sábado, 29 de setembro de 2012

Treino é treino, jogo é jogo!


TREINO É TREINO, JOGO É JOGO

Clóvis Campêlo

Quem já passou dos 30 como eu, não só se lembra do treinador Gentil Cardoso como recorda da sua passagem pelo futebol pernambucano.
No final dos anos 50, início dos 60, foi treinador do Náutico, na época chamado de Clube Aristocrático e onde gente de cor não tinha vez e nem voz.
Gentil era negro, gordo e baixinho e chegou revolucionando o futebol dos Aflitos dentro e fora de campo. A partir daí, o time alvirrubro acabou com a frescura que não querer negros no seu time e no seu quadro de associados. Para quem ainda não sabe, a revolução dos costumes se deu aos poucos no Brasil. E no Pernambuco reacionário e açucareiro, não foi diferente.
Diferente foi o Santinha, que já nasceu no meio do povo e da classe média, gente enxerida querendo praticar o esporte bretão que os filhinhos de papai trouxeram das Europas.
Muito antes de Gentil Cardoso quebrar os grilhões alvirrubros, Lacraia já brilhava no Santa Cruz, homem de cor, jogador de futebol e criador do nosso escudo, uma âncora branca afirmando que o clube coral tinha vindo para ficar.
E ficou, cresceu e brilhou no futebol pernambucano e brasileiro. Criou nome, ganhou títulos, revelou jogadores e sempre alimentou uma parceria brilhante e bonita com a a sua enorme torcida.
Do Pátio de Santa Cruz ao Arruda, foi uma longa e sinuosa caminhada, repleta de vitórias e afirmações.
Mas, voltando a Gentil Cardoso, ele também foi um criador de frases de efeito e de tiradas geniais, como, por exemplo, a de que treino é treino e jogo é jogo.
Nada de assustamentos, portanto, com a derrota de 3x0 dos titulares para o time reserva, no treino de quinta feira passada. Pra mim, aquela derrota serviu para ferir os brios dos meninos corais e amanhã, com certeza, vai sobral para o Cuiabá.
Como é de praxe, invadiremos o Arruda, impressionaremos o Brasil e o mundo com a torcida mais apaixonada e sairemos de lá no G4 da vida.
O Santa Cruz é grande e a sua grandeza também não se construiu da noite para o dia. Construiu-se numa sequencia lógica de atitudes corretas e de coerências. Hoje que a noite é da calma e que a minha alma ansia por essa vitória, dormiremos tranquilos e com a certeza de que amanhã vai ser outro dia apesar de tudo.

Um comentário:

Alberto Félix disse...

VAMOS JOGAR DE COM FORÇA QUE O JOGO É A VERA.