jogo contra o Luverdense. Usando apenas metade do campo, o comandante tricolor sinalizou com a possibilidade de promover a estreia do lateral-direito Marcos Pimentel na vaga de Diogo. Ao mesmo tempo, deixou transparecer que Sandro Manoel será mesmo o substituto do volante Chicão, expulso diante do Fortaleza e terá de cumprir suspensão automática.
Após o treino, Marcos Pimentel se mostrou confiante em conseguir a vaga e estrear em um jogo decisivo. “Não vejo problema nenhum. A gente tem que ficar preparado. Entrar em um jogo importante é sempre uma motivação para qualquer jogador. O mais importante é que o grupo está otimista, pois só dependemos da gente para conseguir a classificação.”
O time começou o treino com Tiago Costa na lateral direita, enquanto Renatinho e Luciano Henrique ocuparam as meias. Na frente, por causa da ausência do atacante Dênis Marques, acometido de uma virose, o meia Leozinho atuou mais avançado no ataque ao lado de Fabrício Ceará, pois Flávio Caça-Rato, punido com o terceiro cartão amarelo, também está fora da partida.
Nesta quarta-feira (17), o treino ser[a aberto, mas quinta-feira (18) e sexta-feira (19), Zé Teodoro vai fechar o Arruda.


Publicado em 16/10/2012, às 19h48

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Discurso preocupante


DISCURSO PREOCUPANTE

Publicado em 14/10/2012, às 21h08
Do JC Online

No momento em que os discursos de jogadores e comissão técnica começam a utilizar expressões como “vergonha”, “superação”, “luz no fim do túnel”, “tudo ou nada” e “não podemos desistir” é quando os torcedores sabem que a situação está complicada. E a torcida do Santa Cruz entende como ninguém disso, pois escutou bastante as mesmas palavras nos últimos anos de purgatório no futebol nacional. Depois de um alento com um bom 2011, a situação agora volta a ficar complicada na atual edição da Série C do Brasileiro. Os corais não dependem mais de si: precisam vencer os seus dois jogos e torcer por outros resultados para ter chances de classificação à segunda fase.
Os resultados deste domingo (14) ainda foram bons e evitaram que o time ficasse a um ponto da zona de rebaixamento – o risco ainda é real, já que o Cuiabá tem 16 pontos. Após perder a invencibilidade em casa com a derrota por 2x1 para o Fortaleza, no sábado (13), o Santa agora está na 5ª colocação, com 19 pontos, e tem a possibilidade de descer mais uma se o Treze vencer o Guarany de Sobral, nesta segunda-feira.
“O sentimento é de vergonha. Sabíamos que era um jogo decisivo, mas não conseguimos segurar. Agora temos de levantar a cabeça para encarar o Luverdense. Não adianta só torcer e não fazer nossa parte”, disse o meia Luciano Henrique.
Já o também meia Leozinho não concorda com o termo “vergonha”. “Não sei se vergonha é a palavra certa. Estamos lá sujeitos a ganhar ou a perder. Temos de levantar a cabeça e enquanto existir a esperança vamos com tudo. A torcida tem todo o direito de cobrar. Vai ser tudo ou nada agora.”
O assistente-técnico Sandro Barbosa, que substituiu Zé Teodoro no banco de reservas, afirmou que agora o grupo terá de levantar a cabeça e focar o trabalho no duelo contra o Luverdense, no Arruda, no próximo sábado. O último compromisso coral pela Série C será ante o Águia de Marabá, fora de casa – vale lembrar que o tricolor não venceu como visitante nesta Série C.
“Temos de mostrar para eles (jogadores) que não adianta ficar lamentando. Não vai adiantar. Tem de levantar o moral e trabalhar. Baixar a cabeça e chorar não adianta”, disse Sandro.

Ninguém merece!


NINGUÉM MERECE!

Clóvis Campêlo

Amigos tricolores e quejandos:
Eu, Renato Boca-de-Caçapa e muita gente boa, todos nós acreditamos que o Santinha perdeu o jogo de sábado passado, contra o Fortaleza, no Arruda, depois das duas substituições que o treinador Zé Teodoro fez na equipe, no intervalo de primeiro para e o segundo tempo.
Todos nós sabemos que Teodoro não perde nunca a oportunidade de encostar a bunda na parede, trauma este que ele traz de tempos dantanhos.
Viramos o primeiro tempo ganhando por 1x0 e as expulsões, um zagueiro e um cabeça de área em cada lado, nos deixaram exatamente em pé de igualdade com o adversário.
Para nossa surpresa, voltamos para o segundo tempo sem Renatinho e Luciano Henrique, dois homens que vinham criando do meio campo coral para a frente, dominando o meio de campo adversário e criando boas situações para o nosso ataque. Tirar esses dois jogadores foi com cortar as pernas da nossa equipe. Acabou a criatividade, muito embora fosse preciso recompor a zaga. Acredito que para isso, até mesmo Dênis Marques poderia ter sido sacado do time já que foi uma figura apática durante o jogo e com uma atuação atípica, chegando mesmo a ser vaiado pelo imensa torcida coral presente ao Arruda. mais uma vez, achamos que Zé pisou na bola e deu a chance de que o Fortaleza precisa para ganhar.
Como não sou muito chegado a acreditar em milagres, acho que dançamos. Precisamos, agora, ter o cuidado de não ficarmos entre os quatro piores da Série C e sermos novamente rebaixado. Ninguém aguentaria isso. Seria uma catástrofe coral.
O Luverdense está vindo por aí. É mais um time perigoso que vamos enfrentar. Vamos rezar e pedir a Deus e seu ajudante de ordens que o time se ilumine e faça uma boa apresentação. Ganhar, já é outra coisa. Mas, que, pelo menos, não perca mais uma dentro de casa. Ninguém merece a Série D novamente.

domingo, 14 de outubro de 2012

Hei de torcer! (I)


HEI DE TORCER! (I)


Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
E então?
Não sei quem disse, mas disse.
Desgraça pouca é besteira.
Depois do “eu quero tchum” aparece do mais abissal quinto dos infernos, o diabo de um coreano com um tal de “gangnam style”!
Parei!
Não resta a menor duvida o mundo vai acabar mesmo!
Chama o profeta do Piauí!
Que tem nome do eterno zagueiro do Palmeiras (caindo pelas tabelas) Luís Pereira o famoso “chevrolet”.
Em uma rua próxima a um estadio aqui em Sampa.
Um flanelinha grita.
Chefia estaciona aqui!
Luís Pereira chevrolet, Beto Fuscão, Paulinho Mclaren, Xandão Maverick.
Quem salvará o Palestra? Quiçá, Chapolin Colorado?
Para o Russomanno, candidato a alcaide da Pauliceia Desvairada.
Molhou de vez.
Está russo é para o Mano dos Mano do escrete canarinho.
Estão querendo comer a ôia dele!
E faz tempo.
Ganhar de goleada da China, do sofrido Iraque de Zico!
Quem será nosso próximo adversário?
Madagascar?
Depende de data Fifa, a grande prostituta.
E nós?
Mais que nunca estamos na bimba do boi.
Os camaradas do Blog do Santinha tem razão em dizer que somos um time de marré-marré.
Mas, vem cá, trabalhar sem receber não dá!
A perua escolar, quem paga?
O condomínio, quem paga?
A TV a cabo, quem paga?
O remédio da tia velha, quem paga?
E por fim o salão de beleza da patroa, quem paga?
Antônio Luiz Neto tira o lacrau do bolso!
E paga os meninos!
Saudações Corais a todos.

A primeira derrota em casa


EM JOGO ATÍPICO, SANTA CRUZ LEVA A VIRADA DO FORTALEZA E PERDE POR 2x1

Do JC Online

A situação do Santa Cruz se complicou muito na Série C do Campeonato Brasileiro. O tricolor perdeu a sua invencibilidade no Arruda pela competição nacional, ao ser derrotado por 2x1, de virada, para o Fortaleza, na tarde deste sábado (13). Com isso, o time se mantém na 4ª colocação, com 19 pontos, mas, na pior das hipóteses, pode cair para a 8ª colocação com o complemento da 16ª rodada da Terceirona, que ainda tem jogos neste domingo e na segunda – isso acontece se o Icasa empatar com o Salgueiro, o Águia bater o Luverdense e o Treze vencer o Guarany de Sobral.
Vale lembrar que os corais têm apenas mais duas partidas pela Série C. A próxima, no dia 17, é contra o líder Luverdense, no Arruda. Por último, o Santa viaja até Marabá, no Pará, no dia 27, quando enfrentará o Águia. Com a vitória de ontem, o Fortaleza assumiu a liderança provisória, com 35 pontos.
A equipe coral teve um bom primeiro tempo e abriu o placar, aos 20. Após cruzamento de Leozinho pelo lado direito, Esley desviou de cabeça, marcando gol contra.
Aos 42, o mesmo Esley deu uma cotovelada em Chicão, abrindo um corte no supercílio. O volante tricolor puxou o adversário e passou o sangue no rosto dele. Depois disso, começou uma confusão em que terminaram expulsos Esley, Chicão, Éverton Sena e Ciro, além do treinador do Fortaleza, Vica, e Sandro Barbosa, assistente tricolor que substituiu o suspenso Zé Teodoro do banco.
Para o segundo tempo, o Fortaleza voltou melhor e dominou a partida. Careca marcou, aos 8, após bate-rebate na área, e Assisinho, aos 23, após receber lançamento em posição duvidosa.

sábado, 13 de outubro de 2012

É hoje!


É HOJE!

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, é hoje e só depende de nós!
O Fortaleza não é flor que se cheire. Mas, mesmo respeitando a rivalidade regional já está classificado e se poupando para a fase seguinte. Só no come-e-dorme.
Nós, não! Temos que arregaçar as mangas e ir para a luta, que só a vitória nos interessa.
Confesso a vocês, caros amigos, que imaginava o Santa Cruz sobrando nessa Série C. Éramos bi pernambucanos e no embalo não teria para ninguém. Ledo engano! A paralisação forçada nos tirou o brio, a gana e o ímpeto. Dormimos no ponto e acordamos com a caravana já seguindo em frente.
Mas, quis o acaso e a sorte que estivéssemos hoje onde estamos e não podemos nos dar ao luxo de jogar fora as chances do destino. Futebol ainda não demonstramos. Sorte, sim. E eu quero é me classificar, com gol de mão, gol de bunda, gol roubado, achado, inventado, etc. Não quero é ficar no meio do caminho. Competir não é o mais importante para nós.
Assim sendo, invadamos o Arruda hoje que a tarde promete. O Fortaleza pode vir quente que nós estamos fervendo e com vontade de acertar. O placar? Meio a zero basta, desde que nos traga os três pontos. Tenho dito.
Como diz Renato Boca-de-Caçapa, o filósofo do povo, o arauto tricolor, hoje, ou vai ou racha.
A fotografia de Caça-Rato acima, como as carrancas do Rio São Francisco que protegem os barcos, é para nos afastar os maus espíritos, o olho grande e a inveja.
Mais uma vez, camaradas, só depende de nós! 

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Hei de torcer!

HEI DE TORCER!


Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
E então?
Dia 7/10 eleição e um clássico das oropas, Barcelona e Real Madrid.
Não vi ou ouvi o jogo, pois estava convocado para trabalhar nas eleições.
Paciência.
Eu sou merengue, Real Madrid, como esquerdista eu deveria manter uma distancia segura de tal time, de um passado sabidamente franquista.
Mas venha cá, um time que teve, Di Stefano, Didi, Puskas, Santamaria, Evaristo Macedo (um dos melhores treinadores que o Mais Querido teve).
E aquele Real Madrid galáctico!
Zidane, Ronaldo, Roberto Carlos, Figo, David Beckham.
Nessa situação meu esquerdismo tem que se aquietar e abraçar o futebol.
Lionel Messi, duas bolas, dois gols, Cristiano Ronaldo duas bola, dois gols!
Neste dérbi houve um forte componente politico.
A secular luta separatista da Catalunha.
Os heróis do dérbi, um Português, um Argentino!
É meu caro só o futebol é capaz de tal façanha.
E nós? Corais.
A verdade é que Deus não joga dados e muito menos tem time.
A nossa caminhada para a serie B está osso.
Temos que roer o osso para alcançar o filé.
Por capricho do destino e ruindade dos outros times, continuamos no G4.
Temos que sair deste fio da navalha.
Pra cima com a viga moçada!
Bola para o mato que vale o campeonato!
Saudações Corais a todos.