quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Jogos contra o Sport na última década


JOGOS CONTRA O SPORT NA ÚLTIMA DÉCADA

Leonardo Fink

Histórico da última década, (2002 a 2012)
Santa x Coisa. Todos os confrontos: Pernambucano, série A, série B e Copa do Nordeste.

Santa Cruz x Sport

Total de Confrontos - 37 (2002 a 2012)
14 vitórias do Santa Cruz
11 vitórias do Sport
12 empates

Ilha do Retiro
20 jogos
08 vitórias do Santa Cruz
07 vitórias do Sport
05 empates
 03 vitórias do Sport
05 empates

Campeonato Brasileiro – Série B
Total 05 jogos
02 vitórias do Sport
01 vitória do Santa Cruz
02 empates

Ilha do Retiro
03 jogos
02 vitórias do Sport
01 vitória do Santa Cruz

Arruda
02 jogos
02 empates

Campeonato Brasileiro – Série A
Total 02 jogos
01 vitória do Santa Cruz (Ilha do Retiro)
01 vitória do Sport (Arruda)

Campeonato do Nordeste
Total 02 jogos
02 vitórias do Santa Cruz (Ilha e Arruda)
Arruda
17 jogos
06 vitórias do Santa Cruz
04 vitórias do Sport
07 empates.

Campeonato Pernambucano :

Total 28 jogos
10 vitórias do Santa Cruz
08 vitórias do Sport
10 empates

Ilha do Retiro
15 jogos
05 vitórias do Santa Cruz
05 vitórias do Sport
05 empates

Arruda
13 jogos
05 vitórias do Santa Cruz

domingo, 26 de agosto de 2012

Que não seja só um lampejo


QUE NÃO SEJA SÓ UM LAMPEJO

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Meninas e meninos Corais.
Sem arrodear.
Me diz lá tu! Carecia de tanta cena de crueldade e violência?
Com a cotovia de Marabá?
Chama o Ibama!
Que Deus Misericordioso nos alumie e que este resultado não seja só um lampejo de testosterona.
Menino, como eu gostei!
Félix foi convocado a seleção celestial.
Em que pese a tese de que era frangueiro que havia gente melhor que ele para ser nosso guarda-metas no escrete canarinho da época e o escambau.
Eu digo não.
Assistam o jogo Brasil e Inglaterra de setenta.
(tem no YouTube)
De nosso lado nossos monstros sagrados da pelota.
Do lado deles.
Gordons Banks, Bob Moore, e aquele que driblou até a morte, um remanescente dos Busby Babes.
Bobby Charlton.
É mole ou queres mais?
As estrelas daquele jogo foram Banks e Félix.
Tu visse?
Putin, ficou puto e prendeu as meninas do “Pussy Riot” (melhor não traduzir isso)
Que fazem uma música ruim e chata além de profanarem um templo.
Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar que te encontras é Santo” “Êx. 3,5”
Fazem música chata e ruim além de profanas, mas o que manjam de mercadologia isso
é inegável.
Dez para elas.
Saudações Corais.

sábado, 25 de agosto de 2012

Bicho de pena





BICHO DE PENA

Clóvis Campêlo

Competir é importante, camaradas corais, mas vencer é sempre melhor. E hoje, nós vencemos e vencemos de goleada. Acabamos de despachar o bicho de pena do Pará. No Arruda, ele recebeu um tratamento ecologicamente incorreto: porrada!
E a vitória foi mais do que importante porque nos recoloca no G4, na elite do Grupo A da Série C. Foi importante também porque nos aumentou o saldo de gols, coisa que pode ser primordial como critério de desempate.
Quer nos desculpe o povo de Marabá, cidade com mais de 230 mil habitantes, distante 485 quilômetros de Belém, mas o Águia pagou por tudo o que vinhamos passando até o momento. Contra eles, reencontramos o nosso futebol de campeões e brindamos a torcida coral com gols e alegrias.
Vamos ver se no próximo sábado, em Juazeiro do Norte, contra o Guarany local, mantemos a nossa máquina mortífera a todo vapor.
Afinal, a grandeza de um time de futebol está nas vitórias e nos títulos conquistados ao longo dos anos.
Parabéns, Santinha! 

JOGO: Santa Cruz 6x1 Águia de Marabá. DATA: Estádio do Arruda, no Recife. DATA: 25/8/2012. SANTA CRUZ: Fred; Maizena, Everton Sena, Vágner e Tiago Costa (Renatinho); Memo, Wesley (Chicão), Leozinho e Leandro Oliveira (Luciano Henrique); Dênis Marques e Fabrício Ceará. Técnico: Zé Teodoro. ÁGUIA DE MARABÁ: Marcelo Cruz; Ivonaldo Roberto, Carlão e Mocajuba; Daniel, Juliano, Marquinhos e Flamel (Diego Biro); Branco (Tiago Pereira) e Wando. Técnico: João Galvão. ÁRBITRO: Jailson Macedo Freitas (BA). AUXILIARES: José Dias da Rocha (BA) e Marcos Rocha de Amorim (BA). GOLS: Dênis Marques (2), Fabrício Ceará, Everton Sena, Leandro Oliveira e Leozinho, para o Santa Cruz, e Juliano, para o Águia de Marabá. CATÕES AMARELOS: Marquinhos e Roberto, do Águia de Marabá. EXPULSÃO: Diego Biro, do Águia de Marabá. Renda e público não informados.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Caixinha de surpresas


CAIXINHA DE SURPRESAS

Clóvis Campêlo

Dizem que o futebol é uma caixinha de surpresas. Eu acredito. No entanto, camaradas corais, esse estado de coisas tanto pode nos levar para a alegria como para a tristeza. No momento, a nossa caixinha de surpresas tem nos trazido coisas desagradáveis. Em um grupo de 10 participantes, somos apenas o 7º colocado, posição medíocre para o nosso passado de glórias e para o futuro glorioso que almejamos. Ou seja, apenas três clubes de menor expressão se colocam atrás de nós. Na frente da tabela, seis clubes, alguns também nem tão expressivos assim nos superam. Isso no Grupo A. Estivéssemos no Grupo B da Série C do campeonato Brasileiro de 2012, a coisa seria ainda pior. Lá, estaríamos em oitavo, já que sete clubes nos superariam em números de pontos ganhos.
No Grupo A, em 24 pontos disputados ganhamos apenas 10, menos de quarenta por cento. Ainda temos chances de sucesso? Sim, pois ainda disputaremos 30 pontos que, se ganhos em sua maioria, poderão nos levar à fase seguinte do Brasileiro C. Mas, a preocupação já deve existir. Daqui por diante, não teremos mais muita margem para vacilos. Qualquer derrota inesperada ou empate ingrato poderão nos custar muito claro.
A mim, não me custa nada acreditar mais uma vez na estrela de Zé Teodoro. Mas também tenho o direito de acender no meu coração a luz vermelha da preocupação.

Treino coletivo expõe time ofensivo para sábado

Treino Coletivo expõe time ofensivo para sábado 
Está chegando a hora do tricolor fazer valer mando de campo contra o Águia/PA, sábado (25). Com a proximidade do confronto, a equipe está ganhando forma e os atletas corais participam de um treino coletivo nesta tarde.


A equipe titular está escalada com: Fred, Maisena, Vagner, Everton Sena e Tiago Costa; Memo, Weslley, Leandro Oliveira e Leozinho; Fabrício Ceará e Dênis Marques.

Com a confirmação da exclusão de César, contundido e poupado, o zagueiro Vágner passa a ter grandes chances de regressar à equipe. Ele não joga desde a conquista do bicampeonato Pernambucano.

Problemas na defesa a parte, no setor de criação, a equipe pode passar a contar com todo o seu poderio. De acordo com o coletivo, Zé Teodoro está testando o meia Leozinho e pode contar com três meias ofensivos.

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Dupla de zaga do Santa Cruz segue indefinida


César ainda alimenta esperanças de atuar contra o Águia. Foto: Anderson Malagutti/Blog do Torcedor


A zaga do Santa Cruz segue indefinida para a partida contra o Águia Marabá, pela nona rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. O técnico Zé Teodoro comandou treino na tarde desta quarta-feira, no Arruda, e não oficializou os substitutos de Édson Borges e William Alves, suspensos devido ao terceiro cartão amarelo.

Quem parece largar na frente é Éverton Sena. O defensor ficou no time considerado titular durante toda a movimentação desta quarta. O seu companheiro dele que foi alterado durante o treinamento. Vágner começou para depois ser substituído por César, que voltou aos treinos após se recuperar das dores no adutor da coxa esquerda.


terça-feira, 21 de agosto de 2012

Capitão coral aposta nos jogos em casa para reverter situação


Não à toa o volante Memo vem sendo o capitão da equipe tricolor. Após novo revés do Santa Cruz na Série C, o jogador lamentou bastante a derrota por 2x1 para o Luverdense, sofrida nos últimos minutos de jogo. Apesar do resultado adverso, ele exaltou a entrega do grupo e procurou “cobrar” do torcedor apoio para a sequência da Série C.

Memo foi enfático e ressaltou que o time Coral acabou sendo vitima de uma injustiça do futebol. Satisfeito com o papel da equipe, o volante destacou o quanto ele e os companheiros entraram focados e acabaram sendo infelizes no resultado final:

“A equipe entrou focada, não oscilou, criou oportunidades, mas foi vitima das injustiças do futebol. O time está crescendo na competição. Nosso desejo é evoluir.”

De acordo com Memo, a preocupação maior do grupo está na reação do torcedor tricolor. Segundo ele, obviamente, o torcedor não está de bom humor, mas o apoio da torcida é importante. Ele assegurou que o grupo está batalhando e pede compreensão. Para oferecer uma projeção otimista à torcida, ele citou o ocorrido na Copa do Brasil, quando a equipe foi desclassificada ainda na primeira fase pelo inexpressivo Penarol/AM, e reagiu no Campeonato Pernambucano:

“O apoio do torcedor é importante, sabemos que o torcedor não está com o melhor humor, torcedor só visa a vitória. Mas equipe está batalhando e, por isso, peço compreensão. Basta lembrar a arrancada que demos no Pernambucano após a eliminação precoce na Copa do Brasil. Essa foi uma das demonstrações do poder de reação deste grupo.”

Para elevar ainda mais o astral da torcida, o prata da casa citou um dado importante, favorável ao Santa Cruz na sequência da Série C. Dos adversários que tiraram pontos da equipe, o Tricolor enfrentará a maioria deles dentro do Arruda:

“O torcedor precisa ter paciência. O grupo vai responder no momento exato. Para ter ideia de que boas coisas estão por vir, das equipes que tiraram pontos da gente, apenas contra o Paysandu faremos o jogo da volta longe do Arruda. Sendo assim, contamos com a força da torcida. Nada que vem fácil presta. Acesso vai vir com luta e o grupo vai conseguir.”
Fonte: Agência CoralNET de Notícias

domingo, 19 de agosto de 2012

Ou vai ou racha...


OU VAI OU RACHA...

Clóvis Campêlo

Com 10 pontos ganhos em 21 disputados, o Santa Cruz ainda não empolgou a sua fiel torcida nesse Campeonato Brasileiro da Série C, em 2012. Em todos os jogos jogados pela Cobra Coral, com exceção do jogo contra o Icasa, no Arruda, ficamos sempre coma impressão de que ainda falta muito para a equipe engrenar. E isso nos preocupa, já que temos contabilizados menos de 50% dos pontos disputados. É preciso reagir, impor-se, vencer e convencer. Tirar a bunda da parede e partir pra cima do adversário, hoje. Time grande não pode ser retranqueiro. Essa nunca foi a nossa vocação. Digo isso, também, pensando no Santos de Pelé, que tomava três tentos e fazia cinco, ganhando quase sempre. É claro que entre o Santinha de hoje e aquele time santista existe uma diferença muito grande de qualidade técnica. Mas também não estamos enfrentando nenhuma equipe que se equivalha ao grande time santista daquela época de ouro.
Mas, deixando a conversa mole de lado, enquanto não chega a hora da peleja, vamos conhecer um pouco mais sobre o nosso adversário de hoje, time comandado pelo técnico Dado Cavalcanti, nosso velho conhecido.
O Luverdense Esporte Clube foi fundado no dia 24 de janeiro de 2004 e está situado na cidade de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. Realiza os seus jogos no Estádio Municipal Passo das Emas, com capacidade para apenas 8.000 pessoas. Foi o primeiro campeão da Copa Governador de Mato Grosso, em 2004, repetindo o feito em 2007 e 2011. Também foi campeão estadual matrogrossense em 2009 e 2011. Com poucos destaques nas competições oficiais nacionais, no entanto, o Luverdense ganhou a Copa Pantanal, em 2011, enfrentando e derrotando o Cuiabá e equipes de renome nacional, como o Cruzeiro de Minas e o Internacional gaúcho. Atualmente, segundo o ranking da CBF divulgado no final de 2011, ocupa a 156º posição.
Pronto, tá aí. Esse será o nosso adversário de logo mais à tarde. Com todo respeito que ele merece, acreditamos que dá para encarar e vencer o jogo. Chega de retranca. Queremos a vitória e uma melhor colocação na tábua de classificação. O Santinha merece.

sábado, 18 de agosto de 2012

Mato Grosso do Sol


MATO GROSSO DO SOL

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas em geral.
Direto e reto.
Jogaremos no sertão do Mato Grosso.
Tu sabes onde fica Lucas do Rio Verde?
No centro-oeste, lá o sol é impiedoso e não da mole pra seu ninguém.
Andei lendo e ouvindo a cronica esportiva de nossa metrópole.
Só se fala da umidade relativa do ar, desidratação, velocidade do vento, o tamanho do sol, e o escambau.
E que os craques Santinha vão roer a corda e se lascar.
Bom, eu já vi jogo no centro-oeste.
É bronca.
Um jogo em Aquidauana, o campo um terrão fervente.
Tu pensas que os craques estrilaram com o sol? Umidade relativa do ar, velocidade do vento?
Não teve um desidratado, em vez e garrafadas isotônicas caixas de cervejas geladas na beira do campo.
Farei o seguinte neste final de semana.
Pegarei Manoel de Barros na estante e sairei a passear com ele.
Aprendendo coisas e ouvindo cores.

Weslley diz que Santa Cruz precisa se impor frente ao Luverdense


Weslley espera que Tricolor se imponha diante do Luverdense

WESLLEY DIZ QUE SANTA CRUZ PRECISA SE IMPOR FRENTE AO LUVERDENSE

O turno da primeira fase da Série C está terminando e o Santa Cruz ainda não conseguiu agradar de fato. Ocupando a sexta posição do Grupo A o time está ciente de que abusou de errar. Para o meia Weslley, não há mais tempo para justificativas, é lutar pelo acerto.
Figura destaque no elenco, o experiente meia comentou que o elenco está insatisfeito por não colocar o time entre os quatro melhores do grupo. Confiante na capacidade do plantel, ele crê em uma reação já neste domingo (19), contra o Luverdense:
“Ficar apontando os erros ou buscar culpados pelo aproveitamento abaixo do esperado não vai levar o Santa Cruz a lugar algum. O grupo está consciente do papel que pode exercer na competição e a resposta a isso deve vir no domingo contra o líder do grupo. Esse é o nosso pensamento.”
Fortalecendo a capacidade do grupo, Weslley sabe que para que a equipe afugente as dúvidas é necessário um resultado convincente contra o Luverdense, fora de casa. Para que o triunfo seja alcançado, ele falou qual deve ser o papel do time:
“É preciso encarar o adversário em igualdade de condições. Temos de nos impor perante o Luverdense. Calor, retrospecto do rival e o que mais vier tem de ser ultrapassado. Chegou a hora do grupo mostrar do que é capaz na Série C.”

Fonte: Agência CoralNET de Notícias


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Para enfrentar a Luverdense


PARA ENFRENTAR A LUVERDENSE

O técnico Zé Teodoro divulgou os relacionados para o jogo deste domingo (19), contra o Luverdense. As novidades da lista ficam por conta do ingresso do goleiro Cley e do lateral direito Diogo, que volta após duas rodadas.

GOLEIROS: Cley e Fred
ZAGUEIROS: Diego Bispo, Édson Borges, Everton Sena e William
LATERAL ESQUERDO: Tiago Costa
LATERAIS DIREITOS: Diogo e Maisena
VOLANTES: Memo, Chicão e Sandro Manoel
MEIAS: Weslley, Leandro Oliveira, Renatinho e Luciano Henrique
ATACANTES: Dênis Marques, Flávio Recife e Paulista

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Nem ouro nem prata (bijuterias)


NEM OURO NEM PRATA (bijuterias)

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília Cordeiro e arredores, alcoolistas e tabagistas.
Morcego, ratazana, barata e companhia! Está na hora da feitiçaria!
Chama a bruxa!
Pense em um time sem culhão!
E diz que mano menex é técnico!
Só está onde está, por conta da lambança das aflitas.
Montar time de gel e popstar!
México 2 Nós 1
Parei.
Eu quero os bad-boys, os encrenqueiros!
Onde estão?
Tem um Almir Pernambucano no time de mano menex?
Luiz Pereira, Jorge Mendonça, Heleno de Freitas, Garrincha. Chicão, Bita, Django!
Eu quero dizer, virilidade! Testosterona.
Olhe, nem a industria farmacêutica ajuda esse time.
Bom, no frigir dos ovos ficam os anéis de Carlos Nusman. (e que anéis!).
Veja você meu camarada e conterrâneo o que a classe dominante de São Paulo pensa de nós nordestinos.
"E é erradíssimo. Eles têm de ficar lá, em Garanhuns [cidade de Lula], lá no fuuundo do Pernambuco, lá no fuuundo do Ceará. Aqui, não, aqui é de paulista e de paulistano. “
Essa perola da intolerância, foi publicada na coluna de Monica Bergamo na Folha de São Paulo (12/08) frase dita por uma fulana frequentadora da falida Daslu.
Gente das ventas arrebitadas.
Voltemos as vacas frias.
As olimpíadas passaram a lição foi dada, só nos resta aprender.
Levamos uma lapada do Fortaleza.
Tem nada não.
No lar, no bar e na rua, eu sou Santa Cruz de copo e alma.

A plasticidade da derrota






Nada deu certo!

NADA DEU CERTO!

O Santa Cruz enfrentou o Fortaleza/CE na tarde deste domingo e foi derrotado pelo placar de 2 x 0. Com esse resultado o Mais Querido se manteve com 10 pontos em sete jogos e caiu para a sexta colocação.
Na próxima rodada, que acontece no dia 19/08, às 18h, o Tricolor encara o Luverdense/MT, fora de casa.
O TIME - Para o clássico regional diante do Fortaleza, o treinador Zé Teodoro resolveu repetir a mesma formação que goleou o Icasa no último fim de semana, mas teve que trocar o meia Weslley, suspenso, pelo volante Sandro Manoel.
Assim, o Mais Querido entrou em campo com: Fred, Memo, William, Édson Borges e Tiago Costa; Chicão, Sandro Manoel, Renatinho e Leandro Oliveira; Fabrício Ceará e Dênis Marques

O JOGO - A partida entre tricolores começou eletrizante no Ceará. Desde o primeiro minutos que os dois times mostraram que não iriam abdicar do ataque.
Se por um lado o Fortaleza apostava no abafa para abrir o marcador, o Santa investia nos contra-ataques rápidos com Renatinho e Dênis Marques e foi assim que o Tricolor criou a primeira chance perigosa de gol. O meia cruzou e o artilheiro coral mandou por cima do goleiro Lopes.
O time cearense respondeu de imediato e por pouco Geraldo não fez o primeiro do Fortaleza, aos 15 minutos.
Logo depois o Mais Querido criou a melhor chance da primeira etapa. Aos 22 minutos a zaga do Fortaleza falhou e Dênis Marques ficou livre para marcar, mas chutou nas pernas do goleiro Lopes.
Depois disso foi a vez do Fortaleza pressionar o Santa no seu campo de defesa, mas sempre esbarrando na defesa tricolor, que estava bem postada em campo.
No fim do primeiro tempo o lateral Tiago Costa falhou e Elton teve a melhor chance de marcar para o time cearense, mas mandou pra fora.

SEGUNDO TEMPO - No retorno para a segunda etapa o comandante coral resolveu tirar o lateral Tiago Costa, que já tinha cartão amarelo, e colocou o zagueiro Éverton Sena.
Assim como no final do primeiro tempo, o Fortaleza começou tentando abafar o Santa e criou alguns lances de perigo de gol. A mudança de Zé Teodoro deixou o time coral desorganizado no meio de campo e o Santa demorou para reagir.
Logo no início a zaga tricolor ficou pendurada com cartão amarelo e passou a falhar. Em uma dessas falhas, aos 13 minutos, Rafinha aproveitou bem e abriu o placar para o Fortaleza. 1 x 0
Para corrigir o erro da mudança no intervalo, o comandante coral escalou Luciano Henrique e Flávio Recife nas vagas de Chicão e Sandro Manoel, deixando o Santa bem ofensivo em campo.
No desespero em busca do empate, o Mais Querido acabou sofrendo o segundo gol aos 25 do segundo tempo. Valdeson avançou no ataque e marcou. 2 x 0
Logo na sequência o atacante Flávio Recife foi derrubado dentro da área e o juiz assinalou a penalidade. Dênis Marques foi para a cobrança e perdeu. O atacante coral bateu forte no canto esquerdo, mas Lopes defendeu.
Depois do pênalti o jogo diminuiu de ritmo e poucas chances de gol foram criadas. Assim, o placar se manteve em 2 x 0 até o fim.

Fonte: Agência CoralNET de Notícias

sábado, 11 de agosto de 2012

Zé Teodoro - 80 jogos


ZÉ TEODORO - 80 JOGOS

Clóvis Campêlo

Antes de chegar no Santa Cruz, no começo do ano passado, Zé Teodoro já tinha duas passagens pelo futebol pernambucano.
Na primeira, em 2004, foi campeão pernambucano pelo Náutico, por sinal, no último título estadual conquistado pelo time alvirrubro.
Na segunda, em 2005, dirigindo o time da Ilha, perdeu o título de campeão pernambucano daquele ano, para o Santa Cruz, dirigido por Givanildo Oliveira. Nada demais se não fosse aquele o ano do centenário rubronegro.
Chegou ao Arruda, portanto, com esses dois momentos marcados na sua trajetória de técnico de futebol.
Assim, amanhã, na capital cearense, quando o Santinha entrar em campo para enfrentar o Fortaleza, o treinador estará completando o seu 80º jogo à frente da Cobra Coral. Nesse ínterim, foi bicampeão estadual de futebol profissional e conseguiu tirar o nosso time da famigerada Série D do Campeonato Brasileiro, mesmo perdendo o título, nos jogos finais, contra o Tupi mineiro. Completar 80 jogos com essas marcas vitoriosas, não é para qualquer um.
"Quando cheguei aqui tive todas as dificuldades. Eram problemas financeiros, de pessoal e de estrutura. O Santa estava no ostracismo. Viemos para trabalhar e reerguer o Santa", revela ele em matéria publicada hoje no Jornal do Commercio do Recife.
Segundo essa mesma matéria, nesse 79 jogos sob o comando de Teodoro, o Santa Cruz conquistou 45 vitórias, 16 empates e 18 derrotas, com um aproveitamento de 64%. A sua estreia aconteceu contra o Vitória, no dia 13 de janeiro de 2011, quando o Santinha derrotou o Tricolor das Tabocas pelo placar de 3x0, iniciando o caminho para a conquista do campeonato.
Se as estatísticas favorecem Zé Teodoro, porém, nem sempre a sua relação com a torcida coral foi pacífica. Em vários momentos, a torcida se colocou contra as posturas táticas excessivamente defensivas do treinador. Com seu jeitão personalista e dominador, Zé sempre impôs a sua filosofia de jogo e quase nunca fez concessões.
Em que pese a ascensão à Série C do Brasileiro, em 2011, alguns, como eu, tem travada na garganta o gosto amargo daquela derrota, na final, contra o Tupi de Minas Gerais. Na trajetória de Zé no Arruda, porém, o que ameniza os momentos negativos, como esse, é sabermos que com o material humano de que dispunha e dispõe, ele tem conseguido superar as limitações do elenco. Como ele mesmo diz, diante dos jogadores, cobra e dá bronca, mas também sabe trabalhar o lado psicológico de cada um.
Vamos esperar que amanhã, em Fortaleza, Zé Teodoro chegue ao seu 80º jogo no comando do Santa Cruz com uma bela vitória.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Santa Cruz x Fortaleza - histórico


CONFIRA O HISTÓRICO DE SANTA CRUZ x FORTALEZA

No próximo domingo, às 16h, a série C 2012 terá um clássico do futebol nordestino e brasileiro. Fortaleza e Santa Cruz se enfrentarão na capital cearense brigando por uma melhor posição na tabela de classificação da Terceirona. Na história desse confronto totalmente tricolor, foram ao todo 25 jogos, com ligeira vantagem para o Leão Cearense, que detém 10 vitória contra 8 do tricolor pernambucano, tendo ocorrido 7 empates entre as equipes. Foram 10 jogos pelo Brasileirão da Série A, 12 pela Série B e 3 pela copa Nordeste. Em jogos realizados em Fortaleza, foram 13 jogos, com 6 vitória do Fortaleza, 3 para o time coral e 4 empates.
O primeiro jogo envolvendo tricolores pernambucano e cearense foi em 16/11/1960, pela Taça Brasil daqule ano (Hoje equiparada a Campeonato Brasileiro). A partida acabou em 2x2 e, sete dias depois, no segundo jogo daquele mata-mata, no mesmo Presidente Vargas do duelo do próximo domingo, o Fortaleza bateu o Santa Cruz por 2x1. Aquela vitória abriu caminho para o Fortaleza chegar à final daquela competição, quando perdeu o troféu para o Palmeiras e sagrou-se vice-campeão Brasileiro.
O último confronto entre Fortaleza e Santa Cruz aconteceu em 2010, pelo Campeonato do Nordeste, quando houve empate em 2x2 no dia 9 de junho daquele ano.
Para o jogo do próximo domingo, os dois clubes estão embalados. O Fortaleza vem de uma sequência de quatro jogos de invencibilidade com o novo técnico Vica, enquanto o Santa Cruz ostenta uma invencibilidade ainda maior (nas seis rodadas já disputadas na série C 2012) e vem de uma goleada em cima do ex-lider Icasa por 4x0.

Fonte: http://santacruzfcpe.com

A nossa torcida jovem


É de pequeno que se faz o torcedor!

domingo, 5 de agosto de 2012

Um novo momento


UM NOVO MOMENTO

Clóvis Campêlo

Não resta a menor dúvida de que 4x0 é um belo placar, um placar capaz de dar uma dimensão equivocada da nossa vitória a quem não esteve no campo ontem. E realmente, vencemos bem! Vencemos e convencemos!
No entanto, nos primeiro 20 minutos da primeira etapa, o Icasa esteve bem em campo e chegou a nos encurralar e criar situações de perigo.
Graças a uma jogada ensaiada, marcamos o primeiro gol nessa marca do tempo. Leandro Oliveira cruzou no segundo pau, para a cabeçada de William encontrar Fabrício Cerá na marca do penalti. O artilheiro matou no peito e finalizou sem defesa para o time cearense. A partir daí, equilibramos o jogo e nos impusemos dentro de campo.
O resto foi comemoração, superação e eficiência. A segunda etapa foi nossa sem restrições. Conseguimos desarrumar o arrumado time do Icasa e aplicar uma goleada que nos ressuscitou o respeito dentro da competição e diante da nossa torcida.
24.824 pessoas foi o público de ontem, fiel e incentivador. Uma torcida que durante os noventa minutos da peleja demonstrou o seu amor e a sua força.
Agora que vivemos esse novo momento, sustentado pela vitória imperativa de ontem, vamos partir para enfrentar o Fortaleza e o Luverdense, ambos os jogos fora de casa.
Continuar pontuando deve ser a nossa meta. O circo não pode parar e não podemos nos render às feras. Somos fortes, guerreiros, fiéis. Um time de chegada como todo grande time deve ser.
Avante Cobrinha!

sábado, 4 de agosto de 2012

Mais uma invasão


MAIS UMA INVASÃO

Clóvis Campêlo

Caros amigos corais, hoje é dia de mais uma invasão tricolor. O Arruda é nosso, sempre foi e sempre será. E será na nossa casa, que recebemos o Icasa, líder do Grupo A da Série C e obstáculo a ser vencido e superado.
Todos nós sabemos que a vitória, hoje, poderá nos valer uma vaga no G4 e uma reconciliação carinhosa entre a torcida e um time que ainda não conseguiu vencer e convencer.
Temos valores para isso, estrutura, torcida, tradição, valentia e garra. Somos guerreiros corais.
Já estou de posse do meu ingresso de sócio, comprado antecipadamente na quinta-feira, para não ter de enfrentar filas e ruges-ruges, como aconteceu no jogo contra o Payssandu.
Hoje é o dia da imposição. Podem crer que nessa Série C não existe nenhuma equipe com a nossa história e com conquistas que se igualem às nossas.
Hoje será o dia de mostrarmos isso para todo o Brasil
Quem for ao Arruda, verá!