segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Dívida chega aos 115 milhões


DÍVIDA CHEGA AOS 115 MILHÕES

Davi Saboya

O presidente eleito Constantino Júnior terá que começar a gerir o Santa Cruz com uma dívida de R$ 115 milhões. O valor foi confirmado pelo vice-presidente administrativo e financeiro, Ítalo Mendes, em entrevista à Rádio Jornal. Ele será o responsável por tomar a frente da redução dos débitos e na busca pela transparência, como prometido pelo mandatário para os próximos três anos.
Ítalo Mendes explicou que esse valor corresponde a todas as dívidas do Santa Cruz. O vice administrativo e financeiro ainda destacou que a queda de receita de 2016 para 2017 foi prejudicial. "Esse débito total de R$ 115 milhões é atualizado. Precisamos angariar um grupo de patrocinadores", confirmou. "Se a gente pegar os números de 2017, vai apresentar uma receita de R4 15 milhões. Foi uma redução muito drástica em relação a 2016, que era de R$ 36 milhões", completou.
Esta semana será fundamental para o Santa Cruz na formação do elenco para a temporada 2018. O comitê gestor do futebol formado pelo executivo Fred Gomes e quatro diretores (Allan Araújo, Felipe Alves, Fred Dias e Felipe Rego Barros) correm contra o tempo para montar o time que se apresenta no dia 26, no Arruda. Nos bastidores é dado como certo os retornos do lateral-esquerdo Wesley e do volante Jefferson, que estavam no América e atuaram na base coral.
O técnico Júnior Rocha está sendo esperado hoje, para participar dos acertos finais dos novos jogadores e da formação inicial do elenco. De acordo com informações apuradas pela reportagem do Jornal do Commercio, dois zagueiros estão com contratos na mão para ssinar e podem ser confirmados hoje pela diretoria.
"Estamos com algumas situações avançadas e acredito que nesta semana teremos anúncios", afirmou o executivo Fred Gomes.

Fonte: Jornal do Commercio, 18/12/2017
 

Corujão Coral: Santa contrata volante Jorginho, ex-CRB


CORUJÃO CORAL: SANTA CONTRATA VOLANTE JORGINHO, EX-CRB

Daniel Lima

 
Por volta das 22h, o perfil oficial do Santa Cruz publicou no Twitter uma imagem de uma coruja para avisar que teria novidades no fim da noite de domingo (17). O corujão coral é usado para chamar a atenção dos torcedores que estão conectados nas redes sociais e já foi utilizado em anos anteriores. Depois de fazer suspense e criar expectativa na torcida, o clube oficializou a primeira contratação para a temporada 2018. Trata-se do volante Jorginho, que tem 27 anos e defendeu o CRB nesta temporada.
O novo reforço coral, de 27 anos, foi formado no ASA/AL e também tem uma passagem pelo Linense/SP em 2015. Com a contratação de Jorginho, o Santa Cruz dá o pontapé inicial na montagem do elenco visando o próximo ano. Ele, inclusive, irá se apresentar no dia 26 de dezembro, no Arruda, para fazer exames médicos e assinar contrato até o fim da Série C 2018.
Este ano, o volante jogou 17 partidas pelo CRB, sendo apenas quatro delas pelo Campeonato Brasileiro da Série B. No ASA/AL foram quatro temporadas.


Fonte: Folha de Pernambuco, 17/12/2017

domingo, 17 de dezembro de 2017

Retrospecto do Santa Cruz (1914-2017)


RETROSPECTO DO SANTA CRUZ (1914-2017)

Cassio Zirpoli

 
Do pátio da Igreja de Santa Cruz, a diversão de alguns meninos tornou-se o amor de muita gente. Nesses mais de cem anos de futebol, já defenderam a camisa de três cores vários dos melhores jogadores do estado, como Tará, Givanildo, Nunes, Fumanchu, Ricardo Rocha, Zé do Carmo e Tiago Cardoso. Boa parte deles brilhando no Mundão, criado para abrigar o povo.
Mergulhando no acervo de Carlos Celso Cordeiro e atualizando os dados mais recentes, totalizando 105 temporadas que dão consistência à história da Cobra Coral, vamos ao retrospecto geral nas principais competições oficiais disputadas pelo clube, nos âmbitos estadual, regional, nacional e internacional. Entre os dados, a colocação no ranking (quando possível) e o aproveitamento em cada torneio, sempre considerando 3 pontos por vitória, para padronizar o cálculo. Na sequência, o rendimento do Santa atuando no Arruda, os maiores artilheiros, quem mais vestiu a camisa tricolor e os maiores públicos.

Primeiro jogo: Santa Cruz 7 x 0 Rio Negro, em 08/03/1914, no Derby.

Atualizado até 21/11/2017

Total (competições oficiais e amistosos*) 1914-2017 

5.056 jogos (9.740 GP e 5.858 GC, +3.882)
2.557 vitórias
1.165 empates
1.322 derrotas
* 12 jogos com placar desconhecido

Estadual 1915-2017 (ranking: 2º)

2.251 jogos (4.894 GP e 2.267 GC, +2.627)
1.329 vitórias
440 empates
482 derrotas
103 participações (entre 1915 e 2017, 100%)
29 títulos (entre 1931 e 2016)

Copa do Nordeste 1994-2017 (ranking: 4º) 

112 jogos (163 GP e 129 GC, +34)
56 vitórias
18 empates
38 derrotas
11 participações (entre 1994 e 2017)
Campeão em 2016

Brasileirão unificado 1959-2017 

519 jogos (615 GP e 741 GC, -126)
152 vitórias
166 empates
201 derrotas
24 participações (entre 1960 e 2016)
4º lugar em 1960 e 1975

Série A 1971-2017 (ranking: 26º)

485 jogos (581 GP e 688 GC, -107)
145 vitórias
151 empates
189 derrotas
21 participações (entre 1971 e 2016)
4º lugar em 1975

Série B 1971-2017

445 jogos (600 GP e 512 GC, +88)
177 vitórias
130 empates
138 derrotas
20 participações (entre 1982 e 2017)
Vice em 1999, 2005 e 2015

Série C 1981-2017

56 jogos (78 GP e 57 GC, +21)
22 vitórias
18 empates
16 derrotas
3 participações (entre 2008 e 2013)
Campeão em 2013

Série D (2009-2017)

30 jogos (35 GP e 29 GC, +6)
12 vitórias
10 empates
8 derrotas
3 participações (entre 2009 e 2011)
Vice em 2011

Copa do Brasil 1989-2017 

85 jogos (111 GP e 107 GC, +4)
34 vitórias
19 empates
32 derrotas
45 confrontos; 22 classificações e 23 eliminações
23 participações (entre 1990 e 2017)
Oitavas em 8 oportunidades

Copa Sul-Americana 2002-2017 

4 jogos (4 GP e 3 GC, +1)
2 vitórias
1 empate
1 derrota
2 confrontos; 1 classificação e 1 eliminação
1 participação (2016)
Oitavas em 2016

Histórico em decisões no Estadual

Santa Cruz 12 x 12 Sport*
Santa Cruz 7 x 9 Náutico
*O Tricolor leva vantagem em finais na Ilha (9 x 6)

Santa Cruz no Arruda* (1967/2017) 

1.495 jogos
891 vitórias
353 empates
251 derrotas
* Competições oficiais e amistosos

Maiores artilheiros

207 gols – Tará
174 gols – Luciano Veloso
148 gols – Ramon
143 gols – Betinho
123 gols – Fernando Santana

Quem mais atuou 

Givanildo Oliveira – 599 jogos

Clássico das Multidões (1916-2017) 

556 jogos
167 vitórias do Santa
158 empates
231 vitórias do Sport
Último: Santa 0 x 2 Sport (03/05/2017, Nordestão)

Clássico das Emoções (1917-2017)*

 519 jogos
201 vitórias do Santa
150 empates
167 vitórias do Náutico
Último: Santa Cruz 2 x 3 Náutico (04/11/2017, Série B)
*O jogo ocorrido em 29 de março de 1931, durante a final do Torneio Abrigo Terezinha de Jesus, possui resultado desconhecido.

Maiores públicos 

Top 5 nos Clássicos
78.391 – Santa Cruz 1 x 1 Sport, no Arruda (Estadual 21/02/1999)
76.636 – Santa Cruz 1 x 1 Náutico, no Arruda (Estadual, 18/12/1983)
75.135 – Santa Cruz 1 x 2 Sport, no Arruda (Estadual, 03/05/1998)
74.280 – Santa Cruz 2 x 0 Sport, no Arruda (Estadual, 18/07/1993)
71.243 – Santa Cruz 2 x 1 Náutico, no Arruda (Estadual, 28/07/1993)

Top 5 como mandante contra outros adversários

65.023 – Santa Cruz 2 x 1 Portuguesa, no Arruda (Série B, 26/11/2005)
62.185 – Santa Cruz 0 x 0 Flamengo, no Arruda (Amistoso, 04/06/1972)
60.040 – Santa Cruz 2 x 1 Betim, no Arruda (Série C, 03/11/2013)
59.966 – Santa Cruz 0 x 0 Treze, no Arruda (Série D, 16/10/2011)
55.028 – Santa Cruz 3 x 2 Volta Redonda, no Arruda (Série B, 06/10/1998)

Fonte: Diario de Pernambuco

Orgulho dos tricolores, Arruda nasceu com apoio da torcida e aval do Rei Pelé



ORGULHO DOS TRICOLORES, ARRUDA NASCEU COM APOIO DA TORCIDA E AVAL DO REI PELÉ

Brenno Costa

Essa é uma história que precisa ser lembrada para o mais jovens. Eles precisam ter noção ainda maior da capacidade de mobilização dos tricolores. É a prova cabal e gigante do amor de uma nação por um time de futebol centenário. É a história do Arruda. Símbolo maior da união entre o clube e seus seguidores. O ano era 1965. A torcida decidiu aceitar a convocação. Era preciso doações para tirar o sonho do papel. Construir um colosso. De imediato, o espaço em que hoje está o parque aquático ficou cheio. De tijolos, cimento, areia, ferro. E amor. Estava fincada a base da nova casa coral.
Lembram os tricolores da velha guarda que o local onde hoje está o parque aquático ficou tomado de materiais de construção em 15 dias. Diziam ter o suficiente para dar cara a primeira versão do estádio. E foi assim. O clube precisava de doações para ter a sua casa. O coração tricolor começou a pulsar. O anel inferior do estádio ganhou corpo. Mas foi só em 1972 que o setor ficou completo. Na ocasião, houve a disputa da Minicopa do Mundo, em comemoração aos 150 anos da Independência do Brasil.
Essa obra só ficou pronta, contudo, quando o Tricolor conseguiu as provas bancárias de que conseguiria pagá-la. Foi quando o clube colocou cinco mil e seiscentas cadeiras cativas como garantia. Em um primeiro momento, as vendas foram mornas. Até que o governo do estado criou uma empresa para administrar as cadeiras. Tudo começou a fluir e, na sequência, o Santa Cruz conseguiu quitar seus débitos.
Até o rei Pelé se mostrou à favor da ampliação do Arruda. Aliás, ele foi a testemunha da assinatura de contrato que liberou a verba para a obra. “Há muito o Recife merecia um grande estádio, mas esta ocasião é bastante oportuna, uma vez que deste estádio estava dependendo a realização aqui dos Jogos da Minicopa”, disse o atleta do século, ao Diario de Pernambuco.
O Mundão do Arruda, contudo, só veio a ficar completo dez anos depois. Em 1982, após o ex-presidente Rodolfo Aguiar apresentar a proposta de construção o anel superior ao então governador Marco Maciel, o estádio ficou com a forma atual. Foi inaugurado com a disputa de um quadrangular com Central, Sport e Náutico. O Tricolor foi eliminado de cara pela Patativa na disputa dos pênaltis, em um jogo com lotação máxima. Mas, nesse caso, a primeira impressão ficou longe de ser o retrato da relação do time com o estádio.
Agora, o Santa Cruz sonha em dar o próximo passo. A intenção é deixar a casa de todos os tricolores com ares modernos e inserir de vez o estádio no conceito tão propalado de arena multiuso. Foi com esse objetivo que foi planejada a Arena Coral, em 2007. Nos planos, além de colocar cobertura na praça esportiva e fechar o anel superior, está a construção de um centro comercial popular. O orçamento para construir a arena é de R$ 200 milhões.


Como foi a história

1943 - O Santa Cruz alugava o terreno onde seria construído o estádio. O clube pagou Cr$ 1.000,00 (mil cruzeiros) para adquirir o local.

1954 - O então prefeito do Recife, José do Rego Maciel, viabilizou a atração de investimentos para a construção do estádio. O principal deles foi o Bandepe. Antes do Mundão, foi construído o "Alçapão do Arruda", um estádio acanhado, que tinha arquibancadas de madeira.

19/11/1959 - O Arruda antigo, em 1959: as arquibancadas, acanhadas, eram de madeira e o campo era invertido, com uma das traves voltadas para a Avenida Beberibe.

1965 - O Arruda começou a ser construído, com a venda de cadeiras cativas e títulos patrimoniais. Um ano antes, o então presidente tricolor, José do Rego Maciel, conseguiu empréstimos a fundo perdido.

07/4/1966 - O setor que hoje são as sociais, foi o primeiro a ser construído.

15/5/1966 - O primeiro jogo no Arruda. O Santa Cruz venceu o Belenenses de Portugal por 2x1.

22/5/1966 - O jogo que abriu oficialmente o estádio. O Santa cruz perdeu para o Náutico por 1x0.

11/5/1967 - Data da inauguração da iluminação. Com Pelé em campo, o Santa cruz perdeu para o Santos por 5x0, com um gol do rei do futebol.

29/6/1968 - mesmo em obras, o estádio recebia jogos. Detalhe: em 1968 ainda não havia fosso e um pequeno trecho das cadeiras cativas havia sido construído.

5/12/1971 - Arruda em obras para a Minicopa de 1972. Existiam três projetos no Recife para o torneio de Santa Cruz, Náutico e Sport. Só o Mundão estava em obras e por isso foi escolhido pelo governo do estado, que investiu US$ 850 mil.

04/6/1972 - A inauguração oficial do Arruda. Santa Cruz e Flamengo empataram 0 a 0 em um jogo amistoso. No fim da manhã, foi realizada uma missa no setor de cadeiras do clube. Antes do jogo foi realizada uma cerimônia de inauguração, com hasteamento da bandeira do Brasil.

01/8/1982 - Reabertura do estádio, agora com anel superior, para um quadrangular entre Santa Cruz, Central, Náutico e Sport. O Timbu foi o campeão em uma final contra o Central. O estádio, mais uma vez, estava superlotado, com 86.738 torcedores. Foi a última ampliação.

Curiosidades

Maior público: 96.200 pessoas, em 29/8/1993, Brasil 6x0 Bolívia, Eliminatórias para a Copa do Mundo 1994.

O maior artilheiro do Arruda: Baiano (70 pelo Náutico, 56 pelo Santa Cruz, 1 pelo Sport e 1 pelo Central.

O maior artilheiro pelo Santa Cruz: Betinho, 98 gols.

Capacidade atual: 60.044 pessoas.


Fonte: Diario de Pernambuco, 03/02/2014

Mudanças no estatuto


MUDANÇAS NO ESTATUTO

Rafael Brasileiro
Além de precisar manter o clube com as contas equilibradas e montar um time que possa disputar a Série C em alto nível, Constantino Júnior terá outra missão para a temporada. Uma das promessas de campanha será reavaliar o estatuto do clube. Um dos fatores que será analisado é quem pode votar nas eleições. Algo que ele deseja ser alterado.
A última eleição foi a mais baixa em número de votantes neste século. Apenas 1262 sócios tricolores participaram e Constantino foi eleito com 812 votos. Uma realidade que o presidente deseja mudar em breve por acreditar que deve existir uma participação maior dos torcedores.
“O Santa Cruz é um clube do povo e não se traduz o povo apenas em sócios que estão em um plano de valor maior. Iremos trazer isso para o conselho e acredito que iremos aprovar essa decisão de dar voz ao torcedor. Quem sabe na próxima eleição não teremos cinco, seis mil votos para o vencedor”, pontuou o mandatário.
A missão de liderar essa mudança caberá ao presidente do conselho deliberativo que neste triênio será Alírio Moraes, mas seu braço direito no órgão do clube já trabalha pensando em propostas. Diogo Melo de Oliveira, primeiro secretário do conselho deliberativo revelou que o assunto ainda está em um estágio muito embrionário, mas um cronograma deve ser criado e as sugestões serão recebidas para criar um regimento que se adeque à realidade do clube.
“Formaremos algumas comissões para que o conselho seja mais ativo e uma dessas comissões será da reforma do estatuto. É um processo bem lento, mas queremos estabelecer um cronograma. Irei propor recebermos sugestões abertas de qualquer sócio, depois fazer debates e fazermos uma proposta de estatuto nesse ano”, explicou o secretário.
Em 2014, o clube mudou seu estatuto e sofreu bastante resistência da oposição, algo que parece que não irá ocorrer desta vez já que isso era uma ideia que também existia nas chapas concorrentes. Naquele ano, foram alterados alguns itens, inclusive o tempo de mandato do presidente que passou a durar três anos.

Fonte: Diario de Pernambuco, 15/12/2017

sábado, 16 de dezembro de 2017

Copa do Brasil 2018


COPA DO BRASIL 2018

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta sexta-feira o sorteio dos primeiros confrontos da Copa do Brasil 2018. O destino de quatro clubes pernambucanos foi conhecido e um clássico já poderá haver na segunda fase da competição, caso as equipes avancem, envolvendo Santa Cruz e Náutico, que caíram na mesma chave (10). Desde a edição de 2017, um novo regulamento entrou em vigor e os jogos eliminatórios das duas primeiras fases são únicos. Nesta primeira, quem está melhor qualificado no raking da CBF atua como visitante, mas tem a vantagem do empate para seguir em frente no torneio. Na segunda, o mando é definido por sorteio e, em caso de empate, a decisão será nos pênaltis.

Os confrontos dos pernambucanos ficaram da seguinte maneira:

Fluminense-BA x Santa Cruz
Cordino-MA x Náutico
Santos-AP x Sport
Novoperário-MS x Salgueiro

Fonte: Diario de Pernambuco, 15/12/2017

Por G20, Santa convoca torcida para apostar na Timemania


POR G20, SANTA CONVOCA TORCIDA PARA APOSTAR NA TIMEMANIA

Daniel Lima
A Timemania é uma fonte de receita para os clubes do futebol brasileiro. O jogo lotérico da Caixa Econômica Federal ajuda a abater dívidas de INSS, FGTS, Receita Federal e outros impostos. Para garantir um prêmio de mais de R$ 2 milhões anuais (aproximadamente R$ 300 mil mensais), o Santa Cruz precisa ficar entre os 20 melhores colocados do ranking, feito alcançado nos três últimos anos. Atualmente, o Tricolor ocupa a 21ª posição, com 2.974.536 apostas, 66.035 a menos em relação ao Avaí, 20º lugar na classificação geral (acumulado). O último concurso foi o de número 1.119.
A sete sorteios do fim, a torcida coral pode mais uma vez ajudar com apostas para assegurar a premiação pelo quarto ano consecutivo. Vale lembrar que parte do dinheiro arrecadado pelo banco é repassado para as equipes de acordo com suas respectivas colocações na preferência nacional. Como nos últimos anos, o clube tem realizado campanhas pontuais nas redes sociais para incentivar o torcedor a fazer uma "fezinha". A regularidade das apostas é importante para o Santa entrar no grupo dos vinte melhores.
ENTENDA O QUE É TIMEMANIA

Jogo
Criada pela Caixa Econômica Federal em 2009, a Timemania é um jogo lotérico onde os apostadores escolhem números e também marcam o seu time do coração, podendo ser premiados das duas formas. Parte do dinheiro arrecadado pelo banco é repassado para os clubes de acordo com sua colocação na preferência nacional.

Funcionamento
Ao todo, são 80 clubes disponíveis. Em caso de três a sete acertos dos sete números sorteados, lembrando que você joga dez dos 80 disponíveis e marca seu clube de coração, o jogador já ganha uma quantia. Cada aposta custa R$ 2,00 e o prêmio bruto equivale a 46% da arrecadação. A partir da porcentagem, será deduzido o pagamento dos prêmios com valores fixos - R$ 5,00 para as apostas com o Time do Coração sorteado; R$ 2,00 para as apostas com 3 números sorteados; R$ 6,00 para as apostas com 4 números sorteados

Apostas
A Timemania realiza os sorteios três vezes por semana - terça-feira, quinta-feira e sábado -, e depois o Concurso, que sempre tem uma numeração diferente, é divulgado no site da Caixa Econômica ou nas casas lotéricas.

Fonte: Folha de Pernambuco, 15/12/2017

Debandada no Tricolor


DEBANDADA NO TRICOLOR

Daniel Lima
Os problemas financeiros impediram que o Santa Cruz segurasse pelo menos parte do elenco para a temporada 2018. Com o mercado de transferências brasileiro fervendo, a Cobra Coral foi atacada fortemente pelo futebol paulista. Até agora, oito jogadores já deixaram o Arruda e aceitaram o desafio de jogar em São Paulo: Anderson Salles e Tiago Costa acertaram com o Novorizontino, enquanto Julio Cesar, Nininho e Ricardo Bueno foram para o Red Bull Brasil e Bruno Silva assinou com a Ferroviária. Além deles, Guilherme Mattis e Bruno Paulo retornaram para o Bragantino e o Corinthians, respectivamente, após empréstimo.
Campeonato estadual mais valorizado do País, o Paulistão é considerado uma grande vitrine para os atletas. Além da visibilidade, os clubes costumam pagar em dia independente de ser do interior. Com muitos atrativos, a maioria dos profissionais topa a oportunidade no primeiro semestre para tentar ganhar um destaque visando o restante do ano.
O número de atletas que saíram do Santa para a cidade mais populosa do Brasil pode subir para nove. Sem proposta para renovar contrato com o Tricolor, o volante Wellington Cézar foi sondado pelo Mirassol, mas seu futuro está nas mãos dos empresários.
“Meus agentes ainda estão analisando as propostas. Não acertei nada. Vi que muitos jogadores que atuaram comigo este ano foram disputar o Paulistão, mas não assinei nenhum papel até agora”, declarou o prata da casa em conversa com a reportagem da Folha de Pernambuco.

Debandada
O cenário nas Repúblicas Independentes do Arruda é bem parecido ao do ano passado: rebaixamento, agora para a Série C do futebol brasileiro, e salários atrasados. O discurso de reconstrução utilizado no início desta temporada é mantido para 2018. Com a grande debandada no elenco, outra vez será preciso remontar um grupo praticamente por inteiro, mas hoje a crise financeira é maior.

Confira quem saiu:
Julio Cesar - Red Bull Brasil/SP
Jacsson - Internacional/RS
Nininho - Red Bull Brasil/SP
Tiago Costa - Novorizontino/SP
Anderson Salles - Novorizontino/SP
Bruno Silva - Ferroviária/SP
Guilherme Mattis - Bragantino/SP
Derley - Fortaleza/CE
Marcílio - Boa Esporte/MG
Ricardo Bueno - Red Bull Brasil/SP
Bruno Paulo - Corinthians/SP

Fonte: Folha de Pernambuco, 15/12/2017

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Em busca de parcerias


EM BUSCA DE PARCERIAS

Rafael Brasileiro
Desde que começou a trabalhar com futebol profissional, Fred Gomes rodou por vários clubes do Nordeste e conquistou acessos com Ceará, Icasa e Remo. Glórias que contrastam diretamente com as dificuldades financeiras que teve que desafiar. Situação bem similar ao que encontrará no Arruda. Um desafio que ele tem conhecimento do tamanho.
"É um desafio do tamanho do clube. Sei que o torcedor é imediatista e que haverá críticas, mas temos que reconstruir. Por isso, temos que fechar a torneira. Se conseguirmos organizar, começaremos a ter mais parceria, mais sócios. É algo que o clube passou há sete anos atrás", pontuou.
Sobre contratações, Fred Gomes nega que irá se limitar a atletas da região Nordeste - onde tem seus principais trabalhos. Ou, até mesmo, jogador do Centro-Oeste, nos quais o técnico Júnior Rocha tem mais conhecimento. O executivo não quer esse rótulo e prefere expandir os horizontes.
"Serão jogadores que se encaixem no perfil técnico e depois no financeiro. Não iremos focar em atletas do Nordeste, onde eu trabalhei, e no centro-Oeste, em que o Júnior trabalhou."
Para que se consigam atletas de outras regiões, porém, Gomes espera que outros clubes de maior porte sejam parceiros. Enquanto Constantino Júnior já deve utilizar suas relações com Bahia, Vitória e Ceará nesta quarta-feira, em reunião da Liga do Nordeste, a direção de futebol já conversa com outros clubes que possam ser realmente parceiros.
"Temos que ter os clubes grandes como parceiros nesse momento. E ser parceiro é dividir salários", disse. Além de Fred Gomes, a direção de futebol ainda contará com Filipe Alves, Felipe Rêgo Barros, Fred Dias e Allan Araújo, todos adicionados ao departamento neste ano. Jomar Rocha também segue no clube.


Fonte: Diario de Pernambuco, 13/12/2017

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Constantino assume clube na esperança por dias melhores


CONSTANTINO ASSUME CLUBE NA ESPERANÇA DE DIAS MELHORES

Paulo Henrique Tavares

A esperança tricolor por dias melhores, pelo menos pelos próximos três anos, foi iniciada na noite desta terça-feira (12). O empresário Constantino Júnior, de 38 anos, eleito há uma semana, foi aclamado e empossado como novo presidente do Santa Cruz. Vale lembrar que é a segunda vez que alguém comandará o clube por três anos, sem a necessidade de reeleição – o primeiro foi justamente seu antecessor, Alírio Moraes, que ocupará o Conselho Deliberativo. O mandato de Tininho, ao lado do vice-presidente Tonico Araújo, irá até o fim de 2020. O 47º presidente eleito da história coral venceu as eleições em cima de Fábio Melo, da Chapa Santa Cruz do Povo, e Albertino dos Anjos, da Chapa Muda Santa Cruz.
Constantino Júnior fez um discurso bastante emocionado, e usou do tom forte para demonstrar o compromisso que terá nesta nova função no clube. “Eu não estava esperando este momento, até porque existia uma candidatura, de um homem que conseguiu tudo aqui no Santa Cruz: Antônio Luiz Neto. Mas ele acreditou em um jovem no passado e voltou a acreditar agora. À época, falei: presidente, se eu for convidado eu vou trabalhar. E vou fazer o melhor pelo Santa Cruz. E continuarei com essa promessa”, disse o novo presidente.
Apesar de a posse ter acontecido apenas nesta terça-feira, as primeiras ações da gestão de Constantino Júnior começaram a ser tomadas logo após a conquista da sua candidatura. A promessa em ter um executivo de futebol, desempenhando função parecida com a do próprio Tininho, no triênio passado, foi cumprida com a contratação de Fred Gomes. Além disso, o treinador para a temporada 2018 será Junior Rocha, ex-Luverdense, anunciado na última semana. Tininho também já nomeou os dirigentes para os próximos três anos e confirmou o discurso de renovação pregado na campanha eleitoral.
“Nesse momento lembro do início, quando eu fui muito criticado por ser jovem no meio do futebol, e mesmo assim tivemos conquistas. Aprendi muito com minhas vitórias, mas também com todas as derrotas. E elas ajudaram a construir minha consciência e vai contribuir para que eu possa levar esse clube a voltar a ser vencedor”, falou Tininho, que também prometeu formar novos diretores na sua gestão, aliando o diálogo com os diretores mais experientes.
Para compor o quadro administrativo de sua gestão, trouxe profissionais da sua geração. Para se ter uma ideia, os opositores Fábio Melo e Allan Araujo, que faziam parte da chapa Santa Cruz do Povo, como candidato à presidência e membro do Conselho Deliberativo, respectivamente, ganharam cargos na cúpula. O primeiro será Diretor Social, enquanto o segundo trabalhará na diretoria de futebol, ao lado de Fred Gomes (executivo), Jomar Rocha, Frederico Dias, Felipe Rego Barros e Felipe Alves. Comenta-se nos bastidores, também, que Albertino dos Anjos possa ganhar alguma fatia do bolo diretivo do Santa Cruz. Algo ainda não confirmado por nenhuma das partes.
A formação da equipe para 2018, no entanto, ainda não foi iniciada. Mas já está previsto que a ideia seja montar uma equipe “barata”, devido os problemas financeiros que o clube tem enfrentado nos últimos anos. O Santa Cruz disputará, no próximo ano, quatro competições: Campeonato Pernambucano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C do Campeonato Brasileiro. A folha salarial do elenco deve girar em torno de R$ 250 mil.


Fonte: Folha de Pernambuco, 12/12/2017
 

Atrasados e redução salarial travam renovação de Vítor


ATRASADOS E REDUÇÃO SALARIAL TRAVAM RENOVAÇÃO DE VÍTOR

Daniel Lima
O Santa Cruz iniciou as conversas para tentar renovar o contrato do lateral direito Vítor. A diretoria e o empresário do atleta, Gilson Marcos, se reuniram na tarde de segunda-feira (11), mas a negociação não avançou no primeiro encontro entre as partes. Segundo o agente, o clube deve oito meses de salários ao jogador – cinco do ano passado e três desta temporada – e os débitos precisam ser renegociados. Outro empecilho é a readequação financeira. Ou seja, uma redução salarial para a realidade do Tricolor.
Em conversa com a reportagem da Folha de Pernambuco, Gilson Marcos criticou o advogado Alírio Moraes, que não cumpriu o acordo de pagamento. A falta de confiança acaba pesando mesmo Vítor tendo interesse em permanecer no Arruda para a temporada 2018.
“Existem dívidas para serem negociadas. O jogador demonstrou o desejo de continuar, mas é preciso acertar as contas. Além disso, o salário dele vai precisar passar por uma readequação para se encaixar no patamar do clube. O que preocupa mais é débito. Não gostamos de colocar na justiça e por isso renovamos o contrato no ano passado. Até agora, Alírio (Moraes) não cumpriu nada e a gente fica com um pé atrás”, declarou o empresário, que apesar de colocar prioridades não descartou um acerto.
“Vamos continuar conversando com a direção. Estive com eles em uma primeira oportunidade. Tem a possibilidade de acerto, mas repito que tudo depende do pagamento dos cinco meses do ano passado e três meses deste ano”, reiterou.

Trajetória
Após três temporadas no Santa, o experiente lateral direito jogou 80 partidas e marcou três gols. Por toda bagagem no futebol, virou capitão e se transformou em um dos líderes do elenco, sendo uma das principais referências.


Fonte: Folha de Pernambuco, 12/12/2017

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Torcida aprova verba para CT no Ministério do Esporte


TORCIDA APROVA VERBA PARA CT NO MINISTÉRIO DO ESPORTE

Daniel Lima

Foi a torcida que ajudou na construção de um colosso. Doou tijolos, cimentos, areia e ferro e muita paixão para tirar o estádio do Arruda do papel. Uma história de 1965 se repete no presente. Com muito esforço, os torcedores têm se mobilizado para levantar o tão sonhado centro de treinamento e estão contribuindo diretamente em prol do clube. Um grupo de oito amigos tricolores, todos eles servidores públicos da área jurídica, conseguiu aprovar uma verba para as obras no terreno.
Ainda em junho deste ano, os torcedores foram buscar informações sobre a Lei de Incentivo ao Esporte (11.438/2006), que permite que empresas e pessoas físicas invistam parte do que pagariam do Imposto de Renda em projetos aprovados pelo Ministério do Esporte. O grupo de tricolores viabilizou um valor de R$ 2.455.020,97 para modernizar o centro de treinamento.
Quando a quantia for liberada, serão construídos os seguintes espaços: guarita, sala de imprensa, setor técnico, vestiários dos atletas e da comissão técnica, sala de dados para os analistas de desempenho, enfermaria/sala de massagem, sauna, duchas, banheiros para os atletas, rouparia, almoxarifado interno, sala de audiovisual, hall, lixo, gás, pavimento interno, garagem para 18 veículos e reservatório superior.
A ideia é contar com o apoio da diretoria para receber um suporte e tocar o projeto de infraestrutura. Com a ajuda do clube, os documentos que davam chancela ao processo foram obtidos. Logo em seguida, um consultor foi contrato para ficar responsável pelos caminhos, formatos e datas de tramitação no Ministério do Esporte.
Após a aprovação, uma conta foi aberta no Banco do Brasil, que ficará bloqueada durante toda a reunião de valores, para o processo de captação de recursos. Assim que o montante total da tramitação for alcançado, o dinheiro será liberado e consequentemente as obras começarão.
Os responsáveis pelo movimento são Alessandro Medeiros, Bruno Dias, Diogo Melo de Oliveira, Eduardo Lins, Milton Santos, Marcelo Vieira, Marconi Lafayette e Oberdan Rabelo. De olho no próximo edital do Ministério, previsto para o mês de fevereiro de 2018, o novo passo é buscar parceiros para angariar mais recursos voltados para o CT.


Fonte: Folha de Pernambuco, 11/12/2017

Constantino Júnior nomeia novos diretores da sua gestão


CONSTANTINO JÚNIOR NOMEIA NOVOS DIRETORES DA SUA GESTÃO

Daniel Lima

Presidente eleito para o próximo triênio no Santa Cruz (2018-20), Constantino Júnior confirmou que nesta terça-feira (12) irá anunciar os nomes dos diretores de todos os departamentos do clube. Segundo informações apuradas pela Folha de Pernambuco, os profissionais já foram definidos, mas a lista ainda não foi divulgada oficialmente pela assessoria de imprensa coral. A reportagem adianta alguns membros que compõem a cúpula tricolor.
Ainda antes de vencer a eleição presidencial, Tininho pregou mudança e renovação. Quando ganhou o pleito, convidou integrantes dos grupos de oposição para ajudar em sua gestão. O que chama a atenção é que os opositores Fábio Melo e Allan Araujo, que faziam parte da chapa Santa Cruz do Povo como candidato à presidência e membro do conselho deliberativo, respectivamente, agora são da situação e ganharam cargos na nova diretoria coral.
Além deles, outros dois nomes da lista, Frederico Dias e Gustavo Menezes apoiaram a chapa Santa Cruz do Povo nas eleições. No entanto, eles têm uma amizade antiga com Constantino Júnior e também foram integrados na nova cúpula como diretores de futebol e da marca própria Cobra Coral, respectivamente.

Confira os nomes dos diretores de cada departamento: 

Presidente executivo – Constantino Júnior
Vice-presidente executivo – Tonico Araújo
Conselho Deliberativo – Alírio Moraes
Comissão Patrimonial – Ricardo de Paula (presidente), Roberto Freire e Victor Pessoa de Melo
Futebol - Fred Gomes (executivo), Jomar Rocha, Allan Araujo, Frederico Dias, Felipe Rego Barros e Felipe Alves;
Vice-presidente administrativo/financeiro - Ítalo Mendes
Diretor de planejamento estratégico - Eduardo Tiburtius
Diretor social - Fábio Melo
Diretor da marca própria (Cobra Coral) – Gustavo Menezes


Fonte: Folha de Pernambuco, 11/12/2017

Mãos na massa e pés no chão


MÃOS NA MASSA E PÉS NO CHÃO

Daniel Lima

A experiência de Fred Gomes no Nordeste influenciou o Santa Cruz a escolhê-lo como diretor executivo de futebol. Mesmo com chegada prevista ao Recife para esta segunda-feira (11), ele já colocou a mão na massa. Na última quinta-feira, anunciou o técnico Júnior Rocha, ex-Luverdense. O currículo do dirigente remunerado indica que trabalhar com poucos recursos é uma das suas virtudes. Com a folha do elenco girando em torno de apenas R$ 250 mil, evidente que o orçamento será limitado. Em entrevista à Folha de Pernambuco, ele contou sobre sua trajetória e falou dos desafios que estão por vir.

Objetivo


A conversa com a direção foi de reconstrução. O clube acumulou dois rebaixamentos consecutivos e está em crise financeira. Gostei do projeto que me apresentaram e topei compor o departamento de futebol (com mais quatro profissionais da casa) porque sei da realidade. O Santa é gigante, mas está adormecido e precisa voltar a caminhar nos trilhos. Vou trabalhar com muita responsabilidade e sempre respeitando as outras pessoas no dia a dia.

Carreira 

Comecei trabalhando no futsal. Foram oito anos no futebol de salão até ingressar no profissional. De 2009 a 2011, trabalhei no Ceará. Em 2012, fui para o Icasa e fiquei até 2013. Na temporada de 2015, fiz parte da Federação Cearense de Futebol (FCF). No ano seguinte, assumi o departamento de futebol do Remo. Este ano, tive uma rápida passagem pelo Treze. Em seguida, dirigi o Guarany de Sobral e logo depois acertei com o Ferroviário, mas nem trabalhei lá porque resolvi aceitar a proposta do Santa Cruz. Como tinha uma cláusula no contrato, a saída foi tranquila.

Elenco 

Queremos jogadores competitivos. Vamos disputar quatro competições em 2018, sendo duas delas regionalizadas (Copa do Nordeste e Série C). Os reforços não serão especificamente da região Nordeste, mas precisamos de profissionais que abracem a causa e entendam a realidade.

Categorias de base 

Os jovens valores são a salvação dos clubes. Espero fazer uma integração entre a base e o profissional, mas primeiro temos que organizar a casa. Depois que arrumarmos ela, vamos tentar essa aproximação juntamente com o departamento de futebol.

Futuro 

Temos que buscar receitas e visibilidade. Com muita cautela e segurança, vamos lutar para reconstruir o Santa Cruz e contamos com o apoio dos torcedores, que precisam chegar junto.

Fonte: Folha de Pernambuco, 11/12/2017

domingo, 10 de dezembro de 2017

O perfil de Júnior Rocha


O PERFIL DE JÚNIOR ROCHA

João de Andrade Neto
Gaúcho de São Leopoldo, o técnico Júnior Rocha, de 36 anos, construiu toda a sua trajetória na profissão à frente do Luverdense, onde acumulou acessos, títulos e, mais recentemente, o rebaixamento à Série C. Agora, chegou o momento de um novo passo. Nesta sexta-feira, o novo treinador do Santa Cruz atendeu, por telefone, a reportagem do Superesportes e se mostrou animado para o que definiu como "a chance da vida".
Ciente da missão que terá pela frente, já iniciou os trabalhos para a remontagem do elenco coral. Além disso, não se mostrou preocupado com histórico de atrasos salariais do clube e pediu a renovação de dois jogadores do atual elenco. Os experientes Vitor, lateral-direito, e Grafite, atacante.
Júnior Rocha deve chegar ao Recife no próximo dia 17 e ser apresentado oficialmente no dia seguinte. No momento, participa do curso de treinadores da CBF, no Rio de Janeiro. A pré-temporada coral está agendada para iniciar no dia 26. Com isso, os tricolores terão menos de um mês de preparação para a estreia na temporada, marcada para 17 de janeiro, contra o Confiança, em Aracaju, pela Copa do Nordeste.
"Acertamos na noite de ontem (quinta-feira) e sei que o elenco vai passar por uma remontagem. Mas não sei ao certo ainda quantos serão os remanscentes da Série B. Mas acho que o Vitor é um jogador importante. Seria uma peça fundamental para nós, assim como o Grafite. É um jogador que dispensa comentários. Não é fácil achar algum camisa nove com a qualidade dele no mercado. Se ele tiver disposto a nos ajudar será também fundamental", destacou.
Ao mesmo tempo, o treinador também revelou que a busca por novos jogadores já começou. Porém, não quis dizer quantos atletas devem ser contratados. Rocha também elogiou o presidente eleito Constantino Júnior, e lembrou que ele, quando diretor de futebol do Santa, conseguiu montar elencos competitivos com poucos recursos.
"Será um trabalho de parceria. O Tininho é um cara por dentro do mercado e já montou equipes competitivas com pouco dinheiro. É um perito nisso. Mas não adianta agora jogar nomes no ventilador para não atrapalhar nas negociações. Mas obviamente também farei minha indicações, assim como o Fred (Gomes, novo executivo de futebol)", adiantou.
"Nesse primeiro semestre é mais complicado contratar porque há a concorrência de outros campeonatos mais atrativos como o Paulista, ainda mais dentro do orçamento que teremos. Mas mesmo com todas as dificuldades, o Santa Cruz é grande e também um atrativo. Queremos atletas que comprem a ideia de deixar o objetivo pessoal em segundo plano e colocar como principal o Santa Cruz. Recuperar a confiança do torcedor".

Não preocupado com atrasos 

Motivação que não diminui nem com o histórico de atrasos salariais do clube. Júnior Rocha afirmou que chega dando um voto de confiança da diretoria. "Sei que Tininho fez parte da atual diretoria, mas que também de outras que com o orçamento reduzido conseguiu manter os salários em dia. Não estou preocupado com isso. Confio no que me falaram", pontuou.
"Se fosse treinar o time amador da minha cidade iria dar a vida. Esse é o meu perfil. Ser competitivo. Priorizo muito a organização, a entrega e a concentração. E se daria a vida em um time amador, imagine no Santa Cruz. Trabalho não vai faltar. É a chance da minha vida. Darei 101% porque só 100% não será o bastante", encerrou o novo técnico coral.

Fonte: Diario de Pernambuco, 08/12/2017